Ir para conteúdo

Posts Recomendados

  • Membros

Olá Pessoal.

Acabo de voltar da minha primeira Eurotrip que foi incrível - Portugal, Espanha e França e já estou programando a próxima.

Desta vez quero conhecer a Europa central. Poderia ir a partir de Janeiro porém pensando no clima e procura turística creio que 35 dias a partir de Maio é o ideal.

Idealizo chegar pela Alemanha e focar mais na Polônia porém terei boas possibilidades de conhecer bastante lugares.

Meu pré-roteiro seria o seguinte:

Berlim - 3 dias 

Poznan - 1 dia - Não necessariamente - poderia deslocar este dia para Berlim.

Gdansk - 4 dias

Torum - 1 dia - Não necessariamente - poderia deslocar este dia para Munique.

Varsóvia - 3 dias

Cracóvia - 5 dias

Breslavia - 2 dias

Praga - 4 dias

Viena - 4 dias

Budapeste - 5 dias

Munique - 2 dias

Será que vocês poderiam me ajudar a afinar este roteiro? As vezes acho que está bom, as vezes acho que daria para incluir  lugares ou trocar cidades, ainda bem que tenho bastante tempo para deixa-lo redondinho.

Saudações mochileiros!

 

 

 

 

 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros
13 horas atrás, Igor Nascimento disse:

Gdansk - 4 dias

Tem algum interesse especifico em Gdansk? Pois se a ideia é só fazer turismo e conhecer a cidade, não precisa mais que 1 dia!

É uma cidade relativamente pequena, e sem nada de muito diferente do que você vai ver nas outras cidades polonesas,eu fui uma vez a trabalho para lá, e tinha o sábado livre para passear, pois o meu voo era só as 20:00 de sábado. Fiquei o sábado passeando pelo centro da cidade, e pessoalmente eu acho que consegui ver e visitar todos os locais que me interessavam e ainda sobrou tempo para ficar tomando uma cerveja num barzinho até dar a hora de ir para o aeroporto.

13 horas atrás, Igor Nascimento disse:

Varsóvia - 3 dias

A mesma questão se aplica a Varsóvia, apesar de ser capital do país, não tem lá tanta coisa relevante em termos de turismo a menos que você tenha algum interesse muito especifico lá.

Quando eu fui a primeira vez a Varsóvia, acabei visitando tudo o que me interessava no primeiro dia, e o segundo dia já não tinha nada de muito interessante para ver, fiquei "enrolando" até dar a hora do meu trem para Cracóvia.

13 horas atrás, Igor Nascimento disse:

Cracóvia - 5 dias

Cracóvia tem mais coisa interessante para você ver e fazer, visitar Auschwitz consome um dia inteiro, visitar as minas de sal de Wieliczka consome uma manhã ou tarde, visitar o centro histórico, o castelo e o bairro judeu consomem outros 1 dia a 1 dia e meio.

O que totaliza 3 dias para visitar as principais coisas com calma, somando um dia de deslocamento para chegar lá, dá 4 dias, então nesta parte está folgado.

13 horas atrás, Igor Nascimento disse:

Poznan, Gdansk, Torum, Varsóvia, Cracóvia, Breslavia

Minha opinião pessoal, tem muito do mesmo, no fundo todas estas cidades são meio parecidas, e lá pela terceira ou quarta cidade você nem vai reparar mais nas coisas, pois será tudo meio parecido com as outras 2 ou 3 cidades que acabou de visitar...

13 horas atrás, Igor Nascimento disse:

Budapeste - 5 dias

A menos que a sua ideia seja sair toda noite, beber todas, ir dormir as 4 da manhã e acordar as 12:00 de ressaca, 5 dias é meio exagerado para Budapeste.

Agora se a ideia é mesmo sair toda noite tomar todas, precisa mesmo de uns 4 ou 5 dias, pois ai na prática, depois de curar a ressaca e almoçar, você só tem 2 ou 3 horas livres  para visitar alguma outra coisa na cidade alem dos bares ...

13 horas atrás, Igor Nascimento disse:

Munique - 2 dias

Pessoalmente eu acho que é muito pouco tempo.

Só para visitar as atrações do centro de Munich você gasta uns 2 dias, mas ainda falta um passeio que é prioridade para eu acho 95% das pessoas que vão a Munich, que é visitar o castelo de Neuschwanstein, e este passeio consome um dia inteiro, com você saindo as 8 da manhã e voltando as 08:00 da noite...

 

 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Olá poiuy, tudo bem?

Refleti acerca das suas considerações e aproveitei um pouquinho do dia para repensar este roteiro.

Sobre Gdansk, vou manter os 4 dias prevendo 1 dia de deslocamento, 1 dia para Sopot e meio dia para o castelo de Malbork. Acaba sobrando cerca de um dia e meio para Gdansk efetivamente. 

Em relação à Varsóvia, reduzi para 2 dias.

Já sobre Cracóvia, vou manter os 5 dias visto que em 1 deles gostaria de fazer um bate-volta à Zakopane.

Diminuí para 3 as cidades polonesas que apesar de serem o meu foco, você tem razão, ficará mais do mesmo.

Budapeste não quero mexer pois de lá vou procurar conhecer Szentendre e Skanzen para conhecer um pouco mais da cultura húngara.

A maior intervenção foi em Munique, aumentei para 5 os dias para talvez conhecer Fussen e Rothenburg ob der Tauber.

O que você acha?

BERLIM 4
GDANSK 4
VARSOVIA 2
CRACOVIA 5
VIENA 4
BUDAPESTE 5
PRAGA 5
MUNIQUE 5
BERLIM 1

Aceito suas sugestões inclusive de outras cidades mais ou menos próximas.

Abraço

 

 

 

 

 

 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros
15 horas atrás, Igor Nascimento disse:

A maior intervenção foi em Munique, aumentei para 5 os dias para talvez conhecer Fussen e Rothenburg ob der Tauber.

A menos que você alugue um carro, visitar Rothenburg ob der Tauber a partir de Munich é completamente inviável, pois você gasta 5 horas de trem/ônibus para chegar lá, e as mesmas 5 horas para voltar a Munich.

Se você quer visitar Rothenburg ob der Tauber usando transporte público, precisa incluir Nürnberg no seu roteiro, entre Munich e Berlin.

Inclua uns 2 ou 3 dias em Nürnberg, 1 dia para fazer um bate-volta a Rothenburg ob der Tauber, 1 dia para Nürberg, e se você for fã de cervejas, um terceiro dia para um bate-volta a Bamberg, terra da cerveja defumada...

 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 2 meses depois...
  • Membros
Em 11/06/2019 em 00:31, Igor Nascimento disse:

Olá poiuy, tudo bem?

Refleti acerca das suas considerações e aproveitei um pouquinho do dia para repensar este roteiro.

Sobre Gdansk, vou manter os 4 dias prevendo 1 dia de deslocamento, 1 dia para Sopot e meio dia para o castelo de Malbork. Acaba sobrando cerca de um dia e meio para Gdansk efetivamente. 

Em relação à Varsóvia, reduzi para 2 dias.

Já sobre Cracóvia, vou manter os 5 dias visto que em 1 deles gostaria de fazer um bate-volta à Zakopane.

Diminuí para 3 as cidades polonesas que apesar de serem o meu foco, você tem razão, ficará mais do mesmo.

Budapeste não quero mexer pois de lá vou procurar conhecer Szentendre e Skanzen para conhecer um pouco mais da cultura húngara.

A maior intervenção foi em Munique, aumentei para 5 os dias para talvez conhecer Fussen e Rothenburg ob der Tauber.

O que você acha?

BERLIM 4
GDANSK 4
VARSOVIA 2
CRACOVIA 5
VIENA 4
BUDAPESTE 5
PRAGA 5
MUNIQUE 5
BERLIM 1

Aceito suas sugestões inclusive de outras cidades mais ou menos próximas.

Abraço

 

 

 

 

 

 

 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 1 mês depois...
  • 5 meses depois...
  • Membros

Olá @Rafael_Salvador !

A viagem está agendada para 06 de maio porém em virtude do corona virus tenho quase certeza do cancelamento. Vou tentar percorrer os países mais ao sul dessa trip em outubro e novembro, mas a dinâmica deverá ser diferente já que será mais frio e os dias curtos necessitam de maior permanencia nas cidades. Se tudo der certo os países bálticos deixo para 2021. 

 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Colaboradores

@Igor Nascimento Se em Agosto as coisas estiverem calmas e tiver disponibilidade podemos combinar alguma coisa...

Em 10/06/2019 em 20:31, Igor Nascimento disse:

GDANSK 4 VARSOVIA 2 CRACOVIA 5

To pensado em duas dessas 3

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por philip_rodrigo
      Fala, pessoal, 
      tudo bem?
      Tenho uma passagem pro reveillon em Portugal pela TAP. Estou em dúvidas sobre a abertura da fronteira, sera que vai rolar? 
      Ja estou vacinado e a França ja anunciou abertura. Caso Portugal nao abra, e eu comprar um trecho de Portugal pra França, será que consigo utiliza-lo?
    • Por Rodrigo Burle
      Este chalé fica em Solčava, Eslovênia (ver foto). Ele são muito populares nas áreas montanhosas, os menores são chamados de "hut" e os maiores "dom" e custam entre 17 e 30 euros, os preços variam de país para país.   Eles estão espalhados por todas as montanhas da Europa, e uma coisa que quase todos os refúgios têm em comum é uma vista espetacular (como este da foto). A estrutura é muito semelhante a um hostel, eles têm quarto privado e quarto compartilhado, estão sempre cheios de montanhistas. Na maioria dos parques nacionais é proibido acampar e isso em toda Europa. A multa é salgada e os rangers ficam o dia inteiro a procura de barracas, inclusive com helicópteros. Se você vai para as montanhas tenha em mente que você terá que dormir nestas refúgios algumas vezes, pelo menos nas montanhas mais altas ou em parques nacionais.   Dica para economizar   Se você vai para as montanhas da Europa, não importa em qual país. Você pode se associar a ao clube de montanhismo e ganhar diversos descontos, inclusive em acomodação. O mais legal é que se tiver o selo de reciprocidade, você pode usar em qualquer país (foto 4 e 5). A maioria dos refúgios que eu fiquei custavam na faixa de 30 euros, com o cartão da associação eu pagava 15.   Se você vai passar uma semana nas montanhas a 30 euros são 180, com o desconto você paga 105. São 75 euros, a anuidade varia de clube para clube (o da Eslovênia foi o mais barato que eu achei), paguei 30 euros. Você economizaria 45 euros. E quanto mais tempo maior a economia, vale a pena. Fora isso, você tem descontos em lojas de roupas e equipamentos entre outras coisas.   O site para se associar a um clube de montanhismo na Eslovênia é: www.pzs.si   Eu já ajudei centenas de pessoas com meu livro Liberdade Nômade, onde eu conto tudo que eu fiz e dou dicas para que você não passe nenhum tipo de aperto em suas viagens aprendendo com meus erros. Eu vou te mostrar que é possível viver viajando, independente do que você faz hoje ou sua idade.   Dê o primeiro passo para a liberdade, clique no link abaixo: https://bit.ly/liberdadenomade2021   Tem um monte de fotos das minhas aventuras no instagram: https://www.instagram.com/rodrigoburle/   E não esqueça, dê o primeiro passo!  Muito obrigado! 




    • Por Rodrigo Burle
      Slovenska Planinska Pot, às vezes também chamada Transverzala, é uma travessia de Maribor até Ankaran. Abrange a maior parte das áreas montanhosas da Eslovênia, incluindo Pohorje, os Alpes Julianos, os Alpes Kamnik-Savinja, os Karawanks e a parte sudoeste da Eslovênia. Distância 617km com nada menos que 37.300 metros de subida acumulada. Umas das mais difíceis trilhas de longa distância que eu já fiz, porém uma das mais belas também. Oficialmente pode ser feita em 37 dias, eu demorei 42. Essa trilha passa pela montanha Triglav, símbolo nacional da Eslovênia (a montanha da bandeira nacional), 2864 metros, ponto mais alto da travessia.
      A Eslovênia é um país lindissímo, com montanhas por todos os lados. O povo é muito hospitaleiro, o que tornou este trekking uma aventura bastante prazerosa. Eles são simplesmente fanáticos por montanhas, é comum ver famílias inteiras escalando, desde o netinho até o avô.
       
      Existe um livro, tipo um passaporte, onde você coleta o carimbo em cada topo de montanha e é bem tradicional. Conversando com um senhor, ele me disse que praticamente todo Esloveno tem esse livro e que é uma tradição coletar todos os carimbos antes dos 50 anos. Ele também me disse que poucos conseguem, eu coletei todos em 42 dias. A maioria das pessoas não consegue não porque é difícil, mas por não ter tempo, o que me lembrou o quanto eu tenho sorte em ter liberdade geográfica e financeira.   Eu comparo esse passaporte com a vida, onde cada carimbo é um sonho que você tem. Quantos carimbos você tem coletado? Comenta aí...   Eu tinha várias desculpas para não realizar meus sonhos, sempre ocupado com trabalho, estudos ou qualquer outra coisa. Somente com 38 anos eu me dei conta que a vida voa e se você não sair do “automático” e começar a viver ela vai passar e você nem vai perceber.   Felizmente nunca é tarde, não importa a sua idade, sua condição financeira, sua experiência, se você quer ter uma vida cheia de momentos incríveis e experiências transformadoras, vá viajar! Nada vai te proporcionar uma vida tão intensa e com propósito.   Se você não sabe por onde começar eu escrevi um livro contanto tudo que eu fiz desde que sai do Brasil quase sem grana até me tornar um Nômade Digital. Acredito que vai te trazer bastante clareza de como é possível viver viajando.   Vou deixar o link aqui: https://bit.ly/liberdadenomade2021   Muito Obrigado!

















      20200904_094216.mp4
      20200906_073409.mp4 20200906_101058.mp4
      20200908_130642.mp4 20200909_074100.mp4










    • Por camilandarilha
      Em 2019, realizei a maior viagem da minha vida e agora, finalmente decidi compartilhar um pouco dela aqui  espero que gostem!
      Capítulo 1: Preparação e França
      Em setembro de 2018, decidi largar a faculdade e juntar dinheiro para me jogar em uma aventura na Europa. Estava trabalhando em uma ONG de intercâmbio voluntário e fechei um pacote para passar 45 dias na Croácia por R$400 reais. Muito barato! Pelo menos tinha a hospedagem garantida. (Só vim saber exatamente onde ia dormir quando cheguei na Croácia, mas essa parte fica para outro momento)
       Tinha pouquíssimo tempo e pouquíssimo dinheiro (somente R$1000 guardados) pois planejava passar o ano novo em Paris (já que as passagens no inverno são mais baratas). Vendi praticamente TUDO o que eu tinha, roupas, livros, e vendia comida na rua (principalmente bolo vegano)! Contava a história de que estava indo realizar meu sonho de mochilar, e muitas pessoas me davam dinheiro sem nem pegar a fatia, para que eu vendesse para outra pessoa. Lembro-me de um dia em que ofereci o bolo para dois senhores em um restaurante chique: Um me deu uma nota de R$50 e outro, de R$20. Quase engasguei de surpresa hahaha 😅 depois de vender muito bolo, pastel e etc, consegui juntar R$2500, que somando com o que eu tinha guardado, foi o preço da passagem de ida e volta! Poderia ter pago bem mais barato se tivesse comprado com mais antecedência, então essa é a primeira dica: Se você for fazer na loucura que nem eu, presta atenção nas promoções e procure as datas mais baratas (usei o Skyscanner para isso) mas se você tem mais tempo, compre com antecedência, pois isso pode te fazer economizar uma boa grana! 
      Outra dica: se você vai vender na rua para juntar grana e viajar, não seja seletivo. Eu era um pouco mais tímida, e só oferecia para pessoas que não estavam em grandes grupos e ainda era seletiva, escolhia na rua para quem ia oferecer. OFEREÇA PRA GERAL! HAHA Sério!
      Fiz vaquinha, continuei vendendo e tive também uma ajuda dos meus pais. Acabei indo com cerca de 800/900 euros (ou seja, eu iria me virar com uma média de 100 euros por mês). Na época, isso seria mais ou menos R$4000. 
      Cheguei em Paris e nem podia acreditar que estava ali. Eu nunca nem havia saído do nordeste! Estava fazendo 7 graus, e eu estava com um agasalho de inverno. Porém quando eu digo inverno, é inverno nordestino, ou seja, não servia para quase nada  me lasquei de frio, então outra dica: Não seja mão-de-vaca como eu fui na hora de investir em roupa de inverno. Porquê meu pensamento foi "São menos de três meses de frio, eu vou sobreviver". NÃO PENSEM ASSIM, PELO AMOR DA BICICLETINHA! 
      Fiquei uma semana em Paris e dei um bate e volta em Versailles com uma amiga peruana que fiz através do Couchsurfing. Fui no museu do Louvre de graça (o Louvre é gratuito nos sábados à noite, na baixa temporada! Outro motivo de querer ir pra Paris no ano novo). Fui na Sacred Coeur, Notre Dame (não entrei porquê era pago) e bati bastante perna! Os franceses a quem pedi informação foram gentis e prestativos. O segredo é começar com "Bonjour/Bonsoir! Excusez-moi parlez-vous anglais?" (Bom dia/boa noite! Com licença, você fala inglês?)
      A ideia era pagar pelo transporte (e ainda paguei algumas vezes) mas os próprios parisienses me ensinaram como burlar o metrô 🤷‍♀️ quase não paguei transporte público nesse mochilão. Não estou dizendo que é certo, mas era a forma que eu tinha de economizar. Se você puder pagar, pague, pois se você for pego, paga uma multa de em média 100 euros! 
      Duas vezes pedi informação sobre como comprar um ticket de metrô pois estava toda enrolada, nas duas vezes, as pessoas tentaram me explicar, mas resolveram pagar pra mim. Gentileza que você não espera!
      Fiquei na casa de duas pessoas do Couchsurfing. Me senti muito desconfortável na casa do meu primeiro host, era um francês que morava sozinho e era uma pessoa inconveniente, mas no da segunda, foi ótimo ❤️ uma paquistanesa super gente fina, que morava com o namorado francês e tinha um gatinho, o Pablito. Eles foram ótimos! A paquistanesa falava seis idiomas, incluindo português (se eu não soubesse que ela era do Paquistão, diria que era paulista pelo sotaque!)
      Maas, na noite de ano novo, acabei dormindo no hostel onde a minha amiga do Peru estava se hospedando. O metrô estava fechado (eram 3h da manhã) e eu teria que esperar até às 7h. Tinha uma cama vazia no quarto que ela estava: Ela parou um pouco, pensou e disse baixinho: "Fica aí até às 7h, antes de checarem os quartos para limpeza"! Dei um cochilo, às 7h acordei e meti o pé. Passei pela recepção sem olhar para trás, mas a pessoa que estava na recepção nem disse nada. Provavelmente é difícil saber quem é hóspede ou não em uma época tão festiva. 
      Voltei para a casa do meu host com o c* na mão, pois quando cheguei na estação da zona que ele mora, eram 8h da manhã e ainda estava escuro - e não tinha ninguém na rua. Porém em um determinado momento passei por uma menina que estava andando e mexendo no celular tranquilamente e fiquei um pouco mais tranquila. A pessoa só faria isso em um lugar minimamente seguro, não é?  Mas ainda fiquei em alerta até chegar na casa do meu host. 
       
      Depois da França, peguei um voo para a Croácia (que estava incluso naqueles R$3500). Cheguei em Zagreb e peguei uma van até Rijeka, a cidade onde ficaria por 45 dias (acabei ficando 50 dias). 
       
       
       








      20190102_161214.mp4 20190103_132615.mp4

    • Por gsultowski
      Olá.. sei que preciso fazer a comprovação financeira de 2400 euros para conseguir o visto. O que quero saber é COMO FAZER esta comprovação? Extrato bancário, declaração?
      Obrigado.
×
×
  • Criar Novo...