Ilha de Marajó - Perguntas e respostas

Guias e troca de informações sobre destinos do estado do Pará


ILha do Marajo - Perguntas e respostas

Mensagem não lidapor mapaes » 16 Fev 2005, 11:50


Este tópico é para troca de informações. As informações inéditas serão aproveitadas e colocadas no tópico
Ilha do Marajó - Guia de informações
As perguntas e Repostas na medida que ficarem desatualizadas e duplas, as mais antigas serão substituidas pelas mais novas


<font color="blue">Roteiro detalhado da viagem à Ilha de Marajó.</font id="blue">

Data: 04/02/05 (20:30) à 09/02/05 (16:00) - Carnaval

No final de tudo, daremos mais informações de preços e como chegar.

Cercada pelos rios Amazonas, Tocantins e pelo Oceano Atlântico, o Arquipélago do Marajó tem 49.602km2 pelos quais se espalham florestas, savanas, praias e um rico ecossistema praticamente intocado. Concentrando o maior rebanho de búfalos do país, os campos do Marajó transformam-se num imenso alagado entre os meses de Janeiro a Junho, período de chuvas intensas na região. No restante do ano impera a estação seca, melhor época para se conhecer a ilha.

O arquipélago do Marajó possui 13 municípios, sendo <b>Soure </b>e <b>Salvaterra </b>os mais procurados pelos visitantes. Uma forma de conhecer o <b>Marajó </b>é através de suas fazendas, tendo o fazendeiro como guia, para ver de perto o dia-a-dia dessas propriedades, algumas com dezenas de Spamres de hectares, onde o tempo parece atrelado à natureza.
1º dia: Sexta, 04/02

Saída de Belém ao porto do Camará</b>
Saímos às 19:15 em direção ao distrito de <b>Icoaraci </b>(cerca de 30km de Belém), onde fica o porto da <b>Envio Transportes</b> para pegar a balsa. Para quem vai de carro o caminho é esse. Quem vai de navio, compra passagem e embarca no Galpão 10 da CDP. Pegamos uma chuva torrencial mas a viagem foi bem tranqüila e no tempo determinado (em torno de 3 horas).
Chegamos em baixo de muita chuva. Ficamos de barraca, e nossas coisas ficaram dentro do carro, mas se quiséssemos, poderíamos colocar dentro de armários individuais que a pousada fornece. Aguardamos dentro do carro amenizar a chuva para podermos montar nossa barraca. Dormimos às 03:00...
obs: resolvemos ficar com nossas coisas dentro do carro. Nossa 2ª casa depois da barraca era o carro. Nossa geladeira era nosso isopor. Estava lotado de coisas para não gastarmos muito com bebida. Foi legal assim. Sempre que íamos aos lugares, tínhamos tudo em mãos.

<b>2º dia: Sábado, 05/02
Passeios na Fazenda Bom Jesus</b>
Noite mal dormida...Ainda amanheceu chovendo, mas foi parando. Acordamos por volta das 9:15 com barulho de gente (era o Romualdo e o Valdo, da pousada - uma família inteira toma conta da pousada). Todos desempenham o seu papel de maneira fantástica), e para nossa surpresa vimos uma carroça puxada por búfalo. Fomos tomar o café da manhã (por sinal maravilhoso pagamos diária R$ 12,50 por pessoa com direito à café da manhã) que finalizava as 9:30. Ligamos para <b>Dona Eva</b>, dona da <b>Fazenda Bom Jesus </b>(em Soure) para agendarmos o passeio em sua fazenda.
Marcamos para 15:00 horas do mesmo dia. Voltamos para barraca para arrumar tudo direitinho, e resolvemos mudá-la de local. Colocamos próximo aos banheiros e ao redário. Após isso, já era 13:00 e precisávamos ir para Soure. Perguntamos onde ficava o porto para <b>Soure </b>e em 15 minutos de carro chegamos até ele. A travessia durou em torno de 5 minutos.
Fomos ao <b>Hotel Asa Branca </b>(que fica na 4a rua) para conhecer, pois recebemos boas referências (é um hotel simples, a comida é boa mas não se compara com a pousada Boto). Aproveitamos para almoçar um Filhote (peixe da região) ao molho de Camarão R$ 17,00 que por sinal estava muito bom. De lá, em 3 minutos chegamos às 15:15 à casa de <b>Dona Eva </b>(que fica na 4ª rua também). Ela já aguardava por nós para nos conduzir até a sua fazenda.
Chegamos à fazenda depois de uns 10 minutos de carro numa estrada de piçarra. Fomos apresentados a algumas pessoas (João, Dona Carlota, Filho da dona Eva). Fomos logo aconselhados a passar repelente, pois é insuportável a picada dos carapanãs (mosquitos).
Primeiramente, a Eva (da mesma forma que a mãe, uma pessoa extremamente maravilhosa e educada - temos um vídeo dela) nos acompanhou até um local da fazenda, onde pudemos montar em um búfalo e tirar algumas fotos. Infelizmente perdemos a parte onde ela doma os búfalos (faz eles deitarem, etc) Em seguida, o "feitor" chamado <b>João </b>nos acompanhou em uma caminhada de uns 2 km, onde fomos conhecendo um pouco sobre o dia-a-dia da fazenda.


Pense numa fazenda muito grande com gado, búfalos, pássaros (não vimos guarás, pois nesta época de chuva eles somem). Inclusive nós soubemos que as provas do <b>No Limite III </b>deveriam ter acontecido nesta fazenda, mas alguns motivos impediram o acerto. Havia dois jacarés nos lagos da fazenda deixados pelo IBAMA, para serem readaptados. O IBAMA tem uma parceria com Dona Eva, que é engenheira agrônoma. Onde sua vista pode alcançar, tudo faz parte da fazenda. Há uma árvore imensa (ver fotos no site http://www.marcelo.fot.br).

Em seguida tomamos bastante água e fomos até uma igrejinha da fazenda, onde Dona Eva apresenta os quadros e fala como a igreja foi idealizada e criada. Detalhe: a igreja tem apenas 7 anos, mas é toda rústica. Isso foi possível graças ao pai de Dona Eva que guardava peças antigas, inclusive aquela madeira usada no piso das casas antigas. Esses materiais foram utilizados na construção da igreja. Antes de irmos embora, um gostoso lanche foi servido, feito com todo carinho por <b>Dona Carlota </b>(mãe de Dona Eva). Saímos da fazenda por volta das 18:15, pois a última balsa neste dia saía às 19:00.

Retornamos ao porto de Soure, atravessamos de volta, chegamos a Salvaterra na pousada Boto. Tomamos um banho rápido e fomos assistir a um show de <b>música regional </b>(carimbó, lundú, xote, etc) na pousada mais famosa da Ilha do Marajó (<b>Pousada dos Guarás</b>). Obs: <b>show gratuito</b>, mas a comida é um pouco cara. O grupo que tocou chama-se <b>Paracauary </b>(mesmo nome do rio que passa na região).

<b>3º dia: Domingo, 06/02
Passeio em Joanes</boite boa. Fez um pouco de calor na barraca. Dia ensolarado. Fomos até <b>Joanes</b>, que fica a cerca de uns 20 minutos da pousada. Localiza-se entre o caminho de camará a Salvaterra. Lembre-se da explicação lá no início que fala sobre Joanes.
Logo na chegada nos deparamos com uma paisagem belíssima. Tem dois restaurantes famosos (do Jacaré e peixaria do Sales). Ficamos no restaurante do <b>jacaré</b>. Fez sol e chuva. Nos escondemos da chuva. Tomamos umas skol, apreciando a bela paisagem. Depois às 15:00 almoçamos um filhote maravilhoso.
Lá no restaurante, havia um bloco de carnaval que ia dar a volta no quarteirão. Ficaram tocando até as 17:00. Às 18:00 fomos embora. Tomamos um banho rápido na pousada e saímos em direção ao porto <b>Salvaterra-Soure</b>, pois estávamos com vontade de atravessar e dormir pra Soure, pois ouvimos falar em uma festa na casa de shows <b>Badalauê</b>. Aproveitaríamos para permanecer e já ficar para a praia. Infelizmente não conseguimos pegar a balsa, pois a última havia saído as 18:00. Voltamos para a pousada e como era época de carnaval, fomos atrás de lugares animados, e encontramos uma "danceteria" chamada <b>Barone´s</b>, mas não estava funcionando.
Fomos a uma rua (esquina da delegacia) que estava tendo festa. Fica próxima a pousada. Ficamos tomando umas latinhas até as 20:00.

Chegamos à pousada com uma fome estrondosa e resolvemos comer algo. Pedimos de entrada um tira-gosto de <b>Queijo do Marajó </b>(R$ 5,00). Veio tanto queijo que quase não comemos o prato principal. Pedimos um <b>Parafuso Marajoara </b>R$ 14,00 (uma espécie de macarrão cheio de camarões regionais e creme. Uma delícia! Dava para 3 pessoas, mas para não estragar, comemos tudo [:D].
Fomos para a pousada, pegamos um ventilador e colocamos dentro da barraca. Foi tudo de bom a idéia. Noite maravilhosa!

<b>4º dia: Segunda, 07/02
Passeios à Praia do Pesqueiro e Fazenda São Jerônimo</b>
Acordamos as 9:00, tomamos café, batemos algumas fotos da pousada e saímos rumo à <b>Praia do Pesqueiro </b>que fica em <b>Soure</b>. Pegamos a balsa e atravessamos. Chegando em Soure, fomos ao <b>Banco do Brasil</b> (3ª rua), pois em <b>Salvaterra só tem Banpará e Basa</b>. Achamos uma <b>cerâmica marajoara </b>que fica a 2 esquinas após o banco, onde você pode comprar artigos regionais em cerâmica, inclusiva pode encomendar búfalos em todos os tamanhos. A atendente é muito educada e bem informada. O rapaz que prepara os objetos também muito educado e atencioso. <b>Na verdade todos na cidade são muito atenciosos.
Pegando a 4ª rua, no mesmo caminho da fazenda Bom Jesus, encontra-se a rua que te leva à praia do Pesqueiro. Já no caminho da Praia do Pesqueiro, encontra-se a <b>Fazenda São Jerônimo </b>(onde acorreram cenas do <b>No Limite III</b>). Nesta fazenda existem passeios a cavalo, mangues, etc. O local onde aconteceu as provas está precário. Foi mal cuidado[:(]. Segundo o pessoal da fazenda, estava saindo caro a manutenção. Mesmo assim pedi permissão para conhecer. Tirei algumas fotos também. Saindo da fazenda mais uns 15 minutos de carro com asfalto bom, chega-se à praia. Mas vale a pena! Uma praia imensa. Você pode entrar com o carro na praia e ficar parado na barraca do seu gosto. Cuidado pra não ir a partes que a areia está fofa. Aproveitamos muito. Paramos em uma barraca que havia somente cerveja <b>Cerpa</b>. Quem não conhece vale a pena experimentá-la.

A Estrutura de restaurante achei meio fraca em relação à da praia de Joanes e Praia Grande (Salvaterra). Pedi um peixe frito R$ 15,00 (filhote ou pescada amarela ou pescada branca), mas veio da barraca ao lado, eles só tinham <b>Dourada </b>(outro peixe). <b>Experimente Filhote ou Pescada Amarela</b>.

<b>Dica</b>: Quando a praia está vazando, fica uns laguinhos legais para ficar de "molho" (foto acima). Rodamos pela praia de carro, tiramos algumas fotos e saímos às 17:00, e às 18:15 pegamos a balsa de volta a <b>Salvaterra</b>.
Jogamos bastante ping pong na pousada e lanchei um delicioso sanduíche de <b>Filé Marajoara </b>(filé de búfalo com queijo do marajó). Tomamos um banho e fomos dormir.

<b>5º dia: terça, 08/02</b>
Acordamos às 9:00, fomos ao café. Fomos rapidamente conhecer o <b>centro de Salvaterra </b>onde tem tipo uma beira-mar. Não batemos foto pois estava muito quente. Acabamos não voltando ao local. Saímos para conhecer as <b>Ruínas de Joanes </b>que tínhamos esquecido quando estivemos lá na praia. Joanes é como se fosse uma cidadezinha.
Para chegar no centro de Joanes, basta seguir direto na estrada que te leva lá. Em vez de dobrar na praia, segue-se direto até o fim da linha. Tudo no asfalto. O único lugar sem asfalto foi pra ir pra fazenda Bom Jesus, em Soure. Por falar nisso achei as ruas de Salvaterra em melhores condições do que as de Soure. Batemos fotos das <b>Ruínas dos Jesuítas do Século XVII</b>. Em seguida retornamos pela mesma rua, e pegamos outra rua à direita, que te leva também à praia de <b>Joanes</b>, próximo a umas pedras com árvore, que vocês irão notar, quando chegarem à praia. Batemos mais algumas fotos, mas não ficamos.

Resolvemos voltar no sentido da nossa pousada, e fomos passar o dia na <b>Pousada dos Guarás</b>. Batemos fotos na praia "particular", piscina, chalés e cavalos.

<b>Dica</b>: conversando com o garçom informando que vai consumir, o banho é liberado na piscina. Cuidado com os preços. Pratos em torno de R$ 40,00 para duas pessoas. Há alguns tira-gostos que valem a pena como o <b>Filé de Búfalo no Palito </b>R$ 15,00 (filé em pedaços, com torradas e legumes). Obs: pode-se <b>passear de búfalo </b>ou à cavalo na pousada. 15 minutos custa em torno de R$ 2,50. Saímos da pousada por volta das 17:00h.

Saímos da Pousada dos Guarás por volta das 17:00h. Chegamos em nossa Pousada e tomamos um banho gostoso. Por falar nisso o banheiro da pousada é tudo de bom. Na verdade, tudo é bom nesta pousada, apesar do preço ser razoável. Tomamos uma banho rápido e seguimos andando até a Praia Grande, pois de lá ia sair um bloco de carnaval. Seguimos pelas ruas de Salvaterra pulando aquelas antigas marchinhas. Pulamos e bebemos bastante, até chegarmos na 4ª rua, onde o bloco parava e dava lugar para uma <b>aparelhagem </b>(uma espécie de som montado, onde ficam alguns Djs tocando de tudo, principalmente <b>músicas paraenses </b>como o <b>Brega</b>). Tomamos um <b>Tacacá </b>(comida típica do Paraense - uma cuia com tucupi, camarão, jambú e goma) e um <b>Vatapá </b>(esse, vocês devem conhecer) e seguimos andando uns 4 quarteirões até a pousada. Jogamos ping pong e resolvemos pedir um sanduíche marajoara, pois a fome era grande [:p]. Dormimos.......

<b>6º dia: quarta 09/02</b>
Último dia [V]. Fomos tomar café e batemos as últimas fotos na pousada. Tiramos a manhã toda para arrumação. Limpamos a barraca (que estava imunda devido as chuvas), arrumamos as coisas no carro. Resolvemos almoçar na pousada. Deixamos tudo pago e reservamos uma <b>Caldeirada </b>R$ 20,00 para as 14:00. Fomos até a <b>Praia Gran</b>de que fica em <b>Salvaterra</b>, a 2 minutos da pousada. Praia bonita, com estrutura boa de restaurantes, mas preferi <b>Joanes </b>e <b>Pesqueiro</b>. Tomamos umas duas skol e retornamos para a pousada.
Saboreamos nossa caldeirada, nos despedimos. Saímos às 15:05 e chegamos em <b>Camará </b>às 15:45. Existe uma fila pequena para pegar a balsa. <font color="red"><b>Dica importante</b></font id="red">: quando você compra a passagem Belém-Camará, já compra Camará-Belém. A viagem de volta não foi muito boa, pois balançou muito e como estávamos de barriga cheia, quase que volta tudinho [xx(].

Enfim, foi tudo maravilhoso, <b>as pessoas são muito hospitaleiras</b>. <b>Salvaterra é mais calmo que Soure</b>, porém onde você ficar será bem atendido e terão pessoas para te dar informações caso precise. <b>Joanes </b>é um lugar bastante calmo também em épocas de baixa estação. Vale a pena conhecer a Ilha do Marajó. Aconselho ir de carro caso queira gastar menos pois tudo fica longe. Caso não seja possível ir de carro, você pode fechar um pacote de hospedagem + passeios com um hotel (Pousada dos Guarás, Hotel Ilha do Marajó, <b>Pousada Boto</b>). Outra opção seria usar serviço de <b>táxi </b>(cobrado por percurso e não por taxímetro -Salvaterra-Soure em torno de R$10,00). Há também o serviço de <b>Mototaxi</b>. Acesse os links que disponibilizo no site para saber mais sobre pousadas, locais de ecoturismo no Pará, etc. Mais Informações:

<b>Detalhes da balsa Belém-Camará-Belém</b>
Envio Transportes (249-3400 / 249-3081)
Valor: Carro pequeno: R$ 42,00, Carro Médio: R$ 50,00, Cada Passageiro paga R$ 8,00
Pedestres classe econômica R$ 8,00 (banheiro, tv) , pedestres classe vip R$ 11,00 (ar, banheiro e tv)
Saem Diariamente. Estrutura para cerca de uns 40 a 50 carros. Travessia leva em torno de 3 a 4 horas.

* Outro meio de transporte é através de navio. Passagens e embarque no galpão 10 da CDP. Em torno de R$ 11,00 a R$ 15,00.

<b>Detalhes da Balsa Salvaterra-Soure-Salvaterra</b>
Envio Transportes (249-3400 / 249-3081)
Valor: Carro pequeno: R$ 5,78. Acompanhantes não pagam.
Pedestres não pagam. Sai de 40 em 40 minutos. Balsas começam as 5:00 ou 6:00 e terminam as 18:00 ou 19:00. Travessia leva em torno de 5 a 10 minutos.

<b>Restaurantes Famosos</b>
<b>Salvaterra</b>:
Restaurante Pajé, Restaurante Lá em Casa, Restaurante da Pousada Boto (fantástico)
<b>Soure</b>:
Minha deusa e Delícias da Nalva
<b>Joanes</b>:
Peixaria do Sales e Restaurante do Jacaré

<b>Lugares legais para conhecer</b>

<b>Salvaterra</b>:
Praia Grande
Pousada dos Guarás
Fazenda do Carmo (não cheguei a conhecer)
Passeio no manguezal (informar-se com a Pousada Boto)

<b>Soure</b>:
Praia do pesqueiro (muito legal) e Araruna (não conheci)
Fazenda São Jerônimo (passeios à cavalo, mangue)
Fazenda Bom Jesus (fantástico)
Dona Eva - 91 3741-1243

<b>Joanes</b>:
Ruínas dos Jesuítas
Praia de Joanes

<b>Informações sobre a Pousada Boto.</b>
A pousada fica dos dois lados da pista. De um lado fica o camping, redário (local para quem quiser dormir em rede), sala de jogos, banheiros, lavanderia e alguns chalés. Do outro lado, fica a casa dos proprietários, administração, restaurante, pracinha e mais alguns chalés.

Site: http://www.pousadaboto.com.br
End.: Av. Alcindo Cacela, esquina com a 5a travessa.
Tel: 3765-1539
<b>Valores</b>:
Chalés (R$ 75,00 casal c/ café da manhã);
Camping: R$ 25,00 casal c/ café da manhã;
Redário: R$ 5,00 por rede (eles alugam a rede) s/ café da manhã.

<center><b>Demais pousadas e outras informações, acessar o nosso site (http://www.marcelo.fot.br)[/b]</center>
mapaes
Membro de Honra
Membro de Honra
 
Mensagens: 127
Desde: 10 Jan 2005, 14:36
Localização: Brazil

ILha do Marajó - Perguntas e respostas

Mensagem não lidapor mapaes » 10 Mai 2005, 09:34

Oi Jéssika. Em Soure, a cidade mais desenvolvida do Arquipelago do Marajo, eu posso indicar o Hotel Asa Branca. Eh simples, mas bem arrumadinho e tem um preco legal e restaurante bom. Em Salvaterra eu nao dispenso a Pousada e Camping Boto. Tem um estilo legal e preço pra todos os bolsos. Redário muito bom, camping e Chales. O cafe da manha é fenomenal. Se for sem carro o melhor é ir pra Soure pois tem uma estrutura melhor. O Passeio imperdivel eh o da Fazenda Bom Jesus com a dona Eva, pois voce tem contato com a fauna e flora da região. Ela vai buscar no Hotel. Outro passeio eh na Praia do Pesqueiro. Em Salvaterra vale a pena conhecer Joanes (praia e ruinas), e a famosa Pousada dos Guarás que tem sua "praia particular" bastante bonita. Enfim, acho que tudo o que escrevi, esta no meu relato :)

Pousada Asa Branca. Falar com Anilson 3741-1414
Valores: 40, 45.

Que bom ver pessoas aqui de Belém pelo forum. Precisando de ajuda estamos aqui.

[]´s
mapaes
Membro de Honra
Membro de Honra
 
Mensagens: 127
Desde: 10 Jan 2005, 14:36
Localização: Brazil

Ilha de Marajó - Perguntas e respostas

Mensagem não lidapor taniamagalhaes » 14 Set 2008, 23:39

Pretendo ir em 11/10 para belem e ilha do marajó, de´pois queremos ir para são luiz.
Alguem tem dicas de pousadas barato risos em belem e ilha de marajó?
Como devo ir para são luiz? Onibus, avião? Quanto tempo gasto???
Obrigada
Tania
taniamagalhaes
 
Mensagens: 3
Desde: 03 Jul 2008, 13:19

Re: Ajuda...Belem e Ilha de Marajó

Mensagem não lidapor emwill » 15 Set 2008, 09:59

Oi Tania,
Aqui em Belém uma dica de hotel barato é o Formule 1 da rede accor, ele fica no bairro de São Brás, proximo do Terminal Rodoviário e custa R$69,00, só que esse período que voce vem é o Círio e acho que está tudo lotado, todos os hotéis. Pousadas no Marajó há muitas, indo direto voce consegue.
De onibus de Belém à São Luís são 12 horas com a empresa Boa Esperança, não sei quanto esta custando, mas acho que em torno de R$100 a R$120.
Abraços
Emerson
emwill
 
Mensagens: 3
Desde: 14 Set 2004, 10:21
Localização: Brazil

Re: Ajuda...Belem e Ilha de Marajó

Mensagem não lidapor emwill » 15 Set 2008, 10:01

Ia esquecendo, há tambem o albergue da juventude que fica no bairro de Nazare, pertinho de tudo e dos points tb. o nome é Amazonia Hostel.
Abraços
Emerson
emwill
 
Mensagens: 3
Desde: 14 Set 2004, 10:21
Localização: Brazil

Re: Ajuda...Belem e Ilha de Marajó

Mensagem não lidapor taty maria » 27 Fev 2009, 16:40

De Belém pra Ilha de Marajó demora qnt tempo? dá pra ir como pra lá? e qnt é???
Avatar do usuário
taty maria
 
Mensagens: 67
Desde: 24 Out 2008, 22:26
Localização: Rio de Janeiro - RJ

Re: Ajuda...Belem e Ilha de Marajó

Mensagem não lidapor jota carvalho » 24 Mar 2009, 19:42

taniamagalhaes escreveu:Pretendo ir em 11/10 para belem e ilha do marajó, de´pois queremos ir para são luiz.
Alguem tem dicas de pousadas barato risos em belem e ilha de marajó?
Como devo ir para são luiz? Onibus, avião? Quanto tempo gasto???
Obrigada
Tania



tania,
belem é bem legal, principalmente nessa época do ano por causa do cirio de nazaré. vai estar bem agitado poraq. eu estou estudando na ilha do marajó e moro em repulblica agente sempre receb hospedes entra em contato.capitamjota@gmail.com
jota
jota carvalho
 
Mensagens: 2
Desde: 24 Mar 2009, 19:24

Re: Ajuda...Belem e Ilha de Marajó

Mensagem não lidapor jota carvalho » 24 Mar 2009, 19:49

Sai barcos de belem para a ilha do marajó diariamente a custa 15 reis a passagem e demora 3 hs pra chegar ate a ilha.
jota
jota carvalho
 
Mensagens: 2
Desde: 24 Mar 2009, 19:24

Belém, Ilha de Marajó e Macapá - out/2009

Mensagem não lidapor MARCOS LUIS » 03 Out 2009, 17:41

::otemo:: Oi Pessoal, estarei em Belém a partir de 8/10/2009 e pretendo explorar os arredores, Ilha Marajó, ir até Macapá.
Tenho expectativa de fazer essa tour no máximo em 20 dias no mês de outubro 2009.
Não estou a fim de gastar muito mas também não poderei economizar demais, pois, uma viagem assim terá que ser bem aproveitada para conhecer o máximo possível.
Estou a fim de conhecer aquela natureza bruta, o povo, nadar em rios e cachoeiras e caminhar muito.
Em 2 ou mais pessoas, fica mais barato (passeio, alimentação e hospedagem).
Abraço a todos e aguardo notícias de quem estiver por lá nessa data e quiser compartilhar a companhia e a viagem.
Marcos
MARCOS LUIS
 
Mensagens: 3
Desde: 30 Set 2009, 23:18

Re: Belem - Ilha de Marajó - Perguntas e respostas

Mensagem não lidapor lhdonda » 04 Mar 2010, 22:07

Decepção:


Meu sonho era conhecer a Ilha de Marajó!
Para isso, pesquisei sobre várias pousadas e hotéis a fim de ter dias agradáveis
e inesquecíveis, já que iria com meus pais, que já são idosos!
Depois de muito pesquisar e ouvir comentários, resolvi optar pela Pousada dos Guarás em Salvaterra,
apesar de achar o valor do pacote 2 dias 1 noite um tanto quanto caro por pessoa (R$ 280,00 sem alimentação)
Estavamos na maior expectativa, afinal a pousada parecia ser a dos sonhos!
Fizemos a compra do pacote diretamente com a pousada, que até então parecia ser confiável e séria!
Em Belém, a pousada nos buscou no hotel que estavamos (por sinal o Hotel Goldmar, muito bom) e nos levou para a Estação das Docas,
e embarcamos numa lancha fechada (muito bem confortável, enorme, com ar condicionado, banheiros, lanchonete,tv, enfim com total segurança).
Ao chegarmos na Pousada dos Guarás comecaria a decepção! Aliás, de Guarás só tinha o nome, porque não havia nenhum guará na pousada!
Não haveria o show de carimbó, conforme anunciado e contratado no pacote, isso porque era sábado!!!
Bom, tudo bem, iriamos tentar curtir as outras coisas!
Ao almoçar, mais uma decepção; as moscas disputavam a comida com a gente!
O city tour oferecido pela pousada foi mais uma decepção: levaram a gente num curtume e numa cerâmica pra fazer compras (com certeza eles ganham comissão desses lugares), ficamos mais de meia hora em cada lugar.
Depois levaram a gente na Praia do Pesqueiro: uma linda praia em Soure (a cidade mais desenvolvida e bonita do Marajó, ao contrário de Salvaterra, onde ficava a pousada dos Guarás).
Porém, o guia não permitiu nem que entrassemos na água, pois só teriamos 10 minutos naquela praia!
Não pudemos nem desfrutar da beleza do lugar!
Depois levaram a gente numa fazenda de búfalos: onde o café servido era fraco mesmo: só café, um suco e um bolinho de tapioca mais seco que a vida!
Bom, pelo menos "andei" de búfalo!
Durante a madrugada, na Pousada, faltou luz por 2 vezes, tivemos que tomar banho e arrumar as malas no escuro!
Onde já se viu uma pousada deste renome não possuir um gerador elétrico ?
Bom, chegada a hora da partida, a van veio nos buscar e nos levou para Porto Camaratã, onde pegariamos novamente a lancha com destino à Belém.
Mas a surpesa: a lancha estava lá parada, mas ao tentar embarcar na mesma, o guia não permitiu e nos embarcou num "NAVIO GAIOLA", aliás de navio aquilo não tinha nada, parecia mais um barco negreiro,
tinha tanta gente que fomos obrigados a viajarmos em pé. Era totalmente aberta, sem segurança e balançava tanto, que começou a entrar muita água e literalmente levamos um banho!
Minha mãe, já de idade, que tem fobia de água, começou a passar mal, muita gente vomitou!
AGora me pergunto: como pode uma pousada que tem tanta fanma, submeter os passageiros a irem num barco sem total segurança, em pé, passando medo, calor.
Resultado: minha mãe passou tanto medo e mal que nunca mais quer saber de andar de barco, muito menos ouvir falar de Marajó.
Chegando em Belém: cadê a Van que iria nos pegar para levar para o Hotel ?
Ficamos mais uma vez na mão! Precisei ligar pra pousada pra tomar uma atitude!
Entrei em contato com a pousada pra comentar o ocorrido e nossa decepção com a mesma: porém, fomos mais uma vez humilhados!
A pousada é tão "séria" que falou que eu não era "ecológico" e que a pousada era suprema em opiniões e por isso, seus serviços eram ótimos!
Agora pergunto: pagamos tão caro, passamos medo, viajamos em pé: somos turistas ou animais?
Ao chegar em Belém, em contato com outras pessoas, fiquei sabendo que não era a primeira pessoa a reclamar da Pousada dos Guarás
e que deveria ter ficado hospedado em Soure, cidade com melhores pousadas e melhor estrutura!
Bom, fica aqui a dica para os desavisados: tomem cuidado com esta Pousada, para não cairem na mesma fria que caímos!
lhdonda
 
Mensagens: 2
Desde: 27 Set 2009, 17:58

Re: Belem - Ilha de Marajó - Perguntas e respostas

Mensagem não lidapor MauroBr. » 04 Mar 2010, 23:53

isto que se chama perengue. Tem que por a boca no mundo mesmo, assim diminui a margem de erro da galera, cada vez mas.
Para ler meus relatos de viagens. Brasil - América do Sul/NORTE - Europa etc.
CLIQUE AQUI

PARA INFORMAÇÕES DA CIDADE DE CURITIBA - CLIQUE AQUI

PARA INFORMAÇÕES DO PARANÁ - Perguntas e Respostas CLIQUE AQUI

PARA HOSPEDAGEM EM CURITIBA CLIQUE AQUI

Editor.
Acre - Amazonas- Maranhão Roraima - Rondonia - Paraná.- Sta.Catarina.- R.Grande do sul. - África - México - Colômbia - Patagônia - O. Médio - Espanha - Grécia - Portugal - R.Unido - Turquia.
Avatar do usuário
MauroBr.
Editor Mochileiros.com
Editor Mochileiros.com
 
Mensagens: 6156
Desde: 25 Abr 2005, 21:44
Localização: Curitiba

Re: Belem - Ilha de Marajó - Perguntas e respostas

Mensagem não lidapor brunavoliv » 06 Mar 2010, 01:05

Eu li o relato e fiquei super chateada porque poxa, uma pousada destas que se prevalece dos atrativos da ilha para atrair os turistas e quando consegue não procura privilegiá-los. Que isso???? É inadimissível!!! ::grr::

Eu sei que não adianta nada, mas cabe a mim como paraense lhe pedir desculpas por esta má impressão que você e sua família levam de nossa terra. E concordo plenamente sobre denunciar estas empresas que não cumprem com o que prometem. O pior é que elas mesma são prejudicadas. Vai entender!!!

Sinto muito por tudo.
::kiss::
Que meus pés criem asas e me levem sem destino.

Colaboradora:
Pará

Roteiros:
Nordeste de Carro

Relatos:
Passeio em Santa Teresa - RJ

Fotos:
Meu Álbum de Fotografias
Avatar do usuário
brunavoliv
Colaborador
Colaborador
 
Mensagens: 51
Desde: 03 Set 2008, 15:37
Localização: Belém/PA

Re: Belem - Ilha de Marajó - Perguntas e respostas

Mensagem não lidapor MariaEmilia » 07 Mar 2010, 13:51

Como boa paraense, mesmo longe da terra amada, também quero pedir desculpas pelo perengue que você e sua família passaram.

Maria Emilia
Avatar do usuário
MariaEmilia
Editor Mochileiros.com
Editor Mochileiros.com
 
Mensagens: 1899
Desde: 26 Ago 2008, 15:09
Localização: Cuiabá - MT

Re: Ajuda...Belem e Ilha de Marajó

Mensagem não lidapor Tatiana_RJ » 12 Jul 2010, 13:33

emwill escreveu:Ia esquecendo, há tambem o albergue da juventude que fica no bairro de Nazare, pertinho de tudo e dos points tb. o nome é Amazonia Hostel.
Abraços
Emerson


O albergue é bom? Bem localizado? Irei para Belém em setembro e tb a Marajó.
Tatiana_RJ
 
Mensagens: 89
Desde: 28 Out 2009, 11:01

Re: Belem - Ilha de Marajó - Perguntas e respostas

Mensagem não lidapor Tatiana_RJ » 12 Jul 2010, 13:35

lhdonda escreveu:Decepção:


Meu sonho era conhecer a Ilha de Marajó!
Para isso, pesquisei sobre várias pousadas e hotéis a fim de ter dias agradáveis
e inesquecíveis, já que iria com meus pais, que já são idosos!
Depois de muito pesquisar e ouvir comentários, resolvi optar pela Pousada dos Guarás em Salvaterra,
apesar de achar o valor do pacote 2 dias 1 noite um tanto quanto caro por pessoa (R$ 280,00 sem alimentação)
Estavamos na maior expectativa, afinal a pousada parecia ser a dos sonhos!
Fizemos a compra do pacote diretamente com a pousada, que até então parecia ser confiável e séria!
Em Belém, a pousada nos buscou no hotel que estavamos (por sinal o Hotel Goldmar, muito bom) e nos levou para a Estação das Docas,
e embarcamos numa lancha fechada (muito bem confortável, enorme, com ar condicionado, banheiros, lanchonete,tv, enfim com total segurança).
Ao chegarmos na Pousada dos Guarás comecaria a decepção! Aliás, de Guarás só tinha o nome, porque não havia nenhum guará na pousada!
Não haveria o show de carimbó, conforme anunciado e contratado no pacote, isso porque era sábado!!!
Bom, tudo bem, iriamos tentar curtir as outras coisas!
Ao almoçar, mais uma decepção; as moscas disputavam a comida com a gente!
O city tour oferecido pela pousada foi mais uma decepção: levaram a gente num curtume e numa cerâmica pra fazer compras (com certeza eles ganham comissão desses lugares), ficamos mais de meia hora em cada lugar.
Depois levaram a gente na Praia do Pesqueiro: uma linda praia em Soure (a cidade mais desenvolvida e bonita do Marajó, ao contrário de Salvaterra, onde ficava a pousada dos Guarás).
Porém, o guia não permitiu nem que entrassemos na água, pois só teriamos 10 minutos naquela praia!
Não pudemos nem desfrutar da beleza do lugar!
Depois levaram a gente numa fazenda de búfalos: onde o café servido era fraco mesmo: só café, um suco e um bolinho de tapioca mais seco que a vida!
Bom, pelo menos "andei" de búfalo!
Durante a madrugada, na Pousada, faltou luz por 2 vezes, tivemos que tomar banho e arrumar as malas no escuro!
Onde já se viu uma pousada deste renome não possuir um gerador elétrico ?
Bom, chegada a hora da partida, a van veio nos buscar e nos levou para Porto Camaratã, onde pegariamos novamente a lancha com destino à Belém.
Mas a surpesa: a lancha estava lá parada, mas ao tentar embarcar na mesma, o guia não permitiu e nos embarcou num "NAVIO GAIOLA", aliás de navio aquilo não tinha nada, parecia mais um barco negreiro,
tinha tanta gente que fomos obrigados a viajarmos em pé. Era totalmente aberta, sem segurança e balançava tanto, que começou a entrar muita água e literalmente levamos um banho!
Minha mãe, já de idade, que tem fobia de água, começou a passar mal, muita gente vomitou!
AGora me pergunto: como pode uma pousada que tem tanta fanma, submeter os passageiros a irem num barco sem total segurança, em pé, passando medo, calor.
Resultado: minha mãe passou tanto medo e mal que nunca mais quer saber de andar de barco, muito menos ouvir falar de Marajó.
Chegando em Belém: cadê a Van que iria nos pegar para levar para o Hotel ?
Ficamos mais uma vez na mão! Precisei ligar pra pousada pra tomar uma atitude!
Entrei em contato com a pousada pra comentar o ocorrido e nossa decepção com a mesma: porém, fomos mais uma vez humilhados!
A pousada é tão "séria" que falou que eu não era "ecológico" e que a pousada era suprema em opiniões e por isso, seus serviços eram ótimos!
Agora pergunto: pagamos tão caro, passamos medo, viajamos em pé: somos turistas ou animais?
Ao chegar em Belém, em contato com outras pessoas, fiquei sabendo que não era a primeira pessoa a reclamar da Pousada dos Guarás
e que deveria ter ficado hospedado em Soure, cidade com melhores pousadas e melhor estrutura!
Bom, fica aqui a dica para os desavisados: tomem cuidado com esta Pousada, para não cairem na mesma fria que caímos!



Que bom ler isso, pois ia fechar pacote com essa Pousada..alguém me indica uma outra que trabalhe com pacote?
Tatiana_RJ
 
Mensagens: 89
Desde: 28 Out 2009, 11:01

Próximo

Voltar para Pará



Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 0 visitantes