Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

casal100

Serra Gaúcha à pé - Janeiro 2017 + Litoral Catarinense + serra Rio do Rastro + vale do Contestado + Paraná

Posts Recomendados

ROTEIRO À PÉ:

 

RIO GRANDE DO SUL:

Portão

Bom Princípio

Carlos Barbosa

Garibaldi

Bento Gonçalves - Vale dos vinhedos

Bento Gonçalves - Pinto Bandeira

Bento Gonçalves - pela cidade

Bento Gonçalves - caminho de Pedras

Caxias do Sul - flores da Cunha

Caxias do Sul - estrada dos imigrantes

Nova Petropolis

Gramado - Natal de Luz

Canela - Cachoeira do Caracol

Gramado - pela cidade (parques, centro)

Santa Maria Herval

Picada Café

Ivoti

Sapiranga

Três Coroas

São Francisco de Paula

São Francisco de Paula  (parques, lagos e pela cidade)

Tainhas

Cambará do Sul

Cambará do Sul - Canyon Itambezinho

Cambará do sul - canyon Fortaleza

Torres - praia

 

SANTA CATARINA:

Praia Grande - descida Serra do faxinal

Balneário Gaivota - Praia

Balneário arroio do Silva - Praia

Balneário Rincão - Praia

Balneário corrente - Praia

Farol de Santa Marta - Praia

Laguna - cidade histórica + Praia

Orleans

Guatá  (distrito de Lauro Muller) pé da serra do Rio do Rastro

Bom Jardim da Serra

ROTEIRO DE ÔNIBUS :

São Joaquim

Urubici

Bom Retiro

Lages

Fraiburgo

CONTINUAÇÃO À PÉ SANTA CATARINA:

Videira

Treze Tílias

Água Doce

Jaborá

Concórdia

Seara

Chapecó

 

PARANÁ (ÔNIBUS):

Curitiba

Paranagua

Morretes

 

QUILÔMETROS /DIAS: +- 1.300 kms em 53 dias

 

PESSOAS:

No planejamento da viagem nossa preocupação era de como seríamos recebidos nas pequenas cidades, visto que algumas delas não tinham vocação turística, e "mochileiros"poderiam ser "novidade". Mas, essa preocupação foi rapidamente deixada de lado.

Fomos recebidos muito bem em todos os lugares (exceto dois episódios, que não afetou em nada nossa caminhada).

Ficamos impressionados com a educação e o acolhimento da população do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, sempre solícitos às nossas demandas.

Poxa, que saudade de tudo aquilo, em breve voltaremos.

 

CIDADES:

Praticamente todas as cidades desse roteiro tinham pousada ou hotel, somente o distrito de tainhas-SC não tem, somente restaurante (mas esse trecho tem serviço de ônibus intermunicipal).

 

ESTRADAS:

Optamos em fazer pelas estradas asfaltadas(alguns trechos fizemos em estrada de terra), pois não conseguimos informações sobre estradas secundárias nesta região.

 

COBRAS:

Nunca vimos tantas cobras como na serra Gaúcha, teve dia que vimos umas 5, quase minha esposa pisou numa em uma rodovia asfaltada.

Elas ficam enroladas na pista de rolamento, é normal vê-las todas esmagadas por veículos, ficam parecendo um desenho no chão (pois vários veículos passam por cima).

 

ANIMAIS SELVAGENS:

Outra coisa que nos chamou atenção, vimos muitas espécies(raposa, cobras, tatu, macacos, roedores, porco espinho etc) passando lentamente perto de nós.

 

PRECONCEITO:

Tivemos um fato lamentável num hotel fazenda.

O gerente nos recebeu num descaso tremendo, nem respondia nossas perguntas, foi preciso a intervenção de uma funcionária para resolver a situação (quase mandei o cara a pqp), o infeliz está no lugar errado.

O outro caso foi mais leve, mas fiquei puto.

Tirando isso, foi muito tranquilo ser mochileiro naquela região, muito tranquilo mesmo.

 

PREÇOS HOTÉIS:

Variou de $25 a 95 por pessoa (mas a crise pegou todo mundo ), em alguns lugares priorizamos ficar em lugares melhores,

Sempre pechinchamos os preços, na maioria dos casos conseguimos descontos, principalmente à vista.

Não fizemos nenhuma reserva, foi muito tranquilo.

 

PREÇOS REFEIÇÕES:

variou de $10 a $35 por pessoa à vontade.

Peso : de $20 a $44 o quilo.

Obs.: em média coloque $22 por refeição sem bebidas.

 

ABUSO CONTRA TURISTA:

Só tivemos alguns casos de abuso, mas nada gritante:

Você chega em duas pessoas e pede somente um cafezinho pequeno, o cara trás dois grandes (claro, mais caro) e na maior cara de pau diz que pedimos dois.

Isso aconteceu nuns 5 lugares na serra gaúcha, lamentável!

Obs.: para nos proteger disso, fazíamos assim: chegávamos nos caixas do estabelecimento e pagava antecipadamente, acabou o problema.

 

CARONA: precisamos pegar carona em algumas oportunidades, e foi até tranquilo conseguir.

.fomos ao canyon Itambezinho e no Fortaleza à pé, e voltamos de carona, foi tranquilo.

.quando visitamos uma cachoeira em Cambará do sul, fomos à pé e voltamos de carona ( neste dia pegamos três, cada um nos levou num pequeno trecho).

.dividimos o trecho entre Seara e Chapecó-SC em dois, como o ônibus demoraria muito, resolvemos ir de carona, demorou uns 40 minutos para aparecer.

 

SEGURANÇA:

Em momento algum tivemos problema, somente em Porto Alegre (visita ao mercado central que nos orientaram a ter cuidado), mas os moradores de PA estão preocupados.

.na saída de Caxias do Sul, saída para estrada dos imigrantes tem um lugar que me pareceu inseguro, mas nada complicado.

 

NEGOCIAÇÃO HOSPEDAGEM:

Sempre negocie, em alguns casos conseguimos descontos de 10% abaixo dos sites de hospedagem. Principmente nesta crise, em alguns casos somente nós dois estavam hospedados no hotel.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

1° dia - 30.12.2016 - Sexta-feira

 

Chegada Porto Alegre ida para Portão (início da caminhada).

 

Pegamos no aeroporto aerotrem até estação de trem $1,70.

Fomos até a última estação (mercado ) muito movimento .

Do lado de fora comemos pêssego dos produtores locais.

Retornamos a estação mercado e pegamos o trem para São Leopoldo  ($1,70) , saimos da estação de SL e na avenida ao lado pegamos ônibus($3,50) para Portão,  descemos do lado do hotel  (estrada).

Fizemos compra num mercado,  pois o hotel não estava fornecendo café da manhã.

 

Hospedagem: Hotel de Stefani,  depois de Portão-RS, na rodovia, antes do pedágio, novo,  limpo,  ar condicionado, cofre, tv a cabo, wifi,  preço  $60 por pessoa sem café da manhã. RECOMENDO

Obs.: O ônibus para praticamente ao lado do hotel.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

2° dia - 31.12.2016 - Sábado

 

Saída hotel de Portão e chegada em Bom Princípio -RS.

25 kms em aprox. 6 horas.

 

Saímos cedo, trecho totalmente em asfalto, mas com acostamento.

Algumas subidas /descidas leves.

Tempo fresco com período de chuva fina.

Os restaurantes estavam fechados, tivemos que adquirir produtos num supermercado.

 

Hospedage: Hotel Steffen, 051 3634-1302, bom princípio,  camas ótimas, tv aberta,  ar condicionado, frigobar, wifi,  limpo,  preço  $70 por pessoa sem café da manhã.  RECOMENDO.

 

BOM PRINCÍPIO: cidade pequena, tem alguns bancos, supermercados,  farmácias, restaurantes e 1 hotel.

 

Algumas fotos:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

3° dia - 01.01.2017 - Domingo

 

Saída de Bom Princípio e chegada a Carlos Barbosa - RS

+- 33 kms em aprox. 08:15 hrs

Acumulado 58 kms

 

Saímos por  volta das 05:30hrs, pequeno trecho dentro da cidade.

Depois entramos na rodovia asfaltada  (pista dupla) com algumas subidas fortes e descidas médias.

Em São vendelino entramos numa estrada de pista simples e sem acostamento até Carlos Barbosa,  saímos em +-100 msnm e chegamos a quase 700 msnm.

O que dificulta esse trecho de subida, é que a pista não tem acostamento, com grande movimento de veículos.

Hoje fez clima ameno até 10 horas,  na subida da serra estava fazendo um calor infernal. Parei numa "boate" para pedir água gelada.

Como era feriado poucos restaurantes abertos,  comemos um prato a $13 cada na praça da matriz de Carlos Barbosa. 

 

Hospedagem: hotel San Marco,  ótimo,  limpo,  tv a cabo, frigobar, ventilador, wifi,  preço  $75 por pessoa com ótimo café da manhã.

Pelo preço eu não recomendo.

 

CARLOS BARBOSA, cidade com ótima estrutura. Linda pista para caminhada  com muitas hortensias. Sede das indústrias Tramontina.

 

Algumas fotos:

Estrada entre Bom Princípio e Carlos Barbosa - rS

20170101_084528_zpssczxy5a4.jpg

Estrada entre Bom Princípio e Carlos Babosa - RS

20170101_140053_zpsy9hktml6.jpg

Chegada a Carlos Barbosa, lindo trevo com muitas flores e a fábrica da Tramontina:

20170101_140945_zps9pk8xmed.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

4° dia - 02.01.2017 - Segunda-feira

 

Saída de Carlos Barbosa e chegada a Garibaldi - RS

+- 7 kms em aprox. 01:30 hrs

Acumulado 65 kms

 

Acordamos mais tarde, com isso tomamos excelente café da manhã.

Trecho bem curto, fomos devagar,  seguimos até o trevo pela pista de pedestre /ciclista, lugar lindo,  todo cercado por lindas hortensias.

Depois pegamos rodovia em pista simples com acostamento até entrada de Garibaldi.

 

Hospedagem: Pieta hotel 54 3462-1283, tv, wifi, frigobar, ventilador,  ar condicionado, apto reformado, preço  $160 com café da manhã bom.

Esse hotel tem aptos mais baratos mas sem ar condicionado.

 

GARIBALDI: cidade bem estruturada.

 

Algumas fotos:

Pista de caminhada saída de Carlos Barbosa

20170102_070047_zpsrdzcyolc.jpg

Trevo chegada a Garibaldi RS

20170102_080600_zpsqjjnuwzq.jpg

Estação Maria Fumaça em Garibaldi RS

20170102_164001_zpsba268zih.jpg

 

 

5° dia - 03.01.2017 - Terça-feira

 

Saída de Garibaldi e chegada a Bento Gonçalves - RS

+-13 Kms em aprox. 03 horas

Acumulado 78 kms

 

Resolvemos ir pela rodovia  (tem outros caminhos: pela estada de ferro da Maria fumaça;  ir pela zona rural e chegar no vale dos vinhedos de Bento Gonçalves).

O tempo esquentou muito, saímos um pouco tarde,  apesar do pequeno trecho,sofremos com o forte calor.

O trecho é bem tranquilo com algumas subidas e descidas médias,  numas partes não tem acostamento o que torna perigoso devido ao grande movimento de caminhões.

Chegamos até a polícia rodoviária federal , logo a seguir fomos no escritório de turismo perto da pipa, pegamos mapas e informações.

Comemos Self-service à vontade por $19 por pessoa no centro da cidade.

À tarde visitamos a vinicola Aurora que fica bem próxima ao hotel.

Visitamos os pequenos Shoppings da cidade.

Self-service: Tratorista do sabor, Rua Saldanha Marinho 180.

$39 o quilo ou $19 buffet livre.

 

Hospedagem: hotel Imigrante, perto praça das rosas e Maria fumaça, ótimo atendimento,  limpo,camas ótimas,  ventilador,  tv a cabo, wifi, preço  $70 por pessoa com ótimo café da manhã. RECOMENDO (apesar do quarto pequeno, recomendo em função do excepcional atendimento, excelente café da manhã e a proximidade com as principais atrações, e, ainda , serviram o café bem antes para nós).

 

BENTO GONÇALVES : A maior cidade até agora, grande estrutura de apoio ao turismo.

 

Algumas fotos:

Estrada entre Garibaldi e Bento Gonçalves, grande movimento de veículos

20170103_074634_zpslb2jjibw.jpg

Pórtico de Entrada a Bento Gonçalves (Pipa)

20170103_094157_zpsre44jxpp.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

6° dia 04.01.2016 Quarta-feira

 

BENTO GONÇALVES - RS

Saída pousada ida até vale dos vinhedos - bento Gonçalves

+- 24 Kms em aprox. 7 horas

Acumulado 102 kms

 

Saímos cedo, hotel disponibilizou café da manhã antes das 06:30hrs.

Descemos até a entrada principal do vale dos vinhedos  (uns 2,50 kms)depois do portal da cidade,  direção Garibaldi.  Esse trecho é pela rodovia numa descida forte.

Depois pegamos a estrada asfaltada com pista simples. Passamos por diversas produtoras de vinho com seus belos vinhedos.

Visitamos a Miolo, grande produtor de vinhos de boa qualidade,  vimos 45 variedades de uvas.

Andamos mais 2 kms à frente e viramos à direita e pegamos estrada de terra  (única até agora), logo a frente começou estrada de paralelepípedos, sempre dentro de plantações de uva, Figo,  caqui....

Ontem teve chuva forte,  um parreiral foi destruído pelo forte vento. Uma pena pois as uvas estavam prontas para serem colhidas.

Esse trecho tem algumas subidas e descidas fortes.

Lindo visual das plantações,  prédios imponentes das vinícolas.

 

Hospedagem: o mesmo do dia anterior.

 

Algumas fotos:

Entrada do Vale dos vinhedos

20170104_072113_zps2zzaiyyp.jpg

Casas coloniais muito bem preservadas no Vale dos vinhedos

20170104_082529_zpsh3vawugw.jpg

Vinícola Miolo, tudo muito bem organizado .

20170104_091723_zps3p77cpoz.jpg

Vinícola casa Valduga

20170104_114933_zpstukaqbub.jpg

 

7° dia - 05.01.2017 - Quinta-feira

Caminhada pela cidade, uns 16 kns

Acumulado 118 kms

 

Fomos conhecer algumas partes da cidade:

Pavilhão da festa da uva;

Centro da cidade;

Estádio da montanha;

Lago, próximo da rodoviária.

Visita a vinícola Aurora;

Estação da Maria fumaça;

Praças

 

Hospedagem: o mesmo do dia anterior.

Prefeitura de Bento Gonçalves

20170105_114335_zps5o1qbe5l.jpg

 

 

Algumas fotos:

 

8° dia - 06.01.2017 - Sexta-feira

Saída bento Gonçalves e chegada a Pinto bandeira e retorno à Bento Gonçalves - RS

+- 19 Kms em 4:30 horas

Acumulado 137 kms

 

Saímos do hotel as 06 da manhã,  caminhamos uns 6 kms dentro da cidade, no entrocamento para caminho de pedras,  viramos à esquerda e pegamos asfalto sem acostamento  com algumas subidas e descidas médias.

Grandes plantações de uva, caqui, figo, pêssego. ...

Lindo visual de montanha, perto de uma pousada na subida da serra um terraço de madeira com fantástica visão de uma linda cachoeira e de parte de bento Gonçalves.

Conhecemos empresa de manipulação de frutas (Pêssego,  Figo,  uva ) , na praça da matriz um senhor nos abordou oferecendo ameixas e pêssegos colhido minutos antes, simplesmente deliciosos.

Retornamos para BG de ônibus  $9,60 por pessoa.

Horários ônibus:

Pinto Bandeira x Bento Gonçalves

06:55horas

12:00 horas

18:00 horas

 PINTO BANDEIRA : pequena cidade com pousada e Restaurante.

 

Hospedagem: o mesmo do dia anterior.

 

Algumas fotos:

Linda estrada com muito verde, mas sem acostamento com pouco movimento de veículos

20170106_075512_zpskjx4gtvk.jpg

Linda cachoeira e no fundo Bento Gonçalves

20170106_084435_zpsdk9ffqqv.jpg

Plantações de pessêgos(prontos para colheita, comemos alguns oferecidos pelo produtores, deliciosos)

20170106_091626_zpsllocn7fd.jpg

Chegada a Pinto Bandeira

20170106_105031_zpscfseqyw5.jpg

Na praça da matriz de Pinto Bandeira um senhor chegou com essa cesta de frutas e nos ofereceu, por educação, pegamos uma fruta, ele quase nos obrigou a pegar várias....POVO GAÚCHO SIMPLESMENTE SENSACIONAL!!!

 

9° dia - 07.01.2017 - Sábado

Saída de Bento Gonçalves e chegada

Vinhos Salton e retorno à BG

+-26 kms em aprox. 6 horas.

Acumulado 163 kms

 

Nossa intenção era fazer uma parte do roteiro VALE DO RIO DAS ANTAS(até Vinícola Salton) e parte da ROTA ENCANTOS DE EULÁLIA.

Saímos do hotel pouco depois das 06 da manhã com o tempo encoberto e fresco. Caminhamos uns 5kms dentro da cidade, até entrocamento com a BR, uns 3 kms no trevo, viramos à direita numa estrada asfaltada mas sem acostamento.  Depois de pouco mais de 5 kms chegamos à Salton (lindo prédio e seus parreirais).

A visitação começaria somente mais tarde.

Encontramos um casal que estavam aguardando a abertura da Salton, eles residem próximo a Chapecó  (caminho que faremos depois de terminar o da serra gaúcha ), batemos um longo papo, peguei várias dicas sobre o deslocamento naquela região.

Conversamos tanto que resolvemos abortar ida a Rota encantos de Eulália.

Retornamos pelo mesmo caminho almoçamos no mesmo Self-service.

No final da tarde estivemos novamente na estação da Maria fumaça  (3 quadras do nosso hotel), aguardamos a partida dele (uma festa ).

 

Hospedagem: o mesmo do dia anterior.

 

Algumas fotos:

Rodovia entre Bento Gonçalves e trevo para o Vale do Rio das Antas

20170107_074046_zpsxj7vfopz.jpg

Vale do Rio das Antas

20170107_080754_zpstu2dqrwd.jpg

Próximo a Vinícola Salton

20170107_090025_zpso2hpvi3t.jpg

Vinícola Salton

20170107_090731_zpsv6grr3l8.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

10° dia - 08.01.2017 - Domingo

 

Saída de Bento Gonçalves e chegada a Farroupilha - RS

+- 25 kms em aprox. 6 horas

Acumulado 188 kms

 

Deixamos para fazer o CAMINHO DE PEDRAS quando fôssemos para Farroupilha,  pois é um caminho alternativo e mais bonito entre as duas cidades.

Saímos depois das 6 horas, tempo nublado e fresco, depois de uns 5 kms chegamos ao mesmo entrocamento que passamos quando fomos para Pinto Bandeira.

O caminho de PEDRAS na verdade é em asfalto, em pista simples e sem acostamento. Vimos algumas cobras mortas no acostamento (nos outros dias também ).

Lindas casas em pedras  (por isso o nome do caminho), também tem casas rústicas de madeira e casas modernas.

Os proprietários são bem amistosos,  paramos várias vezes para conversar com eles,  todos se ofereceram para que conhecêssemos suas propriedades.

Paramos pra conversar com um italiano, depois de quase pisar numa cobra morta(que susto), ele me convidou pra conhecer sua plantação de uvas,  nisso vi uma placa informando que ali foi filmada cenas do filme O QUATRILHO,  lugar lindo, muito bem preservado. VALE A VISITA.

Mais à frente vimos uma criação de ovelhas,  a senhora com boa vontade ofereceu para que pudéssemos ver os animais de perto  (uma pena que o sol estava queimando nossa pele ), agradecemos e continuamos.

Chegamos a outra estrada asfaltada, viramos à direita e seguimos até a BR, e viramos à esquerda,  passamos em alguns vendedores de frutas que ofereciam frutas e sucos de graça para nós.

ESTAMOS IMPRESSIONADOS COM A RECEPTIVIDADE DO POVO GAÚCHO.

QUE PESSOAL EDUCADO E PRESTATIVO!

Resolvemos ficar no primeiro hotel que vimos devido ao forte calor.

Almoçamos Self-service a $39 por pessoa buffet livre com churrasco.

 

Hospedagem: hotel A'doro, primeiro trevo da cidade, parte nova com camas ótimas,  ventilador, tv pequena, wifi, limpo. Preço  $70 por pessoa com café da manhã ótimo.  RECOMENDO.

 

Algumas fotos:

Casa de pedra no caminho de pedras

20170108_080802_zpsxuas8shy.jpg

Cenário do filme O Quatrillo caminho de pedra

20170108_091517_zpslxvtfxmc.jpg

Vendedores de frutas na rodovia, ofereciam frutas de graça

20170108_112700_zpsyh6utwoa.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

11° dia - 09.01.2017 - Segunda-feira

 

Saída de farroupilha e chegada a Caxias do Sul - RS

+- 14 kms em aprox. 3:30 horas

Acumulado: 202 kms

 

Saímos cedo com tempo fresco,  pegamos rodovia com pista dupla e com acostamento bem estreito, movimento muito intenso de veículos.

Na chegada a Caxias do Sul começou a chover forte, resolvemos pegar um

ônibus circular até o centro da cidade($3,40 por pessoa).

Demos umas voltas pela cidade à tarde, Almoçamos um Self-service a $29,80 o kg, próximo ao supermercado Big.

 

Hospedagem: City hotel, centro, prédio antigo,  camas boas; tv a cabo, wifi, frigobar; preço  $65 por pessoa com café da manhã fraco. Tem outras opções melhores e mais barata na cidade.

 

CAXIAS DO SUL : A cidade é a maior da região com boa estrutura.

 

Foto

Estrada entre Farroupilha e Caxias do Sul, caiu um diluvio

20170109_074531_zpselqhzaf9.jpg

Algumas casas coloniais em Caxias do Sul

20170110_091609_zpsngb4zxkn.jpg

Casa de pedra em Caxias do Sul

20170110_093838_zps9xu4yib5.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

12° dia - 10.01.2017 - Terça-feira

 

Saída de Caxias do Sul e chegada a Flores da Cunha  - RS

+- 23 kms em aprox. 05:10hrs

Acumulado: 225 kms

 

Acordei 05:30 horas e a previsão do tempo informou ALERTA LARANJA  (perigo de tempestade e vento forte ), voltei a dormir, acordei as 08 horas e o tempo firme.

Resolvemos sair, se por acaso chovesse voltaríamos para Caxias.

Caminhamos uns 4 kms dentro da cidade, passamos em frente a casa de pedra e do parque de exposição da feira da uva(Subida bem forte).

Atravessamos por baixo do viaduto da BR, poucos metros depois, começa

o ROTEIRO TURÍSTICO CAMINHO DA COLÔNIA. Estrada asfaltada com subidas e descidas médias,  lindas paisagens, grandes plantações de uva,  Figo, pêssego, milho.

Paramos numa casa com grande plantação de uva, gentilmente a dona abriu o portão e nos ofereceu uvas à vontade. POVO FANTÁSTICO!

Lindas construções antigas em madeira e pedras  com lindos jardins.

Fomos até o centro de FLORES DA CUNHA,  linda e pacata cidade.

Ônibus Flores da Cunha x Caxias do Sul : $4,30 por pessoa (vários horários ).

Depois de uns 50 minutos chegamos à Caxias do Sul,  como os restaurantes estavam fechados, fomos até supermercado Big e compramos frango assado com maionese.

 

Hospedagem: o mesmo do dia anterior. Mas negociamos por $58 por pessoa.

 

Algumas fotos:

Pavilhão da festa da Uva em Caxias do Sul RS

20170110_095157_zpsxdkwk2zi.jpg

Início do caminho da colônia entre Caxias do Sul e Flores da Cunha RS

20170110_101611_zpswjw8u6pk.jpg

Grandes plantações de uvas

20170110_112825_zpscmlgwfd9.jpg

Lindas flores nos jardins das casas à beira da rodovia

20170110_113512_zpsjom8x1em.jpg

O antigo com o novo

20170110_115018_zpsn1w1v8ec.jpg

Portal de entrada de Flores da Cunha RS

20170110_134308_zps9gx8lkfg.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

13° dia - 11.01.2017 - Quarta-feira

 

Saída de Caxias do Sul e chegada ao distrito de Cristina(Caxias do Sul).

+-24 Kms em aprox. 05:15hrs

Acumulado: 249 kms.

 

Acordamos cedo,  o tempo estava nublado, logo depois começou um chuvisco, resolvemos sair assim mesmo.

Logo depois da perimetral comecou a chover forte, paramos num posto de abastecimento e colocamos capas nas mochilas e aguardamos diminuir de intensidade.  Meia hora depois a chuva parou, andamos mais um pouco pela periferia de Caxias,  e seguindo as placas chegamos rapidamente ao portal da ESTRADA DOS IMIGRANTES.

A primeira parte de uns 8 kms é em estrada asfaltada em pista simples e com pouco acostamento. Esse trecho têm várias casas de madeira bem preservadas, grandes plantações de uva, caqui, figo, pêssego, milho,  babosa. .

Terminando o asfalto,  começa estrada de terra estreita com uma grande e íngreme descida, neste trecho pequenas fazenda com produção de uva, caqui, figo, pêssego e milho.

Numa casa conversamos com um morador que gentilmente ofereceu uva para nós,  só tivemos o trabalho de colher, MOSTRANDO NOVAMENTE O ESPÍRITO DE COOPERAÇÃO DO POVO GAÚCHO. POVO FASCINANTE!

Uma ou outra criação de gado e ovelhas.

Chegamos noutra estrada asfaltada,  viramos à esquerda e depois de alguns quilômetros chegamos a outra rodovia asfaltada, seguindo dica de um morador,  atravessamos a pista e fomos conhecer o HOTEL FAZENDA DO VALE, a um quilômetro da pist.

Desistimos de hospedar neste "hotel" (mesmo sabendo que naquele distrito tinha somente aquele "hotel" é que teríamos que pegar um busao até Nova Petropolis), pelo pouco caso do gerente, pois chegamos suados e cansados pelo fortíssimo calor que estava fazendo(acho que se não sentirem confiança em receber caminhantes, é só dizer que o hotel está LOTADO. É muito melhor). No distrito confirmaram que funciona assim mesmo, e olhe que esse "hotel" é bem simples.

Retornamos a rodovia e viramos à direita e depois de um quilômetro chegamos na BR116 no distrito de CRISTINA (caxias do sul ).

Neste distrito tem somente esse "hotel", mas nem de graça ficaria ali.

Em frente ao posto de abastecimento pegamos ônibus  ($5,00 cada) até Nova Petropolis,  descemos na rodoviária e seguindo dicas dos moradores entramos no primeiro hotel.

À tarde fomos almoçar um rango a $25,90 por pessoa à vontade.

 

Hospedagem: Pousada Serrana, camas ótimas, tv aberta, frigobar, wifi, sala de jogos, limpo. Preço  $93 por pessoa com café da manhã ótimo.

Obs.: na cidade tem opções mais barata, ficamos ali pq chegamos tarde e cansados.

 

Algumas fotos:

Portal início da estrada do imigrante, em Caxias do Sul

20170111_093809_zpsh0bhpvuh.jpg

Lindas flores

20170111_103744_zpsjg1ykgf0.jpg

Casas coloniais bem preservadas

20170111_104259_zpsrhttjofa.jpg

20170111_104338_zps7nznjbgi.jpg

Estrada de terra com muita neblina

20170111_114507_zpsbblmgf2o.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por leticia&MV
      Meu marido e eu fomos para Gramado e Canela, no Estado do Rio Grande do Sul, na primeira quinzena de agosto de 2019, ficamos 9 dias no total (achei o suficiente, mas ficaria uns 15 dias para relaxar mais e repetir algumas coisas rotineiras da cidade, como por exemplo dar uma volta, sentar e apreciar o belíssimo Lago Negro).

      Muito Importante: Sempre terão pessoas oferecendo o serviço de transfer no aeroporto, paguei 120 reais ida + 120 reais volta (para nós dois). Foi bem confortável, melhor que o ônibus, o motorista parou no Pórtico para tirar foto, foi bem legal, dividimos o carro com umas mineiras super legais.
      Dia 1 (06 de ago 19 - terça): Chegamos por volta de 15h (fizemos tudo de UBER e 99) no Hotel Due Nobili (fica bem no centro de Gramado, dá para fazer tudo a pé - MEGA recomendo, principalmente para casais, não sei se acomoda bem famílias grandes).
      Fomos ao Lago Negro no fim da tarde, de UBER, curtimos o friozinho, demos uma volta tiramos fotos e curtimos o local no clima "o amor está no ar".
      A noite comemos carré de cordeiro no restaurante Boreal Rasen Gastropub https://pt-br.facebook.com/borealrasen/ a comida é espetacular, os drinks nem se fala, pedi o garçom para inventar um sem álcool com chá mate e frutas, ele desenvolveu um líquido que era uma explosão de sabor. Paguei o prato principal com uma promoção que adquiri no LAÇADOR DE OFERTAS (só indico esse site de ofertas, os outros não cobrem realmente o preço) Caso contrário minha conta teria dado facilmente uns 300 reais.

       
      Dia 2 (07 de ago 19 quarta): Pegamos o 99 e fomos para o Parque da Serra (bondinhos aéreos), foi bem legal, lá tem uma vista muito bonita e é tudo muito limpo, romântico, vale a pena ir com a família também, crianças adoram. Acho que foi 90 reais para cada um entrar e andar de bondinho. Bem carinho.
      ATENÇÃO: lá não tem transporte para voltar, então é melhor combinar com alguém para te buscar depois.
      Graças a Deus o Michael, que estava levando uma família a passeio, nos levou ao próximo ponto. Ele tem uma agencia de turismo e uns preços bem legais, conhece bem a cidade. Ele fechou para nós a churrascaria Garfo e Bombacha (que estava lotada por que era dia dos pais) conseguiu lugares ótimos para vermos o Show e um descontinho camarada, nós levou e buscou TELEFONE DELE (54) 3282-4292 / 99957-8808 / 98108-8170. Recomendo ele como guia de gramado.
      Fomos logo em seguida ao Terra Magica Floribal, Acho que pagamos 70 reais cada um. Super recomendado para famílias. Eu amo dinossauros, então foi bem legal.
      Lá já tem mais UBER!!!
      Fomos para Canela, almoçamos em um Subway. 
      Canela é bem parada durante o dia, mas demos uma volta, chegamos na catedral de pedra (muito mais bonita que de gramado) e tiramos umas fotos. Fomos ao restaurante Casa da Velha Bruxa, comemos o SORVETE DE FORNO, que é um verdadeiro paraíso na terra, não deixem de comer. Tiramos foto na locomotiva, conhecemos um pouco mais da história do lugar, pois as pessoas são muito receptivas e sentem muito orgulho de lá. No fim fizemos o excelente negócio de comprar biscoitos caseiros tipo cookies, por 7 reais, 1/2 kg, levei uns 4 pacotes, estavam na promoção, me arrependi de não ter trazido mais. (loja de biscoitos em frente a catedral de pedra, do outro lado na rua, tem um boneco de biscoito na frente).
      Na volta o UBER nos levou em uma loja da fábrica de Cerveja Gram Bier http://www.grambier.com.br/ , compramos alguns presente (kits de cervejas), essa fábrica é de gramado, muito boa.
      A noite fomos ao show do ELVIS no Hard Rock Café Gramado. Foi surpresa para meu marido, o mesmo amou.
      Comprei O Show pelo site Laçador de Ofertas (mas quem vende é a brocker turismo), paguei 100 reais por pessoa e cada um tem direito a entrada, prato principal, 1 drink, 1 cerveja ou refri, 1 sobremesa + SHOW do ELVIS (que fiquei sabendo ser o próprio dono do estabelecimento). SUUUUUPER valeu a pena!!!! É show mesmo, sem enrolação.
       
      Dia 3 (08 de ago 19 quinta) - Fizemos um passeio de Bike que durou todo o dia só deixamos as Bikes a noite. Locamos por 3 dias as Bikes da Loope https://www.voudeloop.com/ apesar de não usarmos os 3 dias, foi maravilhoso alugar e andar somente 1. em todo centro de gramado tem pontos para deixar as bikes. (PS peguei a com acelerador que ajuda nas subidas).
      Fomos em todos os pontos de gramado, fonte do amor, rua torta, praça das etnias, rua coberta, mirante, fabrica de chocolate da prawer. O céu é o limite, quase chegamos a canela de bike kkkkk. Super recomendo.
      Nesse dia almoçamos no restaurante da Lolo, comemos macarrão com molho de nata (garantia de barriga cheia e quero mais).
      Não lembro o que comemos a noite, acho que pizza no hotel.

       
      Dia 4 (09 de ago 19 Sexta) - Foi o dia do passeio de Maria Fumaça + Vinícola (PS NÃO FAÇA AOS DOMINGOS). (contratei pela Vento Sul Turismo - Paguei 250 reais para cada um, SUPER INDICO O PASSEIO, MAS NÃO INDICO ESSA EMPRESA, TIVEMOS MUUUUITOS PROBLEMAS COM ELA).
      Nos buscaram às 6h da manhã no hotel, fomos para Nova Petrópolis, fotos, compras etc... Não vale a pena comprinhas, cuidado. Depois passamos por Caxias do sul, e fomos direto para o Vale dos Vinhedos, Vinícola Casa Valduga, (pagamos mais 50 reais para cada - em troca do tour guiado + uma bela taça) o tour da vinícola vale super a pena, saimos bem tortos, tem degustação de vinhos brancos, tintos e espumante. Só não tem petisco, então cuidado para não ficar bebado. A vinícola é linda, chique, comprei alguns vinhos e espumantes na loja, vale a pena. Comprei também uns cosméticos de beleza da Vinotage (marca da vinícola) super recomendo. O sabonete de vinho é tudo.
      Depois almoçamos em um restaurante no alto de uma colina (ele é todo de vidro, tem uma vista de todo vale) no Vale dos Vinhedos (já incluso no preço do passeio) MARAVILHOSO, comida nota 10.
      Fomos logo após para a Epopeia Italiana, não gostei, achei chato. Mas muita gente curte.
      Depois o tão esperado passeio de Maria Fumaça em Bento Gonçalves. Que delícia de passeio, música ao vivo, degustações de suco, vinho, etc... Vinícola Garibaldi.
      Nos deixaram no hotel por volta de 19h.


       
      Dia 5 (10 de ago 19 Sabado) - Dormimos até tarde, só saímos para dar uma voltinha no centro de Gramado a pé por volta das 16h. Andamos, tomamos chocolate quente na Caracol, compramos chocolate etc.
      A noite (PS chege cedo, umas 18h)  fomos a PIZZARIA CARA DE MAU - NAVIO PIRATA, CARA (RODÍZIO 120 REAIS POR PESSOA) MAS VALE CADA CENTAVO, O LOCAL É ANIMADO, A EXPERIÊNCIA É ÚNICA, PIZZAS MUITO BOAS.
      Voltamos para o hotel passando mal de tanto comer kkkkkkk 
       
      Dia 6 (11 de ago Domingo dia dos pais) - Saímos do hotel umas 11:45h e fomos para a churrascaria Garfo e Bombacha, conhecemos a família que gere o lugar, um local extremamente agradável, FARTO, receptivo, para família e amigos baterem aquele bom papo. O Show Gaúcho é maravilhoso, VALE CADA CENTAVO. ( Tem um menino que participa do show, se chama Enzo, ele é um encanto). Depois demos mais voltinhas no centro de gramado (passeio romântico) e já lá pelas tantas, encontramos um bar com música ao vivo, no qual seguramos o artista por mais uma hora depois do seu horário de ir embora kkkk, a cerveja era Gram Bier, meu marido aproveitou.
       
      Dia 7 (12 de ago 19 Segunda) - Dormimos até tarde, chovia, então resolvemos só sair na parte da tarde.
      Fomos ao restaurante no Hotel Ritta Hoppner, compramos no Laçador de ofertas a Experiência Alemã (120 reais para nós dois), entrada, prato principal, degustação de varias comidas alemãs, sobremesa. Cerveja alemã paguei a parte. O CHEFE ESTÁ DE PARABÉNS, IMPECÁVEL OS PRATOS. RESTAURANTE MUITO CHIQUE, ESTILO TITANIC KKKK
      Como não parou de chover, fomos aos museus do carro antigo (hollywood dream cars) e da Harley Motor Show, Super Carros e Museu de Cera (NÃO VÁ AO MUSEU DE CERA, É MUITO RUIM) valeu a pena para um dia de chuva, caso não estivesse chovendo, preferiria fazer passeio ao ar livre.
      A noite fomos a uma hamburgueria chamada The Black Beef, uma delícia de hamburgue, a batatinha com molho de queijo é 10.
       
      Dia 8 (13 de ago 19 terça) -  Fomos a outro passeio pela Vento Sul Turismo (Mais uma vez, passeio maravilhoso, mas a empresa sempre gera problemas, que são resolvidos de ultima hora). Nos encontramos na Praça das Etnias às 8:30h para ir as fazendas (área rural) da região. TOUR LINHA ÁVILA (170 POE PESSOA).
      Tomamos café da manhã em um sítiozinho lindo, com vários tipos de plantações, milho, morango, tangerina etc... lugar simples, bem roça mesmo. Tem pinhão no fogo a lenha, café, geleias do sítio etc
      Depois fomos para outro sítio, esse com plantação de uvas, que lugar lindo, um lago, tudo bem caseiro e artesanal. Lá eles fabricam o próprio vinho e suco de uva, tem plantação de morango, fabricação de queijo, salame, geléias etc. TOMAMOS UM BAITA CAFÉ DA MANHÃ (TUDO INCLUÍDO NO PREÇO DO PASSEIO).
      Depois fomos a uma fazenda com uma cachoeira linda, muros de pedras super antigos e descampados a perde de vista. Local que transmite PAZ.
      Por ultimo fomos a uma Fazenda de grande porte, lá almoçamos um delicioso churrasco fogo de chão, com costelão na vala e tudo mais. Lá tem passeio a cavalo. (ALMOÇO INCLUSO NO PREÇO DO PASSEIO, MENOS BEBIDA). Muita sanfona e lareira a lenha para esquentar e espantar o frio. ESSE DIA PELA MADRUGADA FEZ -2.

      FIQUEI FEDENDO A FUMAÇA, MAS VALEU MUITO A PENA. PASSEIO BEM RAIZ, MUITO GOSTOSO. VOLTAMOS CANTANDO NO ÔNIBUS COM O SANFONEIRO.
      A noite fomos a uma choperia artesanal no centro de gramado, em frente ao hotel lageto stilo. 
      TABERNA MF - Eles realmente entendem o que estão fazendo. São mais de 100 torneira, com chop gelado de todas as escolas possíveis e com sabores que ressaltam a cada gole. Uma experiência única, creio que igual a essa no Brasil não exista kkkkk (TEM MÚSICA AO VIVO, LAREIRA E COMIDA BOA)
      NÃO DEIXE DE IR!!!!!!!
       
      Dia 9 (14 de ago 19) - Acordamos cedo para aproveitar bem o café maravilhoso do hotel, arrumamos as malas e fomos dar o último passeio pelo centro, comprei cuca em um mercadinho próximo ao hotel, compramos chocolates.
      Comemos trúdel, delícia. No fim voltamos a hamburgueria que amamos e comemos mais uma vez antes de ir embora.
      Saímos 14:20h.
       
      __________________________
      Deixamos de Fazer muitas coisas como: Parque da Ferradura, Cânions do Itambézinho, Vinícola Ravanello e Casa se Ganfredo (em gramado), Castelinho do Caracol, Bar Boteco do Bill e Cervejaria do Farol (canela).
      -------------------------------------------- 
      Fiz uma viagem para casal, passeio romântico, de fato foi. Caso vá em família, tem outras coisas para aproveitar.
      __________________________
      Chocolates e sorvetes, para quem é do Rio de Janeiro, não vai se impressionar.  O CHOCOLATE QUENTE VALE!
      _________________________
      Na volta cada um de nós trouxemos 4 garrafas de vinhos e espumantes, só que descobrimos no aeroporto que não pode passar produtos sem rótulo, então o vinho e suco de uva artesanal que compramos no sítio, tivemos que colocar na mala, bem como os salames kkkkkkk o restante foi tudo a bordo.
      ________________________
      Restaurantes extras (DICAS):
      Pizza: Il Piacere, Ristore Florence, Cantina Pastaciutta, Magnólia.
      PF: à la minuta, café da banca, simple.
      Rua São Pedro: Ita Brasil, vale quanto pesa, serra grill.
      Buffet: Alecrim Santo, Cantina Galeto Nona Tena.
      Café colonial: Bela vista (não vá ao Hamm - tradicional)
      Fondue: Le Swiss, St Gallen.
      Doces: Royal Trudel
      Rua Coberta: Rasen Platz
      _________________________
      Se precisar comprar alguma roupa na emergência: Mais barato nas lojas Paludo.
      ________________________
      Lá tem Mc Donalds - se seu dinheiro acabar.
      ________________________
      Sempre observe a programação dos bares e restaurantes, na Serra Gaúcha, caso você vá de carro, tem várias cidades com programações locais, vale pesquisar.
      _______________________
      SE VOCÊ QUER ROMANTISMO NÃO VÁ NO PERÍODO DE FÉRIAS ESCOLARES, OU NATAL LUZ. TODOS LÁ ME DISSERAM QUE A CIDADE FICA SUPER LOTADA, CHEGA A FICAR CHATO, POIS NÃO SE VIVE O LOCAL.
      _______________________
      PEGUEI VÁRIAS DICAS NO CANAL DA FELIZA3.
      _______________________
      PS A SERRA É BEM FÁCIL E TRANQUILA, DÁ PARA DIRIGIR NUMA BOA.
      _______________________
      LISTA DO QUE FAZER EM GRAMADO:
      - LAGO NEGRO
      - PRAÇA DAS ETINIAS
      - SNOWLAND
      - HOLLYWOD DREM CARS
      - RUA TORTA
      - HARLEY MOTO SHOW
      - LAGO JOAQUINA RITA BIER
      - IGREJA SÃO PEDRO + FONTE DO AMOR
      - RUA COBERTA (A NOITE)
      - LE JARDIM
      - MUSEU MEDIEVAL
      _______________________________
      O QUE FAZER EM CANELA:
      - PARQUE DO CARACOL
      - PARQUE DA FERRADURA
      - ALPEN PARK
      - IGREJA DE PEDRA
      - CASTELINHO CARACOL
      - TERRA MAGICA FLORYBAL
      - MUSEU DO TREM (SÓ PAREI P TIRAR FOTO)
       


    • Por nani.etc
      Depois do Feriado de 7 de setembro, viajei a Gramado com meu namorado. Fomos no domingo, dia 08/09, leia-se BAIXA TEMPORADA.
      Saímos do Rio de Janeiro pela GOL, no vôo de 10:35h e chegamos em Porto Alegre 12:45h. Em Porto Alegre, pegamos um transfer com a Brocker Turismo, pois não queríamos alugar carro. Eles cobram R$112,50 por trecho, por pessoa. 
      Saída do Rio: 10:35h
      Chegada em Gramado: +- 15:30h
      O micro-ônibus da Brocker foi eficiente, tinha tomadas para carregar o celular e um guia falando um pouco sobre os principais pontos da cidade (e aproveitando para vender os passeios da empresa). Nós fechamos o Bus Bier Tour, que detalharei mais pra frente. Nos deixaram bem em frente ao nosso Hotel e ajudaram com as malas.
       
      HOSPEDAGEM
      Nos hospedamos no Hotel Alpestre, que fica em uma área verde de 12mil m², localizado num bairro residencial (tranqüilo e silencioso). O hotel fica a 1km de distância do Lago Negro e principais vias da cidade. Suas instalações incluem 2 piscinas ao ar livre, 1 piscina coberta e quadra de tênis. Os quartos possuem ar-condicionado, sistema de aquecimento, TV LCD e banheiro privativo bem espaçoso com amenidades como secador, xampu, sabonetes e condicionador. Nós ficamos em um apartamento Super Luxo Vista Cidade, que acomoda 2 pessoas (+- R$300 por diária), mas eles possuem outras opções de quartos, incluindo para famílias.
      No Alpestre, o buffet de café da manhã é farto e servido a partir das 06:00h da manhã, com diversas opções: geleias, biscoitos, bolos, queijos, waffle com calda, pães, tortas salgadas, pão de queijo, ovos, salsicha, além de uma mesa especial com alimentos sem glúten e lactose e outra com alimentos próprios para as crianças.
      Além disso, o hotel também oferece serviço de transfer para os hóspedes com destino ao Centro de Gramado, wi-fi gratuito (inclusive nos quartos), espaço com computadores para utilização dos hóspedes, espaço Copa Baby para auxilio aos pais dos pequenos. Não é a à toa que ele foi eleito consecutivas vezes  um dos melhores hotéis para família pelo Travelers Choices Tripadvisor.
        
       
      PRIMEIRO DIA (08/09 - domingo):
      Deixamos as malas no hotel e fomos dar um passeio pelas ruas de Gramado. O hotel fica bem perto de tudo, então fizemos praticamente TUDO à pé. Primeiro visitamos o Pórtico (500m do hotel), depois fomos ao Lago Joaquina Rita Bier, passamos pela estátua do Kikito, conhecemos a Rua Torta, o espaço Tô de Férias (espaço interativo para fazer fotos legais), a Igreja Matriz de São Pedro, logo ao lado, a Fonte do Amor Eterno... Ufa! Pelo tempo que tínhamos antes de escurecer, fizemos até bastante coisa.


       
      Depois, voltamos para o hotel para descansar um pouco e, à noite, fomos conhecer o Porto Cara de Mau. Pelo valor cobrado (R$119 por pessoa), achei que iria me arrepender, mas acredite: VALE CADA CENTAVO! A recepção é realizada de forma característica do Porto Cara de Mau: toda a equipe tem um sincronismo e buscam atender o cliente da melhor forma possível, tornando essa experiência única para cada um. Eles dão um show de alegria, simpatia, irreverência e atuação, fingindo serem piratas maus de verdade. Com relação aos sabores, muitos! Desde as mais tradicionais às mais gourmetizadas: minha preferida foi a de salmão com geleia de frutas vermelhas. Você se sente muito satisfeito! O conselho é chegar cedo (entre 18:30h e 19h), nós chegamos 19:30h e esperamos quase 1h na fila. Mas valeu a pena: você se sente tão bem atendido, bem servido, uma variedade enorme de pizzas salgadas e doces, calzones, drinks, o show com os piratas, você simplesmente não tem vontade de sair de lá. E claro, as filas vão crescendo, e infelizmente a gerência não têm como controlar isso. De forma alguma eles seriam deselegantes pedindo para a mesa encerrar o consumo ou finalizar a conta, para que outras pessoas possam entrar. Não é um rodízio de pizza que você tem a oportunidade de ir toda semana, então desfrute dessa experiência da melhor forma possível.

       
      SEGUNDO DIA (09/09 - segunda-feira):
      Tomamos café bem cedinho e aproveitamos um dia do Ticket Bus Tour. (R$69 por pessoa, por dia). O Bus Tour é um ônibus turístico daqueles de dois andares bem típicos de grandes centros como Barcelona, Paris, Londres, Curitiba… Ele é circular e tem mais de 30 paradas estrategicamente escolhidas, sempre próximo aos principais pontos das cidades. É possível subir e descer quantas vezes quiser durante o seu período de funcionamento. Mas aqui fica um parenteses: eu não curti muitooo! Por que? Porque demora bastante para ir de um ponto ao outro (pelo ônibus ser grande e lento). Não pegamos taxis em Gramado, mas os Ubers funcionam bem e são bem em conta (inclusive utilizamos ele várias vezes durante os dias e o valor mais caro que pagamos foi o de R$13,78 (Canela x Gramado). Então vai de gosto:
      Se você quiser conhecer a cidade em um ônibus de dois andares bem legal, ouvir um pouco da história dos pontos turísticos e não ter o trabalho de ter que chamar um carro: APOSTE! Agora, se você quiser mais rapidez, não se interessa em conhecer a cidade por um todo, quiser apenas seguir um roteiro pré-determinado: TENTE O UBER (obs.: sugiro simular as corridas antes para ver o valor que sairá no final). Mas vamos ao meu roteiro:
      Pegamos o Bus na parada 22 (em frente ao Hotel Alpestre) em direção à Canela. Passamos por praticamente todos os pontos turísticos de Gramado até chegar na Parada 01 (Catedral de Canela). Demoramos, juro, 1:15h apenas nesse trajeto do hotel para Canela (que de Uber faríamos em 15 minutos), mas como eu disse, deu pra conhecer a cidade de cima, relaxar sentadinhos e ouvir um pouco da história de cada ponto turístico. Tiramos fotos, apreciamos a Catedral de Pedra, que é muito linda, e, de lá, não quisemos esperar o ônibus passar novamente e pegamos um UBER até o Parque do Caracol, que eu super me arrependi (R$20 por pessoa apenas para ver um mirante). A escada que dá acesso à cascata estava interditada. Era melhor termos ido aos bondinhos aéreos, seriam as Paradas 06 e 07 respectivamente (não fomos aos bondinhos depois porque seriam mais R$40 por pessoa). Depois que eu me desestressei (risos), esperamos o bus tour e fomos até a Fábrica de Chocolate da Prawer (Parada 32), onde há uma pequena visitação da fábrica, os chocolates são carinhos, mas bem gostosos. Por fim, esperamos novamente o bus e fomos ao Mini Mundo (Parada 20), uma das atrações que mais gostei e vou detalhar um pouco mais. (OBS.: Não gostamos de Museus, e vimos relatos que os de Gramado são muito enganadores, então menos vontade tivemos de conhecer algum.)


       
      MINI MUNDO
      Era uma vez um pai e um avô, que resolveram presentear suas crianças com um pequeno mundo de fantasia. Construíram então, no jardim em frente ao Hotel Rita Hoppner, pertencente à família, uma casinha de bonecas e um conjunto de castelos, com trenzinhos em miniatura. Pensando em dividí-lo com os hóspedes, construíram também uma pequena cidade em miniatura, envolvendo os seus próprios sonhos, e dando vida aos mini-habitantes. O Mini Mundo é formado por réplicas fiéis de prédios de várias partes do mundo baseadas em seus projetos originais. Juntas, elas constituem uma cidade em miniatura, onde tudo é 24x menor do que a realidade. As reproduções são elaboradas pelo próprio parque. Algumas chegam a exigir meses de dedicação, testes e experiências. O parque abre diariamente de 9h as 17h e o ingresso custa R$42, com meia entrada para quem possui o benefício (menores de 2 anos são isentos), e conta também com local para alimentação, lojas temáticas e espaço infantil.

      Nossa visita ao Mini Mundo nos despertou a curiosidade de conhecer o Hotel Ritta Hoppner, que fica do outro lado da rua, e como já era fim de tarde, fomos provar o tradicional Chá da Tarde do hotel. E caiu muito bem depois de um dia intenso de atividades. 😉 A ''excelência'' é a palavra de ordem, tradição que começou como serviço de quarto e que há 13 anos tornou-se um ritual nos salões. O menu servido na ''torre'' varia a cada dia da semana, porém sempre combinando os sabores de tarteletes com a grande variedade de doces e salgados. Chás, cafés e chocolates acompanham o waffle, geleias e o tradicional apfelstrudel. Ah! Você pode repetir qualquer item quantas vezes quiser. O problema é se controlar...  O chá acontece todos os dias, das 16h às 18h, no restaurante do hotel. Ele é oferecido gratuitamente para os hóspedes, mas também é servido ao público externo pelo valor de R$59 + taxa de serviço. Mas claro, quem me segue no instagram (@nani.etc) tem benefícios: basta dizer ao gerente Igor que é meu seguidor e o valor fica em R$50 + taxa. 😁

      Depois do chá maravilhoso, voltamos à pé ao nosso hotel para desgastar tanta comilança, rs. E descansamos um pouco.
      À noite, mesmo sem muita fome, fomos conhecer o Hard Rock Café. Pedimos um prato com três tipos de aperitivos, um drink e um chopp. Achei mais do mesmo.

       
      TERCEIRO DIA (10/09 - terça-feira):
      Acordamos bem cedinho para tomar aquele café da manhã bem gostoso e pedimos um UBER para o Snowland. Mesmo sendo de neve artificial, o Snowland é muito procurado e fica muito lotado, o que pode estragar o seu passeio. Recomendo que você evite, se possível, feriados, sábados e domingos. E chegue pela manhã, para evitar filas. O ingresso não é barato (R$135 por pessoa). Todos querem fazer de tudo. Se você não chegar cedo, perderá horas nas filas para entrar (pois é necessário preencher um termo de responsabilidade e colocar a pulseira que dará acesso às atrações), para pegar a roupa de neve, para patinar, para entrar no ambiente da montanha de neve e haverá mais gente para fazer tubing. Nós chegamos antes das 10h (hora que abre) e já havia uma pequena filinha por lá. O ingresso padrão do Snowland Gramado dá direito à botas, calça, casaco, capacete e luvas para acessar a Montanha de Neve. Não são suficientes. Leve luvas, meias grossas, manta e uma blusa térmica extras. Lembre-se, você estará dentro de um freezer! Conseguimos nos divertir muito, mas acredito que muita gente não deve gostar por não ter um bom custo-benefício!

       
      Saímos correndo de lá, pois havíamos agendado o Bus Bier Tour (R$149 por pessoa) com a Brocker Turismo. O Bus Bier Tour é daqueles passeios pra amantes de cerveja e curiosos sobre o processo de fabricação. O ônibus parte do centro da cidade, em frente ao escritório da agência Brocker e faz um percurso de cerca de 3h30. A bordo do Bus Bier, que é uma atração a parte, visitamos as Cervejarias GramBier e Rasen Bier que se localizam em Gramado, e a Cervejaria do Farol em Canela, onde não somente a cerveja de alta qualidade chama a atenção, mas também por possuir uma réplica de um farol com 32m de altura, de onde é possível avistar municípios como Gramado, Caxias do Sul e São Francisco de Paula. Nós compramos o passeio com a degustação e ganhamos uma caneca de Chopp personalizada do Bus Bier. 
      Pra quem tem curiosidade do assunto, esse tour pelas cervejarias de Gramado é indispensável. Dá até pra beber bastante, mas o foco principal não é um passeio “open bar” ou uma festa no ônibus, mas o processo de fabricação e degustação de cervejas artesanais. Até há concorrentes que fazem o passeio em Kombis e com chopp "open bar", mas também há um contra: vi muita gente fazendo parte do passeio à pé, andando e bebendo atrás das kombis! (Pra quem curte beber mais do que apreciar, pode ser válida a troca.)

       
      Terminamos nossa terça-feira indo conhecer um dos Cafés Coloniais de Gramado. Pedimos ao motorista do Bus Bier para nos deixar próximo ao Café Colonial Bela Vista e assim foi feito. 
      Quando 80 tipos de comida vêm à sua mesa, é complicado decidir o que comer primeiro. O Bella Vista é o Café Colonial pioneiro do Brasil e também o maior de Gramado. Já pensou em misturar comida de café da manhã, almoço, lanche e jantar numa refeição só? Pois é! 👌 Entre os salgados, eles oferecem croquete de frango e rissoles de presunto e queijo. Para quem não quer ter muito peso na consciência, dá para investir nas proteínas: lombo de porco, linguiça e filé de frango grelhado. Claro que numa região típica alemã e italiana não pode faltar também polenta frita, pepino em conserva e porquinho à milanesa! Suco de uva, vinho, café, chocolate quente e frio e chás fazem parte das bebidas. Com exceção das sobremesas, tudo é servido na mesa (como dá pra ver na foto). Se desejar, você pode pedir para repor, sem custo extra. Depois é só atacar os doces nas geladeiras do salão. Eu provei mousse, pudim e sorvetes! O valor é de R$82 por pessoa (os meses de Agosto e Setembro tiveram desconto: R$70). Crianças de 5 a 9 anos pagam metade do valor e menores de 5 anos não pagam.

       
      QUARTO DIA (11/09 - quarta-feira):
      Hoje foi dia de conhecer o Parque Terra Mágica Florybal, idealizado pelo proprietário da Florybal Chocolates, um das principais marcas de chocolate artesanal de Gramado/Canela. Muita gente acredita que seja muito infantil, mas eu e meu namorado adoramos! Todo o percurso do parque é muito bonito e cheio de esculturas gigantes, ambientadas em cenários. Os bonecos e personagens fantásticos do parque são criados artesanalmente em um pavilhão da Florybal. As trilhas conduzem o passeio monitorado por fascinantes caminhos por histórias do mundo, como espaço dos primatas, aldeia dos índios, lago das deusas, floresta mágica, mas a área dos dinossauros, na minha opinião, é a que rouba a cena. A aventura e adrenalina é garantida com Tobogãs, passeio com o  Dino Móvel, o Voo do Pterodáctilo e ainda o Cinema 7D, com filmes para viver emoções e sensações em sete dimensões. O Parque ainda possui dois espaços para o visitante fazer um lanche ou almoçar durante o passeio. No território dos dinossauros, o Dino Lanches tem lanches deliciosos para você saborear com uma decoração toda em pedra. Já o Castelo Medieval Temático chama a atenção pelos detalhes e características arquitetônicas. O local dispõe de praça de alimentação e um restaurante completo com pratos destaques da Serra Gaúcha, além de playground com brinquedos eletrônicos, loja com artigos produzidos na região e souvenirs. O parque funciona diariamente das 9h às 17:30h, inclusive nos finais de semana e feriados. Ele oferece transfer gratuito: estando hospedado em Gramado e Canela, basta você ligar para e marcar a hora que eles vem te buscar. O ingresso custa R$70, e tem meia entrada para crianças, estudantes e idosos. Algumas atrações, como o cinema 7D, são pagas a parte.


      Saímos do Parque e fomos fazer um lanche em Canela mesmo. Escolhemos o Skillo Lanches, o qual haviam falado bem para a gente. Comemos dois sanduíches (bem grandes por sinal), o meu vinha com batata-frita por dentro.
      Após, pegamos um Uber e fomos ao Lago Negro, fizemos um passeio bem gostoso e, com certeza, se não tivéssemos comido por Canela, comeríamos no restaurante do Parque. Fica a dica!

      Como fomos durante o Festival de Cultura e Gastronomia de Gramado, onde diversos restaurantes da cidade, criam um prato especial e exclusivo para o evento, a um valor único, nas bancas de comida e bebidas na rua Pedro Benetti, resolvemos passar por lá com mais calma. Tomamos um chopp artesanal apenas.
      À noite, fomos jantar Fondue no Restaurante Malbec. Eles também oferecem transfer ida e volta gratuito para quem estiver hospedados nos hotéis da cidade. A sequência custa R$96 por pessoa. O preço pode assustar, mas paga-se pela experiência. O restaurante é um dos mais bonitos da cidade, conta com três ambientes (térreo, superior e deck), os garçons bem atenciosos e a comida, excelente. Ficamos no deck e iniciamos a sequência com o tradicional fondue de queijo, acompanhado por pão adormecido, brócolis, linguiça calabresa, batata e goiabada. Em seguida o fondue de carne na pedra, o La Pierrat, cortes nobres de carne bovina, suína e frango, guarnecido por 12 variedades de molhos e farofa. Para finalizar a série, o fondue de chocolate traz os sabores das frutas da estação. Chegamos no restaurante com o tempo limpo e uma temperatura agradável. Do nada, uma enorme neblina tomou conta da rua atrás de nós. A temperatura caiu, óbvio. E o garçom nos ofereceu mantas para nos aquecer ainda mais.

       
      QUINTO DIA (12/09 - quinta-feira):
      Dia de nos despedir de Gramado. Nosso transfer com a Brocker estava marcado para 9:55h. Só deu tempo de nos lamentar por comer pela última vez o café da manhã do Alpestre.
      Acho que deu pra perceber que não pegamos nenhum dia de frio ou chuva na cidade, o que não sei se foi bom ou ruim, já que não sou fã de frio. Mas logo no último, o dia amanheceu chovendo, pareceu triste por estarmos indo embora, rs. Mesmo comendo bastante, sentimos fome durante a espera no aeroporto de POA. Motivo: nenhum restaurante estava funcionando. E uma das duas lanchonetes que ainda restaram queria cobrar mais de R$50 reais por um salgado, dois sucos e um bauru. Nosso vôo era às 15:15. Chegamos no Rio 17:20h, mortos de fome!

      Siga-me no instagram para ficar por dentro de todas as minhas viagens e dicas: https://www.instagram.com/nani.etc/
    • Por casal100
      Resolvemos, dessa vez, fazer alguns roteiros distintos: beira-Mar, trilhas em montanhas e travessia.
      Começamos por Ubatuba, foram 10 dias de caminhada, por algumas das principais praias; depois pegamos nosso veículo e fomos fazer alguns roteiros em Extrema-MG e, por último,  a grata surpresa: TRAVESSIA DA SERRA DA CANASTRA-MG, que lugar maravilhoso: belas cachoeiras, trilhas fortes, flora e fauna exuberante, povo amigável, queijos deliciosos(alguns entre os melhores do mundo na sua categoria) sem contar a culinária mineira. Tudo de bom.
    • Por casal100
      Fizemos a maioria dos caminhos que passam pela Serra da Mantiqueira(Estrada Real, Caminho da Fé, Crer....), alguns mais de 1 vez.
      É quase unanimidade entre os caminhantes que, indiscutivelmente, a Serra da Mantiqueira têm as mais bonitas paisagens e, nós concordamos integralmente. São caminhos que proporcionam lindas fotos,  clima agradabilíssimo, povo acolhedor e simpático, ingredientes que definiram esse roteiro.
      Foram quase 50 dias e mais de 1.100 quilômetros de muitas alegrias, felicidade e paz,  poucas tristezas e decepções.
      Começamos e terminamos na MAGNÍFICA cidade de Campos do Jordão-SP, depois de rever vários lugares (passei alguns invernos nesta bela cidade, quando eu era "bacana"). A cidade se transformou,  criaram vários roteiros turísticos, belas e caras casas dos novos e velhos "bacanas", ótimos restaurantes, atrações mil,  pousadas e hotéis de todo tipo e preço, tem até o refúgio do peregrino, comércio bom, povo hospitaleiro, clima perfeito e, ainda por cima fomos no verão,  baixa temporada,  onde com facilidade encontramos boa hospedagem com preços menores que muitas hospedagem em cidades pequenas.

      Outra coisa que pesou em escolher fazer essa travessia é que a região se assemelha muito com um projeto que temos em mente, que é a travessia entre Punta Arenas x Arica no Chile,  então serviu como treinamento.
    • Por casal100
      Realizamos no período de 19 a 28 de julho de 2015, o circuito completo do Vale europeu em Santa Catarina. Foram 10 dias contemplando e vivienciando lugares, pessoas maravilhosas.
      Destaco alguns locais incriveis: Pomerode, blumemau, fazenda campo do zinco e sua maravilhosa cachoeira, lindos mirantes, estradas encantadoras, pessoas hospitaleiras e cordiais. Nāo tivemos nenhum incidente.
       
      Começamos antes do circuito, fazendo o caminho entre blumenau e pomerode a pé, e no final fizemos do mesmo modo a rota enxaimel em Pomerode, por isso o roteiro foi concluido em 10 dias.
       
      Brevemente relato completo.


×
×
  • Criar Novo...