Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Marcela Guimaraes

**** EXPERIÊNCIA EM JERICOACOARA ****

Posts Recomendados

EXPERIÊNCIA EM JERICOACOARA
Vou fazer aqui um resumão da viagem😉. Começando pelo transfer. Existem duas formas de chegar até Jeri, uma é saindo de Fortaleza e a outra é saindo de Cruz, uma cidade que fica bem mais próxima de Jeri. Saindo de Fortaleza o translado dura em torno de 6 horas, são 5 horas de Fortaleza até Jijoca e mais uma hora de Jijoca até a Vila de Jeri. Saindo de Cruz o translado até a Vila de Jeri dura em torno de uma hora e meia. Só lembrando que Jericoacoara não tem aeroporto, é em Cruz o aeroporto mais próximo de Jeri.

Chegando em Jijoca é cobrada uma taxa de turismo, o valor é de 5 reais por cada dia que você vai ficar na cidade. Bom, tem 3 opções de Passeios em Jeri, são os seguintes: Passeio do Lado Leste, Passeio do Lado Oeste e o Passeio de Barrinha. Esses passeios são feitos de buggy ou de Jardineira(Hilux). O Passeio do Lado Oeste inclui: Mangue Seco, Cavalo Marinho, Tirolesa, Tobogã e Lagoa da Tatajuba. O passeio do Lado Leste inclui: Pedra Furada, Árvore da Preguiça, Praia do Preá, Lagoa Azul e Lagoa do Paraíso. Vou agora um falar um pouco de cada um dos passeio👇👇👇.

O Mangue Seco tem um cenário incrível, bem diferente, você não encontra um cenário como esse em nenhum outro lugar, dá pra colocar a criatividade pra funcionar e tirar várias fotos perfeitas📸. Pena que a parada é rápida de apenas 20 minutos, por isso tem que correr pra poder aproveitar bem. O passeio do cavalo marinho optamos por não fazer, pra fazer o passeio você tem que pagar R$ 15, além disso não é certeza encontrar os cavalos marinhos, tem a possibilidade de fazer o percurso sem encontrar nada.

Pra quem gosta de aventura tem a tirolesa e o tobogã, os dois fazem parte do passeio do Lado Oeste. Pra você participar dessa brincadeira tem que pagar R$ 15. Pagando esse valor você tem direito a descer duas vezes na tirolesa ou duas descidas no tobogã. A última parada do passeio do Lado Oeste é na Lagoa da Tatajuba, lá você pode tirar aquela tradicional foto na rede📸. Além disso, em Tatajuba também tem passeio de canoa e de standup, quem optar por fazer esses passeios tem que pagar R$ 30 por 30 minutos.

Na Tatajuba é o ponto de parada para o almoço. Sinceramente, não gostamos da comida, além de muito cara não tem qualidade nenhuma. O peixe mais barato lá é R$ 120, tem porções minúsculas de camarão ou de lagostas por R$ 100, tudo um absurdo. A dica é levar alguma coisa pra comer por lá e deixar pra almoçar quando voltar para Vila, é bem melhor.

A Pedra Furada é o cartão postal de Jeri, o passeio até a Pedra pode ser feito de duas formas, uma delas é caminhando da Vila até o local que fica a Pedra, normalmente essa caminhada está inclusa no transfer das agências de turismo. A outra forma de ir até a Pedra Furada é no passeio do Lado Leste, onde o bugueiro deixa você em um ponto mais próximo da Pedra, o restante do trajeto tem que fazer caminhando, são mais ou menos uns 20 minutos de caminhada pra ir e mais 20 pra voltar, todo esse trajeto é feito pela praia. No trajeto da Pedra Furada que sai caminhando da Vila, o percurso é bem mais longo, são mais ou menos uns 40 minutos pra ir e mais 40 pra voltar. A caminha até a Pedra Furada é bem longa e cansativa, por isso é bom ir preparado e bem hidratado. Lá na Pedra você vai poder usar a criatividade para tirar fotos nas mais diversas poses📸, dá pra fazer muitas fotos legais.

Na Árvore da Preguiça é feita uma paradinha rápida para poder tirar fotos. A árvore fica no meio do nada, é bem interessante. Dá pra tirar muitas fotos bacanas também📸. Outro ponto do passeio é a praia do Preá, nessa praia também a parada é rápida, apenas para algumas fotos📸. O Preá tem uma estrutura muito boa de restaurantes, por isso optamos por almoçar lá, pois os preços são bem mais em conta que na Lagoa do Paraíso.

No período que fomos (no final de maio agora), as lagoas estavam muito cheias, devido as fortes chuvas do primeiro semestre, por isso não deu pra aproveitar muito, principalmente a Lagoa Azul, pois a água estava muito turva, não estava legal nem pra tomar banho e nem pra tirar fotos. Na Lagoa do Paraíso fomos no Alchymist. O Alchymist é o local mais badalado e mais procurado de Jeri, as pessoas costumam ir lá pra tirar aquela foto que vai arrasar no insta📸. A barraca tem uma estrutura extraordinária, coisa de outro mundo, é tudo muito lindo lá, parece coisa de cinema. Pena que dessa vez a Lagoa estava muito cheia, por causa das fortes chuvas que aconteceram no primeiro semestre, isso acabou comprometendo um pouco a beleza do lugar. Mas a vibe da Alchymist é surreal, é um ambiente muito agradável, com um dj tocando músicas bem animadas. A barraca fica na Lagoa do Paraíso, além dessa barraca tem várias outras opções, por isso, se você não quiser ir na Alchymist, é só pedir ao bugueiro para lhe levar em outra barraca. Os preços da barraca são bem elevados, por isso vá com seu bolso preparado💸💸💸.

A Lagoa do Amâncio é um dos pontos em Jeri onde você pode encontrar água bemmmmm cristalina. Por incrível que pareça, essa Lagoa é formada por água das chuvas, e com o passar do tempo, conforme o período de chuvas vai passando a Lagoa vai sumindo. Atualmente a Lagoa do Amâncio é um dos poucos locais onde você pode encontrar água cristalina. Devido às chuvas intensas do primeiro semestre, as demais Lagoas estão muito cheias e com a água turva, por isso, na hora do passeio vale a pena priorizar e reservar mais tempo para Lagoa do Amâncio. Nós fomos na Lagoa do Amâncio quando fizemos o passeio do Lado Leste. Essa Lagoa não está inclusa no passeio do Lado Leste, mas pedimos o bugueiro para nos levar até lá, pois é caminho dos demais passeios. O guia gentilmente nos levou sem cobrar nenhum custo adicional. Tomem cuidado pois alguns bugueiros querem cobrar para fazer apenas o passeio da Lagoa do Amâncio.

Em Jeri também a duna do pôr do sol, que é onde as pessoas se reúnem no final da tarde para apreciar um belo pôr do sol. Como tudo que é bom dura pouco😁😁😁, é bom chegar cedo na duna, por volta das 17 horas, pois o sol se põe muito rápido. Você não vai querer perder uma belezura dessas né?! Apesar da duna ficar lotada, não se preocupe, tem espaço pra todo mundo tirar aquela fotinha especia 📸. Esse é um cenário que vale a pena apreciar todos os dias que você estiver por lá, cada dia é um espetáculo diferente da natureza😉

Um ponto de destaque de Jeri é a segurança, você pode andar a qualquer hora do dia ou da noite, é tudo muito seguro por lá. A Vila é bem pequena, os hotéis e pousadas que ficam dentro da Vila são todos bem localizados, não precisa se preocupar. A gastronomia de Jeri também é maravilhosa, tem opções para todos os gostos e bolsos, desde os tradicionais frutos do mar até massas, pizzas e tudo mais que você imaginar. Os restaurantes que mais gostamos foram o Na Casa Dela e o Dona Amélia,  nos dois a experiência foi incrível. Resumindo, Jeri é uma cidade incrível, tem uma energia muito boa, vale muita a pena conhecer😍😍😍. Quem tiver alguma dúvida é só deixar aqui nos comentários.😉

No meu instagram tem dicas, fotos, vídeos e os preços dos principais passeios e restaurantes de Jeri. Quem quiser pode conferir minha viagem completa lá: www.instagram.com/turistainiciante

  • Gostei! 1
  • Obrigad@! 1

Compartilhar este post


Link para o post

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por cioliveira
      Meus caros leitores , Meu nome é Cristhian Alvarenga , amo viajar, nunca escrevi sobre minha experiências mas hoje resolvi escrever este post com objetivo de auxiliar pessoas interessadas em conhecer a região de Foz do Iguaçu, vamos láaaa....
      Sou de São Paulo , fiquei hospedado no Rafain Centro Hotel por 5 dias em Foz do Iguaçu, abaixo vou citar meus primeiros gastos:
      Detalhe fechei pacote com a Decolar com hospedagem + voo + translado + o translado até Cataratas-AR e uma incrível promoção no valor de 50 reais do Kattamaram kkk , esses gastos abaixo são para 3 pessoas , fui junto com meus velhos , primeira viagem deles foi tudo sensacional , segue os gastos kk

      Dentro desse  valor me recordo que o Kattamaram ficou 150 reais.
      Cataratas ficou 180.
      Os demais custos ficaram em taxas , hotel e voo.
       
      Dia 1 – São Paulo – Foz > Templo budista > Itaipu (14/02/2020)
      Meu voo estava marcado para sair ás 08:05 do dia 14/02/2020, então acordei bem cedo e peguei um Uber da cidade de Carapicuíba onde moro até o aeroporto de Guarulhos , chegando em Guarulhos fui fazer o check-in eeeeee deu ruim , ERREI O AEROPORTO , era Congonhas, bateu o desespero e corri para o outro lado da cidade , pegando outro Uber até o aeroporto de Congonhas , lembrando que meu voo era ás 08:05 , pegamos o Uber ás 6:30 e pegamos aquele tradicional trânsito de SP , porém chegámos ás 07:30 no aeroporto , aquele corre com as malas e chegamos no portão de embarque, a porta quase fechando -UFAAAA fomos os últimos e enfim embarcamos.
      Chegada em Foz – Chegámos por volta dás 9:30 e a MMC turismo estava á nossa espera; 25 minutos do aeroporto até o Rafain Centro, no caminho o nosso motorista conversando e explicando um pouco da cidade e como um bom vendedor tentando vender seu peixe porém eu escolhi pesquisar melhor os preços. Chegando no hotel deixámos nossa mala no depósito pois o Check-in estava marcado para ás 14 , fui andar e pesquisar um pouco sobre os preços da região , achei um restaurante sensacional na esquina do Rafain , 16 reais o self-service (comida muito bem preparada), após isso peguei um Uber e fui até a minha primeira atração o templo budista , aliás bem afastado do centro , visitei por 20 minutos , tudo OK  , tirei as fotos rs e partiu Itaipu , que lugar imenso , lindo , amei tudo , peguei o passeio panorâmico e curti demais (duração do passeio 1 hora) , após isso voltei para meu Hotel e fui descansar pois o sábado prometia demais , minha segunda ida a Argentina.
      Preços – Uber
      Carapicuíba – Guarulhos (100 reais)
      Guarulhos – Congonhas (70 reais) ß- Gasto inútil AFFF!
      Hotel – templo Budista (23 reais)
      Templo – Itaipu (8 reais)
      Itaipu – Hotel (18 reais)
      Almoço – 53 reais (3 pessoas)
      Detalhe de gasto – Gastamos 70 reais no mercado Italo próximo ao Rafaim , compramos (bolacha , água , refri e cerveja) << este gasto se deve pois o hotel fornecia com os preços tabelados.
      Preço de Itaipu – 40 reais por pessoa , o templo budista é de graça
       
      Dia 2 – Foz – Cataratas Ar > Marco (Brasil) > dream ice (15/02/2020)
      Acordámos bem cedo para tomar café no hotel (incluso no valor da diária) , EEE que café , maravilhoso , muito completo , após isso a MMC turismo passou em nosso hotel ás 7:30 , no caminho pegaram outros passageiros e passaram com nós na casa de câmbio (troca de câmbio se deve pelo fato da entradas Cataratas ser em peso Argentino , não aceitam real ), trocámos 300 reais e fomos para Aduana e esperámos e esperámos e esperámos um pouco mais este dia estava bem cheio , chegando no parque andamos um pouco pela até a estação de trem e no caminho tem diversos quatis (cuidado com sua comida pois eles roubam kk),Detalhe leve água custo de 10 reais cada e outra coisa eles aceitam real dentro do parque, pegando o trem fomos para o momento mais épico deste dia a Garganta del Diablo , fantástico , da estação até a queda da agua é 20 minutos e voltámos , almoçamos no centro do parque , comemos algumas empanadas e fizemos o circuito inferior bem rápido porem muito bonito após isso esperámos nossa van e fomos levados ao hotel , tomámos um belo banho e partiu marco das 3 fronteiras (recomendo ir ás 19:30 para pegar o espetáculo de dança e o por do sol) , ainda deu tempo de pegar um uber para o dream ice mas gente muita ATENÇÃO , eles oferecem um valor alto de primeira mas chore um pouco , o rapaz ofereceu um valor inicial de 100 reais por pessoa porém eu falei que ia pesquisar na net e ele baixou para 50 reais por pessoa , ok , aceitável , após isso andámos um pouco no dreamland (o parque com diversas atrações como museu de cera , vale dos dinossauros e dream ice) e fomos para o hotel descansar.
      Preços – Uber
      Hotel – Marco (20 reais)
      Marco – dreamland (22 reais)
      Dreamland (15 reais)
      Ingressos Cataratas – 700 Pesoas Argentinos = 70 reais +/- (acrescenta + 9 reais da taxa de turismo), 1670 (3 pessoas)
      Ingresso Marco – 73 reais (3 pessoas)
      Ingresso Ice bar -50 reais por pessoa
      Outra dica legal é comprar o passaporte das atrações de Foz que custa 100 reais e contém o passeio panorâmico por itaipú , entrada do marco lado brasileiro e cataratas lado Brasileiro.
       
      Dia 3 – Foz – Parque das Aves >Cataratas Br > Kattamaram (16/02/2020)
      Devido a previsão de chuva na terça decidimos adiantar o passeio as cataratas brasileiras e tomamos um café e saímos cedo para ir para o lado Brasileiro ,  decidimos fazer o parque das aves pois abre ás 08:30 , o passeio é lindo e dura por volta de 1 hora após isso seguimos para ás cataratas -BR , pegamos o ônibus dentro do parque e ai vem a tristeza , CHUVA kkk, o passeio todo porém aproveitámos muito , vista linda muito similar a da Argentina e saímos por volta dás 13 e almoçamos ali por perto , comida boa a barata , pegámos nosso Uber e fomos para hotel e esperar o passeio que estava marcado ás 16:30 ,assim a MMC turismo buscou nós no hotel e nos levou para o ponto de embarque ao navio um passeio muito legal onde passámos pela ponte Tancredo Neves (AR-BR) e depois fomos até a ponte da amizade (BR-PR) , apesar da chuva , valeu muito a pena pois a comida era boa e a resenha mais ainda , após isso a MMC deixou nós no hotel e fim desse dia louco.
      Preços – Uber
      Hotel-PQ das aves (25 reais)
      Cataratas – hotel (20 reais)
      Atrações
      Pq das aves ( 150 reais os 3) << detalhe pague menos se vc for doador de sangue.
      Cataratas BR (129 os 3)
      Kattamaram (150 reais os 3 ) * Decolar anunciou errado e comprei , preço normal (200 reais incluso janta e transporte)
       
      Dia 4 – Foz – City tour Paraguai + City tour Argentina (17/02/2020)
      Este dia foi especial demais , combinamos com um Uber da região chamado Alexandre, um cara que nos ajudou muito , o preço desses city tour costuma ser em média 85 reais por pessoa , ele fez o city tour do Paraguai por 200 reais e o da Argentina por 150 , preço bom demais.. ele passou ás 8 para nos pegar no hotel e começamos nossa saga por Cidad del Este , iniciamos pela igreja de San Lucas , passamos em frente do estádio 3 de febrero (desativado) , conhecemos a mesquita da cidade e por último fomos até a igreja de San Blas que na minha opinião é mais linda (duração do city tour – 1hora) e seguimos para o centro de compras iniciando pelo shopping Paris que na minha opinião não compensa comprar nada e seguimos para rua e fomos ver os melhores preços
      Segue resumo das melhores lojas > PERFUME – la petisqueira e pioner , ELETRÔNICOS – Cellshop e Mega eletrônicos , as demais coisas não compensa comprar pois a cotação estava á 4,40 além de que fomos somente as lojas grande que não proporcionam produtos falsos , não se engane com os preços baixos ou dólar congelado kk todas essas dicas foram dadas pelo nosso guia Alexandre , super recomendo , ele nos deixou no hotel e almoçamos por ali e descansámos e 16:30 em ponto conforme combinado nossso guia Alexandre estava lá com toda simpatia e nos levou até a Argentina onde seu amigo Marcio um taxista brasileiro que trabalha na Argentina estava nos esperando e iniciamos o tour pelo Duty free (tudo muito caro kk ) , após isso fomos na LA Aripuca lugar muito lindo , uma obra de arte da natureza e seguimos ao marco argentino (do Brasil é melhor) , seguimos para feira e compramos alguns chocolates e comemos uma bela picanha por um preço muito bom e assim nosso amigo Alexandre foi nos buscar na Argentina e nos deixou no hotel.
      Gatos com Uber particular 350 reais
      Almoço – 50 reais (3 pessoas)
      Jantar self-service Argentina – 170 reais (3 pessoas)
      *Não vou especificar meus gastos no Paraguai pois é muito relativo.
       
      Dia 5 – Foz –Paraguai > SP (18/02/2020)
      Esse dia acordamos tarde pois tínhamos que fazer checkout ás 11 , tomamos café e entregámos o quarto , deixámos no depósito a mala e fomos no Paraguai de novo kjkk pois meu pai esqueceu de comprar seu HD , fizemos todo esse dia de pé (não tem perigo ao atravessar a ponte mas fique atento)e seguimos para o Brasil para comprar algumas lembranças uma dica para quem quer comprar chaveiros , canecas ou outras lembranças á AV. Brasil em foz é uma boa pedida e fizemos esse rolê todo  voltámos e almoçamos ás 17 horas por causa do café da manhã um pouco tarde e esperámos a MMC que nos levou até o aeroporto e aguardámos até o embarque e chegámos em SP ás 23:30 e nosso Uber já estava á espera.
      Gastos com Uber: Aeroporto > Casa – 100 reais
      Almoço – 50 reais (3 pessoas)
       
      Esse é meu relato quanto a Foz do Iguaçu , espero que gostem, desculpe alguma discordância gramatical , não sou bom em escrever relatos mas espero ter ajudado , caso alguém queira ver ás fotos ou pedir dicas dessa viagem sensacional, me siga no instagram > cristhian.alvarenga
    • Por Ana Maria Cavani
      Gostaria de compartilhar com vocês a fantástica viagem que fiz para o Marrocos com esta agência Viagens_em_Marrocos
      Encontrei o site da agência "viagens_em_marrocos" sem querer, estava pesquisando sobre viagens em Marrocos e eis que surge o próprio. No começo fiquei insegura, mas resolvi mandar um e-mail e rapidamente o Omar me respondeu. Omar me mandou vários roteiros, até definir quantos dias queria e pedi para sair do Tanger, pois estaria na Espanha e queríamos atravessar de ferry-boat. Omar me mandou o roteiro de 10 dias saindo e chegando no Tanger. Após essa definição passamos a nos falar por whatsapp, foi incrível, pois todas as dúvidas que eu tinha, o Omar me esclarecia. Chegamos no Tanger dia 18/10/2019 e Mustafá (nosso guia) e Mouhamed (nosso motorista) foram nos buscar. Ali começou a incrível viagem pelo Marrocos. Fomos para Chefchouen / Fes / Mersouga / Erg Chebbi / Dades / Marrakech / Rabat, esses foram os locais aonde pernoitamos. O roteiro é muito mais completo, passamos por muitas cidades, visitamos as ruinas romanas de Volubilis, que não estava no nosso roteiro, mas falei com o Omar e ele prontamente incluiu essa visita, que valeu muito a pena. O ponto alto foi o deserto, andamos de 4 x 4 nas dunas, sensacional e depois fomos de camelo para o nosso magnifico acampamento Sirocco Luxury Camp, maravilhoso, lá conheci o Youssef irmão do Omar, foi muito atencioso, foi até a nossa tenda para nos comprimentar. Os hóteis são maravilhosos, sempre muito atenciosos com a gente. Depois do deserto visitamos, as Gargantas de Todra, os estúdios de cinema, atravessamos o Alto Atlas, paisagens deslumbrantes. Depois de Marrakech, fomos para Casablanca enfim pudemos entrar em uma Mesquita, aliás uma baita Mesquita - Hassan II. Ao final depois de Rabat passamos por Asilah e nos divertirmos na praia foi bem legal e no fim passamos na Caverna de Hercules que também não estava na programação mas atenderam nosso pedido e depois nos deixaram no Tanger onde atravessamos de volta para a Espanha no dia 27/10/2019.
      Em duas cidades tivemos guias locais. A guia local Fátima de Fes foi sensacional, muita história para nós contar. O guia local de Marrakech Mustafá também muito experiente.
      Na despedida nos emocionamos muito, pois nosso guia Mustafá e nosso motorista Mouhamed nos protegeram como se fossemos da familia deles, nos tornamos amigos que vão ficar para sempre em nossos corações.
      Recomendo muito "Viagens em Marrocos" são sensacionais!
      As viagens são privadas, estávamos em 5 pessoas, era tudo em função da gente, foi maravilhoso. Foram 10 dias inesquecíveis!
      Em relação a reserva demos um sinal feito através do paypal e o restante quando chegamos pagamos em Euros, super tranquilo.
      Meu enorme agradecimento ao Omar que junto com sua equipe maravilhosa me proporcionou uma Viagem Incrível.
      Contatos da agência Viagens em Marrocos:
      http://viagens-em-marrocos.com/
      E-MAIL: [email protected] / [email protected]
      WHATSAPP - Omar: +212 668 477 203 / Youssef: +212 661 347 126
      Ana Maria

























    • Por Ana Maria Cavani
      Gostaria de compartilhar com vocês a fantástica viagem que fiz para o Marrocos com esta agência Viagens_em_Marrocos
      Encontrei o site da agência "viagens_em_marrocos" sem querer, estava pesquisando sobre viagens em Marrocos e eis que surge o próprio. No começo fiquei insegura, mas resolvi mandar um e-mail e rapidamente o Omar me respondeu. Omar me mandou vários roteiros, até definir quantos dias queria e pedi para sair do Tanger, pois estaria na Espanha e queríamos atravessar de ferry-boat. Omar me mandou o roteiro de 10 dias saindo e chegando no Tanger. Após essa definição passamos a nos falar por whatsapp, foi incrível, pois todas as dúvidas que eu tinha, o Omar me esclarecia. Chegamos no Tanger dia 18/10/2019 e Mustafá (nosso guia) e Mouhamed (nosso motorista) foram nos buscar. Ali começou a incrível viagem pelo Marrocos. Fomos para Chefchouen / Fes / Mersouga / Erg Chebbi / Dades / Marrakech / Rabat, esses foram os locais aonde pernoitamos. O roteiro é muito mais completo, passamos por muitas cidades, visitamos as ruinas romanas de Volubilis, que não estava no nosso roteiro, mas falei com o Omar e ele prontamente incluiu essa visita, que valeu muito a pena. O ponto alto foi o deserto, andamos de 4 x 4 nas dunas, sensacional e depois fomos de camelo para o nosso magnifico acampamento Sirocco Luxury Camp, maravilhoso, lá conheci o Youssef irmão do Omar, foi muito atencioso, foi até a nossa tenda para nos comprimentar. Os hóteis são maravilhosos, sempre muito atenciosos com a gente. Depois do deserto visitamos, as Gargantas de Todra, os estúdios de cinema, atravessamos o Alto Atlas, paisagens deslumbrantes. Depois de Marrakech, fomos para Casablanca enfim pudemos entrar em uma Mesquita, aliás uma baita Mesquita - Hassan II. Ao final depois de Rabat passamos por Asilah e nos divertirmos na praia foi bem legal e no fim passamos na Caverna de Hercules que também não estava na programação mas atenderam nosso pedido e depois nos deixaram no Tanger onde atravessamos de volta para a Espanha no dia 27/10/2019.
      Em duas cidades tivemos guias locais. A guia local Fátima de Fes foi sensacional, muita história para nós contar. O guia local de Marrakech Mustafá também muito experiente.
      Na despedida nos emocionamos muito, pois nosso guia Mustafá e nosso motorista Mouhamed nos protegeram como se fossemos da familia deles, nos tornamos amigos que vão ficar para sempre em nossos corações.
      Recomendo muito "Viagens em Marrocos" são sensacionais!
      As viagens são privadas, estávamos em 5 pessoas, era tudo em função da gente, foi maravilhoso. Foram 10 dias inesquecíveis!
      Em relação a reserva demos um sinal feito através do paypal e o restante quando chegamos pagamos em Euros, super tranquilo.
      Meu enorme agradecimento ao Omar que junto com sua equipe maravilhosa me proporcionou uma Viagem Incrível.
      Contatos da agência Viagens em Marrocos:
      http://viagens-em-marrocos.com/
      E-MAIL: [email protected] / [email protected]
      WHATSAPP - Omar: +212 668 477 203 / Youssef: +212 661 347 126
      Ana Maria

























    • Por Bruno GNR
      Fala galera beleza?
      Gostaria de compartilhar com vocês a viagem que fiz ano passado saindo do interior de SP, da cidade de Limeira, com destino final em Jericoacoara no CE, passando pelos Lençóis Maranhenses.
      Como eu li aqui no fórum muita coisa que me ajudou e também muitos usuários solícitos que sempre foram muito prestativos, queria deixar aqui minha contribuição.
      Quem quiser conferir todas as fotos: https://maladaminhamae.blogspot.com/
      Valeu.
      Depois de maravilhosa e inesquecível viagem por parte da América do Sul, resolvemos partir para uma nova road trip, dessa vez a ideia era chegar até o Ceará, mais precisamente em Jericoacoara, porém, antes passando pelos Lençóis Maranhenses.
      O planejamento foi feito novamente pensando numa trip de baixo custo, no entanto, não passando nenhuma "necessidade", não abrindo mão de lugares que tivessem ar-condicionado e estacionamento.
      Nossa viagem foi feita no seguinte roteiro:

      28/06 - Saída de Limeira (SP)
      29/06 - Brasília (DF)
      30/06 - Palmas (TO)
      01/07 - Grajaú (MA)
      02/07 - Santa Rita (MA)
      03/07 - Santo Amaro do Maranhão (MA)
      04/07 - Santo Amaro do Maranhão (MA)
      05/07 - Santo Amaro do Maranhão (MA)
      06/07 - Jijoca de Jericoacoara (CE)
      07/07 - Jericoacoara (CE)
      08/07 - Jericoacoara (CE)
      09/07 - Jericoacoara (CE)
      10/07 - Teresina (PI)
      11/07 - Bom Jesus (PI)
      12/07 - Barreiras (BA)
      13/07 - Brasília (DF)
      14/07 - Limeira (SP)
       
    • Por Jonas Silva ForadaTribo
      Nos últimos dias de 2019 tive o prazer de fazer um dos trechos da Travessia Entre Ilhas, que é mais conhecido como Lagamar. O trecho entre Cananéia/SP e Paranaguá/PR. Na verdade Lagamar é o nome do estuário menos degradado e mais produtivo do mundo situado na região que compreende os estuários do Rio Ribeira, Iguapê e o Estuário de Paranaguá. É uma região de manguesal que abriga uma grande diversidade da flora e principalmente fauna terrestre e marinha. O Lagamar está num trecho de preservação da Mata Atlântica que, explica e chama ainda mais atenção pela sua riqueza.
      Apesar da preparação em grupo acabei fazendo o percurso no estilo "solo". Quando chegamos em Cananéia do grupo que já era reduzido, uma das pessoas não compareceu, e  a outra preferiu ficar na cidadezinha. Como aquecimento, depois de passar boas horas na espera em Registro/SP, aguardando um ônibus para a Ilha, chegamos em Cananéia. Logo tratamos de fazer um tour pela pacata cidade histórica que se orgulha de brigar (ser) considerada a primeira "cidade" brasileira. Fato é que em  1531 Martin Afonso de Souza aportou na Ilha de Cananéia, segundo documentos históricos. Visitamos o museu municipal que também guarda uma preciosidade: o maior tubarão branco em exposição, embalsamado, do mundo. A fêmea, capturada em águas brasileiras da região têm 5,5 m de comprimento e nada menos que 3,5 toneladas.
      Como aquecimento da jornada eminente, subimos (na verdade subi) o Morro São João Batista para conferir a vista do Mar Pequeno e tem uma pequena ideia da dimensão do projeto. Nessa ascensão que acabei ficando sozinho, minha parceria desistiu, melhor que foi ali e não em meio à praia deserta.

      No geral Cananéia é uma daquelas cidades que faz voltarmos no tempo e fazer uma reflexão sobre nós homens, nossa sociedade e nosso progresso. As ruas foram projetadas para o Séc. XVI ou XVII e hoje precisam conviver com carros do séc. XXI, isso não é um problema, quando a população e o fluxo não é muito grande. As marinas e mercados de peixe estão por todo lugar, a pesca é a principal atividade da cidade. Pra quem gosta de curtir um final de tarde num barzinho, vai encontrar na Ilha algumas opções bem aconchegantes, e diversificadas. A sensação de segurança também traz um certo conforto.
      PRIMEIRO DIA DE TRAVESSIA (NA VERDADE PREPARAÇÃO)
      Neste dia acordei às 06:00 na esperança de chegar à Praia do Cambriú antes das 09:00. Na realidade como estava sozinho, mesmo tendo esperado até às 09:30 no pier não consegui nenhuma voadeira rumo ao Cambriú. Para garantir fui para o Marujá, depois faria o trecho de 12 km até o Cambriú caminhando.

      O trajeto até a Comunidade Marujá já foi emocionante, cruzamos com golfinhos, guarás vermelhos e nossa voadeira deu uma pane ficando uns 40 min à deriva no meio do canal.

      Do Marujá até o Cambriú a viagem foi angustiante: cruzar a Praia da Lage se revelou o principal teste emocional da viagem. São cerca de 6 km apenas, mas o fato de conseguirmos enxergar a outra ponta torna essa praia deserta um "inferno".

      Parece não ter mais fim, some-se o fato de ser o início da travessia, então eu queria olhar o relógio a todo instante para saber do meu desempenho, ilusão, nada mudaria. Levei mais que 1h e 30min  de caminhada, tive de fazer algumas paradas e lutar constantemente com os pensamentos negativos. Alguns urubus sobrevoavam meu esqueleto trambaleante fazendo troça.

      Com muita luta cheguei no outro lado e depois na Praia do Fole, alcançando o Cambriú já depois das 15:00. Assustado, e preocupado devido à experiencia na Laje, resolvi dormir por ali mesmo. No finalzinho da tarde, conversando com moradores descobri que o seu Toninho (barqueiro) fez duas travessias de barco vindo de Cananeia naquele mesmo dia. No final eu tinha chegado também.

      SEGUNDO DIA - MAR IMPLACÁVEL ESPERA INFINDÁVEL
      Madruguei. Às 06:15 já me punha a caminhar, na esperança de ver o sol nascendo na Praia do Fole, de frente para a Ilha do Cambriú, nada mais que expectativa. O Astro só apareceu já alto umas 06:50 devido a quantidade de nuvens. Transpor a pequena Praia de Fole Pequeno é simples, a Praia do Fole também foi fácil, ou a ansiedade de chegar na aterradora Praia da Laje novamente fez com que as duas ficassem mais fáceis.

      De peito aberto me pus a caminhar e em menos de 1h cruzei aquela vastidão de areia liza. É curioso como ela parecia ainda maior, apesar de psicologicamente ter sido bem mais fácil. A faixa de areia estava com mais de 50 m de largura, a maré tinha recuado bastante.

      No trecho de pedras entre a Laje e o Marujá, fiz uma pausa para comer e beber água na bica que tem por ali.

      Logo que começa o costão um visual deslumbrante, a Praia do Marujá sumindo no horizonte como um traço reto entre a água azul e a mata verde. Depois de sair no Marujá e caminhar uns 2 km encontrei as primeiras pessoas desse trecho. Era um pequeno grupo, aproximadamente 15 pessoas tomando banho de mar. Pelos demais 14 km daquele dia não vi mais ninguém, apesar de ter encontrado até uma placa indicando um restaurante.


      Caminhei, caminhei, até tentei parar para descansar, mas além de não me sentir cansado, o sol de rachar e a falta de qualquer sombra desencorajam a pausa. Incrível que nesse dia, apesar de a praia ser bem mais extensa, quando me dei conta estava na antiga Vila da Baleia e já eram 12:00.
      A Vila, agora destruída, mostra o quão implacável as águas podem ser. Hoje nenhuma residência permanece no local. O mar cortou um braço de uns 500m por ali, e continua avançando. As pessoas saíram deixando tudo para trás. Inclusive muito lixo (roupas, plástico, fios, canos, etc.) que provavelmente vai acabar no Atlântico, que diga-se de passagem já tem muito lixo. Uma vergonha. Ainda mais sabendo que se trata de uma comunidade que vive do Mar.
      A parte boa é que no canal que se forma atrás da antiga Vila as águas além de limpas são muito calmas. Não resisti, tirei a roupa e dei alguns mergulhos. Arrumei minhas coisas como um travesseiro e tirei um bom cochilo, imaginando a pernada de volta até a nova Vila da Baleia ou Marujá pra conseguir um barco que me deixasse em Ararapira.

      Acordei com o ruído de um barco parando ali pertinho, fui logo perguntar sobre chegar do outro lado. O barqueiro, Pedro, se ofereceu me deixar na agora Vila da Baleia, aceitei. Na Vila consegui um transporte para o final da tarde. Precisei ficar 4h esperando, sentado ao pé de uma árvore, sendo paparicado por uma cachorra que apareceu ali.
      Cheguei em Ararapira quase noite. Lá fui informado que se tivesse parado na Pontal do Sul/SP poderia também chegar no Superagui caminhando: o antigo canal não existe mais, está todo assoreado pela areia e fica exposto, exceto em maré cheia.
      TERCEIRO DIA - A PÉ OU DE CAVALO
      Comecei cedo, e como não podia ser diferente larguei a tralha na ponta do Superagui e fui até o meio do antigo canal, marcar a divisa dos estados.

      Caminhando no Paraná, logo avistei o improvável; no meio do nada um cavalo branco observando o Oceano, cheguei pensar que fosse loucura da solidão na minha cabeça. No entanto, pude confirmar era um cavalo mesmo. Resisti a tentação de cavalgar até a Vila de Superagui.

      Caminhei, passei por alguns riachos, boias, quando encontrei gente, fui saber que já estava chegando na Vila. Eram 11:00 e meus planos de wild camping ficariam para outra oportunidade. Pleno, cheguei na Vila de Superagui. No entanto, um erro crasso me deixou preocupado, e não era o cansaço dos 20km e tanto. Em um dos riacho eu optei por não tirar a bota, resultado foi que era mais fundo que o planejado e entrou água nela, caminhei o resto do trecho, uns 10km, com o pé encharcado. Rendeu muita dor na sola do pé e o medo de aparecerem bolhas me obrigando a desistir no último trecho.

      Achei um camping, muito da hora, e fiz uma coisa improvável que tive vontade lá pelas 09:00 da manhã, comprei uma coca-cola. Pensa num refrigerante gostoso. O marido da dona do camping, ao conversarmos se dispôs a me deixar na Ilha das Peças no outro dia.
      Fiquei algumas horas sentado no píer da Vila esperando o pôr do Sol, durante esse tempo vários grupos de botos desfilaram a poucos metros de mim.

      QUARTO DIA - UMA TRAPAÇA, MUITA ESPERA
      Desarmei acampamento antes de o Sol nascer, mas tive de esperar o barqueiro, kkkk. À 06:40 me deixava na Ilha das Peças, e não quis me cobrar nada ainda. Nesse dia foi muito tranquilo, aquela sensação de tempo e espaço relativa, devido nas Peças eu saber que seriam apenas 16km para completar a trilha tornou tudo psicologicamente muito leve. A areia firme, a companhia da Ilha do Mel a poucos metros tudo preparado para um final incrível.

      Depois do antigo farol, hoje caído, avistei a Vila das Peças. Inocente, mesmo percebendo um trecho que aparentava "mangue" resolvi cruzar por ali mesmo, próximo do mar, para não contornar pela margem da várzea. Foi o trecho mais cansativo, e olha que desisti logo do meio e fui para a margem da mata. A cada pisada o pé afundava alguns centímetros na areia fina, acabando com minha panturrilha (lembrei dos tempos de treino na areia para disputar campeonatos de futebol).

      Chegando na Vila, 10:00, fui procurar alguém que me deixasse em Paranaguá. Não fui bem tratado pelos barqueiros, foram meio rudes - mochileiro acho que eles pensam que nós mendigamos carona. Fiquei chateado, mas paciência. Para piorar um do puto ainda me trapaceou, me disse que eu teria que esperar a escuna regular as 16h, mas se quisesse, por 70 reais me levaria às 15h, já que ele ia buscar mais gente em Paranaguá.

      Achei um camping, armei a barraca para terminar de secar e dormi um sono. Eram 14:30 quando desmontei tudo e fui encontrar o indivíduo. O pilantra apareceu umas 15:20, eu com cara de bobo, fui no barco. A única coisa que o @#$& me disse é que ia para Supergui e não podia me levar (sacanagem, devido ao nosso combinado nem fui atrás de outros barcos).


      Resumindo fiquei torrando no píer até às 16:30 quando a escuna me levou para Paranaguá. Foi um travessia incrível, que e ensinou muito. O fato de eu estar sozinho proporcionou perspectivas únicas. Saí de lá mais experiente, e agora que venha o Cassino.







×
×
  • Criar Novo...