Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

31/12/2019 - LAGUNA DE LOS TRES - FITZ ROY 

No meu roteiro inicial não estava planejado, mas quando conheci a Carla, ela sugeriu que no dia 31/12/2019 fizéssemos a trilha ao Fitz Roy, a famosa e desafiadora Laguna de Los Tres. Uma forma de encerrar o difícil 2019 que havia sido bem pesado para nós duas. Para colaborar com os planos, a previsão do tempo estava simplesmente maravilhosa. Praticamente um dia de verão (até calor) sem nuvens no céu.

Começamos pela Hospedaria Pilar para economizar 2km de subida. Custou ARS 500 e reservamos no hostel da Carla, mas em todos os lugares é o mesmo valor e é bem fácil de reservar de um dia para o outro. O caminho todo por ali é lindo, passa por um mirante do Glaciar Piedras Blancas e é uma visão diferente do que começar a trilha tradicional do Fitz Roy que sai do centro de El Chaltén (todas as trilhas de El Chaltén são autoguiadas e sem custo). 

Como eu já tinha feito a trilha de Torres del Paine, estava muito mais confiante, mas acordei o dia meio estranha... ansiosa e bem introspectiva, devia ser porque era o último dia de um ano muito complicado para mim. Fizemos a trilha tranquilas, parando bastante para fotos. Começamos as 9h na entrada da trilha pela Pilar e as 11:30h avistamos a temida subida que todos alertavam pela internet. Ela realmente é íngreme e longa, vendo de longe, entendi a fama e imaginei ser mais pesada que Torres del Paine.

Senti um pouco de medo e insegurança e então segui sozinha, a Carla optou por esperar na área antes da subida. Como o tempo estava muito aberto, a trilha estava lotada, então pessoas passam por você o tempo todo e não é realmente sozinha. É bem demarcada, não há dúvidas de onde seguir e eu levei 1:30h para fazer o tal do km final. Sei lá, nessas horas eu nem penso muito, vou apenas andando e andando com esperança do destino chegar logo. Eu geralmente não paro por muito tempo, apenas para tomar folego e continuar. O mapa que eu tinha baixado não funcionou e quando batia o desespero eu nem conseguia ver o quanto faltava hahaha Perguntei para uma mulher e ela me avisou que eu estava ainda na metade 😖😖 

Quando finalmente cheguei, a vista lá de cima era impressionante e recompensadora. Sem dúvida o dia de sol deixou ainda mais mágico, as montanhas sem nuvens, a água azul e um monte de gente tão feliz quanto eu de estar lá. Foi a primeira vez que fiquei um pouco triste de não ter ninguém comigo compartilhando esse momento, acho que criei expectativa de que a Carla estaria lá comigo, tem disso também quando se viaja sozinha e quer bater um papo sobre as sensações no momento presente. Então almocei, tirei fotos, pedi para pessoas tirarem fotos minhas e fiquei um bom tempo por lá contemplando e vivendo, observando ao meu redor. 

A gente chega por cima da Laguna de los Tres, então ainda tem que descer caso queira colocar o pé na água (meu caso) e na esquerda tem mais uma subida com a vista espetacular da Laguna Sucia. TEM QUE IR! Eu estava bem cansada, mas já que estava ali, o que era mais uma subida não é mesmo?! Hahaha

Conversei com um cara de camisa do Flamengo, na esperança de ser brasileiro, mas ele não era... só havia morado muito tempo no Brasil hahaha Ainda assim, ele tirou fotos minhas. Depois um casal de Brasileiros chegou perto, eles estavam fotografando muuuuuito, com várias câmeras profissionais e dos mais diversos ângulos, achei fofo porque falaram "você precisa de alguma ajuda que somente brasileiro entende?". Ah, essas pessoas boas que surgem no caminho ❤️ Me faz acreditar que o mundo é um lugar com mais gente legal do que ruim. 

Chegou a hora de ir embora e foi só aí que realmente me emocionei porque pensei e fiz uma revisão de tudo que 2019 representou para mim. Lá estava eu no último dia do ano em uma montanha grandiosa, mas foram poucas lágrimas que rolaram nesse dia, a sensação era mais de orgulho de mim mesma, sei lá, uma felicidade de ter sobrevivido e superado tudo que 2019 me trouxe.

A volta foi um pouco mais desgastante, o cuidado é em dobro para não escorregar e se machucar. Se eu achei que ia ser mais fácil, estava enganada. Também não sabia se a Carla ainda estaria lá embaixo me esperando e ela não estava, mas tudo bem, segui sozinha e estava muito animada e energizada, as montanhas fazem isso comigo 😬😬 Em seguida vi uma menina com a jaqueta laranja e achei que era ela, chamei... não era. Nisso um outro casal brasileiro me ouviu e disse que minhas amigas estavam mais pra frente, que pediram para que me avisassem, caso eles me encontrassem! Elas estavam uns 10 minutos na frente... Tão vendo como todo mundo vira amigo e se cruza? hahaha 

Pouco depois, me juntei as 3 brasileiras que, assim como eu, estavam viajando sozinhas. Elas estavam pegando um sol e aproveitando uma “praia” que tinha formado em um riozinho do caminho. Seguimos juntas. Eu e a Carla oficialmente finalizamos a trilha as 19:30h. :) 

Combinamos o ano novo, nos arrumamos e jantamos no hostel dela. Outra brasileira chegou naquela noite, oferecemos o que sobrou da nossa janta e convidamos ela para sair com a gente. Terminamos 2019 em um bar que tinha uma festa naquela noite (Bourbon Smokehouse), com outros brasileiros que foram surgindo e brindando a meia noite com vinho argentino. Nem nos meus maiores sonhos eu imaginaria um encerramento de ano desse jeito, reunida de pessoas com energia boa, conexões, tendo subido montanhas difíceis e andado praticamente 200km nas últimas semanas sem ter treinado para isso, sem dores. Eu estava super animada e nem parecia que tinha feito uma trilha de 10h. 

Voltei para o hostel quase as 4 da manhã depois desse loooongo dia. Ainda bem que eu estava sozinha no meu quarto e não precisei me preocupar com barulhos 🙌

2099855361_WhatsAppImage2020-02-28at17_12_11.thumb.jpeg.d49279b7d3d881320cd8dfb3a9f978eb.jpeg

Começo pela Pilar

IMG_2556.thumb.JPG.be00e7cb853f42f1f651f849d005c26f.JPG

Glaciar Piedras Blancas

755580786_WhatsAppImage2020-02-28at17_12.11(1).thumb.jpeg.4bd42df2472f1e39f5877a7b77943049.jpeg

Primeira vista da temida subida... É aquela partezinha a esquerda um pouco acima da minha cabeça. 

IMG_1750.thumb.JPG.7b4252ac849a4e238dc911fd75734271.JPG

A chegada.

IMG_1763.thumb.JPG.b24c3e279d812409e6720f42d0228a63.JPG

Pezinho na água congelante

1787025290_WhatsAppImage2020-02-28at17_12.11(2).thumb.jpeg.c096a6a5a25530db2b626187bd254341.jpeg

Laguna Sucia

1376110401_WhatsAppImage2020-02-28at17_12.11(3).thumb.jpeg.548147684f66e20c6e8e03f9988266c3.jpeg

Me perguntaram como eu conseguia as fotos viajando sozinha: PEDINDO! Hahaha essa de cima tinha um gringo viajando sozinho e ele pediu se eu podia bater uma foto dele. Assim que eu tirei a foto percebi que o ângulo estava perfeito, pedi se ele podia tirar uma igual minha hahaha 

O caminho:

IMG_1803.thumb.JPG.8f87d906f8449a807860713abb6541f9.JPG

IMG_1808.thumb.JPG.3a2553d279798d02a157fe82060d970b.JPG

IMG_1809.thumb.JPG.a4e1de623cfce76b1815738964c41975.JPG

Subida final

IMG_1813.thumb.JPG.34d4107c2ac62d3581fc31a10e32b8a2.JPG

IMG_1846.thumb.JPG.4e77b0d098345501db85dac00ca8da31.JPG

Antes de começar a subida

1701073698_IMG_2601(38).thumb.JPG.f53e1fa262078a85da172c07bcf7e784.JPG

Viajando sozinhas porém se cruzando o tempo todo haha ❤️  Aqui encontrei elas pegando um solzinho. Observem esse dia SEM DEFEITOS! 

941773655_WhatsAppImage2020-02-28at17_12.11(4).thumb.jpeg.df37e20901e5b43a6886cab31c7cbe32.jpeg

Caminho de volta para El Chalten pela trilha tradicional, a @appriim já tinha dado a dica no post dela: olhar para trás, ainda mais em um dia aberto como esse ❤️ 

601983810_WhatsAppImage2020-02-28at17_12.11(5).thumb.jpeg.53d6d0543707d67c1f65becc81295ff6.jpeg

Laguna Capri

IMG_1866.thumb.JPG.ee2df081f940608d4e93b3edbd791b98.JPG

Vista da volta, praticamente em El Chalten. 

E agora fica o questionamento que ainda não sei como responder: qual é a melhor trilha? Base de Torres del Paine ou Laguna de los Tres/Fitz Roy?

Torres del Paine significou mais para mim porque foi a base da viagem para Patagônia, quando vi a foto do lugar a primeira vez eu sabia que um dia queria ver com meus próprios olhos e também foi a primeira longa trilha da minha vida. Por outro lado, no Fitz Roy eu já estava mais confiante de que iria conseguir, mas peguei um dia completamente aberto e sem nuvens que toda vez que vejo as fotos ainda me questiono se foi real... Difícil escolher hahaha, recomendo as duas!

O relato desse dia ficou gigante, espero que estejam gostando!

Bjs,

Ana (@anavoando no Instagram)

 

IMG_1775.JPG

  • Gostei! 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

01/01/2020 - EL CHALTÉN

Finalizado 2019, entrei em 2020 exausta hahah tinha ficado na festa até tarde, isso depois de ter feito a trilha do Fitz Roy, então tudo que eu precisava era descansar. A Carla iria embora, passamos o dia juntas perambulando pela cidade, até o ônibus dela sair. Foi um dia ensolarado e ótimo para trilhas, mas eu não tinha condições físicas para isso. Além disso, eu poderia dizer que todo o meu roteiro foi cumprido, então os próximos dias foram com poucas emoções. Sofri com a despedida da Carla, foi uma conexão muito boa proporcionada por esse fórum e uma amiga para vida! Muitas saudades @carla_red ❤️ 

Nesse dia aconteceu minha primeira história constrangedora de hospedagem em hostel: o quarto que eu estava era de apenas 3 pessoas, chegou 2 alemães que a princípio foram muito simpáticos, mas eles chegaram de madrugada e um deles trouxe uma menina para o quarto hehehe não preciso dar mais detalhes né? A sorte é que na noite seguinte eles ficaram de boa e foram embora. 

9579063_WhatsAppImage2020-02-28at18_01.07(5).thumb.jpeg.8c529a14b91f7494c21fe5a0d5f85ecd.jpeg

02/01/2020 - EL CHALTÉN - CHORRILLO DEL SALTO

O sol desapareceu e os dias começaram a ficar nublados e instáveis. Encontrei o Leonardo, outro brasileiro que estava no meu hostel e fizemos juntos a Chorrillo del Salto, essa é uma trilha de 3km até uma cachoeira, bem tranquila e rápida. Rola chegar de carro bem perto pela estrada, caso esteja em família/pessoas que não fazem trilhas. Ficamos um tempo por lá, li meu livro e voltamos para almoçar e descansar mais haha.

No fim do dia, fui tomar sorvete (o da fruta de Calafate é maravilhoso, experimentem) com os meninos (encontrei o @vtorr Portela, que também conheci aqui no Mochileiros) e terminamos a noite bebendo cerveja nos famosos Happy Hours de El Chaltén. Na mesa também reuniu uns canadenses e conversamos por um tempo... como agora escrevo do Brasil, posso dizer que esses encontros com pessoas aleatórias e trocas é algo que sinto bastante falta.

337234696_WhatsAppImage2020-02-28at18_01.07(6).thumb.jpeg.ff7d999fdd0fa8e9a4bb29ab1da5ae0e.jpeg

557907643_WhatsAppImage2020-02-28at18_01_07.thumb.jpeg.db1d8f4e5821fe16de66356278a19dd0.jpeg

03/01/2020 - EL CHALTÉN - MIRADOR DE LOS CONDORES Y LAS AGUILAS

O dia amanheceu chuvoso, chegou mais um monte de brasileiros no hostel, inclusive no meu quarto, fiz amizade com eles que são de Curitiba. Fizemos um almoço compartilhado com os outros meninos que eu já conhecia, dormi e descansei. No fim do dia, lá pelas 17h, eu e outros 3 brasileiros fizemos a trilha completa do Mirador de los Condores y las Águilas. A primeira parte eu já tinha feito com a Carla, lembram? Postei as fotos no dia que cheguei em El Chaltén. Lembrem que nessa época escurece só as 22h na Patagônia. O tempo já não estava tão aberto, bem mais frio e ventando. Não demoramos tanto, mas andamos uns 10km. Também caminhamos do outro lado do rio de El Chaltén, mas só para explorar um pouco mais a região, não tem nada imperdível.

Eu tinha um objetivo nessa viagem que era ir para o bar sozinha. Então fui no La Zorra sozinha comer e tomar uma cerveja, fiquei menos de 30 minutos por lá porque logo os brasileiros apareceram, um outro Peruano também e de novo eu estava rodeada de pessoas. Isso aconteceu incontáveis vezes, o mais legal é que sempre fui bem tratada mesmo estando rodeada de homens.

Acho que esse é um tópico que pode ser bem extenso (direcionado para as mulheres desse mundão) mas resumindo um pouco, apesar de o sexo masculino estar MUITO mais presente ao longo da viagem, foram pouca vezes que senti segundas intenções... quando elas existiam eram sutis, sem constrangimento ou forçando a barra, eu sempre joguei para área da amizade e não tive nenhum problema. Teve um dia que eu estava no Tinder (kkkkkkkk) e eu encontrei aquele indiano que dividi o carro láááá em Puerto Natales, eu já estava em El Chaltén e ele também, até tínhamos combinado de encontrar para uma cerveja, mas a partir desse momento eu senti ele me tratando diferente. Oferecendo para pagar bebidas e jantas por mensagem, eu já desconversei e nem saí mais com ele, fui dormir. Inclusive nesse dia desativei a conta porque percebi que eu estava muito rodeada de homens e decidi tomar um pouco mais de cuidado e não me expor.

Acho que essas coisas a gente sente, coisa de intuição mesmo, é óbvio que sempre com muita cautela, avisando pelo menos uma pessoa aonde você vai e o que está fazendo, não imagino ter grandes problemas. Me senti MUITO segura em toda a Patagônia, não sei como é no resto do mundo. 

Nesse dia, me despedi dos meninos e fui dormir cedo para no dia seguinte fazer mais uma trilha. 

1023218478_WhatsAppImage2020-02-28at18_01.07(4).thumb.jpeg.261a5573e6e1b7519fd44df7abde43e5.jpeg

La Zorra: Melhor happy hour de El Chaltén e El Calafate. As comidas são ótimas e preços também.

650636322_WhatsAppImage2020-02-28at18_01.07(1).thumb.jpeg.e6e390d6e0456b6b4c3664a9428cca42.jpeg

1549390805_WhatsAppImage2020-02-28at18_01.07(2).thumb.jpeg.643d4b8767f40e97fd9785ea3974e43b.jpeg

351369116_WhatsAppImage2020-02-28at18_01.07(3).thumb.jpeg.261f42a7694203883c724254fcfd36e3.jpeg

  • Gostei! 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

 

04/01/2020 - LAGUNA TORRE / CERRO TORRE

Decidi parar de preguiça e voltar a ativa haha. Nesse dia acordei, arrumei as coisas e saí para fazer a trilha da Laguna Torre que, teoricamente, avistamos o Cerro Torre. O tempo estava nublado mas não estava chovendo. Depois de alguns dias rodeada de pessoas, fiz a trilha sozinha, foi um daqueles momentos de reflexão, silenciando externamente e me conectando comigo mesma. A natureza ajuda nesse processo. Nos últimos dias eu estava com muitas pessoas, já estava sentindo falta de ficar mais quietinha, então não ter ninguém comigo ali foi ótimo.

A trilha é beeeem mais tranquila e também muito bonita, iniciei as 9h e terminei as 17h, mas fiquei bastante tempo parada, almocei e li um livro. Nesse dia as nuvens não deram trégua e não consegui ver o Cerro Torre, mas a Laguna é cheia de pedacinhos de gelo e com um glaciar no fundo, uma paisagem diferente. A água é mais escura do que as outras lagoas que eu tinha visto pela viagem. Como ela é grande e menos popular que o Fitz Roy, pude achar um lugar com menos pessoas e ficar sentada em paz. 

Existe um outro mirador contornando essa laguna caso continue mais um pouco, mas estava ventando muito e quando tentei continuar, quase fui carregada. Foi a primeira vez que realmente senti os ventos fortes da Patagônia. Achei que não valia a pena me arriscar, como contei em posts anteriores, já tinha andado bastante na viagem e superado vários limites. Não precisava de mais esse, sabe?!

Retornei ao Hostel, dei uma boa organizada na minha mala e terminei a noite em um bar com pelo menos 20 brasileiros. É, do nada a cidade lotou de Brasil hahah Parecia que tinha descido um ônibus da CVC 🤣🤣 nesse dia vimos até o Reynaldo Gianecchini, que entrou no bar e acho que quando viu aquele monte de brasileiros olhando para ele, saiu rapidinho. Sei que fui dormir lá pelas 3h da manhã, com mais algumas amizades na bagagem.

IMG_1892.thumb.JPG.17ea8d3e4337531c089340876db8b488.JPG

IMG_1963.thumb.JPG.57bb1b3372028072cc323c865cb0e939.JPG

IMG_1955.thumb.JPG.c864c24231d8bd5fd26ac7d21f851804.JPG

IMG_1893.thumb.JPG.cf0f75cf64748b674d90d8ae5a39a470.JPG

 

IMG_1898.thumb.JPG.df598624fa3a36a5677b08c7d655c830.JPG

IMG_1906.thumb.JPG.db3b8f3a599deb4f214b0ebfebfdd276.JPG

IMG_1922.thumb.JPG.47dc71026499846639d9fbe1e173c0c6.JPG

 

IMG_1934.thumb.JPG.c6442f981c9693def460628175f550cd.JPG

IMG_1964.thumb.JPG.82a1a5f5b2d55f095377b2516dd2b650.JPG

IMG_1965.thumb.JPG.d26944b4695a8c392db0872579a9e69b.JPG

05/01/2020 - MADRE E HIJA

Depois da noite agitada, levantei por volta das 9h, de ressaca. Eu decidi fazer a trilha da Madre e Hija. Não tinha visto ela em nenhum relato, mas os meninos tinham me recomendado muuuito. Essa é uma trilha usada por quem quer fazer Fitz Roy e Cerro Torre no mesmo dia, ou está acampando por lá, mas se for fazer Cerro Torre e Fitz Roy no mesmo dia, se prepare para andar muuuuito. Um casal italiano que conheci estava mortoooo no final do dia após fazer isso. Abaixo o mapa para vocês entenderem:

487020757_WhatsAppImage2020-02-28at18_56.57(1).thumb.jpeg.8b71ad8e8375951bbd4df02b7690c29e.jpeg61935211_WhatsAppImage2020-02-28at18_56_57.thumb.jpeg.5e109fa07b3430ca4281f75caf8acc8e.jpeg

Fiz a rota em azul nesse dia...

Comecei as 11h. Essa é uma trilha que começa pela entrada normal do Fitz Roy, ou seja pega toda a subida inicial que eu não tinha feito porque comecei a Laguna de Los Tres pela Pilar... e anda no total uns 7 kms até encontrar uma bifurcação e virar à esquerda.

Ali começa efetivamente a Madre e Hija. Atravessei mais uns 7km em um caminho diferente e muito bonito. Tem uma floresta mais fechada e as duas grandes lagoas transparentes e lindas. Essa trilha é mais vazia e ainda assim encontrei um grupo de cariocas do meu hostel hahaha. O fim dela e a volta são 5km pela Laguna Torre. Andei no total 18km e eu estava beeem cansada do dia anterior, somado com o pouco que eu havia dormido, esse foi o dia que eu menos apreciei estar ali. Estando no 20º dia de viagem, senti dores nas pernas, joelho e pé. O caminho é muito bonito e recomendo para quem, assim como eu, tem bastante tempo em El Chaltén, mas confesso que eu só queria voltar pro hostel e dormir.

Por isso, quase não parei e fiz tudo em 6h. O bom é que quando cheguei próximo ao Cerro Torre, o tempo abriu 💗 se eu não tivesse tão cansada, teria ido até lá perto de novo, mas fiquei satisfeita de ter visto a montanha que faltava e consegui uma foto de longe ao chegar no mirante. Minha conclusão é que os meninos estavam certos, valeu a pena ter ido até lá, foi uma trilha mais silenciosa e que pude apreciar ainda mais a natureza, ouvir os pássaros, sentir o ar puro, porém sem dúvida eu deveria estar descansada para aproveitar melhor 😅 Ah, recomendo fazer nessa ordem Fitz Roy – Madre e Hija – Cerro Torre, pois se fizer o inverso pega umas subidas mais tensas.

As 17h, de volta ao hostel, fui direto dormir. No fim da noite, acabei no bar novamente com o pessoal de Curitiba que iria embora no dia seguinte. Falando nisso, as despedidas estavam começando, dois meninos que encontrei a maioria dos dias em El Chaltén foram embora e faltando poucos dias para acabar a minha aventura, comecei a sofrer antecipadamente pelo fim. Nesse dia, dois alpinistas da República Tcheca sentaram do nosso lado no bar e começaram a puxar assunto.

Um deles era meio esquisito, não sei se tinha usado alguma droga kkkkk, mas com o outro consegui conversar bastante principalmente sobre as escaladas, eu ainda não tinha trocado ideias com as pessoas que se arriscam nas montanhas, então foi bem legal. Até peguei o instagram deles e fico acompanhando as subidas nas montanhas que eles fizeram.

O pessoal de Curitiba foi dormir, eu fiquei sozinha mais um pouco no bar, sentou um monte de Argentinos na minha mesa, depois conversei com umas francesas e decidi encerrar a noite e descansar. Mais um dia de viagem concluído com sucesso e o fim da minha programação de trilhas em El Chaltén :)

281769487_WhatsAppImage2020-02-28at18_53_35.thumb.jpeg.d88f5c370dea283523f316ca81b6af3e.jpeg

IMG_1978.thumb.JPG.4f9f9ffa9d62ec2bb5f8da09ec15b712.JPG

IMG_1996.thumb.JPG.3874e1a1da46f70a4db5fcd36998ac6e.JPG

IMG_2004.thumb.JPG.edcde3f98bb297e1656cdfedf7272b3b.JPG

IMG_2007.thumb.JPG.77a99d27aa03acc5e9fcc87e8df3bfa7.JPG

IMG_2012.thumb.JPG.66f7bcf96bfda850aceb71281146d052.JPG

1878288891_WhatsAppImage2020-02-28at18_53.35(1).thumb.jpeg.3a5dcea003d8a524b02644fe4cf63b2e.jpeg

409517229_WhatsAppImage2020-02-28at18_53.35(2).thumb.jpeg.a3b4b4ad0ba5db0707e7aa1d6297b1fc.jpeg

IMG_2028.thumb.JPG.23473c77a0e02a5e955f5ef776b7b4e4.JPG

1984960527_WhatsAppImage2020-02-28at18_53.35(3).thumb.jpeg.8ed1655276da89c92cf0eef3c4b495dc.jpeg

 

06/01/2020 - EL CHALTÉN

Depois de dois dias de trilhas seguidos e a viagem chegando ao fim, aproveitei para acordar tarde e descansar o corpo e a mente de tantas emoções que eu fui vivendo ao longo do caminho.

Encontrei as meninas de Floripa que eu tinha conhecido dois dias atrás para almoçar, fomos no restaurante chamado Maffia que já tinha sido bem recomendado para mim. Comi um carbonara maravilhoso com uma taça de vinho, presente de natal dos meus pais que eu finalmente usufrui.

Eu ainda tinha umas cervejas do mercado para acabar, então fomos todas para o meu hostel, montamos quebra cabeça, conversamos, encontramos o pessoal de Curitiba que ainda estava por lá e passamos uma tarde fazendo vários nadas. Tomamos a última cerveja juntos no La Zorra, o clássico happy hour. Despedimos com um “até logo” já que eu ainda ia cruzar com todos uma última vez em El Calafate e/ou no aeroporto.

No fim do dia, eu com a minha dificuldade de aceitar o fim das coisas e querendo aproveitar cada segundo restante em El Chaltén, fui para um date (hahaha já tinha ativado o Tinder de novo porque estava entediada). Nos encontramos no Bourbon que é outro clássico de El Chaltén. Nessa noite tinha um cantor muito bom e apesar de eu estar super cansada, acabei ficando até a casa fechar!

Postei até nos stories do instagram @anavoando para quem estava acompanhando, o menino juntava todos os instrumentos e sons na hora, abriu o microfone para o pessoal que quisesse cantar, foi uma noite animada. A conversa rendeu bem, toda hora que eu pensava em ir embora aprendia algo aleatório que me fazia ficar, tipo o sistema de educação da Holanda 😂😂😂 enfim, mais uma noite na qual eu aprendi coisas de outra cultura, do jeitinho que eu gosto.

Por sorte, eu estava sozinha no quarto do hostel de novo porque o pessoal tinha ido embora, então pude organizar minhas coisas, ligar a luz e deixar a minha mochila pronta para pegar o ônibus no outro dia para El Calafate, as 8h.

761512536_WhatsAppImage2020-02-28at18_53.35(4).thumb.jpeg.bb43470267cfbb46d84967d6acfa3f0c.jpeg

07/01/2020 - EL CHALTÉN > EL CALAFATE

O dia amanheceu nublado, bem diferente de quando cheguei uma semana antes em El Chaltén e foi com um arco íris que me despedi desse lugar que ficará para sempre marcado na minha história. 

Dica: Quem quiser ir direto de El Chaltén para o aeroporto de El Calafate, o ônibus faz uma parada no aeroporto para quem quiser ficar. Eu não sabia disso, por isso acabei deixando essa noite na volta em El Calafate para não correr riscos de perder o voo, mas poderia ter ido direto sem problemas, as meninas de Floripa fizeram isso. Apenas confirmar na hora que comprar a passagem de ônibus.

Cheguei no Folk Suites de El Calafate por volta das 11h, assim que cheguei encontrei um dos meninos que conheci em El Chaltén, acreditam que estávamos inclusive no mesmo quarto? Eu nem imaginava essa possibilidade! Hahaha

Ah, em El Calafate tem o Folk Hostel e o Folk Suites - ambos bons, mas o Hostel foi o meu favorito. O Suites é beeem grande e mais pro centro, não tinha incluso café da manhã na minha reserva e foi bem mais barato. O Hostel fica perto da rodoviária, mas também a uma distância ok do centro e com café incluído. 

Dei uma volta pela cidade até a hora do meu check in e quando consegui entrar no quarto dormi um pouco. Quando acordei, fui encontrar o pessoal de Curitiba adivinhem aonde...? La Zorra de El Calafate kkkkk entre encontros, idas e vindas, juntar mais gente aleatoriamente no mesmo lugar e despedir de outras pessoas, foi mais uma noite parecida com as últimas que já contei por aqui. A viagem realmente foi chegando ao fim.

151690798_WhatsAppImage2020-02-28at18_53.35(5).thumb.jpeg.e48a6c28209a919c5f91db5bbbba0277.jpeg

1641721826_WhatsAppImage2020-02-28at18_53.35(6).thumb.jpeg.e0d10c5c5a1992ec7ffa561b9cef6c42.jpeg

08/01/2020 - EL CALAFATE - O FIM DA VIAGEM E VOLTA PARA O BRASIL

Acordei no outro dia, fiz o check out, deixei minha mochila no hostel e fui passear sozinha. 

Na minha última caminhada por El Calafate, fiz o que eu mais amo fazer: tomei um café da manhã gostoso em uma padaria, segui sem rumo até encontrar o Lago Argentino, agradeci incontáveis vezes por ter tido a oportunidade de viver esses dias lindos, fui até o mercado e lojinhas comprar souvenir e alguns poucos presentes, almocei, comi o sorvete da fruta de Calafate e bebi a última cerveja no bar da Patagônia (encontrei o Gianecchini de novo kkkk) e assim chegou às 17h...

Contratei um transfer com a Vaspatagonia (ARS 400 - reservei de um dia para o outro no site deles). Esperei o transfer e fui ao aeroporto.

Por falar nisso, que aeroporto! Foi a decolagem mais linda que eu já vi, o Lago Argentino tem um azul indescritível e a vista da janela encerrou minha viagem na Patagônia com chave de ouro e lágrimas nos olhos. As meninas de Floripa tinham os voos em horários próximos aos meus, então reencontrei elas (e o Gianecchini, que aparentemente estava indo embora também). Apesar de a cia aérea ser diferente, nossa escala tinha longas horas em Buenos Aires e passamos juntas a madrugada (eu e as meninas de Floripa, o Gianecchini não hahahah). Foi ótimo estar com elas durante essas horas, acho que me ajudou a viver o fim da viagem de forma mais leve.

IMG_2107.thumb.JPG.0b3efd226bbb0259d44e84c431df123b.JPG

1272161538_WhatsAppImage2020-02-28at18_53.35(9).thumb.jpeg.173fc8dde11868ee99aedf9f0da14ed7.jpeg

164528004_WhatsAppImage2020-02-28at18_53.35(8).thumb.jpeg.79f0b3c018333e215b9c83ed7f3183cc.jpeg

1553633452_WhatsAppImage2020-02-28at18_53.35(7).thumb.jpeg.aebc9aeafa3e42a9c06e1e0eb4eac404.jpeg

É isso mochileiros!

O meu primeiro mochilão sozinha foi uma experiência na qual não consigo colocar em palavras os sentimentos. 2019 foi de construção interna, questionamentos, inseguranças e medos, esses dias vieram para responder minhas dúvidas complexas de forma simples, me mostrar o quão forte eu sou, que não preciso de absolutamente ninguém, senão eu mesma, para realizar os meus sonhos. Eu estava de mente aberta para situações e pessoas novas, pessoas que por sinal foram incríveis e de todos os cantos do mundo, com as mais diferentes histórias.

Eu fiquei triste e feliz quando acabou, em partes por sentir saudades já de todos esses momentos, mas também por saber que voltei transformada ao Brasil, finalizando 2019 e começando 2020 de forma linda. Nunca me senti tão livre e todos esses aprendizados e crescimento irão me acompanhar ao longo da minha vida.

Espero que tenham gostado do meu relato, esse fórum foi essencial para a viagem ter saído do papel ❤️ 

Ana Caroline | Instagram: @anavoando (nos stories está salvo várias informações também 😍)

  • Gostei! 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Informações adicionais que eu acabei de lembrar:

Eu não tinha nada de "equipamentos" para essa viagem. Pesquisei bastante principalmente sobre as roupas para não passar frio, basicamente é o tal do sistema de 3 camadas: segunda pele + fleece + jaqueta corta vento. Sem dúvida na Decathlon é o melhor custo benefício e aprovei tudo que usei. Não passei frio, na verdade peguei uns dias quentes e bem agradáveis, muitas vezes nem precisava vestir todas as camadas. A bota foi minha grande dúvida, provei vários modelos e marcas e no fim acabei optando pela da Decathlon mesmo. Ela não me machucou em nada e eu usei o máximo possível antes de viajar para amaciar. Comprei tudo na loja física, mas o preço é o mesmo da loja virtual. (Na verdade não comprei, ganhei de presente dos meus pais 😬😅)

DECATHLON:

Jaqueta corta vento impermeável - R$ 229,99

Calça impermeável - R$ 79,99 

Meias cano curto - R$ 29,99

Meias cano longo - R$ 39,99

Fleece (duas) - R$ 59,99 cada

Capa para mochila - R$ 49,99

Bota para trilha - R$ 379,99

Toalha - R$ 36,99 não foi exatamente essa do link, mas não tem mais no site a que eu comprei. 

Jaqueta - R$ 229,99 - essa não estava na minha lista inicial de "necessidades", mas minha mãe estava com medo de eu passar frio e como estava me dando de presente, aceitei. Achei bem útil e usei muuuito. 

A mochila eu já tinha ganhado de presente no meu aniversário, é da Decathlon de 50L mas não encontrei mais no site, acho que substituíram por um novo modelo. Na loja física ainda tinha. 

O bastão de trekking comprei em uma loja em Puerto Natales e paguei R$ 48,00, mas é made in Brazil haha a marca é NTK. Fiquei com medo de não passar na bagagem de mão, por isso deixei para comprar durante a viagem. Ajuda bastante e eu já deveria ter comprado dois porque senti que como eu esquecia de mudar de mão, forçou e comecei a ter dor no joelho oposto. Passou tranquilo como bagagem de mão na volta.

Por fim, minha bagagem ficou assim (não despachei):

  • 1 jaqueta corta vento impermeável (fui usando no voo)
  • 1 jaqueta corta vento não impermeável
  • 2 camisas de manga comprida
  • 1 pijama curto (outra dica da Ana que me salvou, porque nos quartos tem aquecedor e é MUITO quente)
  • 2 cachecóis (fui usando um)
  • 1 luva
  • 2 tocas
  • 2 tops de academia
  • 2 camisetas térmicas (eu já tinha de outras viagens)
  • 2 camisas segunda pele (peguei emprestado de amigas)
  • 2 camisetas manga curta
  • 2 blusas arrumadinhas para sair a noite
  • 1 tricot 
  • 2 leggings (fui usando uma no voo)
  • 1 calça segunda pele
  • 1 legging termica que dentro é com pelinhos
  • 1 calça térmica (fui usando no voo, ela é bem fininha quase como uma meia, comprei na Primark na Europa)
  • 1 calça jeans
  • 2 fleece
  • 1 capa de mochila
  • 1 toalha de banho
  • 1 toalha de rosto
  • 1 chinelo
  • 1 tênis normal de academia
  • 1 bota de trekking (fui usando)
  • 1 biquini (eu tinha a intenção de entrar em alguma das lagunas, mas não tive coragem hahaha)
  • 1 kit de remédios (gelol, dor de cabeça, dores musculares, cólica, gripe)
  • Necessaire com maquiagem
  • Necessaire com shampoo, condicionador e sabonete pequenos, protetor solar, creme para mãos e protetor labial (a pele resseca muito, minhas mãos voltaram queimadas) 
  • 1 bolsinha menor para levar documentos, dinheiro, cartão e celular quando eu saísse
  • 1 mochila para as trilhas, que levo no pé durante o voo com os documentos, câmera, carregadores e tudo que é mais "importante"
  • Cadeado / talheres de plastico / pote de plástico para levar os lanches nas trilhas / Doleira / Ecobag para usar no mercado 

2039503868_WhatsAppImage2020-03-01at14_51_27.jpeg.162d201ca49dd7b9186753a47226320e.jpeg

Minha mochila ficou com 7,6kg e não tive problemas de utilizar como bagagem de mão. Estava dentro das medidas. 

A única coisa que senti falta durante a viagem e levaria mais seriam as leggings. Mandei lavar uma vez tudo no meio da viagem e custou ARS 300 no Folk Hostel de El Cafalate. Lavei duas leggings no banho uma vez hahaha

Acredito que agora o post está completo, caso tenham mais alguma dúvida é só falar 🙃

  • Gostei! 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Ana Caroline Cunha Parabéns pela coragem e decisão,fez-me lembrar muito quando estive lá,sem caminhadasclaro,mas é como você disse mesmo,a gente fica com saudades eternas.Curiosidade.Não viu ou não quis ver nenhuma das muitas criações de ovelhas que tem naquela região?Senti falta disso.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
8 horas atrás, D FABIANO disse:

@Ana Caroline Cunha Parabéns pela coragem e decisão,fez-me lembrar muito quando estive lá,sem caminhadasclaro,mas é como você disse mesmo,a gente fica com saudades eternas.Curiosidade.Não viu ou não quis ver nenhuma das muitas criações de ovelhas que tem naquela região?Senti falta disso.

Não sabia disso, vi algumas ovelhas no caminho entre Puerto Natales - Torres del Paine, mas também não é algo do meu interesse 😬

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Ana Caroline Cunha Essas criações a que refiro são perto de Calafate,tem muitos espetáculos com as ovelhas,deixam você esquilar uma,etc...

Deixo aqui para informar-lhe que minha amiga,a @SARITA_BSB,foi a Cuba em uma época diferente de mim e contou que lá o assédio é terrível.Veem uma mulher sozinha,chega aquela conversa de nível de pião de obra,segundo ela.Há relato dela aqui sobre isso nos tópicos de Cuba,veja lá.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Ana Caroline Cunha parabéns pelo relato, excelente e com riqueza de detalhes. E parabéns pela viagem também :)

Uma dúvida, qual a sua opinião sobre a Aerolineas? Foi tudo tranquilo nos trechos? Não encrencaram com a bagagem de mão em nenhum momento?

Vou fazer uma viagem com a companhia em junho, e pretendo levar uma mochila de 50L igual a sua + uma mochila de trilha de 20L. Levei as duas para o Atacama e não tive problemas para embarcar, mas não sei qual é o rigor da Aerolineas quanto as medidas rs

 

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

 

1 hora atrás, luizh91 disse:

@Ana Caroline Cunha parabéns pelo relato, excelente e com riqueza de detalhes. E parabéns pela viagem também :)

Uma dúvida, qual a sua opinião sobre a Aerolineas? Foi tudo tranquilo nos trechos? Não encrencaram com a bagagem de mão em nenhum momento?

Vou fazer uma viagem com a companhia em junho, e pretendo levar uma mochila de 50L igual a sua + uma mochila de trilha de 20L. Levei as duas para o Atacama e não tive problemas para embarcar, mas não sei qual é o rigor da Aerolineas quanto as medidas rs

 

Obrigada!! Sou super detalhista né? hahaha Que bom que gostou!

Entãooo, na ida não falaram nada, apenas pesaram. Na volta a mulher do balcão insistiu muito para eu despachar, disse que ia ser de graça. Eu com a mesma teimosia disse que eu não queria (porque tinha que mudar de aeroporto e a mochila é um simples zíper que abre toda né? mesmo sendo só roupa, queria ela comigo hahaha). Daí ela inventou que tinha passado do peso (8kg), eu falei que o peso da minha bagagem era 10kg pq meu voo era internacional. Daí ela disse que estava fora das medidas, eu disse que não... ela me fez ir lá naquele "molde", coloquei a mochila e ela entrou, ufaaaa hahaha Depois disso ela não pode mais dizer nada e deixou eu passar 😬😬😬 E na volta eu tava com uma outra mochila pequena, sacola com vinho, alfajor e fui carregada com tudo isso no voo 😅

Outro pessoal que conheci falou que na ida eles despacharam a mochila de graça também... 

De resto achei tudo tranquilo e se esse seu voo for para Patagônia e tiver que fazer a mudança de aeroporto em Buenos Aires, a Aerolíneas oferece o transfer de graça, tem que pegar o voucher 24hrs antes no site deles. As meninas que conheci voaram de Latam e tiveram que pagar extra o transfer (era a mesma empresa, fizemos juntas haha)

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Ana Caroline Cunha aaaah entendi, muito obrigado pela resposta.

Vou arriscar levar a mochila de 50L então, não sou muito fã de despachar, sempre acho que vai extraviar 🤣

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por Trip-se!
      Em setembro de 2018, fizemos uma viagem ao Chile e Peru.
      Roteiro - 24 dias
      São Paulo > Santiago > Valparaíso > San Pedro do Atacama > Tacna > Arequipa > Cusco > Ollantaytambo > Aguas Calientes > Machu Picchu > Cusco > Lima.
       
      Começamos nossa jornada no Chile, em Santiago, Valparaíso e San Pedro do Atacama, cujos relatos seguem abaixo:
       
       
      No ônibus das 20:30, deixamos San Pedro do Atacama em direção a Arica, cidade chilena fronteira com o Peru. Seriam 8 horas de viagem, que à noite tínhamos esperança de sequer vermos passar. Com o coração apertado de deixar aquele lugar que tinha acordado tanto dentro de nós, nos despedimos do céu mais estrelado do mundo prometendo, para o Universo e uma para a outra, que voltaríamos logo, em breve, a tempo de não esquecermos toda a emoção que sentimos, nem de deixarmos a brutal rotina do acordar-trabalhar-dormir nos transformar em marionetes que fazem o uso da palavra "sabático" para justificar o tempo em que resolveram ser felizes. Logo nós, que tínhamos acabado de enxergar o não tamanho do mundo.
      Chegamos em Arica ainda escuro. Claudio (amigo que fizemos no Atacama, junto com seu fiel cão Lucky, artista plástico de Valparaíso que, cansado do mesmo todo-dia da vida e do consumo sentimental das relações obrigatórias, encontrou em San Pedro um porto. Breve e temporário.) tinha nos dito que, ao chegarmos, deveríamos atravessar a rua para a outra rodoviária, a internacional, onde poderíamos pegar um ônibus para o Peru. Foi uma ótima dica, ou teríamos ficado perdidas na escuridão da falta de informação e sinalização.
      Ao chegarmos na rodoviária internacional, que mais parecia o ponto final de uma linha de ônibus bem acabada em uma cidade quase fora do mapa, uma mulher sentada numa mesa nos informou que o ônibus para Tacna só sairia a partir das 8:30 da manhã. Eram 4:30 da madrugada. A outra opção, como ela sugeriu, era atravessar a fronteira com um dos muitos motoristas de carro que faziam ofertas de assentos pelo mesmo valor dos ônibus. Não, só se fôssemos loucas de aceitar. Assistimos demais "Presos no Estrangeiro" para arriscarmos uma prisão por tráfico de drogas com um estranho que diria que era tudo nosso, das gringas. Nunca. Resolvemos dar uma volta na rodoviária para despistar a mulher que nos alucinava com essa ideia, quando ouvimos sem muita certeza, o motorista de um ônibus gritar "Tacnabus, Tacnabus" e corremos para confirmar a informação. O ônibus ia para a Bolívia, mas primeiro pararia no Peru, em Tacna, para onde estávamos indo. Com o dinheiro guardado na calcinha, entramos no ônibus e seguimos para o nosso próximo destino.
      Na fronteira: sai do ônibus, carimba passaporte de entrada no Peru, passa as mochilas no raio X, tira o vinho da mochila, mostra que é vinho, guarda a garrafa, volta as mochilas para o bagageiro, sobe no ônibus. E em 40 minutos, chegávamos em Tacna.
      *ATENÇÃO! Ao desembarcar no aeroporto em Santiago do Chile, na entrada no país, além do passaporte carimbado, também entregam um papelzinho, aparentemente sem nenhum valor e sem nenhuma explicação. GUARDE-O DENTRO DO PASSAPORTE! Na travessia da fronteira, esse papel é exigido.
       
      TACNA
      Não esperávamos encontrar em Tacna a cidade charmosa e acolhedora que descobrimos. De habitantes tacanhamente tímidos, que nos olhavam surpresos e alegres ao perguntarmos seus nomes, essa cidadela conquistou nossos corações, receosos de não conseguirem mais se apaixonar depois de conhecer o Atacama. Mas Tacna é leve, florida, descompromissada, como que se viesse só para provar que é possível amar depois de amar. 
      O sotaque, de tanta timidez, torna o espanhol mais difícil aos ouvidos. Os bancos das praças possuem tetos de flores para fazer sombra. Na Plaza de Armas - nome de todas as praças principais de todas as cidades do Peru - há fotógrafos velhinhos andando sob o sol, sorrindo e sugerindo um retrato para a posteridade, como um pedaço de tempo congelado entre as flores coloridas, as palmeiras altíssimas, a fonte imponente, o arco marcante da cidade e, sempre, a igreja. 
      As lojas são todas setorizadas, de forma que os supostos concorrentes são colegas vizinhos, e você jamais vai conseguir tirar uma xerox se estiver próximo dos açougues ou dos consultórios ortodônticos, uma pequena obsessão tacniana. Por toda a rua principal, há galerias como camelódromos, com cabines de câmbio, tabacaria, lojas de joça e manicures enfileiradas em carteiras escolares oferecendo seus serviços. 
      Em Tacna você vira a esquina e se depara com uma padaria a céu aberto no meio da rua! Carrinhos de pães perfumam o entardecer e nos transportam para uma imaginada infância peruana. Foi ali que também comemos o melhor hambúrguer de cordeiro da nossa vida. No "Cara Negra", uma sanduicheria especializada em cordeiro, que eles criam lá mesmo no sítio atrás do bar. É descolado e tem drinks deliciosos. Faz valer a visita na cidade.
      Por todos os lugares que passamos, sempre procuramos pelo Mercado Central, que é onde encontra-se a essência do local. O Mercado Central de Tacna é imperdível. Tem de tudo. Especiarias, ervas, carnes, queijos, farinhas, biscoitos, frutas, verduras, doces, produtos de limpeza e muitas, muitas casas de sucos. Na "Juguería Sra Rosita", uma simpática senhora de sorriso frouxo e vontade de conversar, tomamos maravilhosos sucos de melão e de morango, muitíssimo bem servidos, de ficar na memória. Conhecemos também Miguel, dono de uma barraca de remédios de plantas medicinais, que sabia a erva ideal para absolutamente todo tipo de enfermidade.
      Ao caminharmos de volta para o hotel, bem encantadas com a surpresa de Tacna, uma vendedora nos parou para oferecer azeite. Ao agradecermos e sorrirmos, ela trocou a oferta para um branqueador dental. Talvez por marketing, ou pela já citada fixação por dentes perfeitos dos habitantes da li. Tomara. 
      Por fim, antes de partirmos, passamos por uma casa roxa, um centro de, como dizia a placa, "Magia y Diversión". Sem isso, qual seria mesmo o sentido de tudo? Com a delicadeza dessa mensagem tão sutil e necessária, seguimos nossa viagem em direção a Arequipa.
       







       
       
      - Onde ficamos:
      Ficamos no Nice Inn Tacna, no centro da cidade, com atendimento muito cordial. As pessoas são super simpáticas, o quarto era confortável, chuveiro quente e café da manhã bem simples. 
      Nice Inn Tacna - Av Hipólito Unanue 147, Tacna 23001, Peru / Telefone: +51 52 280152 / booking.com/hotel/pe/nice-inn-tacna.es.html - Onde comemos:
      Cara Negra - Cnel. Bustios 298 / Telefone: +51 952 657 540 / @caranegraoficialtacna / facebook.com/caranegraranchosanantonio/ - Onde fomos:
      Mercado Central de Tacna - Calle Francisco Cornejo Cuadra 809, Tacna 23003, Peru Plaza de Armas - Paseo Cívico de Tacna, Tacna 23001, Peru  
       Seguimos para Arequipa, Cuzco, Ollantaytambo, Aguas Calientes, Machu Picchu e Lima, que detalharemos em post separados. 
      https://www.instagram.com/trip_se_/
    • Por Jackie Erat
      Fala galera!
      Estamos em lockdown no Peru por mais de 2 meses e as coisas por aqui não estão melhorando. O isolamento obrigatório e total fica sendo extendido indeterminadamente a cada duas semanas.
      Assim, organizamos nossas fotos e vídeos de viagem, como um lazer terapêutico. Uma viagem pelas telas, uma fuga temporária da realidade.
      Meu marido e eu estamos viajando as Américas por mais de dois anos, quando a pandemia chegou sorrateiramente e suspendeu nossos planos.
      Mas foram dois anos muito bem vividos e eu gostaria de trazer nossos locais favoritos pra vocês. Temos o sonho e poder retomar a viagem no futuro e assim sabemos que tem muitos mochileiros por aí desenhando seus sonhos também, até como forma de manter a sanidade nesse momento tão difícil. Espero que esse relato lhe ajude a continuar sonhando!
       
      Imagens inspiram mais do que palavras, então para mostrar a vibe dos melhores locais, compilamos um vídeo
       
       
       
      E por escrito aqui vamos mandar os detalhes necessários para você poder fazer acontecer  
       
      Brasil, destinos mais irados:
      Lençois Maranhenses (ir no período em que as lagoas estão cheias). Valeu muito a pena cruzar o parque a pé e fazer o passeio aéreo também https://vidaitinerante.wordpress.com/2018/08/06/logistica-para-a-travessia-dos-lencois-maranhenses-a-pe/
      Chapada Diamantina - Outro parque nacional que vale a pena cruzar a pé. Indicamos o Guia Cid +55 (75) 99229-0256
      Costa dos Corais (Pernambuco à Alagoas), gostamos bastante de São Miguel dos Milagres. É menor, menos turistas, melhor qualidade da água do mar. Para quem estiver de passagem, gostamos de visitar o Canyon do Xingó. Não recomendo dirigir até lá só para isso, mas quem estiver dirigindo pelo litoral Brasileiro, vale muito a pena a parada.
      Canoa Quebrada, CE
      Jalapão: fervedouros (nosso favorito foi o fervedouro encontro das águas pois é o mais forte), cachoeira da formiga, lagoa do japonês, nascer do sol Serra do Espírito Santos
      Fernando de Noronha (caro, porém vale muito a pena)
      Cânions na divisa de SC e RS. Recomendo a trilha do Rio do Boi
      *Não conseguimos ir para a Amazônia ainda
      Vídeo para ajudar no planejamento de quem quer conhecer todo o litoral Brasileiro de carro: 
      Uruguai:
      Ver o carnaval deles, principalmente os encenarios populares no Teatro de Verano
      Colonia del Sacramento
      Cabo Polônio
       
      Argentina:
      Buenos Aires: Palermo Soho, Recoleta, Caminito
      Bariloche: é possível subir o bondinho até o topo da montanha de ski (Cerro Catedral) sem saber esquiar, caminhando. Melhor mês para curtir a neve é Agosto. Visitar a Colonia Suiza também, um charme
      Circuito Cafayate, Salta, Purmamarca, Salinas Grandes https://vidaitinerante.wordpress.com/2020/03/05/salta-preciosidade-ainda-nao-descoberta/
      *Não adentramos no coração da Patagonia pois não havía boas condições de internet e trabalhamos remoto (somos nômades digitais). Então nossas dicas não estão levando em consideração locais que não fomos
       
      Chile:
      Circuito São Pedro de Atacama à Uyuni (tentar ir em Fev ou Mar para pegar o efeito espelhado)
      Deserto do Atacama: conhecer as várias lagunas (ex: Baltinache), Valle de la Luna, Valle de Marte/Muerte, Geiser (se não foi no trajeto para Uyuni, se foi, dá para pular)
      Iquique: duna gigante junto à cidade, sandboarding
       
      Paraguai - não achamos nada de especial que valha a pena os problemas estruturais (ex: corrupção policial)
       
      Peru (não conseguimos visitar todo o país, fomos interrompidos pelo coronga)
      Arequipa (com certeza a cidade mais bonita do Peru). Sillar, Misty, centro histórico
      Puno: fiesta de la candelaria e Ilhas de Uros
      Colca Canyon
      Macchu Pichu (ir na período de seca)
       
      Quem quiser saber todas as paradas que fizemos nesses dois anos, mapeamos no tripline:
      https://www.tripline.net/trip/Trecho_j%C3%A1_percorrido-7160000020541014A251C736C09EF5CD
       
      Cada estrelinha nesse mapa foram locais que conhecemos. Não apenas de passagem, locais que ficamos um tempo, visitamos.

      O sonho continua vivo e é isso que nos mantém fortes para superar momentos difíceis. Sigam firme galera! Se cuidem e cuide do próximo, vamos sair dessa juntos!
      Abraços
    • Por MatheusMTH
      Gente quando acabar esse infeliz episódio do coronavirus eu pretendo ir a Argentina, porém planejei ir de Fortaleza até Foz do Iguaçu e de Foz até Puerto Iguazu e me hospedar por lá, porém reparei agora que não existem linhas de ônibus direto de Fortaleza pra Foz, alguém com mais experiência pode me dar uma força? Uma ideia
    • Por Adriana Araújo1502435418
      Salve galerinha do bem ! 
      Satisfação em compartilhar com vcs minha viagem de final de ano no Chile. Eu como uma boa geógrafa e louca por viagens tinha obrigação de ir conhecer o deserto, que afinal tá do lado da nossa casa por assim dizer 🤓.
      Eu passei Natal e Réveillon por lá, vou fazer um resumo dos assuntos relevantes mas se alguém quiser alguma informação só me contatar.
      Bom, eu planejei tudo em 4 meses, comecei com as passagens, hospedagens e pacotes dos passeios. Fechei tudo no Brasil. Embarquei 23/12/19 e fui direto pro Atacama ''c/ escala em Santiago pq n tem vôo direto p lá." Vc tem que chegar a Calama e de lá pegar um transporte para San Pedro " cidade base para quem vai ao deserto". 
      Eu fechei o transfer pelo decolar e deu tudo certo, a propósito fechei os passeios de Atacama com eles tbm. 
      A cidade de San Pedro é bem movimentada e fornece o básico para os viajantes, eu notei muita coisa de indústria brasileira lá nos mercadinhos, os preços em Atacama é BEM salgadinho, principalmente alimentação, as coisas ficam um pouco mais amenas fora de alta temporada, mas segundo o pessoal de lá não é muito diferente. Mas vale estar por lá...
      Existem restaurantes para todos os gostos!! Confesso que não sou apaixonada pela culinária chilena, mas uma coisa que eu ameiss foi o pão de lá... E o chopp, p/ os apreciadores não deixem de experimentar 😋

      Agora falemos então do magnífico deserto 😍
      São diversos passeios que vc pode fazer por lá, o bom do deserto é que a beleza de lá se encontra com todas as estações e tem atrações diversificadas. Eu vou citar os passeios mais marcantes p mim, mas se pretende ir, pesquise os que vc deseja conhecer de acordo com tempo e dinheiro que vc terá. 
      Sem dúvida o que eu mais gostei foi... 
      Ternas de Puritama 
      Olha a vista desse lugar e lá embaixo tem as piscinas termais. É muito interessante porque o sol tá rachando, aí vc pensa que vai tá muito quente p entrar em água com temperatura de 28-30 ° e aí que se encanta... Porque lá embaixo a temperatura cai e fica perfeito.

      O segundo eu destaco...
      Laguna Cejar
      Esse passeio é ideal para ser feito no verão porque a água é bem gelada. Com 40% a mais de sal do que a água do mar, seu corpo não afunda, porém não se recomenda molhar o rosto e tão pouco mergulhar e vc sai coberta de sal.

      E por fim vou destacar...
      Lagunas Altiplânicas e Piedras Rojas
      O lugar e lindo, lindo, o vento, o ar pela altitude, tive que mascar folha de coca p não sentir o ar  rarefeito. Vimos muitas Lhamas por lá foi bem legal, e apropósito a noite acabei indo comer carne de Lhama super tradicional por lá.
      Enfim o deserto é um lugar surpreendente de muitas aventuras e diferentes paisagens, se viagens pra curtir a natureza é teu forte então vc tem que fazer Atacama um dia!
      Agora vamos para  o posto de tudo isso hahaha... Santiago 
      Minha viagem aconteceu quando os protestos no Chile em 2019 já estavam controlados então foi sussa viajar por lá.
      É sabido que estamos falando sobre a capital neoliberal da América do Sul então... Empreendedorismo e modernismo e o foco de lá.
      Cidade agitada com muita comida e balada pra quem gosta. No verão Santiago perde sua maior atração que é o Valle Nevado, porém ele ainda oferece passeios. 
      Tire um dia pra dar um rolê no centro "tipo 25 de Março aqui em Sampa". Vale a pena pra fazer comprar e trazer presentes inclusive o Pisco "bebida típica" de lá rsrs. Vá ao Cerro de Santa Lucía e Mercado Municipal, eu fiz isso tudo no msm dia e o bom que dá pra ir a pé, e confesso que foi o dia mais agradável que eu tive, no final da tarde tomamos chopp e comemos no Mercado ao som de música típica e do zunzunzun de muitas conversas! 

      Depois de ficar ligeramente alegre e rindo a toa 🙈 pegamos Uber que por sinal até o momento não é legalizado mas funciona muito bem por lá, e fomos pro hotel. Falando nisso, o setor hoteleiro de Santiago é muito bom e o melhor é que, se vc procurar bem pode achar preços incríveis. Eu fiquei nesse hotel Maravilhento rs, por um preço ótimo.
      Para finalizar vou resumir os passeios clássico de
      Valparaíso e Viña del Mar
      Cidades costaneiras, na minha modesta opinião... Pura propaganda, não há nada a se perder em visitar, Valparaíso é uma favela antiga, que as imagens falem por si.
      Em Viña del Mar, tem o famoso relógio de flores, restaurantes de frutos do mar em abundância, mas para mim o que valeu foi passear pela orla e por o pé nas águas do pacífico Sul que é gelada demais, isso me fez valorizar nosso litoral top ❤️ e tivemos a sorte de ver leões marinhos  a 1mt. de distância.
      Bom enfim termino por aqui, esse foi meu primeiro relato, e peguei a  minha viagem mais recente, da um trabalho danado escrever sobre isso, então aproveitei o tempo de quarentena pra fazer isso. Esperamos o fim da pandemia para voltarmos a fazer nossas viagens com segurança pelo mundo! 
      Abraços e boa sorte 🙏 
       


×
×
  • Criar Novo...