Use o menu Tags para buscar informações sobre destinos! - Clique aqui e confira outras mudanças!

Ir para conteúdo
michel

Dicas: O que fazer em Jericoacoara

Posts Recomendados

[info]Tópico para compartilhar dicas sobre Jericoacoara.

 

[t3]Participe![/t3]

Deixe aqui aquela dica de passeio que você adorou, a praia que te impressionou, daquele restaurante bom e barato ou daquele outro que serve um prato especial que você adorou. Vale também a dica daquele drink inesquecível ou a balada mais legal que vc foi.

 

Regras do Tópico

Neste tópico não serão aceitas perguntas, apenas dicas sobre Jericoacoara. Perguntas devem ser postadas nos Tópicos de Perguntas e Respostas. Todas as perguntas postadas aqui serão deletadas pelo editor deste fórum.[/info]

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

1 - Ver o Pôr-do-sol na duna

2 - Ficar de boa na Lagoa do Paraíso em Jijoca

3 - Comer uma lagostinha dentro da Lagoa de Tatajuba

4 - Caminhar pela praia até a Pedra Furada em Jeri

5 - Passear de Buggy pela Praia do Preá

6 - Chegar em Jeri em um 4x4 vindo de Parnaíba/PI cruzando os rios em balsas totalmente manuais

7 - Aproveitar a noite em um barzinho

8 - Ter aulas de kite/windsurf

9 - Cruzar as dunas de buggy no modo "com emoção"

10 - Andar de jangada na Lagoa Azul

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Hum.. para completar a lista...

 

- ir na padaria de Santo Antonio, que abre as 2:00 da manha e fecha as 5:00, servindo paozinho quentinho, com cafe e leite, par ao pessoal que ta voltando das baladas... É tradicional... tem pao de queijo, pao de coco, pao de banana....

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

1 - Ver o Pôr-do-sol na duna... vale o esforco da subida...

2 - Ficar de boa na Lagoa Azul... Lindissima a cor da agua...

 

598d9e50b1da8_Foto03.jpg.2fd7133840c2bd390cfc9fe502a0de52.jpg

 

3 - Andar de jangada na Lagoa do Paraíso... e se estiver muito cheia as duas lagoas se unem formando uma so...

 

598d9e50b74c3_Foto04.jpg.6b5377c969a6e10552c8fbfdaafdc7f1.jpg

 

4 - Comer no Resto Chez Loran nas margens da Lagoa do Paraíso... caro mas vale a pena...

 

598d9e50bc4d6_Foto06.jpg.066c022bb774406af53c0824c4663a46.jpg

 

5 - Comer uma lagostinha e camarao (de agua salgada) dentro (deitado numa redinha) da Lagoa de Tatajuba...

6 - Passear de Buggy ou 4x4 pela Praia do Mague Seco esticando ate camocim...

 

598d9e50c13c0_Foto09.jpg.37fc4515a701649da91604625d4c1f1e.jpg

 

7 - Aproveitar a noite no FORRO (for all)...

8 - Ter aulas de kite/windsurf...

9 - Cruzar as dunas de buggy no modo "com emoção"...

10 - Chegar em Jeri em um 4x4 vindo de Parnaíba/PI cruzando os rios em balsas totalmente manuais

 

mas acho que Caminhar até a Pedra Furada em Jeri... realmente sera uma furada... kkk... brincadeirinha... vale apena o esforco pelo menos uma vez na vida... mas eu que volta e meia to por la, to fora deste passeio...

 

tem muitos outros... luau... comidas deliciosas... a padaria...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Vamos lá:

1. Quando estiver na pedra furada, não faça o caminho de volta pela praia. Suba o paredão de areia que existe logo encostado na praia. Lá em cima existe um farol e um descampado verde muito bonito que da uma visão geral de 360 graus. Muito bonito! (obs: a subida é complicada, tem que ter físico).

 

2. Participar das rodas de capoeira que tem na praia de frente pra cidade praticamente todo fim de tarde.

 

3. Acho que o restante já foi dito ... =D

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

* Jogar futebol na praia com os nativos do local após as 16:30hs. (fiz várias amizades lá).

 

* Experimentar "todas" as batidas das barraquinhas da Rua Principal. Segue algumas:

- Caipiroska (mais comum)

- Kiwiroska

- Seriguelarosaka

- Cajaroska

- Cajuroska

- Bananaroska

- Entre outras

 

Também tem algumas famosas por lá que só encontrei em uma barraca:

 

- Xoxota (mistura de morango, abacaxi, leite condensado e Vodka)

- Pauroska (mesma coisa só que com banana junto)

- Curoska (esta não esperimentei)

 

* Uma dica: a operadora de celular Claro não opera na região, portanto tenha opções para contato quando estiver por lá se o seu celular for apenas da Claro.

 

* Obs: a padaria Santo Antônio não fecha quase nunca... ir a Jeri e não provar o pão com queijo é uma heresia...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A tão esperada terceira ediçao do Jeri Eco Cultural acontece nos dias 11 e 12 de junho! As atrações deste ano são: Falcão (do Rappa) e os Loucomotivos (Falcão e uns amigos se reuniram para formar os Loucomotivos, uma banda da pesada que reúne nomes vindos de grupos como Paralamas, Cidade Negra e o Rappa).

 

O Jeri Eco Cultural é produzido pela Free Lancer produções e têm como objetivo difundir a aumentar a procura por Jericocoacoara como destino turístico e promover a consciência ecológica nos moradores e visitantes! Lembrando que o evento é totalmente gratuito!!! Será um dia dos namorados e tanto para aqueles que puderem curtir! Não percam!!!

Fonte: www.depontes.blogspot.com

 

As passagens de ônibus com a empresa Redenção custa R$ 38,00 e os horários de saída são 10:30 e 18:30. Site: http://www.redencaoonline.com.br/pt/turismo.php

 

Pousadas com valores referentes ao período.

Casa do Ângelo 80,00 Casal - www.pousadacasadoangelo.com.br

Pousada Iracema 80,00 Casal - www.pousadairacema.com.br

Pousada Papaya 80,00 Casal - www.jeripapaya.com

Vento de Jeri 120,00 Casal - www.ventodejeri.com

Pousada Isalana 60,00/70,00 Casal www.isalana.com.br

Pousada do Maurício 80,00 Casal www.pousadadomauricio.com

 

Mais sobre Os Loucomotivos

 

Falcão d'O Rappa, B Negão, Bino (Cidade Negra), Liminha e João Fera (Paralamas), DJ Negralha

O que era para ser apenas um ensaio pré-carnavalesco virou o maior barulho da Lapa. Falcão e uns amigos se reuniram para formar os Loucomotivos, uma banda da pesada que reúne nomes vindos de grupos como Paralamas, Cidade Negra e o Rappa.

 

Os rapazes que incendiaram o Circo Voador em memoráveis encontros ano passado, voltam tocando as músicas preferidas de seus podcasts, como: "Exodus", de Bob Marley, "Mantenha o Respeito", do banda campeã que deixou saudade Planet Hemp, "Você", de Tim Maia, "Inútil" do Ultraje a Rigor, "Novidade" do Gilberto Gil, entre outras.

Nesse ano, o escrete vem com uma escalação matadora: Falcão e Bnegão nos vocais, João Fera (o quarto Paralama) nos teclados, Bino do Cidade Negra no baixo, Eduardo Lira (outro Paralama honorário) na percussão, Claudio Menezes do Afrorregae na guitarra, o DJ Negralha, também d'O Rappa, Cleber na bateria e uma super seção de metais formada por Monteiro no trumpete, Marcosno trombone e Pedro no sax, além de Vinicius e Alessandra nos backing vocals.

 

É bom se preparar: OS LOUCOMOTIVOS estão chegando na área!

 

Fonte: http://voucontigo.blogspot.com/

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Vai ser muito bom como sempre... e vvale ressaltar que a o 3º Jeri Eco Cultural terá o patrocínio do Governo do Estado e espera alcançar o sucesso das edições anteriores que contaram com nomes da musicalidade do quinhao de Paulinho Moska, Luiz Melodia, Nando Reis e Chico César

 

[]s

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

depois de passar a tarde de bobeira na praia em frente à duna esperando o pôr-do-sol,

um ótimo programa pra noite é comer um crepe no Naturalmente!

muuuuuuuuito bom!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bem, a dica mais importante é: ajudar na limpeza da praia colhendo latas, garrafas pet, embalagens, papel e todos os outros lixos que todos os milhares de visitantes (e nativos!) que passam por ali deixam para trás.

 

Ir à praia quando os pescadores estão recolhendo a rede de arrastão. Como eles literalmente "arrastam" tudo o que está no fundo do mar, muitos siris e outros peixes que pros pescadores não têm valor são largados na areia da praia, secando ao sol. Eu ficava recolhendo esses bichinhos e devolvia eles no mar. Muita gente colhe alguns para prepará-los e comer.

 

Passar tempo vendo os trabalhos artesanais dos hippies que vivem em Jeri. Eu conheci muita gente legal... Algumas coisas são tão lindas, são verdadeiros artistas.

 

Bem cedo pela manhã, tipo 8 horas, ir tomar um banho de sol e de mar na praia da Malhada.

 

Ir ao sítio Paraíso quando quiser uma rede em um lugar bem tranquilo... Só que não é sempre que está tranquilo lá.

 

Fazer o percurso Jijoca-Jericoacoara pelas dunas, no final do dia durante o pôr do sol é muito lindo...

 

Ver o pôr do sol do morro da praia da Malhada.

 

Tomar água de coco; muita !!!

 

Quem chegar em Jericoacoara tem que procurar pelo "Zeca muito doido". Ele é músico, tem uma turminha muito tranquila e toca no Sky algumas noites. Ele trabalha como guia e conhece todos os hotéis e pousadas de Jeri...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Meu namorado e eu fomos a Jericoacoara este ano e amamos! Portanto vim postar minhas dicas tbm.

Chegamos dia 25/12/10 a noite no aeroporto de Fortaleza, nos hospedamos em um hotel e partimos de manhã para Jericoacoara.

A própria dona da pousada de Jeri que se encarregou de reservar o traslado do hotel até a pousada. Fomos de micro-ônibus do hotel até a Estação Pau d' Arara e de lá pegamos uma jardineira até Jeri.

Nos hospedamos na Pousada Cumelen, no Beco do Serrote. Um local super aconchegante. São apenas dois chalés, com banheiro privativo, cozinha/sala e quarto. A dona é uma argentina chamada Dolores, que nos recepcionou muito bem, como se estivesse nos recebendo em sua própria casa. Um ótimo café da manhã, preparado por ela mesma. Seu esposo Hélio, instrutor de windsurf, também nos deu várias dicas locais.

A beleza de Jeri já começa no caminho, passando pela Praia do Preá, e sua diversidade natural, com dunas, vegetação, animais soltos pelo pasto e a praia em uma paisagem só.

A pousada ficava próxima à Praia da Malhada, uma praia praticamente deserta.

Subimos a Duna do Pôr-do-Sol. Preparem-se, o vento é tão forte que a areia bate em sua perna chega a machucar.

No dia seguinte fomos até a Pedra Furada , que pode ser feito de duas maneiras: Indo por cima (pelo morro, a pé, de charrete ou de buggy) ou verificando o horário em que a maré irá baixar (os próprios donos da pousada verificavam pra gnt) e indo pela praia, num caminho de pedras - pelo qual optamos. Foi realmente uma furada! Muito tempo de caminhada, machucamos os pés e as mãos nas pedras e, chegando lá, tiramos algumas fotos e fomos embora. Agora sim, subindo o morro e indo a pé por cima. Muito mais rápido e seguro.

No outro dia, fizemos o passeio de buggy até a Lagoa Azul e Lagoa do Paraíso. A dona da pousada que chamou o buggueiro de confiança deles, que nos pegou na pousada.

Fizemos o caminho pela Praia do Preá, parando na Árvore da Preguiça, uma árvore que devido ao vento e às condições do solo das dunas, cresceu para o lado.

As lagoas são lindas, com rede dentro d'água. Fascinante!

Na volta, paramos na Lagoa do Coração, uma lagoa de água vermelha, formada pela água da chuva. Quem quisesse, podia descer a duna de esqui bunda (R$5,00).

Noutro dia, resolvemos fazer o passeio até Tatajuba de quadriciclo. RECOMENDO muito! A emoção, a sensação de liberdade, vale tudo muito a pena.

Pagamos R$250,00 o quadriciclo na Trilha do Jerico (Rua Principal, 100). Antes, eles dão uma aulinha de como pilotar. Passamos pelo mangue seco, subimos as dunas, paramos na Velha Tatajuba pra tomar uma água de côco e ouvir uma moradora contar a história da cidade e, chegando na lagoa da Nova Tatajuba, almoçamos por lá. Eles mostram o "cardápio vivo".

No Ano Novo, vimos a queima de fogos da Duna do Pôr-do-Sol, ficamos lá vendo as estrelas...

Uma constelação sem igual! Vimos 3 estrelas cadentes, além do céu mais limpo e mais estrelado que já vi em toda minha vida.

Depois fomos na Padaria Santo Antonio. Pedi um pão de queijo e fui surpreendida com um delicioso pão recheado de queijo coalho. Depois saiu quentinho pão de chocolate e pão de côco. Vale a pena provar. E o preço? R$0,50.

Jeri recebe os turistas o ano todo. Para eles não tem temporada, devido à prática de esportes como o kite e o windsurf. Então, resolvemos fazer aulas de kitesurf. Muito difícil, mas também muito divertido! Fizemos com o Ari (R$531,00 por pessoa). Vale a pena tentar!

No último dia, resolvi fazer um passeio a cavalo pelo Praia... e fomos embora com a miníma vontade de voltar pra loucura, pra poluição, pro trânsito... de São Paulo.

 

Gastronomia: A gente tomava um bom café da manhã, mal almoçava, mas jantava muito bem.

Casa das Trufas: Comida local muito boa - baião-de-dois e carne seca. Só não dei muita sorte quando fui utilizar o banheiro e tinha um sapo na porta. :shock:

Carcará: Comemos uma deliciosa muqueca. Muito bom, apesar da presença desagradável de uma perereca pulando do meu lado. Não dei muita sorte com essas coisas, rs

Káfila: Restaurante árabe muito bom. Comemos kebab e kibe.

Naturalmente: Deliciosos crepes. Comi o de morango com chocolate. Noutro dia almoçamos lá tbm. Comi um peixe ao molho de limão, muito bom.

Nômade: Comi um maravilhoso risoto de quatro queijos.

Tamarindo: O melhor da viagem. Comi uma massa (linguine) ao frutos do mar. Sem palavras. Está sempre lotado e com fila de espera, portanto, chegue cedo.

Rústico & Acústico: Picanha na manteiga, muito boa. Tirando que o lugar tinha muuuuuiiitasss moscas, o que irritou bastante.

Pizza Banana: NÃO RECOMENDO! Péssimo atendimento, muuuiiitooo demorado, a pizza veio errada e não era boa. Vi 3 pessoas reclamando, além de nós.

 

Dicas: Mercado Jacaré. Compre algumas coisas pra deixar na pousada, como garrafa de água pra levar nos passeios, refrigerante e alguma coisa pra comer, se não quiser gastar dinheiro toda hora.

Beba muita água, principalmente nos passeios. O calor é muito forte que tem horas que chega a dar tontura e queda de pressão.

Use protetor solar FPS50. Nos passeios de buggy e quadriciclo, com o FPS30 eu queimei muitoooo. Use boné, só cuidado pra não voar, pq o vento é muito forte.

 

Compras: De um modo geral as coisas são bem caras lá. Só comprei lembrancinhas - porta guardanapo de tricô (bem local, feito pelas senhoras rendeiras que ficam vendendo na praia); castanha-de-caju e rapadura (pro meu pai); e imãs. Mas tem uma loja que chama Jeri Arte com coisas lindas pra casa, pra presente, etc...

 

Espero ter ajudado. Ah, pra quem tiver curiosidade, gastamos mais ou menos R$3000,00 cada um (comendo muito bem, fazendo curso de kitesurf, que é caro, comprando lembrancinhas... então dá pra gastar beeem menos, se quiser)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Jeri é maravilhoso e vale a visita. ver o por do sol do alto da duna é um evento unico. vejam algumas fotos de nossa viagem

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom todas as dicas a cima são ótimas, em especial, lagoa azul e paraiso, e por do sol.

 

Agora mesmo para os que bebem vale a pena passar um dia na barraca do suco, está fica ao lado dos restaurantes que ficam a beiramar, entre a rua do forró e a rua principal.

Lá eles tem um cardapio onde vc pode fazer a combinação de frutas, misturando entre outras as frutas do Norte do pais, pouco comecidas no Sul e Sudeste.

 

Minha dica é chegar pedir para a Atendente "Socorro" o suco "DANIEL".

Não vou dar a receita, mais se depir isso vai concerteza ser muito bem atendido e receber um drink sem igual....

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
depois de passar a tarde de bobeira na praia em frente à duna esperando o pôr-do-sol,

um ótimo programa pra noite é comer um crepe no Naturalmente!

muuuuuuuuito bom!!!

 

 

De fato o Crepe do Naturalmente é ótimo...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Jeri é mesmo encantadora principalmante à noite quando os restaurantes se iluminam, com muito colorido, lanternas, velas.. um show à parte! O forte do vilarejo tb é a gastronomia.. Restaurantes ótimos, caros e baratos.. Descobrimos um PF (PONTO DO BIG) que tem o melhor prato feito que já vi por apenas 7,00.... (Beco do Guaxelo, uma travessinha da Rua Principal)... Vale muito a pena comer lá, o prato é bonito de se ver, a porção de carne (vários tipos) é farta e o cheiro é maravilhoso.

 

É necessario pegar o buggy (180 ou 200 reais) ou uma D20 (20 reais ida e volta) para os passeios interessantes, o melhor é a lagoa do Paraíso.

A praia de Jeri tem a maré baixa e poucos a usam para banho, o legal mesmo é ir para as lagoas.. Azul ou Paraíso, Tatajuba é uma furada..

 

Entre dunas, praias, lagoas, os dias passam sem nenhum stress....

 

É relaxante usar só havaianas, shorts e camiseta todo o tempo, dificil é encarar a realidade qd a viagem termina...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

É necessario pegar o buggy (180 ou 200 reais) ou uma D20 (20 reais ida e volta) para os passeios interessantes, o melhor é a lagoa do Paraíso.

 

Tomem cuidado quando fecharem um passeio de ida e volta com veiculos nao credenciados... ja vi muita gente ser esquecida nas lagoas por este povo... ja os credenciados nao tem problema, pois cumprem o prometido...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Adorei as dicas deste tópico! Estou indo para Jericoacoara no final deste mês. Uau! Foi um pouco difícil reservar uma pousada lá, mesmo com um mês de antecedência, parece que o lugar é bastante movimentado.

 

Bom, assim que voltar de viagem, faço um relato de como foi e conto quais passeios eu mais gostei de fazer. Um abraço a todos!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


  • Conteúdo Similar

    • Por Vinidive
      Dia da ida até Jericoacoara. Como combinado, às 13hs, o Guilherme estava na porta do quarto. Contratamos o serviço por telefone, e havia um certo medo do cara não aparecer. Mas tudo correu bem. O plano era cruzar os aprox 550 km entre Caburé e Jeri no mesmo dia. Outra opção é fazê-lo com paradas em Parnaíba e etc, mas tudo fica muito mais caro, e sinceramente, queríamos chegar em Jeri sem mais pausas.
      Guilherme, um brasileiro nascido em Portugal, se divertiu quase tanto quanto a gente, dirigindo a Land Rover nas praias, lagoas, dunas, estradas, rios, estradas sem estrada e etc., que cruzamos. Existem lugares em que simplesmente tem que se fazer a estrada. Boa gente, bom motorista e excelente serviço. Os transfers de Caburé pra Jeri podem custar até 1100 reais e o preço médio da viagem direta como a nossa é 550 pelo carro. O segredo é pechinchar muito pra tentar salvar algum dinheiro. Senão, a opção é ir de ônibus de linha, o que vai tomar dois dias, mas custará cerca de 90 reais /pessoa. (Transfer Guilherme, (98) 8819-1112)
       
      Chegamos em Jeri à noite, bastante cansados. E fomos direto pra pousada. Outro acerto. Uma área imensa, cheia de árvores e poucos chalés espalhados no terreno. Os quartos eram um tanto quanto pequenos, o que é facilmente compensado pela simpatia da Renata (gerente do lugar). Pousada do Caju, 100 reais/casal. Pra jantar, nos encontramos com Guilherme no Bistrogonoff. O lugar é uma surpresa. Tem um menu com pratos que vão de um PF a pratos bastante mais elaborados (prove o PF. Por 12 reais, será o melhor custo benefício de Jeri). Muito boa comida.
      No outro dia como planejado tínhamos que mudar pra recém inaugurada Pousada Araxá. Infelizmente, mão de obra em Jeri não é das mais comprometidas, e a obra acabou atrasando. Alberto, o dono italiano, devolveu o dinheiro e pediu imensas desculpas. Ele precisaria de mais um dia, e nós não estávamos dispostos a barulhos no nossa estada em Jeri. Apesar disso, vi os quartos – Fantástico. Com certeza, das melhores opções na faixa de preço. Acabamos por nos hospedar na Casa na Praia. Praticamente o mesmo valor, com quartos menores (mas ainda muito bons), e na frente da praia. Outro acerto. O atendimento simpático e alegre da equipe é o destaque, junto com a vista da duna do por-do-sol, a boa piscina e o café da manhã.
       
      Jeri é toda bonitinha com seu pôr-do-sol lindo e a pedra furada como ponto obrigatório, assim como a volta à noite por bons restaurantes e a parada na padaria do Inazio (outro italiano) que faz uns doces que são de jogar qualquer dieta no lixo. Além disso, é um dos melhores lugares do mundo pra praticar Wind e Kitesurf.
      Mas ainda assim me desapontou. Esperava uma das praias mais lindas do mundo, e achei uma outra praia, barulhenta, com motos passando na areia, suja já que os cavalos dos passeios transitam na praia sem cerimônia e não são raros os vazamentos de fossa e caixas de gordura correndo no meio da praia. Tomara que dêem logo jeito nisso.
      De Jeri pra Fortaleza, pode-se fazer de transfer, ônibus de linha ou minivan. Pelos horários disponíveis, decidimos fazer de transfer, rachando com mais um casal. Custo de R$ 100/pessoa. O onibus (que parece ter A/C) custa 29, ou seja, muito mais barato.
       
      Chegamos em Fortaleza depois de 4 horas de viagem, passando por alagados, pontes a cair, asfalto bom e ruim. And trip was sadly over.
    • Por Eduardo_Martins
      Prezados,
       
      demorou um pouco, porém segue o relato com fotos da rota das emoções que realizamos em Maio/15
       
      1º dia – Fortaleza a Jericoacoara
      Transfer pela Fretcar: R$ 105,50
      Hostel Jeri Arte R$ 245,00 (duas noites, quarto casal e suíte)
      Nós pegamos o último ônibus para Jeri, às 18h30, então, chegamos de madrugada por lá. Até tentamos curtir a noite, mas já era bem tarde e estava tudo no fim.
       
       
      2º dia – Jericoacoara
      Toyota de linha (pau de arara) para passeio: R$ 15,00 o trecho por pessoa. É o jeito mais barato para se locomover em Jeri, pois elas fazem o trajeto das lagoas e custam 10% do preço do buggy.
      Fomos para a Lagoa do Paraíso, o principal ponto turístico de Jeri que, no entanto, pertence a Jijoca.
      No fim de tarde, fomos à Duna do Pôr-do-sol, que fica à esquerda da praia de Jeri. Quando fui pela primeira vez a Jeri, alguns anos atrás, a duna era bem maior e, infelizmente, ela tende a sumir nos próximos anos por conta do vento.

       
      3º dia – Jericoacoara / lagoa de Tatajuba / Camocim à Parnaíba
      Buggy para Camocim: R$ 210,00
      Travessia da balsa de Camocim: R$ 5,00 por pessoa
      Ônibus para Parnaíba: R$ 30,00
      Táxi: R$ 15,00
      Pousada das Barcas: R$ 120,00 a diária/casal
      No dia anterior, conseguimos negociar o buggy com o Jonas (88 9927-4613/8876-1256) para fazer o passeio de Tatajuba e depois nos deixar na balsa para Camocim. Saiu mais caro que ir a Jijoca e pegar um ônibus, porém, pudemos aproveitar o dia na lagoa de Tatajuba e depois emendar para Camocim.
       

       

       
      Chegamos a Camocim por volta das 13h. Logo que você desce da balsa tem alguns carros para te levar à rodoviária, que cobram R$ 15,00 por pessoa. Achamos caro e fomos na caminhada mesmo (uns 40 minutos). Cansa um pouco por causa do sol e do peso da mochila, mas é sussa.
      O ônibus para Parnaíba só sai uma vez por dia, às 16h, pela empresa Guanabara. Esse ônibus é bem procurado; demos sorte e pegamos os últimos lugares
      Chegando a Parnaíba, descemos na rodoviária e já nos informamos de como ir para Tutóia de ônibus, porém, não me recordo dos horários e nome da empresa, nem dos valores que nos informaram. Só tinha um ônibus por dia.
      Chegando ao hotel, fomos jantar no restaurante na frente da pousada, na margem do rio Parnaíba. A comida era boa e o preço, acessível. Durante o jantar, conhecemos o guia Riba (86 94677259/88870898), que faz passeios pelo Delta. Negociamos com ele para fazer o passeio e já nos deixar em Tutóia (no mapa, Tutóia fica perto dos locais do passeio do Delta). O preço pelo passeio no Delta e o bonde pra Tutóia foi de R$ 420,00 – bem mais do que imaginávamos, mas, se fizéssemos o passeio básico do Delta, que é em torno de R$ 200,00, teríamos que ficar mais um dia em Parnaíba para pegar o ônibus até Tutóia só no próximo dia, e o gasto total ficaria em uns R$ 380,00 + comes e bebes. Futuramente, foi uma ótima escolha, pois ganhamos mais um dia em Atins
       
       
      4º dia – Parnaíba a Tutóia / Tutóia a Paulino Neves / Paulino Neves a Caburé / Caburé a Atins
      Mototaxi: R$ 5,00
      Passeio/transfer do Delta do Parnaíba até Tutóia: R$ 420,00
      Transfer para Paulino Neves, de Toyota de linha: R$ 10,00
      Transfer para Caburé, de 4x4: R$ 150,00
      Canoa para Atins: R$ 10,00
      Pousada do Irmão: R$ 130,00 diária/casal
       
      Logo de manhã cedo, às 7h, fomos ao porto de Parnaíba. O ônibus estava demorando e, como tínhamos combinado com o guia, pegamos mototaxi até o porto e começamos o passeio do Delta. Ótimo passeio: a cor do rio, fauna e flora vão mudando conforme você vai chegando perto do delta. É muito bonito. O passeio valeu a pena e depois a carona até Tutóia foi perfeita, porque demos sorte: logo que chegamos ao porto de Tutóia, tinha uma Toyota de linha saindo pra Paulino Neves.



       
      Chegamos a Paulino Neves umas 15h e já não tinha transfer. Por fim, nossa única opção para não ter que pernoitar na cidade era ir de 4x4 ou quadriciclo. Optamos pelo 4x4 e chegamos a Caburé, na beira do rio Preguiça, umas 17h. O timing foi perfeito, porque atravessamos o rio no pôr do sol. Para fazer a travessia Caburé-Atins, há lanchas que fazem o trajeto por R$ 60, com duração de 15 minutos, ou você pode pegar uma canoa com um motorzinho, que custa R$ 10 e dura uma hora – é mais demorado, porém, dá para curtir o rio Preguiça.
       
      Chegamos a Atins umas 18h e não havíamos reservado nada. Ficamos rodando e tentando negociar nos lugares. A Pousada da Tia Rita é a mais famosa por lá e a mais barata, porém, estava lotada quando fomos. Mesmo assim, ela foi super atenciosa e indicou a Pousada do Irmão, que foi onde acabamos ficando – pelo preço e pela comodidade, além de ser um dos únicos estabelecimentos que aceita cartão.
       
      Comemoramos a chegada em Atins com algumas cervejas no Rancharia Bar e encerramos o dia.
       
      5° dia – Atins
      Passeio para lagoas: R$ 30,00 por pessoa
      A Pousada do Irmão faz passeios também e, quando estávamos tomando café da manhã, um grupo estava fechando um passeio que inclui Cachoeira do Bonzinho, Lagoa Guajiru e Lagoa 7 Mulheres, com parada no Restaurante do Antônio – na verdade, você pode optar entre ele e o famoso da Dona Luzia.

      A Cachoeira do Bonzinho é sensacional; uma cachoeira nos lençóis e de frente para o mar já diz tudo. A lagoa Guajiru também é muito bonita, e foi onde tivemos o primeiro contato com as lagoas dos lençóis. Depois, fomos ao restaurante do Antônio comer o famoso camarão no urucum. Nunca comi nada com esse sabor e tempero, é delicioso, e o Antônio é super amigável. Camarão do Antônio é parada obrigatória.
      Depois, fomos ver pôr do sol na Lagoa 7 mulheres e retornamos à pousada. Ainda cedo, tomamos uma Heineken (R$ 6,00) gelada no italiano que fica em frente à pousada da Tia Rita, tomamos banho e fomos jantar no restaurante Céu Aberto, que fica a distância de uma caminhada de 10/15 minutos. Nesse jantar, descobrimos que um prato para dois é o suficiente – no geral, os lugares cobram R$ 25,00 o prato de frutos do mar e todos são bem servidos para duas pessoas.
       

      6º dia – Atins
      Fomos aproveitar o dia na praia, que surpreendeu. Quando a maré enche, formam-se várias lagoas, é simplesmente incrível. Além disso, o mar se funde com o rio Preguiça e forma uma praia de outro mundo. Logo que chegamos à praia achávamos que não havia infraestrutura no local, mas há alguns “quiosques”. Ficamos na Cabana, de um casal local super bacana que oferece preços bons com direito a redes, cerveja e petiscos.
       
       
      7º dia – Começo da travessia - Atins à Canto de Atins
      Rede e café da manhã: R$ 25 por pessoa
      Guia Chico: R$ 200,00
       
      Combinamos com o nosso guia, Chico, de sair às 16h para o Canto de Atins no Antônio, já que tínhamos o dia todo para aproveitar. Antes mesmo de tomar café, arrumamos as mochilas e conversamos com o Irmão para mandá-las ao restaurante do Antônio com algum carro de passeio que fosse para lá.
       
      Aproveitamos nossa última manhã na praia e fizemos um passeio até o banco de areia que se forma na maré baixa. Na verdade, é um banco de conchinhas, portanto, vá de chinelo que descalço machuca o pé.
       
      Finalmente, no fim de tarde, começou a nossa aventura. Nessa primeira parte o trajeto é tranquilo, são apenas seis quilômetros. Chegamos ao Antônio de noite e, sem pensar, já pedimos o camarão novamente. Depois, pernoitamos nas redes que tem do lado restaurante – foi a primeira noite dormindo em rede.

      8º dia – Atins a Baixada Grande
      Acordamos de madrugada, umas 3h, tomamos um café da manhã bem simples que estava incluso no nosso pernoite no Antônio e bora andar 28 quilômetros.
      Esse primeiro trecho da travessia dos lençóis é um pouco puxado. O ideal é levar pouco peso (tem a opção de enviar as malas até Santo Amaro via Toyota de linha) e caminhar o máximo possível quando o sol ainda está baixo, porém, parando e aproveitando as lagoas. A paisagem e as lagoas são muito bonitas. As 16h e depois de várias horas de caminhada, avistamos um oásis que era Baixa Grande. Ufa!
       

      Baixa Grande é um paraíso, uma família que mora em um oásis no meio dos lençóis. Nosso guia já tinha avisado que íamos chegar para almoçar, então, foi chegar, fazer um prato gigante (arroz, feijão, macarrão, farinha e galinhada) e, depois, tirar uma pestana na rede.
       
      Depois da comida e devido descanso pudemos curtir um pouco da Baixa e de seus habitantes: ficamos jogando sinuca, tomando cervejinhas e a tiquira (famosa cachaça local, de mandioca “braba”). No final, dormimos na rede novamente.

      9º dia – Baixada Grande a Queimada dos Britos
      Rede, almoço e café da manhã: R$ 50,00 por pessoa
       
      Nesse dia, não precisamos nos preocupar em madrugar, já que o trajeto era curto, de apenas 9 quilômetros – comparando com o dia anterior é bem mais sussa. Enfim, saímos já era mais de meio dia, dispostos e usufruindo muito mais.
      Esse trajeto fica no coração dos Lençóis. É onde você vai encontrar uma beleza ímpar, com lagoas e dunas indescritíveis. A água é por ora azul, turquesa, transparente, verde esmeralda...

      Fizemos esse trajeto em seis horas, pois tentamos curtir ao máximo.
      No pôr do sol, chegamos ao segundo oásis, a Queimada dos Britos. A Queimada já é um “vilarejo”, pois lá moram três famílias. Foi onde conhecemos o seu Brito, um dos fundadores do vilarejo. Ele nos contou muito sobre como saiu da seca do Ceará com sua família 30 anos atrás e foi parar na Queimada.


      Esse final da tarde foi de muito bate-papo com seu Brito, carteado e várias cervejas geladas. Sim, no seu Brito tem gerador e breja trincando (R$ 6 a garrafa de 600ml).
       
      Final da noite foi aquele super prato e rede novamente.
       

      10º – Queimada dos Britos a Betânia / Betânia a Santo Amaro
      Acordamos às 3h da manhã, tomamos café da manhã e partimos para a pernada.
       
      Esse trecho tem cerca de 22 quilômetros, porém, não é tão bonito quanto o anterior. A areia das dunas é bem fina e clara e, com o nascer do sol, as dunas brancas parecem feitas de neve.

       
      Como já era o quarto dia de caminhada, o corpo estava adaptado: levamos mochilas mais leves e estabelecemos alguns parâmetros (quando o ritmo da caminhada começava a cair, a gente parava, dava um mergulho, comia alguma coisa e voltava para pernada). Com isso, fizemos esse trecho em mais ou menos 8 horas.
       

      Chegamos à lagoa da Betânia ao meio dia. Fizemos uma parada para o almoço, tomamos algumas cervejas e tiquiras com o nosso guia, e partimos pra Santo Amaro.

      Chegando lá, optamos pela pousada Rancho das Dunas, por ser a única que aceitava cartão e estarmos sem dinheiro vivo, mas é possível encontrar pousadas mais em conta.
       
      Exaustos da caminhada e com a grana curta, acabamos não fazendo nenhum passeio em Santo Amaro, mas pudemos desfrutar do rio Alegre, que está localizado do lado da pousada.
       
      11º dia – Santo Amaro a São Luís
      Transfer de Toyota de linha até Sangue: R$ 10,00
      Transfer de van: R$ 20,00
      Pousada Portas da Amazônia: R$ 118,00/diária
       
      Saímos por volta do meio dia para São Luís, pegamos a Toyota de linha até Sangue e depois uma van até São Luís. Esse trajeto demora umas 3 horas e não tem nada de interessante.
      A van nos deixou na pousada no centro de São Luís. Essa, com certeza, é a pousada em que os turistas mais se hospedam – pelo menos todos os que cruzamos na viagem e que estavam indo pra São Luís também. Acho que deve ser pelo fato de ela parecer super rústica e ficar no centro da cidade, mas não vale o preço: está super descuidada e o atendimento também é ruim. Mas, de qualquer forma, valeu por dois motivos: para conhecermos o centro da cidade (que, por sinal também está “abandonado”) e a pizzaria anexa à pousada (melhor que muita pizza de São Paulo).
       
       
       
      12º - São Luis
      Esse foi, finalmente, o nosso dia de compras. Além de lembrancinhas, fomos ao mercado do peixe e compramos camarão e pescada amarela (frescos e baratinho), tucupi, camarão salgado, pimentas, adereços e isopor para o camarão e o peixe (congelamos, vedamos o isopor e despachamos como bagagem; após mais de 10 horas de viagem, chegou congelado em casa).
      De tarde, atravessamos a ponte, a lagoa Jansen e fomos conhecer a praia da Beira-Mar. Caminhamos até o restaurante cabana do sol por mais ou menos seis quilômetros. Nesse trajeto inteiro a praia é feia, suja e poluída. Não recomendo nem um mergulho.
       
      A tarde foi de almoço, pestana e volta para a terra da garoa

       
      Obs: Total da viagem com algumas regalias R$1200,00 por cabeça, porém sem contar restaurantes e drinks
       
      Dicas para a travessia:
      1. Carregar pouco peso na mochila. Cada grama vai pesar uns 30 quilos no primeiro trajeto de 28 quilômetros
      2. Levar Clorin. A água de lá é limpa, porém, pode dar um piriri e você não quer passar por isso no meio das dunas
      3. Usar um bom calçado, um Timberland ou algo do gênero. Eu fui de papete e meia, e foi bom porque a meia impede a areia na papete. Nos últimos dias, fui de havaianas (deu bolha)
      4. Use protetor, muito protetor.
      5. Para comer, leve apenas bolacha e umas frutas
      6. Use roupas leves e boné
      7. Bermuda de pressão é um bom negócio também, porque pode molhar e não entra areia = sem assaduras
      8. Leve esparadrapo para bolhas, caso você encare chinelo de dedo

    • Por Prih Ferreira
      Olá galera do bem!!! Olha só não sou boa em escrever relatos e nem taanta paciência pra isso tenho..rs Mas me amarro em dar uma ajudinha e pitacos quando pedem. Essa viagem em especial achei válido escrever, afinal, iniciei em Imperatriz rumo a Chapada das Mesas em Carolina MA, S. Luis, Alcantara, Travessia dos Lençois Maranhenses em 3 dias rumo a Jericoacoara. Média de 16 dias com uma grana que sobrou do salário e que fiz sobrar não pagando uma conta ou outra rsrs( tudo em média, não sou de ficar anotando tudo...rsrs). No dindin tinha R$ 990 + R$ 350 no cartão de crédito + um dinheiro que entrou durante a viagem. Tive então uns R$ 1600 maaais ou menos. Disso sobrou: R$ 200 no débito, e R$ 150 no crédito e mais uns trocados comigo. Assim sendo, acredito que eu deva ter piscado em alguns detalhes importantes, entonces é só perguntar...
       
      Gosto dos ares, ventos e da gente que mora em Fortaleza e como as passagens estavam bem caras, disse que "invadiria" Fortaleza nem que fosse pelo Maranhão...hehehe E assim foi que realizei mais um dos quatro primeiros desejos de criança quando me interessei em conhecer algum lugar – conhecer os Lençois Maranhenses . ( os outros eram Machu Picchu: Ok , África e Grécia)
       
      Como bati o pé e disse que iria nem que fosse só... assim foi Aaaah e queria fazer uma viagem super econômica... Pq dinheiro não tinha guardado nenhum... Então acreditei em alguns relatos que diziam que era possível economizar..rsrs e assim fui
       
      Como comecei:
      *Pesquisei nos sites dos mochileiros.com as rotas e dicas
      *Ativei minha conta no Cauch Sourf
      *Criei tópico no ‘ Companhia pra vaigem’ aqui do blog. ( onde ganhei um companheiro pra fazer o Maranhão e ainda conheci mais outra pessoa que só fui encontrar já em S. Luis e depois em Jeri  )
      *Criei tópico também no grupo do FB
      *Busquei falar com pessoas que já tinham feito roteiro, ou que moravam próximo aos locais para pegar mais informações e depois selecionar as que valiam para mim
      *E sempre na criação de seu roteiro fique de olho no mapa e na logística ainda mais quando o tempo é curto e tem muita coisa pra se fazer.
       
      Ter um roteiro, isso não quer dizer que serei fiel a ele custe o que custar.. mas é uma segurança a mais, pois é algo que você já tem algum conhecimento nem que seja na teoria sobre os lugares... Se as rotas alternativas que rolam no caminho não darem certo ou se derem só por um momento e você precisar saber pra onde ir, você já terá algumas informações com você... ( eu me sinto melhor fazendo assim, tem pessoas que não... O que te faz bem e te da segurança, tá bom! )
       
      Chapada das Mesas – Sul do Maranhão
       
      Peguei voo ( R$ 125,00 - Gol) de Brasilia para Imperatriz- MA, lá quem nos recebeu foi uma família lindaa que eu encontrei graças Couch Surfing... ficamos hospedados na casa deles de domingo para segunda... Nos buscaram no aeroporto e saímos para jantar uma bela moqueca. Na segunda feira o plano era seguir para Carolina-MA que é a porta de entrada das Chapada das Mesas. Além da grande sorte que tivemos de ter ficado na casa de pessoas tão especiais, o Kássio ainda nos levou até o nosso primeiro ponto de visitação, Pedra Caída que já fica na Chapada das Mesas... Muito legal isso, né?! E econômico também...rsrs

       
       
      Vans saem de Imperatriz rumo a Carolina no valor de R$ 35,00. Li em um relato que elas saiam próximo a rodoviária antiga... como não precisei pegar van, essa informação atualizada não rola... Mas tb tem o busão que deve ser por volta de R$ 20,00.
       
      Primeiro atrativo – Pedra Caída. Vale MUITO conhecer, imaginem um canyon que dá acesso a um salão, uma queda d'água impactante. O guia disse que por volta das 10h o sol bate exatamente na abertura por onde a água cai. Qualquer descrição é pequena perto do que é aquele lugar... só vendo mesmo.
       
      Valor de entrada: R$ 10,00 se tiver carteirinha de estudante ou professor vc paga meia. Essa entrada da direito tb ás piscinas do lugar.
       
      Valor de visitação com guia a pedra caída – R$ 15,00 ( nessa não vale meia entrada rsrs)
      Antes de ir a Pedra Caida resolvemos almoçar, tudo deu R$ 60,00 reais dividido por três.. Comemos uma picanha na chapa com arroz, feijão, salada e cervejinha... Os preços n são láaa baratos né.. mas tá bão!!
       

       
      Depois fomos para beira da pista esperar a van para ir p carolina ou na sorte uma carona de alguém que tivesse saindo do atrativo.. Apareceu primeiro a van.. pagamos R$ 5,00

       
      Descemos na rodoviária da cidade e dai já aparecem motoboys e taxistas pra te levarem p o centro da cidade... Numa boa, da pra ir a pé pro centro.. tipo uns 20min + ou - dependendo do passo e vontade rsrs Mas como não sabíamos... o taxista queria R$ 15,00.. no fim nos levou por R$ 10,00... Aaai começou a florecer meu ser negociador
       
      Pousadas: Não fomos com nada marcado. Geralmente o que aparece na internet é mais caro. Por isso prefiro chegar no lugar e averiguar com o próprio pessoal da cidade. Nessa o taxista nos levou a uma que seria barata. Cobrou R$ 20,00 cada um, quarto tripo e ventilador... O lugar tava um foooornooo.. não rolava.. n sou chegada a um ar condicionado, mas assim não davaaa.. Mas a senhora é super gentil, a pousadinha estava cheia e o quarto que tinha sobrado foi esse... No fim das contas paramos na pousadinha Portal da Chapada que é bem simples, o pessoal lá são umas graças, super tranquilos e sorridentes..rs No inicio queriam a tabela das pousadas lá que é em alta temporada de R$ 50,00.. dai conversando.. negociando...rs O preço baixou para R$ 30,00 a diária cada um, quarto triplo com ar condicionado e banheiro interno.. ficaríamos ali duas noites...
       
      Tinha festa na cidade, então curtimos um pouco da noite da cidade. Comida não é cara... preço normal...
      Passeios: Lá em Carolina tem empresas de turismo caso vc queira algo mais seguro. Mas como a grana não estava longa optei em tentar chegar em algum lugar por conta. Tem também carros particulares hilux que levam grupos para passeios... O que pode valer a pena se conseguir negociar, pois os valores podem ir de R$ 350,00 a R$ 700 para te levar ao mesmo atrativo.. Valor dividido entre todos... Então apareceu um cara querendo 450.. depois baixou pra 350.. o que ficaria 70 reais para cada..isso tendo que ir apertada no banco... E lá vai eu arriscar alto. Não topei essa, disse que tentaria ir por conta... Na manhã seguinte pegamos fomos andando para a rodoviária e pegamos uma van R$ 15,00 para Riachão... O lugar não foi nada receptivo com a gente. As pessoas te olham desconfiadas... não curti... Um homem chegou oferecendo para levar ao Poço Azul.. queríamos fazer Poço azul e outro lugar.. o dele era só poço azul, pois para ir ao outro tinha que ser carro com tração. Ele cobrou R$80,00 reais Não acreditei naquilo, pois, somados o valor de ida e volta da van fora a entrada no atrativo daria quase os R$ 70,00 que eu não quis pagar pro cara do aperto da hilux... Quando vi que não teríamos outra alternativa no momento, aceitei pagar o valor que baixou para R$ 70,00, dai pedi uma garrafinha de água de brinde pra cada um..rs pelo menos isso né... Mas olha só, ele só ia nos deixar lá e voltar, pois não poderia deixar a vendinha dele na rodoviária só... Teriamos que ver ainda como voltar. Os motoboys não fariam isso por menos de R$35,00 E eu com dinheiro contado huahuahua...
      Poço azul vale muito conhecer também. Tem ótimos lugares para banhos... Na volta uma família que estava por lá passeando também nos ofereceu carona... Ou seja gastamos no total 43,00 reais + a entrada que é de R$ 20,00... Uffa!! Tudo deu certo!!!

       
      Depois já em Carolina, fomos as margens de um rio que divide ali Tocantins e Maranhão para ver o por do sol.
      No dia seguinte tínhamos que seguir rumo a São Luis. Conseguimos saber de um busão que teria vaga saindo de Imperatriz. Pois os que passariam por Carolina já estavam cheios.
      Seguimos para Imperatriz por volta das 13:30h de busão, pagamos uns R$ 20,00. A van é um pouco mais cara R$ 35,00. Chegando lá a gente foi atrás da empresa que teria vagas ainda, mas já eram.. Mas naquele quase mesmo instante duas pessoas tinham desistido da viagem... Sorte para nós!! Uma senhora atrás da gente vendo o ocorrido quase não acreditou reclamando que tinha acabado de ir ali perguntar... Busão de Imperatriz MA/ S.Luis = R$ 90,00
       
      dica: Tem o trem de passageiros da vale, o valor das passagens é bem mais em conta que pegar um busão para S. Luis... Contudo ele tem dias certos pra ir e pra vir... Segue o link com horários, dias e valores... No caso a pessoa estando em Imperatriz ou Carolina, tem que seguir para Açailândia que é onde passa o trem.
      http://www.vale.com/brasil/PT/business/logistics/railways/trem-passageiros/Paginas/default.aspx Se nã der certo vai no google que vai dar certo huahauhaua
       
      Lugares que velem a pena conhecer e não deu tempo: As grutas, passeio que vc pode perguntar lá na Pedra Caída e combinar.. o lugar é de fato lindo e não é caro o passeio.. se não me engano é R$ 40 reais.. algo assim... mas não passa disso.
      São Romão, Prata e Itapecurizinho ( são lugares que vc conhece num passeio só)
       
      Outra coisa que observamos que vale a pena é alugar um carro, na maioria dos atrativos vc chega com carro simples... No aeroporto em Imperatriz vc tem a opção da Localiza.
       
      São Luis – Alcantara
       
      Amanheceu, chegamos em S. Luis e fomos atrás de informações para ir ao Porto, as linhas de transportes que nos deixaria ali, pois a Dafne estava nos esperando pra conhecer Alcântara, o catamarã sairia ás 8:30.. Como tivemos ainda na rodoviária de Imperatriz um problema com o ar condicionado, foi o tempo suficiente para não a gente não chegar a tempo no porto que fica ao lado do Terminal da Praia Grande... Mas estava tudo certo, como o próximo era só ás 11:30hs, fomos ao Hostel Solar das Pedras(R$35,00) da rua da Palma pois o André resolveu pernoitar nele... Chegando lá encontrei a Suellen outra moça que conheci pelo grupo mochileiros, ela me reconheceu rsrsrs muito bacana essas coisas... Eu e a Dafne falando empolgadas sobre a travessia dos Lençois que queríamos fazer acabamos empolgando outras pessoas ali que nem sabiam que tinha isso...( atravessar parte dos lençóis maranhenses a pé). Comigo e com o André veio o Sérgio. Com a Dafne se juntou mais duas pessoas que começaria a travessia só na segunda feira...A nossa já seria no dia seguinte. Juntou-se a nós mais uma galera boa e fomos as 11:00 para o Porto (fica perto do hostel) rumo a Alcantara.. Aah!! O pessoal do hostel não quis guardar minha mochila Mas tudo bem!! Lá no porto vc paga R$ 1,00 e fica muito bem guardada até por 24hrs...

       
      Pisando em Alcantara, vários guias vem atrás com tudo.. rola uma disputa chatinha as vezes de se ver... Mas acabamos aceitando um lá, cobrou R$ 20,00 pro grupo.. ficou então baratíssimo para cada um, estávamos em mais de 5 pessoas. É interessante conhecer lá, saber um pouco da história... lá é pequeno, tem muita ruina.. parece estar esquecido...uma pena.. Barco custa R$ 20,00 pra ir e o mesmo valor pra voltar... no final lanchamos por lá, tem coisa gostosa como bolos, salgados ou peixes e não é caro... Voltamos por volta das 16:30. Valeu muito pegar o pôr do sol do barco.
       

       
      Eu ia dormir na casa de uma amiga de um amigo meu... Mas estava tendo manifestação, dai tava difícil pegar ônibus e o taxi estava me cobrando pra me levar ao bairro quase o valor da diária do hostel... Tentei negociar da mulher abaixar o preço pq só iria ficar ali até as 3:30h da madrugada. (Já estava tudo certo, uma van iria pegar a gente e nos levar até Sangue e de lá pegaríamos uma jardineira para chegar a Santo Amaro).
      Mas a mulher me indicou um albergue na rua ao lado – eu e uma outra que não queria pagar mais 35 reais fomos lá, mas já não existe... subimos as ruas atrás de hotéis mais baratos..
      Ao passar em frente a um senti um cheiro de insenso ( até ai tudo bem). Mas não me senti bem. Deixei a menina á pra ver o preço e fui em outro ao lado que mesmo o cara sendo legal o preço ficou duas vezes o do hostel..hehehhe Voltei ao do cheiro de insenso, e fui ajudar na negociação. Uma senhora de rosto fechado atendia a outra moça, mesmo não curtindo os ares fui lá ajudar a abaixar o preço... Eu toda lá descontraída ( tentando trabalhar meu psicológico, imaginando ser coisa da minha cabeça estar sentindo estranho o lugar).. a mulher se mantinha sem carisma, mas abaixou o preço fazendo por R$ 20,00 (era para eu estar saltitante, né?! Era...) Me aparece no corredor um senhor negro sem camisa, de cabelos brancos andando meio ‘sei lá’ estranho em nossa direção ( cara, assim que vi ele me senti naqueles filmes de suspense..huahuaha), ele não tinha brilho de vida. Me entende? Os olhos dele não tinha brilho...era como dizem por ai ‘ cabuloso’... Dai a senhora grita uma outra pessoa que sai de um quarto ( olha, esse também era estranho, nem um pingo simpático, e também sem brilho. E não. Nem porpurina ajudaria..rsrrss ), ela pede que ele não desfaça um quarto, pois, eu e a outra moça ficaríamos ali. Ele concorda fazendo sinal com a cabeça e sai. Ela nos leva pra conhecer o quarto onde dentro dele havia um outro cômodo a parte que estava com a porta aberta. Noossa!!! Tinha garrafada no chão e velas acesas. Ela meio desconcertada fechou essa porta dizendo que era pra caso a luz acabar... medaaa... olhei para as camas e pensei: se eu deitar ai amanhã não vou consegui me levantar para fazer a travessia... fiz um sinal pra menina- como quem diz “vamos sair vooadaaas daqui”.. agradeci e disse que ia buscar a mochila e até hoje não voltei..hahahha Paguei sorrindo os R$ 30,00 no hostel.. ( a mulher me deu desconto de 5 reais huauahua)
       
      Hostel Solar das Pedras em São Luis: http://www.ajsolardaspedras.com.br/
      Telefone do Denilson que te busca com a van para levar até Sangue: 8808 9190 ( eu fui com ele)
      Mas também tem esses outros: Thomas: 8729 3454 ou com final 50 (hehehe a pessoa me passou meio confusa esse numero)
      Tem ainda uma Tata:3253 3335
      Deve ter outros tantos, acredito se um não tiver mais vaga te passe o contato dos outros
      A travessia combinei com o Biziquinho. Um guia super do bem mesmo. Aqui está o facebook dele e ai tem os numeros dele tb:
      https://www.facebook.com/biziquinho.lencois?fref=ts
      O valor: Ele havia cobrado R$ 450,00. Dai dividido por três ficava R$ 150,00. No final já em Santo Amaro nos juntamos a um grupo de franceses, uma canadense e outro brasileiro. Somamos 10 pessoas e saiu R$ 30,00 reais por pessoa em cada dia. Esse valor pode sim sair ainda menor. Importante demais acertar tudo antes de ir, ponto a ponto e possibilidades.
       
      Travessia dos Lençóis Maranhenses – Santo Amaro a Canto dos Atins
       
      Vou tentar resumir isso aqui pq é muita coisinha e acaba ficando loooongo demais... dai algo que eu tenha pulado é só perguntar...
       
      Já estava me comunicando com o Biziquinho um guia suuuper gente fina. Ele quem me passou o numero do moço da van também. O pessoal da jardineira já nos deixou em frente a casa do Biziquinho. Fomos super bem recebidos. Estavamos com fome, já era quase 10hrs e nada de café até ali. O Bizico nos levou a um lugar que olhando vc jura que não tem nada ali.. E que deliciosa surpresa, eles faziam alguns lanches na maior rapidez, ótimos sucos.. O nome não me lembro mais o Biziquinho sabe huahuaha. Como resolvemos nos juntar a um grupo de franceses e a mais uma canadense e brasileiro, resolvemos iniciar a travessia no dia seguinte... O guia então nos levou para conhecer os arredores da Santo Amaro, tomamos banho no rio.. foi bão... Fechamos também de pegar uma jardineira (R$ 10,00 por pessoa) para nos deixar mais adiantados na travessia. Você pode começar desde Santo Amaro, mas chegaríamos já a noite e durante a travessia só rola lanchinhos leves, o sol é forte, a água é só a que levamos, então não rola de ficar andando de barriga vazia...


       
      Eu e os dois parceiros estávamos de mochilão pq a nossa viagem iria continuar. Quer dizer só a minha e a do Sérgio. Após a travessia André retornaria a S. Luis para voltar pra casa. Lá vai a gente na coraaagem com essas mochilas pesando entre 8kg e pra lá de 14kg (a minha tinha 12kg). Ôooo LÔCO.. não façam isso. Fazer uma travessia na areia é MUITO diferente numa trilha de terra, pedra... areia fofa, fofa molhada, algumas vezes mais durinha exigem muitooo dos pés, e de todo resto o esforço é triplamente maior.
       
      Dica: Lá de São Luis procure despachar sua mochila já pra Barreirinhas que é o próxima parada depois que acabar a travessia. Para melhor saber pergunte ao guia que vc pretende fazer a travessia. Mas lá em Santo Amaro você pode ver com as jardineiras que passam por Canto dos Atins ( final da travessia) E lá você reencontra tuas bagagens. O preço? Não sei... Mas já iniciada a travessia, em nossa primeira pernoite na casa do guia os dois que estavam comigo depois do primeiro dia com as mochilas decidiram despacha-las com uma das alternativas achadas já no meio dos Lençois. Um rapaz as levou de moto até Canto dos Atins, cobrou R$ 40,00 reais de cada. Agora saindo de Santo Amaro não sei quanto fica. Quem sabe mais barato por lá você ter mais alternativas e algum poder de negociação por não estar no meio do deserto e exausto


       
      Durante a travessia comum é dormir em redários. O preço médio cobrado fica entre R$ 20 e R$ 25,00 dependendo do lugar. E a refeição também segue nesses valores. Em cada dia fizemos só uma refeição principal. O café da manhã é garantido...simples e beeem vindo

       
      Dicas: Umas parecem bem óbvias. Mas de tão lógicas corremos o risco de cometer 'ops'
      não leve seu mochilão huauahua
      Leve mochilinha de ataque só com protetor, ou bloqueador;
      Seus itens de higiene pessoal
      Lanchinhos, barra de cereal, biscoitinhos, goiabada ( a noite isso é um banquete tb).
      Kit primeiros socorros
      Garrafinhas de água ( eu levei duas) No ultimo dia comprei mais uma numa vendinha...
      Durante toda a travessia usamos a mesma roupa, não vale ficar trocando, afinal cv ta em meio a uma travessia na areia, com vento fortinho por vezes.. Mas leve uma peça a mais de roupa pra emergências..rs nunca se sabe...
      Cometi um ops... fiz o começo da travessia de short e fiquei com aquela marca linda que custa a sair... só depois fiquei só com o biquíni e outras vezes arrumei a canga de forma a tampar toda a perna.
      Uma francesa variou entre uma calça de tecido fino e biquíni tb.
      Hidratante
      Protetor labial
      Boné ou chapéu firmes na cabeça pra vc não sir feito doido correndo nas dunas para pega-lo de volta hehehhe
      A faça de chinelos. Durante a travessia vc fica variando entre ficar descalço e o chinelo.
      Atravessamos algumas lagoas no percurso, chinelos facilitam essas travessias...
       
      Nos três dias de travessia tomamos banho nas lagoas que estavam ótimas pra nadar. Só no último dia que a única chance era super cedo, antes do sol nascer, dai resolvi não entrar rsrsrs
       
      Era incrível o sentimento de estar ali em meio aquele deserto, e perceber que o mundo está acontecendo em volta e você rodeado de areia, aves... belezas naturais... distante de tudo. Quando era hora do sol se por nós já estávamos nos alojamentos, dai caminhávamos até as dunas pra lá de cima ver o espetáculo. E era lindo!!!

       

       
      Em nosso último dia acordamos as 3:30 para começar a caminhas ás 4h da madruga. Gente!!!! Foi um dos momentos mais fortes pra mim. Você olhar pro céu completamente estrelado. Depois de um tempo todos apagaram as lanternas, pois a lua mesmo se encarregou de nos iluminar. Vontade não faltou de sentar ali e ficar só apreciando, sentindo aquele ventinho, curtindo o silêncio... me emociono só de lembrar

       
      O último dia é o mais cansativo, e o menos belo se posso assim dizer. Caminhamos um pouco entre as dunas rumo ao litoral. Pegamos CHUVA, uma chuva que doía..rs Mas que valeu a pena.. afinal pegamos sol, chuva, areia, lama, céu estrelado, lua ... experiências diversas..hehehhe
       
      Pernas duidas, pés acabados, vontade de sentar e ficar ali quieta... Mas não rolava, tínhamos que terminar.. descansamos por minutinhos numa cabana de pescados desabitada, e seguimos.. sabe aquela sensação que tá chegando, você consegue ver o seu objetivo mas nunca chega? Pois é, nesse dia foi o que muito aconteceu..rs Mas CHEGAMOS! Como foi bom! Chegamos em Canto dos Atins. Lá é um restaurante, e de lá vc também pega a jardineira para Barreirinhas. Tem a opção de carro particular que cobra R$ 50,00 e isso se tiver 10 ou 13 pessoas certas de ir Conseguimos ir na jardineira mesmo que é bem mais em conta R$20,00.
       
      Obs: nessas vilas eles trabalham com sistema de vagas... uma determinada pessoa do ponto de onde vc vai pegar a van, liga p o motorista, e ele já conta com você deixando sua vaga separada.
      Quando a van passou o cara tinha 5 vagas. Os franceses estavam num grupo de 6 pessoas e nós já em 3. Foi a gente!
       
      De Barreirinhas o André voltou para S. Luis. Eu e o Sérgio seguiríamos rumo ao Parque das Sete cidades ou direto mesmo para Jericoacoara.
      Funciona assim:
       
      De Barreirinhas para Paulinio Neves, sai van só em dois horários, por volta das 8:30 da manhã e outro tanto de vans por volta de 14:00hrs. Chegamos depois das 15hrs, ou seja, já era, só no outro dia. Mas valeu muito, Barreirinhas tem uma boa estrutura, praça e restaurantes bons e preços acessiveis.. Gostei! Melhor, gostamos. Arrumamos uma pousada que a mulher queria R$ 35,00 de cada.. Dai consegui por R$ 30,00 e sem chances pra choradeira de abaixar mais o preço rsrsrs
       
      Rumo a Jericoacoara
       
      Meu banco é regional de Brasilia, um sacooo pra retirar dinheiro... Não encontrava aqueles caixas 24hrs com todos os bancos. Dai resolvi ir num posto de gasolina e pedir pra passar meu cartão no débito e eles me darem o dinheiro... os donos do posto aceitou cobrando um valor de R$ 20,00.. do jeito que eu estava precisando nem pedi pra abaixar a taxa hahahahha
       
      No outro dia seguimos Para Paulino Neves de jardineira pagando R$ 12 reais. Lá em Paulino Neves tem uns carros que cobram R$ 80,00 pra deixar vc em Parnaiba. Mas a próxima jardineira é R$ 8,00 pra Tutóia e de Tutóia para Parnaiba é uns R$ 15,00 reais n mto mais que isso...
       
      Momento de decisão: Descer para o Parque das Sete Cidades ou ir direto para Jeri??
       
      É nesse momento em Tutóia que você pode seguir para Delta do Parnaiba ( colado em Tutóia) Ou seguir para Parnaiba e de lá decidir o que fará da vida..rs Eu tinha que decidir ir ao Parque da Sete Cidades conforme planejei ou seguir pra Jeri.
       
      Não quis conhecer o Delta do Parnaiba. Depois de tantas dunas e belezas típicas da região, eu já me sentia saciada. Dai fomos rumo a Parnaiba, e lá encontrei caixas 24hrs. Quase chorei de emoção..rsrrs e depois de certa raivinha..pois eles estavam inuteeeis... aff!!! Por conta disso, d adificuldade em retirar dinheiro, resolvi não arriscar indo para o Parque das Sete Cidades  E fiz o sacrifício de seguir direto para Jeri huahuahuha
       
      Então vou para Jeri mesmo...
       
      Os valores para Camocim ou para Piripiri não passam de R$ 18,00. Um senhor se aproximou falando que morava em Camocim e que nos levaria por R$ 20,00 cada, pois ele já estava indo pra lá mesmo... arriscamos e deu tudo certo! Senhor gente fina, tranquilo no volante. Assim que chegamos em Camocim o próximo bus pra Jeri sairia ás 23hrs e a chegaríamos lá por volta de 1h da madrugada, e como eu não tinha lugar pra ficar ainda e a estadia do Sérgio só começaria mesmo no dia seguinte, resolvemos dormir em Camocim que por sinal é uma gracinha também. Ficamos num hotel de frente pra rodoviária. O mais simples. O valor na tabela era de R$ 30 reais por pessoa e não passava cartão (outro dilema meu na viagem rsrrs). Disse que o Sérgio poderia ficar ali que eu iria procurar outro lugar pra mim... Dai a mulher que não queria baixar o preço fez R$ 20,00 cada huhuuhuhuhuhu pensa como fiquei feliz!! Hahahhaha
       
      Compramos a passagem para Jeri pra sair ás 11h da manhã. O valor foi de R$ 20,00, sendo R$ 10,00 era pro busão e restante pra mais uma jardineira que estaria esperando os passageiros da Frectar.
      Obs: a jardineira é opcional.. Se não quiser a jardineira da Frectar você paga só o valor do busão e lá em Jijoca você pode pegar jardineiras independentes.
       
      Jericoacoara
       
      Jeri estava com aquele movimento de férias. Mas segundo o Sérgio, era ainda menor que no mês de janeiro. Pooo.. menos de duas horas em Jeri, percebi que 7 dias ali seriam poucos...
      Assim que você desce da jardineira já vem váaarias pessoas oferecendo estadias e tals. Dai tinha uma pousada simples e um senhor com uma proposta indecente.. calma, calma.. nada disso que pensas..hahaha a proposta era me cobrar R$ 100 a diária seem chaances.. haha eu mesmo dividindo por dois dias ( o tempo que ele teria vago o quarto) com uma senhora que conheci na jardineira ficaria caro para mim. Então resolvi ir atras do que eu sabia que poderia sair mais barato: camping. No último caso aceitaria até redário - de novo - . Fui no hostel suuuuper bacana Jeri Hostel, mas a diária não saíria por menos de R$40,00 por conta da temporada e isso multiplicado por 7 dias era grana demais pra mim. [/url]http://www.jeribrasil.com.br/[/url], lá ainda tem o Tirol tb. Fui então ao Camping Natureza que fica quaaase ao lado do Hostel. Se eu levei barraca? Não. hehehe Cheguei no camping assim hahaha e me cobraram R$ 12,00 a diária hahahhaa fiquei assim e assim Me arrumaram uma barraca e ainda um colchão inflável..uhuhuhu lá tem banheiros e cozinha ainda e a galera e o Natureza ( nome do dono do lugar) são bem especiais.
      Então ficou assim, metade de mim era camping e metade era hostel rsrsrs a galera que conheci e ficamos em grupo depois estava no hostel. O Rames que cuida tb do hostel é muito bacana mesmo, super astral bom...
      Não deizei de fazer o passeio para o Paraiso. Comi camarão, comi muita tapioca, bebi minhas caipirinhas... Economizava um pouco aqui e depois me dava o prazer em um prato melhor ou bebidas... Fui ao forró, a padaria que abre só de 2h da madruga até ás 6h comer pão de chocolate e outros ( belisquei..rs), conheci uma galera muito especial, ótimas companhias - isso durante tooooda a viagem. Foi tudo INCRIVEEEEL e sem gastar muuita grana.
       
      Ver o pôr do sol bem ao centro da pedra, tendo essa visão ai, só ocorre pelo mês de julho




       
      Volta de Fortaleza/Bsb - R$ 200 + taxas.
       
      Boooons ventos a nós!!!

    • Por Flavio Amorim
      Bom galera MOCHILEIROS sou novo aqui no site, mais é muito bom ler os relatos dos viajantes e compartilhar experiencias de viagens
       
      minha ultima viagem foi em setembro de 2012 pro ceara, onde pude conhecer alguns dos melhores pontos turisticos desse estado maravilhoso !
       
      ja tinha me programado pra sair de ferias a partir de julho de 2012, ja estava tudo certo pra fazer uma pequena excursao pelo sul do maranhao, e visitar as cidades de riachao e carolina, lugares espetaculares com lindas paisagens e cachoeiras !
       
      bem passei uns 5 dias no sul do maranhao e depois voltei pra teresina - piaui e segui viagem pra fortaleza pra passar apenas quatro dias a convite de uma amiga, que se mudara recentemente !
       
      Eu nao estava afim de viajar sozinho, entao praticamente implorei pra mais doi amigos irem comigo: milliam & andre, ate me dipus a arcar com as despesas dos passeios e alimentacao la no ceara pra milliam e mais uma amiga que ja morava la em fortaleza a Manu !
       
      uma boa dica, se vc conhece alguém no lugar onde vc vai passear peça dicas, as pessoas conhecem melhor do que vc o lugar, e foi isso que eu fiz !
       
       
       
      A Manu me ajudou muito nesse sentindo, disse a ela que passaria 4 dias e os locais que gostaria de conhecer ! Pena que nao deu tempo de conhecer ubajara e tianguá (fica pra proxima)
       
      vamos lá entao, após uma hora de vôo de teresinam, eis que chego em fortaleza ! Olhando pela janela avisto uma paisagem semi-arida e uns moros, parece uma paisagem desértica, do aeroporto segui pro municipio de Messejana e fiquei hospedado numa casa de uma familia que eram amigos da manu ! do aeroporto pra messejana pagamos R$ 18.00 (achei super barato , em belém pegar taxi é caro), ja chegamos a noite por volta das 20hs !
       
      No primeiro dia fomos conhecer um lugar chamado "AS TAPIOQUEIRAS" onde podemos comer tapiocas dos mais variados sabores, - nao gostei de tapioca com carne de sol, vei na boa é muito ruim, prefiro o tradicional, ou aquelas com sabores doce, pagamos uns R$ 4.00 por tapioca, o trajeto visemos de onibus, descendo em varias integracoes(estacoes de onibus) a passagem nao chega aos R$ 3.00
       
      No ´quarto dia fomos direto pro Beach Park, acordamos de manha bem cedo e pagamos o busao , descemos no shopping iguatemi e compramos quatro ingressos numa promocao que estava rolando e ganhamos um armario de cortesia pra guardar nossas coisas !
       
      Foi super divertido no beach park, o parque tava um pouco cheio , entao quando fomos trocar de roupa no banheiro nos perdemos uns dos outros, como nao achei o pessoal e o parque tava cheio, fui me divertir sozinho ! foi massa descer do INSANO, cara vc chega la no alto da um Medo, vc pensa que vai sentir aquele friozinho na barriga, mas na hora da descida, sao acho que uns 4 segundos de queda livre que voce nao tem tempo de sentir nada ! fui sentir quando cheguei na piscina la em baixo, senti em pouco de tonteira mas depois passou - acho que foi o nervosismo misturado com a adrenalina.

       
      nao lembro bem mas acho que pagamos uns R$ 70.00 cada ingresso pro beach park
      lá colocamos r$ 150,00 no cartao que voce credita essa valor pra comprar alimento & bebidas dentro do parque, ja que eles nao aceitam dinheiro em especia la dentro !
       
      bom na hora que a broca bateu fomos comer num quiosque que vende uns churrasquinhos arabes, peguei uns tres pq doi nao encheu, acho que gastei la uns r$ 45,00
       
      Cara la tem um passeio que eu queria fazer, mas nao deu tempo, é vôo panoramico pelo litoral, quando vc vai pro beach park, vc ve o local na estrada!
      ________________________________________________________________________________________________________________________________________________
       
      nesse mesmo dia apos chegar do beach park, fomos pro aeroporto pegar um vôo pra belem !
      ________________________________________________________________________________________________________________________________________________
       
      segundo dia partindo pra jijoca de jericoacoara !
       
      A manu trabalha como guia-turistico em fortaleza, ela entrou em contato com um amigo dela em jijoca, ele veio nis buscar em fortaleza e nos cobrou R$ 550,00 pra 4 pessoa pra nos levar em jericoacoara e pra levar nos principais points la, e de quebra ainda nos hospedou na casa dele, e nos deu alimentacao, entao nao gastamos tanto !
       
      jeri é incrivel ! aquela vilazinha de pescadores com 4 ruas apenas, e linda a noite, é iluminada apenas pelas luzes dos estabelecimentos !

       
      jeri tem muitas coisas pra fazer, Windsurf é uma coisa boa , mas nao fiz, por falta de tempo !
       
      nao achei as coisas em jeri caras, jantamos a noite nun restaurante, deu uns r$ 45,00 p/ pessoa, e a comida estava excelente, peixe com molho de castanha de caju, foi uma iguaria deliciosa.
       
      Fomos servido por um gringo que estava fazendo um bico essa noite. e no nosso regresso pra fortaleza encontramos ele no onibus que voltamos, é bom levantar um troco nessa situacao, ajuda neh !
       
      acho que passamos 2 dias em jijoca

       

       
      Ah um fato legal que eu lembrei, em aquiraz tem uma lagoa imensa, perto da praia do presidio acho, manu me levou mais o andre, é muito bonito la !
      mas tive uma experiencia dolorosa lá, quando chegamos perguntei pra um pescador como era naquela lagoa, se tinha peixes carnivoros e tal, ai ele disse nao, so uns peixinhos que beliscam !
       
      Nunca duvide da sua intuição, eu fiquei sismado, mas desci do tobogan e fui pra agua, meu nao fazia nem dez minutos que tinhamos chegado la, eu tava tomando banho com a agua na cintura , pq nao cogitei de me afastar da beira, quando de repente senti algo me mordendo, eu dei um pulo dentro dagua ! e comecei a sentir dor, o andre em vez de me ajudar se assustou e me empurrou mais pra dentro dagua, e eu agoniado, sai pinado da agua, quando sai uma piranha tinha quase arrancado a cabeca do meu dedo do pé ! (gente se vc achar o lugar lindo, mas nao confiar nao entrem)


       
      depois que isso aconteceu, foi o jeito tomar banho com uma garafinha dde agua mineral na beira !


       
      mas la na lagoa o por do sol é lindo !


       
      jeri é linda, nao deixem de conhecer quando visitarem o ceará !
       
      o orla da praia de iracema é massa a noite, muitas coisas legais, ali ferve a noite !
       
      tem galera que patina, que anda de skeite, e outras coisas legais

       
      da rodoviaria de fortaleza tem um onibus p jijoca de jericoacoara preco ida e volta R$ 120,oo !
       
      bom galera é isso , espero ter contribuido de alguma forma !
       
      ate a proxima aventura !
    • Por Andréa Bordin
      Pessoal
      Vou deixar de ser passiva e só consumir informações do site para também contribuir com essa comunidade que tanto me ajudou com informações nessa em outras viagens
      O destino da vez foi o Ceará. Sou do sul, já viajei por alguns paises, mas vergonhosamente não conhecia nada do nordeste..
       
      A escolha pelo Ceará veio do imaginario que tinha das dunas e coqueiros, um cenário que não existe aqui no litoral sul. Como tinha poucos dias e queria conhecer mais lugares, optei por ficar 1 dia em Fortaleza, 2 em Canoa e 5 em Jeri. Estive em duvida se iria para Canoa ou não, já que isso demandaria mais tempo na estrada. Optei por ir e não me arrependi, pois em termos de belezas naturais, gostei mais de Canoa. As falesias de areia vermelha e o vento constante são incriveis!
       
      Em Fortaleza fiquei um dia na casa de um host do Couch Surfing (http://www.couchsurfing.org), que me provou mais uma vez ser um projeto de troca de hospitalidade maravilhoso. Em plena madrugada do dia 25 de dezembro meu host e sua namorada me pegaram no aeroporto e passaram o dia comigo me mostrando várias coisas legais de Fortaleza. Os pontos altos foram a praia do Futuro e o Centro Cultural Dragão do Mar, além do vento constate e dos nossos papos, claro
       
      No dia seguinte parti para Canoa. Combinei um transfer de Fortaleza para Canoa, saindo as nove da manhã pela empresa Cooptema, que parece ser uma cooperativa de vans que faz esse trajeto. Essa combinação aconteceu através de uma série de emails e telefonemas (foram vários..) porque eu queria ter certeza que eles me pegariam no local e hora marcado, visto que já tinha ouvido falar da falta de responsabilidade de algumas empresas/motoristas que fazem esse tipo de serviço no Ceará.
      Bom, advinha o que aconteceu? Uma hora antes do combinado, o motorista me ligou avisando que o carro tinha dado problema e que ele só poderia me pegar a tarde!! Sendo uma cooperativa eu expliquei que esperava outro tipo de solução, ou seja, outro carro/van para me levar a Canoa. Tratei com o sr. Romildo e com o Rafael e esses srs. não solucionaram o meu problema. Tive que ir para rodoviaria e pegar o ônibus de só sairia as 13:30. Cheguei em Canoa no final da tarde e perdi uma tarde de passeios.
       
      Me restou o dia seguinte, que foi muito bem aproveitado, por causa do auxilio do namorado de uma menina que também conheci pelo Couch Surfing. Ele trabalha com turismo lá em Canoa e foi por causa dele que consegui agendar vários passeios em um único dia. O nome dele é Reginaldo, eu recomendo! Também recomendo o passeio de buggy, o voo de parapente (por causa do vento forte e constante, o parapente decola de qq lugar!) , o passeio de jangada....
       
      No dia 28 bem cedo parti para Fortaleza, agora de ônibus mesmo, e cheguei na rodoviária em tempo para pegar o transfer para Jericoacoara. Esse transfer foi combinado aqui pelo site Mochileiros com umas meninas de SP e dessa vez deu tudo certo. Chegamos em Jeri perto das quatro da tarde (sim, o trajeto é longo e o motorista não ultrapassa os 80 km).
       
      Bom, Jeri é tudo aquilo que falam, mas vou deixar outras impressões que não tinha lido: as coisas não são caras lá! Isso me surpreendeu bastante pois todos falavam: "prepara o teu bolso". Caipirinhas por 8 reais, almoço no Clube dos Ventos por 15 reais, jantar em um restaurante charmoso por 30, não está carro né?
      Em relação aos passeios, fui esperando muito das lagoas e me decepcionei, elas estavam bem vazias e não eram nem de perto parecidas com o que eu tinha visto nas fotos. Em compensação o por do sol na duna é show, é uma experiencia única, assim como descer correndo a duna
      Em Jeri, recomendo passar o dia no Clube dos Ventos, que é um club que aluga prachas de kite e wind surf e tem uma infra-estrutura muito boa para passar o dia. As cadeiras são concorridas, mas sempre dá para encontrar um espacinho para estender a canga e passar o dia ali vendo gente bonita e sendo atendida por garçons super gente boa. Ninguem te pressiona para consumir e os itens não são caros (como comentei antes, um almoço com salada e peixe bem farto sai em torno de 15 reais).
      Recomendo também a peixaria ao lado do café Tortuga, onde tu pode escolher o peixe e ele e´assado na hora. Uma delicia de lugar, bem simples, mas com uma comida saborosa. Além disso, tem vários locais com PF´s de 10 reais bem saborosos! A dica de restaurante charmoso é o Na Casa Dela.
       
      Vou acabar o meu relato, recomendando um serviço de transfer que me surpreendeu bastante! A estória é a seguinte: Tratei um transfer de Jeri para Fortaleza porque as passagens de ônibus da Fretcar para o dia 02 a noite tinha acabado (comprem a passagem de volta logo que cheguem!). Como tinha que estar no aeroporto as 9:30 da manhã do dia 03, teria que sair de madrugada de Jeri ou no dia anterior (mas isso me faria ter que dormir em Fortaleza = tempo + gastos). Achar um transfer que saisse de madrugada era muito dificil, mas lembrei do Everardo, que tinha nos levado para o passeio nas lagoas e tinha comentado que teria que pegar um pessoal no aeroporto de Fortaleza no dia 03 de manhã cedo. Liguei para ele, que disse que me levaria de madrugada para Fortaleza pois já tinha essa viagem agendada. A minha surpresa foi que a tal viagem dele foi cancelada no dia anterior, mas mesmo assim ele manteve sua palavra e me levou de Jeri para Fortaleza as três da manhã. E ele fez isso pelo mesmo preço combinado anteriormente (preço da sua gasolinha -150,00 reais). Por isso gostaria de retribuir a forma que ele honrou sua palavra deixando seu telefone de contato: 088 96538582. Se precisarem de guia para os passeios e/ou transfer liguem para o Everardo pois o serviço é de primeira!!
       
      Bom gente, espero ter ajudado alguém com esse relato longo
       
      Abraço
×