Ir para conteúdo

Fordlândia, um sonho americano no Brasil


joshilton

Posts Recomendados

  • Membros

Fordlândia, Amazônia Americana.

Henry Ford instalou uma filial da Companhia Ford às margens do rio Tapajós, para a produção de látex
A Vila de Fordlândia, localizada a cerca de 120 Km de Santarém, no estado do Pará. 
Para se chegar a essa cidade-Vila, o barco parte de Santarém, na frente do mercado 2000. (normalmente os barcos com parada em Fordlândia têm como destino final o município de Itaituba), o tempo de viagem pode variar entre 8 h (lanchas) e 18 h,  (Barcos de linha), dependendo do tipo de embarcação.
Hoje a vila-cidade, está invadida por moradores das redondezas, liderados pelo presidente da associação de moradores da Vila, famílias da comunidade passaram a viver na antiga Vila Americana, que foi construída pela FORD, para  abrigar os funcionários americanos mais graduados.
Existem 2 pousadas na Vila, uma delas é bem familiar, digo, em uma residência de umas das famílias que residem nessa Vila, a outra é uma poisada propriamente dita, fiquei hospedado na primeira, é muito mais barato.
Segundo "os invasores", é para preservar o local de possíveis saqueadores, pois no local, tem torneiras, talheres, vasos e outros itens, todos em prata pura. Só que um dos "invasores", tentaram me vender um dos vasos, claro, não comprei, pois gostaria que tudo ficasse ali, para futuras visitantes verem o que Ford deixou na Vila.
Atualmente a cidade permanece resistindo até o ultimo instante com sua magistral estrutura de prédios requintados e funcionais, apesar dos sinais de abandono e má conservação. Os sistemas de saneamento ainda funcionam, mesmo que parcialmente. Anualmente, grande número de visitantes se dirigem à Fordlândia, que está sob a administração política da cidade de Aveiro, localizada à 2 horas de barco do local.
Só mesmo sob a administração, pois o que se vê e ouve da população local, é um completo abandono, em algo que poderia levar muito mais turistas ao local.

Cais do Porto.jpg

Escola no primeiro plano, segundo plano a caixa de água em pleno funcionamento a 80 anos..jpg

galpão.jpg

Hospital - Era todo equipado.jpg

Peça da época áurea da borracha.jpg

Seringal.jpg

  • Gostei! 3
Link para o comentário
  • Membros

@RicardoRM, É por via Santarém, tem barcos diariamente, geralmente saindo pela parte da tarde. Eu fui em lancha, pois é mais rápido, porém se deixa de apreciar as belezas naturais e só para em Aveiros, antes de chegar a Fordlândia. No barco de linha, vai parando em outras cidades e se tem mais contato com os nativos.

Escolhi ir de lancha e voltar pelo barco de linha, para ver a diferença entre um e outro. Se me perguntar hoje, como eu retornaria, eu diria que de barco, é muito mais legal. Gosto de fazer uma imersão cultural e nada melhor que estar no meio dos nativos.

Então, se você estiver em Alter do Chão, pegue o ônibus para Santarém, esses ônibus, passam a cada 30 minutos, fique próximo ao mercado 2000, pois é daquele lugar que saem as lanchas e barcos para Itaituba, só que você ficará em Fordlândia. 

Tem 2 pousadas, quase sempre fazias de hospedes, pois muitos turistas, ficam em casas dos nativos. É fácil alugar uma dessas casas, pois a grana não circula facilmente pela Vila.

  • Gostei! 2
Link para o comentário
  • Membros
25 minutos atrás, RicardoRM disse:

Vou a Alter do chão daqui alguns dias, mas sei que terei que voltar lá na temporada de praias, vou incluir no roteiro na outra viagem viu, no barco deve ser muito legal mesmo, é outro mundo né, bem diferente da realidade que vivemos aqui no sudeste. Gosto demais destas diferenças.

Poxa, você irá agora na cheia dos rios amazônicos, uma pena. 

Os melhores meses para vir a Amazônia, são entre agosto a janeiro, ai sim, vai ver as mais belas praias do mundo, no Rio Tapajós.

  • Gostei! 1
Link para o comentário
  • Membros

@RicardoRM, passeios de barcos tem todos os dias, saídas de barcos para quase todas as cidades do Pará e algumas do Amazonas.

Comer você vai comer muito mesmo. 

Em Santarém tem 2 grandes mercados, caminhe na avenida da praia, de um mercado a outro, vais encontrar peixes assados na hora. Pede um chamado Acari, saberei com todo o gosto, coma piracuí, uma espécie de farinha de peixe, uma tradição indígena, absorvida pelos nativos da região. Esse piracuí, tem uns que fazem bolinhos, tão saboroso, que tem um gostinho de quero mais. 

Mergulhe de cabeça na cultura local, depois conta TUDO aqui para nós.

  • Gostei! 1
Link para o comentário
  • 1 mês depois...
  • 1 ano depois...

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por Rogpan
      Fomos passar o Reveillon  2020/2021 em Salinas ou o Sal para os mais íntimos, aproveitamos para conhecer uma Praia que é bastante visitada, porém alguns de casa ainda não conhecem.
      Resolvi registrar...
      A travessia parte da Praça do Pescador, no início da Orla do Maçarico. Chegamos de carro no local onde estacionamos no acostamento (sem custos) e logo visível fica um trapiche da associação de barqueiros.
      O Ccusto foi de travessia foi de R$ 10,00 (dando direito a ida e volta por pessoa).
       

       

       


      Estacionamos sem custo e sem problemas com locais proibidos(fiscalização), muitas pessoas levam suas bebidas nas caixas térmicas, o bares no outro lado não geram problemas, para o consumo de comidas costumam cobrar os 10%, ficamos na primeira barraca onde tem umas casas de palhas recém construídas.
      O custo médio de um prato para 3 pessoas sai por R$ 75,00. O lugar é bem procurado por família e casais. Poucos carros aventuram-se a atravessar a extensa praia do Farol até essa ponta (final da praia do Farol).

      Os barcos atravessam de 4 até 15 pessoas, uma travessia de 5 minutos.
      o Local rende excelentes fotos!

       


      O Local conta com 3 barracas (bares), serve uma boa comida, não possui rede elétrica o que fica melhor por não ter som em grande volume.
      O local aceita pagamento em cartão ou transferência bancária. Não vimos pacotes divulgando o local nem outros tipos mas acreditamos que o local tenha outro atrativos turísticos, pois vimos muitos Guarás indo para seus locais de descanso. Em breve voltamo a explorar.
       

    • Por mmateusmelo
      Planejei esse mochilão a uns 3 anos para ir com um amigo porém ocorreram imprevistos e acabou não rolando. No final desse ano, se tudo der certo, estarei embarcando nessa aventura e gostaria da ajuda de pessoas que já conhecem o local para melhorar o roteiro e passar dicas de lugares, estadia, transporte, comidas, passeios e tudo que tiver de interessante pelo caminho.  A ideia é juntar uns 3-4 mil e seguir viagem até a grana ou o tempo acabarem. Pretendemos gastar pouco com hospedagem (hostel, camping ou qualquer lugar que dê para dormir) para priorizar passeios e alimentação. Como já faz algum tempo fiz o roteiro algumas informações devem estar desatualizadas. Toda ajuda é bem-vinda!
      Trechos mochilão.docx
    • Por Douglas laurentino
      Ola pessoal tudo bom, eu to para entrar de ferias e queria viajar aqui no Brasil mesmo. Tenho uma ideia de algumas rotas, Região sul, Sudeste(Sp no caso) e Nordeste por ultimo se rolar, como ja disse estou para entrar de férias mas não sei muito bem como, começar ou fazer? quais dicas de rotas, locais, hoteis baratos ou campo se for seguro essas coisas?

    • Por jpofreitas (GoTravel2Live)
      Pessoal, desta vez vou compartilhar a experiência que eu e minha namorada tivemos na Amazônia. Mas será de uma forma diferente, um resumo cinematográfico... Conhecemos essa beleza natural que o Brasil tem no mês de maio e foi incrível. 
       
    • Por joshilton
      Alter do Chão: Dicas
      Para quem pretende conhecer esse Paraíso em plena floresta amazônica, tenho umas dicas maravilhosas para gastar pouca grana.
      Se chega a Santarém de barco, avião ou estrada.
      De braco: De Belém ou Manaus; chegando no porto, caminhar até onde saem os ônibus para Alter do Chão, passam de hora em hora.
      De avião: No Aeroporto tem ônibus que vai a Santarém, ficar na 1 parada após a entrada a Alter do Chão, atravessar a avenida e aguardar o ônibus que lhe levará até Alter.
      A Vila tem boa infraestrutura para o turismo, então, é bom fazer a reserva com antecedência, pois pode correr o risco de encontrar as pousadas, hotéis e hósteis LOTADOS.
      A forma mais barata que encontrei, foi pelo AIRBNB, onde você pode escolher o valor que pretende pagar.
      Os passeios ou travessia a Ilha do Amor, é aconselhável ir junto com outras pessoas para dividir os valores.
      Um dos passeios, vai até a Praia de Ponta de Pedras em um barco, onde tem uns petiscos grátis e o almoço (não incluso), em uma das barracas na praia. Esse passeio é oferecido no local que você ficar hospedado. Lembre-se de pedir (na barraca que você escolher), uma porção de charutinhos, é um peixe pequeno, você come com espinha e tudo, super saboroso, serve também como tira gosto. Tem outro maravilhoso tira gosto, o bolinho de piracuí, um tipo de peixe cozido e depois desfiado, uma comida indígena.
      Meses que tem a praia linda: a partir de 15 de agosto a 15 de fevereiro.
      Na praça tem internet GRÁTIS, nessa praça é onde você vai ficar quase todas as noites, pois lá tem bares,  musicas, pratos regionais e tudo que você precisar.
      Tem supermercado, embora pequeno, porém tem muitos itens, lojas para você comprar lembranças.
      Alter do Chão é bem tranquilo, pode usar o celular, sem medo de assalto.
      Procure voos mais barato pelo Gloogle Voôs.
      Bom proveito e qualquer dúvida, pode perguntar, que terei o prazer em responder.

×
×
  • Criar Novo...