Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

  • Membros de Honra

Como eu gosto muito de escrever, o que era para ser um relato acaba virando um “guia”. Entretanto como a maioria ou não tem tempo ou não tem paciência para tanto, vou colocar um índice aqui e assim cada um vai direto a parte que lhe interessa ;)

 

Índice

 

A cidade

 

Como chegar

 

Quando ir

 

Onde ir em Florianópolis

 

Onde ir em Guarda do Embaú

 

Trilhas:

 

Onde ficar

 

Onde comer

 

Dicas (Contatos úteis, Postos de Informações Turísticas, Links úteis, Receptivos Turísticos e Dicas)

 

Sugestão de roteiros

 

Relato de viagem

 

Mapas

Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • Respostas 33
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • Membros de Honra

Santa Catarina tem vários polos turísticos. Nesta viagem, foram visitados parte dos seguintes roteiros:

 

Grande Florianópolis

Encantos do Sul

Serra Catarinense

Costa Verde e Mar

É uma diversidade de paisagens que favorecem a prática de ecoturismo com atividades em terra (trekking, rapel, ciclismo), água (rafting, surf, mergulho, passeios de barco, wind e kitesurf, pesca esportiva, observação de baleias) e ar (voo livre, voos panorâmicos de helicóptero). Entretanto, aos que procuram badalação, no verão as praias fervem durante o dia e à noite o movimento migra para bares e baladas famosas.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

Período: 07 a 13 e 21 a 23/07/2012

Cidades: Florianópolis e Guarda do Embaú (Distr. de Palhoça)

 

A capital do estado de Santa Catarina é conhecida como "Ilha da Magia". É uma cidade de contrastes, possuindo atrativos diversificados: belo litoral com praias badaladas e praias selvagens, bairros urbanos modernos e comunidades rurais/colônias de pescadores. Para os amantes de atrativos histórico-culturais, há sambaquis/sítios arqueológicos e comunidades de imigrantes açorianos, que ainda preservam parte de suas construções e costumes. Na gastronomia destacam-se os pratos à base de frutos-do-mar. Além de pescados como a tainha, sobressaem-se a ostra e o camarão servidos na famosa forma de sequência.

 

Confira abaixo as dicas e o relato de viagem. Ficamos hospedados no centrinho da Lagoa da Conceição e no centro da cidade.

 

Obs.: Além da seção "Dicas" antes do relato, há outras dicas específicas espalhadas pela página. Horários de funcionamento citados, em alguns casos, referem-se apenas ao mês de julho, outras épocas podem ter outros horários. "Outras opções" referem-se às indicações que recebi de colegas, mas que não experimentei por não ter tido tempo ou por ter tomado conhecimento delas tarde demais. ATENÇÃO: não possuo nenhum vínculo com pousada, hotel, restaurante, agência, loja e qualquer outro tipo de estabelecimento divulgado nos meus relatos de viagem. Alguns dos pontos turísticos, bem como alguns estabelecimentos, não foram visitados por mim e as informações foram pesquisadas em guias. Portanto, recomendo que antes de utilizar qualquer serviço, verifique com a secretaria de turismo da cidade, se os dados são atualizados e/ou verossímeis.

 

A cidade

 

Florianópolis, a capital do estado de Santa Catarina, está localizada no centro-leste do estado e é formada por uma grande ilha oceânica com 424,4 km² e uma pequena península continental com 12,1 km², totalizando 436,4 km². Tem 427.298 habitantes (dados IBGE 2011) e faz limite com a cidade de São José. Possui clima subtropical úmido, com as estações do ano bem definidas, a média das temperaturas mínimas do mês mais frio varia de 7,5 graus a 12 graus e a média das temperaturas máximas do mês mais quente varia de 26 graus a 31 graus. Tem pluviosidade bem distribuída durante o ano, não apresentando uma estação seca, embora geralmente o verão apresente um índice pluviométrico maior.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

Florianópolis tem fácil acesso para quem vem de outros estados, por meio de transporte rodoviário ou aéreo.

• Terminal Rodoviário Rita Maria, Avenida Paulo Fontes, 1101, Centro, 3212-3100

 

• Aeroporto Internacional Hercílio Luz, Av. Diomício Freitas, 3393, Carianos, 3331-4000

 

Transporte Municipal:

• Terminal Cidade de Florianópolis, Avenida Paulo Fontes, s/n, Centro, 3212-3100

 

• Terminal de Integração do Centro - TICEN, Avenida Paulo Fontes, 701, Centro, a 150m da rodoviária, 3324-1517 / 2106-7186. Tem linhas diretas a todos os terminais

 

• Terminal de Integração da Trindade - TITRI, Av. Prof. Henrique da Silva Fontes, s/n, Trindade, próximo ao Shopping Iguatemi, 3223-6683 / 2106-7186

 

• Terminal de Integração da Lagoa - TILAG, Avenida Afonso Delambert Neto, s/n, Lagoa da Conceição, próximo do Centrinho da Lagoa, 3232-5944 / 2106-7186

 

• Terminal de Integração do Rio Tavares - TIRIO, Rodovia Sc - 405, 630, Rio Tavares (Referência: Campeche), 3237-2245 / 2106-7186

 

• Terminal de Integração de Santo Antônio - TISAN, Rodovia SC - 401, s/n, Santo Antônio de Lisboa (Referência: Polícia Rodoviária SC 401), 3234-9575 / 2106

 

• Terminal de Integração de Canasvieiras - TICAN, R. Francisco Faustino Martins, 877, Canasvieiras, 3269-5123 / 2106-7186

 

• Terminal Lacustre Rute Bastos de Oliveira (Trapiche Lagoa da Conceição), Avenida das Rendeiras, s/n, ao lado da ponte no Centro da Lagoa da Conceição. Cooperbarco - Cooperativa dos Barqueiros Autônomos da Costa da Lagoa, R. Senador Ivo D'Aquino, 145, Lagoa da Conceição, 3232-8266

 

• Terminal Lacustre Luiz Osvaldo d'Acampora (Trapiche Barra da Lagoa)

 

• Trapiche Parque Florestal do Rio Vermelho, acesso pelo Km 4 da Rodovia João Gualberto Soares (SC-406), s/n, São João do Rio Vermelho (Passando a entrada para a Barra da Lagoa, siga uns 3 km e, após o camping, entre à esquerda. Tem uma placa indicativa na rodovia. Siga pela estrada de terra até chegar ao terminal. Tem estacionamento. Ou acesso pelo TILAG, linha 842: Canasvieras. Esse ônibus vai da Lagoa pra Canasvieiras e passa pelo Rio Vermelho. No Rio Vermelho descer no início da estrada e caminhar uns 20min até o Trapiche). Coopercosta, 9135-3167 / 9104-8955, na alta temporada, diar das 8-19h, na baixa temporada, diar das 8-17h

 

Dicas de transporte:

• Há linhas de ônibus convencional e executivo que passam no aeroporto e vão até o TICEN. De lá é possível pegar outra linha para outro bairro/terminal

 

• Da rodoviária, basta caminhar até o TICEN que fica ao lado. De lá é possível fazer integração para outro bairro/terminal

 

• Para se locomover pela ilha, normalmente é necessário pegar mais de uma linha, fazendo integração nos terminais com o pagamento de uma única passagem, normalmente. O terminal atende a região próxima a qual se encontra, por exemplo, o TICAN atende a parte norte da ilha, o TIRIO a parte sul e o TILAG a parte leste. O sistema é integrado nos terminais e disseram que até mesmo fora dos terminais com o cartão passe rápido, que não debita uma nova passagem dado um intervalo de tempo determinado e mantendo-se o mesmo sentido de deslocamento

 

• O TICEN é o maior dos terminais e parece que nem todas as plataformas têm integração direta e pode ser necessário usar o cartão passe rápido para garantir a integração com o pagamento de passagem única

 

• Sistema de transporte funciona bem. São pontualíssimos, nem 1 minuto de atraso na saída dos terminais, pelo menos na baixa temporada. Entretanto, algumas linhas têm percurso longo e demorado e/ou tem poucos horários, por isso pode-se gastar um bom tempo para alcançar alguns destinos, contando o tempo gasto em cada linha e o tempo perdido entre as conexões. A dica é checar todas as linhas que precisará pegar e ver os horários que combinam. Acordar cedo também ajuda, pois há mais horários no início da manhã. A volta no finalzinho da tarde/início da noite também garante mais horários. No meio do dia geralmente há menos horários. Atente para a frequência que é reduzida aos finais de semana, principalmente aos domingos e feriados também

 

• Não passei em todos os terminais, mas posso dizer que vários deles são limpos, organizados, com banheiros gratuitos (tem papel higiênico, sabonete e papel toalha). Têm telas com horários das próximas partidas, parece aeroporto

 

• O Terminal Rodoviário Rita Maria tem banheiros gratuitos e pagos, o masculino gratuito estava fechado, o feminino gratuito funcionava normalmente, limpo, com papel higiênico, sabonete e papel toalha

 

• Trânsito da cidade é um pouco pesado, alguns cruzamentos não têm semáforos e fica meio complicado. Faixa de pedestre é raramente respeitada. Não sei como a situação fica na alta temporada, mas disseram que tem muito congestionamento

 

• Horários e itinerários dos ônibus convencional e executivo: no portal Mobfloripa, que é um dos mais completos. Também podem ser conferidos no site da prefeiturae diretamente no site das empresas Estrela, Canasvieiras, Transol, Insulare Emflotur

 

• Tabela que mostra como ir de um ponto a outro, quais os terminais de integração e linhas a usar: Tabela_onibus.pdf. Essa tabela é excelente, é um ótimo ponto de partida, mas há outras opções além das apresentadas, vale a pena perguntar e conferir nos terminais

 

• Mapas e endereços de terminais de transporte: mapas.php

 

• Turista também pode se beneficiar do sistema Passe Rápido, com ele a passagem sai um pouco mais barata. O cartão Passe Rápido Turista só pode ser adquirido no TICEN (plataforma B) de seg-sáb das 6h30-22h30. O cartão é cobrado, mas depois esse valor é devolvido, mas atente ao horário para esse serviço, que é de seg-sex das 8-18h. A recarga pode ser feita nos outros terminais também. Disseram que é para colocar carga em valor múltiplo do valor da passagem, pois não há devolução de saldo do cartão, mas não sei se isso procede. Maiores informações no site da SETUF, 3251-4114 / 4108, [email protected]

 

• Horários e informações sobre transporte intermunicipal: DETER Departamento de Transportes e Terminais. Esse site é excelente, pois permite buscar quais as opções disponíveis de ônibus entre dois destinos. A busca retorna as linhas disponíveis com detalhes do percurso, mas pode existir outras alternativas, uma vez que a busca retorna apenas as linhas diretas e não mostra as possibilidades com conexões. Considero uma das grandes utilidades desse site, ver qual a empresa que atende o percurso. Com base nessa informação, é possível entrar em contato direto com a empresa e confirmar as alternativas disponíveis

 

• Condições de trânsito e download de mapas: Departamento Estadual de Infraestrutura

 

• Disseram que a maioria dos taxistas da capital não faz corridas muito curtas, que quando você liga para chamar um táxi, ele já pergunta para onde você vai e dependendo do destino ele não te atende. Nesse caso, a opção é usar táxi executivo

 

• Há linhas de ônibus que atendem toda a ilha, mas pode ser demorado, dependendo do número de conexões necessárias e do percurso das linhas. Carro é bom para fazer os passeios, pois economiza tempo e permite fazer um passeio mais completo com paradas em mirantes e outros pontos de interesse no meio do caminho. Também viabiliza passeios bate-e-volta para outras cidades próximas que seriam complicados de ônibus

 

• O ônibus Florianópolis/Guarda do Embaú é do tipo circular (com roleta), mas com bancos mais confortáveis como os de um ônibus rodoviário simples. Ele demora cerca de 1,5h até a Praia da Guarda do Embaú, não é longe, mas funciona como um circular e para muito no meio do caminho, passando por várias praias, como a Praia do Sonho e Pinheira. Parece que tem alguns horários que a linha é rodoviária (com bagageiro). Convém se informar se pretender usar como transfer, ou seja, com malas. Disseram que há muito congestionamento na alta temporada

 

• Normalmente, não é necessário comprar passagem antecipada na baixa temporada, mas não sei como fica a situação na alta, quando a procura é grande. Parece que colocam carros extra, mas não sei se é suficiente para atender a demanda

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

De meados de dezembro até o carnaval é alta temporada, com picos no ano novo e no carnaval. A ilha fica cheia e badalada e perfeita para quem curte um agito. Para os querem mais tranquilidade, particularmente eu sugeriria o período da quaresma e o final da primavera, quando o clima está agradável e o movimento menos frenético. No inverno, as temperaturas caem bastante e também o movimento de turistas. Mesmo em julho, mês de férias escolares, não há um fluxo grande de turistas. A presença de frentes frias reduz a temperatura e pode trazer chuvas e ventos gelados afugentando os turistas do litoral para a serra.

A capital tem boa infraestrutura turística com hotéis e restaurantes abertos o ano todo, mas algumas praias podem ter bares/quiosques fechados fora da alta temporada, principalmente no meio da semana. Alguns passeios, por exemplo, de escuna e de barco, também podem estar inoperantes.

Na baixa temporada, o lado positivo é que os preços caem, não há problemas com congestionamentos e é a época perfeita para curtir a natureza com as praias desertas.

 

Eventos:

• Festival Audiovisual Mercosul - FAM: em junho, em Florianópolis

• Fenaostra: em outubro, em Florianópolis

• Festival de Teatro Isnard Azevedo: em novembro, em Florianópolis

• Festa do Morango: em novembro, em Rancho Queimado

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

• Passeio "Dia da Fantasia" com saída do Trapiche da Scuna Sul (na Av. Beira-Mar, perto da Fortaleza de Santana) às 10h30 e retorno às 16h30. Existe outro roteiro parecido, um pouco mais curto, com saídas do Trapiche de Canasvieiras às 11h e retorno às 16h. Passa por ilhas e fortes. Saídas frequentes na alta temporada, na baixa precisa formar grupos mínimos, o que diminui muito a chance do passeio sair. Scuna Sul Passeios Marítimos, http://www.scunasul.com.br/ - Agência Barra da Lagoa, R. Amaro Coelho, 48, Barra da Lagoa, 3232-4019 - Agência Canasvieiras, R. Antônio Heil, 605, Sala 01, Ed. Albatroz, Canasvieiras, 3266-1810 / 9982-1806, [email protected] - Agência Centro, Av. Osvaldo Rodrigues Cabral, s/n, Centro, 3225-1806 / 4425 / 9971-1806, [email protected]

 

• Floripa by Bus, há diversos roteiros pela ilha, percorridos em um ônibus de 2 andares, conhecido como Open Bus. Floripa by Bus, Av. Madre Benvenuta, 687, Santa Mônica (Shopping Iguatemi, piso L3, próximo a Praça de Alimentação), 3239-8966, atendimento de ter-dom das 10-22h. Pelo celular 8801-5904, atendimento de seg-dom das 7-23h, [email protected], http://www.floripabybus.com.br/

 

• Agências da cidade oferecem vários roteiros no esquema bate-e-volta: Beto Carreiro, City Tour, Tour Centro, Leste e Norte, Tour Histórico - Roteiro das Ostras, Blumenau - Brusque - São João Batista, Urubici - São Joaquim - Serra do Rio do Rastro, Santa Paulina em Nova Trento, Balneário Camburiú. Acredito que são bons para quem está sozinho e/ou com tempo reduzido

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

• Ponte Hercílio Luz, R. Adolfo Konder. À noite, a ponte é iluminada e reflete nas águas da baía. O mirante situado à cabeceira insular proporciona uma das mais belas vistas panorâmicas do centro da cidade

 

• Igreja de N. Sra do Parto, esquina da R. Conselheiro Mafra com a R. Bento Gonçalves

 

• Mercado Público Municipal, R. Conselheiro Mafra, 255, seg-sex das 9-19h e sáb das 8-12h. Bares abertos até 22h. Lojas de souvenir, artesanatos

 

• Igreja de São Francisco, R. Deodoro, 135 esquina com a R. Felipe Schmidt

 

• Antiga Alfândega, R. Conselheiro Mafra, 141, 3028-8102, seg-sex das 9-18h30, sáb das 9-13h. A visitação é permitida no andar térreo, bom para comprar artesanatos a melhores preços

 

• Memorial Miramar, Praça Fernando Machado

 

• Praça XV de Novembro. Conta com uma figueira centenária, o monumento em homenagem aos heróis da Guerra do Paraguai

 

• Memorial Cruz e Souza (Palácio Rosado), Praça XV de Novembro, 227, 3028-8091, ter-sex das 10-18h, sáb-dom das 10-16h. Antiga sede do governo, atual Museu Histórico de Santa Catarina

 

• Catedral Metropolitana, R. Padre Miguelinho, 55 / Praça XV de Novembro, 3224-3357. Conta com acervo de pinturas retratando a saída da Sagrada Família do Egito, órgão de tubos, sinos e vitrais

 

• Museu Victor Meirelles, R. Victor Meirelles, 59, 3222-0692, ter-sex das 10-18h

 

• Teatro Álvaro de Carvalho, R. Marechal Guilherme, 26, 3028-8070

 

• Igreja de N. Sra. do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos, R. Marechal Guilherme, 60, 3223-7572

 

• Praça Fernando Machado, próximo ao Terminal Cidade de Florianópolis, em frente à Praça XV de Novembro. Foi lugar do primeiro Mercado Público Municipal, da maquete da ponte Hercílio Luz, do Miramar, famoso trapiche municipal e ponto de encontro da elite intelectual da cidade, que desapareceu com o aterro da Baía Sul. Recentemente a praça passou por uma reforma que incorporou pilares que marcam o local onde ficava a marina. Além de painéis contando a história do Miramar, a praça guarda a estátua do Cel. Fernando Machado

 

• Antiga Câmara Municipal, R. Anita Garibaldi, 35. Foi construída entre 1771 e 1780. A cadeia ficava no térreo e no pavimento superior funcionavam a Assembléia Legislativa Provincial e o Paço da Câmara e do Senado. A cadeia só foi desativada em 1930 e depois foi utilizado pela Câmara Municipal. Atualmente a construção está passando por um processo de restauração

 

• Sobrados Oitocentistas, R. Fernando Machado e Praça XV. Os sobrados geminados na R. Fernando Machado n.o 16 e Praça XV de Novembro n.os 352, 348, 344 e 340 mantêm a estética característica da arquitetura luso-brasileira, combinando os alinhamentos das portas e janelas, as bandeiras envidraçadas, os guarda-corpos das sacadas decorados, e alto-relevos em massa, de inspiração eclética, nas frontarias. Dois sobrados ainda mantêm, nos fundos dos lotes, os respectivos quintais históricos, típicos da ocupação urbana colonial. Um dos últimos remanescentes da arquitetura colonial, térrea, com frontaria azulejada, pode ser apreciado na mesma quadra (n.o 320), além da antiga Delegacia Fiscal do Tesouro Nacional, que foi, até 1838, a casa do Provedor da Fazenda Real, João Prestes de Melo

 

• Casario da R. Menino Deus, Ruas Bulcão Vianna e Menino Deus, próximas à ladeira do Hospital de Caridade. Nessas ruas concentra-se um casario baixo, casas geminadas, portas e janelas na fachada principal e telhado em duas águas, construídas em terrenos estreitos e longos. Na esquina com a Avenida Mauro Ramos há um sobrado do século XIX, com aberturas enquadradas em cantaria

• Capela Menino Deus, R. Menino Deus, 376. Construída em um amplo terreno, cercada de verde, mantém o segundo maior acervo de arte sacra de Florianópolis

 

• Beiramar Shopping, R. Bocaiuva, 2468, 3212-4600

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

• Forte Santa Bárbara, R. Antônio Luz, 260, Centro, 3324-1415. Abriga atualmente a Fundação Franklin Cascaes, uma casa cultural

 

• Fortaleza de Santana, Av. Osvaldo Rodrigues Cabral, 525, Beira-Mar Norte, 3229-6263, ter-dom das 9-17h, embaixo da Ponte Hercílio Luz, abriga o Museu de Armas Major Lara Ribas. Entrada Gratuita

 

• Fortaleza de Santo Antônio, na Ilha de Ratones Grande, 3721-8302, diar das 9-17h. Tem trilhas de até 40min por áreas de Mata Atlântica. Acesso através de escunas que partem do Centro ou acesso pela Praia de Sambaqui. Ingresso: R$ 8,00, (ou R$ 10,00 para Fortaleza Santa Cruz também)

 

• Fortaleza da Santa Cruz, na Ilha de Anhatomirim, 3721-8302, diar das 9-17h. Acesso através de escunas que partem do Centro ou de Canasvieiras. De um ponto próximo aos canhões há vista das Fortalezas de São José da Ponta Grossa e de Santo Antônio. Aberta à visitação

 

• Fortaleza de São José da Ponta Grossa, Praia do Forte, entre as praias de Jurerê e Daniela, acesso por 300m de caminhada a partir do canto esquerdo da Praia de Jurerê Internacional, 3271-8302, diar das 9-12h e 13-17h

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

• A Lagoa da Conceição, a 20 km do centro, repleta de pousadas, restaurantes e bares tem acesso fácil a qualquer lugar da Ilha. A partir do centro, depois de passar pelo bairro Itacorubi, iniciar a subida do Morro da Lagoa. Pode-se parar no mirante à esquerda. Antes de atravessar a ponte de pedra, à esquerda, fica o caminho para a Costa da Lagoa. É possível ir de carro por alguns quilômetros, depois, só a pé ou de barco. Passando a ponte de pedra, chega-se à Avenida das Rendeiras com pequenas casinhas de madeira em sua extensão, onde as rendeiras fazem renda de bilro. Cenários para foto: mirante atrás do Rest. Ponto de Vista, no alto do morro que separa a Praia Mole do centrinho da Lagoa e mirante na Rod. Admar Gonzaga. Na Av. das Rendeiras, renda de bilro e restaurantes, no centrinho, cafés, lojas e bares

 

• Igreja de N. Sra. da Conceição

 

• No "Postinho" (um posto de gasolina) concentram-se algumas confeitarias. Na praça às vezes tem show ou feira de artesanato

 

• Casarão da Lagoa - casa de cultura que oferece oficinas de música, fotografia, arte, etc

 

• Costa da Lagoa, acesso por trilha do Canto dos Araçás ou de Monte Verde ou de Ratones. Outra forma de acesso é por barcos que partem do Trapiche Lagoa da Conceição (60min de travessia) ou do Trapiche Parque Florestal do Rio Vermelho (5min de travessia). Os barcos funcionam como um ônibus circular, com pontos de parada numerados. Tem economia baseada na pesca e no turismo, pode-se degustar bons pratos da culinária local nos diversos restaurantes

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

• Feira das Alfaias, Pça. Roldão da Rocha Pires, sáb-dom à tarde, www.stoantoniodelisboa.com.br/feiradasalfaias

 

• Estúdio de Cerâmica Artística Vineli, R. XV de Novembro, 147, lj 5, ao lado da Pça. Roldão da Rocha Pires, 3234-4782, diar das 10h30-19h, [email protected], http://www.estudiovineli.com.br

 

• Atelier Santo de Casa, R. XV de novembro 181, 3235-1957, sáb, dom e fer das 12-21h, [email protected], http://www.santodecasa181.blogspot.com

 

• Atelier Santo Antonio, R. Professor Alcides Goulart, 19, esquina com Rodovia Gilson da Costa Xavier, 3234-8451, diar das 10h-21h, www.ateliersantoantonio.art.br/

 

• Casa Açoriana, R. Cônego Serpa, 30, 3235-1262 / 2356, ter-sex das 16-23h, sáb das 12-23h30, dom das 12-20h. Artesanato como o boi de mamão e café, [email protected], http://www.casaacoriana.com.br/

 

• Igreja N. Sra das Necessidades, acesso pela SC-401

 

• Museu o Mundo Ovo de Eli Heil, Rodovia SC 401, 7079, 3235-1076, [email protected], http://www.eliheil.org.br/por/o-museu/ Visitação mediante agendamento. Valor: R$ 6,00 (Aos finais de semana o valor é de R$ 10,00)

 

• Engenho Caminho dos Açores, R. Caminho dos Açores, 1180, 3235-2572 (Cláudio Andrade), diar das 9-18. Agendar visita

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
  • Conteúdo Similar

    • Por Paulonishi
      Em Florianópolis são muitos os lugares para se visitar, mas um deles é quase obrigatório, a Lagoa da Conceição. Marco da colonização inicial da cidade, tem muitas atrações culturais, históricas e gastronômicas. Deixarei abaixo um panorama do lugar, com dicas e impressões da última visita em dezembro de 2020. 

      A lagoa da conceição é onde a cidade começou.  Está ao leste de Florianópolis e é dividida em duas partes por uma ponte, a lagoa de dentro e a de fora, estando  ligada ao mar pela Barra da Lagoa
      Para se chegar até ela entrando na ilha, pega-se a beira mar Norte até o Itacorubi. Mas calma, não se preocupe porque tem muitas placas indicativas até o acesso à rodovia SC 404, que nos leva até o nosso destino.

      É uma via de pista simples e que fica bem complicada durante a temporada, devido ao movimento intenso e pelo relevo íngreme e bem sinuoso.
      Na parte mais elevada, temos um mirante com um pequeno estacionamento gratuito. Oportunidade para se ter uma visão da bela paisagem da região.
      Depois disso, agora é só descida, mas com curvas ainda mais fechadas, pedindo muita atenção e paciência até o final.
      Chegando no chamado centrinho da Lagoa, o mais difícil e encontrar um lugar para estacionar durante a temporada, porque na principal são poucas vagas e as ruas transversais são bem estreitas.

      Apesar de poucos hotéis, tem muitas opções de hospedagem em hostels e casas de aluguel por temporada, que considero a melhor opção para quem viaja acompanhado.
      Encontrando uma opção próxima ao centrinho e ao terminal urbano, é possível explorar as principais atrações à pé e de ônibus, sem o stress do trânsito e do gasto com estacionamento.

      Da pequena ponte que corta parte da lagoa, se tem uma bela visão da marina e da chamada Lagoa de fora… Boa também para observar o cotidiano do lugar
      A avenida das rendeiras é passagem obrigatória e caminhar pelo calçadão é uma ótima maneira de apreciar a vista com calma e temos acesso às belíssimas dunas de areias branquinhas e bem finas, é uma atração bem característica da região.

      Continuando a caminhada no sentido a Joaquina, essa parte da Lagoa tem uma boa estrutura para passar o dia, com sombras e gramados, além de ser bem em frente aos restaurantes. Bateu fome, é só atravessar a rua para comer. Conta também com quiosques, aluguel de caiaques e aulas de Stand Up e windsurf.

      Suas águas são bem rasas e limpas na maior parte da sua extensão, mas convém sempre dar uma conferida, principalmente nas épocas de maior movimento.
      A lagoa de dentro tem águas mais escuras.. parecendo sujas 😦
      No Centrinho encontramos agências bancárias dos principais bancos, supermercados, vários restaurantes e um comércio bem variado… ah, e muitos brechós!
      Estando por lá, não deixe de visitar a parte histórica, que preserva parte do calçamento original que dá acesso ao Santuário de Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Lagoa, que deu o nome a esta região.

      Esta igreja recebeu a visita ilustre de Dom Pedro II por 2 vezes, que doou 2 sinos para ela. Um pouco mais acima, ainda preservando a arquitetura colonial, temos a casa do vigário, datada do século 18, mais uma belo panorama do lugar.
      Em termos de opções gastronômicas, temos uma variedade bem grande, assim como em preços… Uma boa opção para quem gosta de culinária oriental é esse buffet, com ótima variedade em carnes, saladas e até sushis.

      Fica no Shopping Via Lagoa e abre todos os dias para almoço
      Você vai encontrar dois tipos de ônibus. O amarelo é o executivo. É mais caro (o dobro do comum) e confortável. Para em qualquer lugar também, bastando acenar. O outro é comum (azul e branco), que tem interligação entre os terminais.

      A terceira opção são os barcos, que fazem o transporte pela Lagoa nos mesmos valores dos ônibus urbanos.

      O transporte por aplicativo também é uma opção… Não tão barata, mas com uma ótima disponibilidade e comodidade para quem quer conhecer as outras atrações na ilha, principalmente a noite
      As atrações mais próximas são o passeio de barco até a Costa da Lagoa, a Praia da Barra da Lagoa, a Praia Mole, Praia da Joaquina.
      E, para aqueles dias em que está chovendo muito, uma ida até o centro da cidade para visitar o mercado público ou andar pelos museus e igrejas é uma das opções.
      Ah e no final da tarde, o por do sol na Lagoa é imperdível!
      Esse é só um resumo, procurei detalhar e ilustrar no vídeo sobre o lugar. Dá uma conferida e se lhe foram úteis as informações, deixe o seu comentário e o like lá no youtube (@trips.flicks).
      É isso aí, um grande abraço e até breve!
       
       

       
    • Por Paulonishi
      Um lugar de belas praias, águas limpas e com cores fantásticas, distante num voo de apenas 50 minutos da maior cidade do Brasil…

      Essa é a encantadora Florianópolis, capital de Santa Catarina, região sul do Brasil. É uma ilha, mas também tem uma partezinha no continente, que muita gente esquece, o chamado "Estreito", com uma bela orla que é mais bonita porque dá visão para a Ilha!
      A ilha de Santa Catarina, carinhosamente chamada de Floripa ou ainda de Ilha da Magia, é um dos destinos turísticos mais procurados no verão, não só pelas suas praias paradisíacas, mas também pelas muitas opções de lazer, gastronomia e cultura.
      Fundada em 1673, tem cerca de 508 mil habitantes, sendo a 2ª mais populosa do estado (a maior é Joinville, no norte do Estado). Em sua história, já foi chamada de Ilha de Santa Catarina, Nossa Senhora do Desterro, Desterro (que nome horrível!!!)  e finalmente Florianópolis, uma triste homenagem ao maior algoz do povo Catarinense, o presidente Floriano Peixoto, que promoveu uma série de fuzilamentos na ilha e, como castigo, teve o seu nome perpetuado justamente nesse lugar.
      Possui um terreno bem acidentado, com praias espremidas entre o mar e os morros.
      As mais famosas são:
       Canasvieiras, principal reduto dos argentinos
      Jurerê, o point das baladas e festas noturnas
      Joaquina e Praia mole, o paraíso dos surfistas
      e Ribeirão da Ilha, guardiã da colonização açoriana.
      A ilha é ligada ao continente por 3 pontes. As duas de concreto são Pedro Ivo Campos e Colombo Sales. Mas a mais famosa é a terceira delas, a ponte pênsil Hercílio Luz, cartão postal de Santa Catarina. Essa velha senhora tem mais de 94 anos e esteve totalmente fechada por décadas (28 anos), até a sua total reabertura só em março de 2020. Agora pode ser visitada e, nos finais de semana, é totalmente voltada para ciclistas e pedestres, sendo um passeio gratuito e imperdível! Nos dias de maior ventania, a emoção é garantida, pois ela oscila bastante!

       
      Além de automóveis e motos, podemos chegar de ônibus, desembarcando no Terminal Rodoviário Rita Maria, logo na entrada da Cidade e bem próximo do terminal urbano. Recebe ônibus de todas as partes do Brasil e também da Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile. 

      Se você vier de ônibus, caminhando poucos metros, já estará no terminal de integração do Centro, o TICEN, de onde partem  onibus para literalmente todos os cantos da Ilha e demais terminais. Dá para conferir as opções e horários no próprio google Maps ou no Moovit. Tem um aplicativo próprio também, o Floripa no Ponto, com todas as rotas e terminais. Vale a pena conferir!

      A outra maneira de chegar à Capital é através do Aeroporto internacional Hercílio Luz, um amplo, moderno e confortável Aeroporto, cujo novo terminal foi inaugurado em outubro de 2019. Na parte externa tem um pequeno mercado da rede Imperatiz com preços razoáveis, dando para comprar um lanchinho mais em conta. Se a fome for grande, dá para encontrar almoço por 30 reais. Não é barato, mas em se tratando de aeroporto, é uma opção a ser considerada. Nesta última vez, almocei e estava muito bom!

       
       
      O aeroporto conta com uma linha de ônibus urbano que facilita bastante a vida do mochileiro (direto para o TICEN ou TIRIO). Um Uber, por exemplo, sai pelo menos uns 30 reais para se chegar ao centro da cidade! E não se preocupe, o transporte público é bem eficiente e seguro.
      Qualquer que seja a maneira de andar por Floripa, esteja preparado para um dos seus maiores problemas… O trânsito!
      Ele se agrava ainda mais durante a temporada de verão. Os congestionamentos são frequentes e encontrar estacionamento público na região central e nas praias é uma verdadeira loteria. A maioria dos lugares tem estacionamentos particulares, e cobram na média 20 reais (ou pilas, como eles dizem... 🤭) pelo período. Por isso, sempre quando vou por lá, deixo o carro onde estou hospedado e procuro ir de ônibus para todos os lugares. Assim, não tenho stress com o trânsito infernal e nem perco tempo procurando lugar para estacionar ou correndo dos flanelinhas (sim, tem bastante e enchem o saco).

      Mas as praias e as paisagens compensam o esforço! São águas bem limpas, mas frias, em comparação ao Nordeste. Fora do verão então… Geladas! As mais quentinhas estão no Norte da Ilha.
      No quesito gastronomia, não deixe de saborear as ostras, além, é claro, da tradicional sequência de camarão, girando em torno de 100 a 150 reais para duas pessoas. É composta por camarões à milanesa, fritos e "ao bafo" (no vapor), acompanhados por filé de peixe, arroz, feijão, pirão de peixe, farofa, batatas fritas e vinagrete, muito bem servido para 2 até 3 pessoas. O melhor lugar para se provar é na Lagoa da Conceição ou na Costa da Lagoa e esses preços são de lá também.

      E qual a melhor época para ir à Florianópolis? Certamente é no verão, mas é justamente o período de maior movimento na Ilha… A alta temporada vai de 15 de dezembro ao final de fevereiro e é sinonimo de muita gente, preços altos tanto de hospedagem quanto de alimentação, além de filas e congestionamentos em todos os acessos às praias. De março até abrill, além de garantir uma temperatura agradável e menos chuvas, os preços em geral caem bastante, tornando-se uma ótima opção! Agora em dezembro, aluguei uma casa para 2 pessoas por 110 reais a diária, na Lagoa da Conceição. 
      Qualquer que seja a época escolhida, tem sempre muita coisa legal para se fazer em Floripa!
      Deixo o vídeo abaixo para ilustrar melhor esse post. Se lhe for útil, peço que deixe os seus comentários e deixe um like para incentivar a postar mais materiais.
      Vou detalhando os passeios nos próximos!
      Grande abraço! 🤠👍
      https://www.youtube.com/watch?v=JaERxlPHZ_k
       
       
       
       
    • Por Paulonishi
      Praticamente nem dormi na noite anterior. Como moro distante de Florianópolis, tive que pegar um ônibus de madrugada saindo de Lages às 2:30h… 

      Quase 4 horas depois, cheguei na capital e tomei um ônibus urbano até o aeroporto de Florianópolis, que na época ainda era no terminal antigo. Cheguei muito cedo e a espera ainda seria bem longa… 

      Eram 6:22h quando cheguei ao aeroporto e meu voo só sairia às 13:40h… Nossa… longa espera…

      Pelo menos procurei aproveitar o tempo para repassar todo o roteiro e iniciar um diário de toda a viagem…
      Estava viajando com duas mochilas: uma grande de 70 litros cheia de roupas e uma menor, onde levava as minhas câmeras, os acessórios, um pequeno notebook. e uns lanches pra ir comendo nessas esperas.
      Depois de uma longa espera, finalmente o avião chegou!

      Procurei escolher as janelas em todos os voos, para poder fazer imagens durante as decolagens… E essa de Florianópolis é sempre especial…

      O voo é bem curto… É menos de 1 hora de viagem até Guarulhos…. De onde o meu próximo voo sairia às 19:30h direto pra Lima!
      Desembarquei no terminal doméstico e fui para o terminal 3… uma longa caminhada até lá, mas, como a  espera em Guarulhos seria de 5 horas até a próxima decolagem… tempo não era problema!
      Pelo menos em Guarulhos tem umas poltronas bem confortáveis, muitas tomadas e bebedouros… 
      Encurtando a história, depois de muito aguardar, finalmente o embarque!
      Voamos num Boeing 767-300… um avião bem confortável e com tela multimídia… Fiquei na janela e só havia mais uma poltrona ao meu lado…

      Agora sim… Estava decolando de São Paulo… Pouco mais de 5 horas de viagem e estaria em terras peruanas…
      O serviço de bordo foi muito bom… para o jantar escolhi um frango com polenta que veio junto pão com manteiga, quindim de coco e pra beber, pedi uma cerveja.

      O voo foi bem tranquilo e só tivemos um pouco de turbulência ao cruzarmos a cordilheira dos Andes…
      Mas pousamos dentro do horário previsto…
      Desembarcamos, passei tranquilamente pela migração, que fez apenas algumas perguntas sobre onde iria e quanto tempo ficaria, entreguei o formulário que preenchi durante o voo e recebi o carimbo de entrada no passaporte!
      Agora era só pegar a mochila e ver um transporte até Miraflores
      Tive que trocar o dinheiro para poder pagar o táxi… Sei que aeroportos nunca tem uma taxa muito boa e, por isso, só troquei 50 dólares.
      O terminal oferece internet gratuita por 30 minutos… mas a conexão foi ruim e não tive tempo de chamar um Uber… Por isso tive que tentar a sorte com os taxistas lá fora… E foi disputado...rsrsrsrs
      Falei o destino e já me pediram 60 soles! conversa vai, conversa vem… ofereci 35! A maioria já foi embora me xingando mas teve um rapaz que aceitou e fomos… Era um toyota bem novinho. Coloquei as mochilas no porta-malas e fomos conversando até chegar no hostel, em Miraflores.

      Uns 40 minutos de deslocamento. Fiz o pagamento e me registrei no hostel. Tive a sorte de estar sozinho no quarto, então pude escolher uma posição perto da tomada e um armário para as coisas. Fui deitar depois das 2h… Ah, esse era o horário local. Lima tem 2 horas a menos devido ao fuso horário…
      E assim, finalmente terminei o primeiro dia de viagem… Um longo e cansativo dia… Mas feliz por estar realizando mais esse sonho!

      E o dia seguinte já foi cheio de novidades e passeios!

      Mas isso é assunto para o próximo capítulo!
      Vou deixar o vídeo detalhado desse dia aqui no link em baixo.
      Se você gostar e puder deixar o seu like no youtube, será um grande incentivo para continuar a contar os relatos por lá!
       
      Próximo capítulo:
      https://www.mochileiros.com/topic/94309-primeiras-impressões-de-lima
    • Por Marco_AV
      Fala galera! 
      Faz um tempo que não posto nada aqui, nesse período de pandemia acabou não dando pra fazer muitos dos planos que tinha pra esse ano, mas realizei uma viagem rápida de 10 dias pro sul do Brasil recentemente e gostaria de compartilhar com vocês.
      Gosto sempre de planejar minhas viagens por meio de planilhas, vou compartilhar abaixo o modelo que eu utilizo, fiquem a vontade para utilizar também.
      Floripa - Outubro 2020.xlsx
      Bom, nossa viagem partiu de Jaguariúna, interior de SP com primeiro destino a Curitiba. Posteriormente, Florianópolis, Urubici, Imbituba e retorno. Foram na verdade 9 dias e fizemos a viagem inteira de carro. O roteiro está abaixo:

       
      Eu vou fazer o relato de cada cidade nos comentários para não ficar muito extenso cada post.
      Espero que gostem!
       
    • Por Gleiseane Martins
      Tirei férias na pandemia, em setembro 2020 e resolvi viajar depois de muito pensar, estava decidido que compraria um pacote de viagem, pela primeira vez na vida 🤩iria viajar com um pacote de viagem...na minha cabeça era mais seguro ter tudo cronometrado e com alguém se preocupando comigo. o valor de 7 dias de hospedagem, passagem ida e volta de avião do Rio de janeiro a Navegantes, dois dias do Parque Beto Careiro mais transfer por R$1700,00.
      Embarquei no dia 15/09 no Rio de janeiro e cheguei em Balneário de Camboriú de tarde, estava nublado mais dei uma volta na orla de bicicleta R$10,00 a hora.🚴‍♀️ Fui ao mercado para comprar água e algumas besteiras para jantar à noite R$25,40. Na quarta feira o transfer foi me buscar para ir ao Parque Beto Carreiro, mas antes comi como não houvesse amanhã no café da manhã para não precisar almoçar no Parque e só comer quando chegasse no hotel... eu tenho essa tática para economizar na alimentação, isso funciona pelo menos pra mim. O Parque estava super seguro higienização em tudo e o tempo todo, as filas eram mínimas e ainda para adiantar tinha uma fila virtual pelo aplicativo do Parque, aproveitei o dia inteiro, voltei para o hotel morta e só fiz foi dormir. Na quinta feira meu segundo dia de Parque estava chovendo e por conta da pandemia muitas coisas do Parque não estavam funcionando, então as 15h já não tinha mais nada para fazer, comi uns pasteis com refri R$21,00, na volta o guia ofereceu o passeio para Florianópolis o city tour fechei no valor de R$85,00, também fechei o city tour para Blumenau e Pomerode por R$89,00, esse último foi uma furada, porque eu não curto comprar em viagens e por conta da pandemia os museus estavam fechados e foi mais um city tour de compras do que um city tour cultural, o que achei que seria, resultado R$90,00 de presente 😮🎁, no almoço em Blumenau provei a cerveja alemã, o primeiro chop é de graça, o buffet livre R$35,00, com comida alemã (não provei) e sobremesa a vontade. Retornei para o hotel já quase 21h, descansar para o city tour de sábado.
      Sábado de sol, foi o dia de conhecer Floripa a capital de Santa Catarina, primeira parada no centro histórico, mercado municipal, segunda parada Ponte Hercílio Luz e terceira e última parada na Praia de Joaquina (almoço R$50,00). Fiz uma amizade com uma turista alagoana, tiramos muitas fotos e curtimos a praia, voltamos para o hotel, fui dar um mergulho na piscina com minha amiga alagoana, mas não consegui ficar muito tempo, por ficar pensando que a piscina seria um lugar de transmissão do vírus...🏊‍♂️
      Domingo dia de bater perna como todo mochileiro gosta, sem ninguém te controlando só você rsrsrs pelo menos eu acho que é assim, depois do café da manhã, fui andando até o Oceanic Aquarium (R$40,00), Ponte da Barra sul, Parque Unipraia (R$39,00), Praia das Laranjeiras e orla da Barra sul. Jantei uma sopa com uma taça de sorvete de sobremesa R$30,00. Dei uma volta na orla de noite e fui de cama. Mesmo estando viajando eu estava em constante vigilância por conta do vírus então não me permitia ficar em aglomerações.
      Segunda último dia de passeio, fui bater perna pelo lado Norte, Deck do lado Norte, Prainhas, Morro do Careca (lugar que soltam de parapente e asa delta) terminei o passeio em Itajaí na Praia Brava. Voltei para o hotel, jantei no BK R$25,00 e na terça, dia de retorno, ainda dei uma volta na praia na parte da manhã com a amiga alagoana e retornei para o Rio de Janeiro.
       

×
×
  • Criar Novo...