Ir para conteúdo

Posts Recomendados

  • Membros de Honra

Esse relato é dividido em cinco partes:

.da página 1 até a 7 refere-se a viagem realizada entre dez/2007 e fevereiro/2008 de carro;

.a partir do final da página 7 refere-se a viagem que começa no final de dez/2008 até final de fevereiro/2009 de carro.

.a partir da pag. 15 - viagem a Torres del paine, carretera austral ..........viagem realizada de dez/2009 a fevereiro/2010.

.a partir da pag.19 - viagem ao Perú e Equador ....vigem realizada de dez/2010 a fevereiro/2011.

.a partir da pag.23 - viagem venezuela, amazonas, caminho da fé.... realizada entre dez/11 a fev/12.

Editado por Visitante
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Respostas 339
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • Membros de Honra

Beier escreveu:

Depois da reportagem que fizeram a Zerao Hora e o Clarin parece que deram uma acalmada...mas convem não bobear

 

Por aqui as estradas de um mode heral são boas, claro que existem exceções. A BR 290 que liga Porto Alegre a Uruguaiana está em bom estado a exceção de um pequeno trecho de cerca de 10/20 km antes deSão Gabriel que tem alguns buracos. A BR 116 que vai para Chui está boa.

 

O norte do Chile/Argentina é bem diferente do sul, tudo muito seco e mais pobre mas mesmo assim o visual é bonito. Quando fui em janeiro passado não fiz reservas e não tive problemas para conseguir hospedagem. Na Argentina paguei em torno de A$ 90,00 a hospedagem já o Chile ficou mais caro, na média, ficou em USD 90,00. Em San Pedro especificamente paguei USD 65,00 a diária. Esses preços eram para apartamento triplo.

 

Essa viagem pelo norte é um pouco sofrida devido as elevada altitudes que se pega. As pessoas e o carro sofrem com a falta de ar. O carro perde potência e aumenta o consumo e as pessoas podem ter náusea, dor de cabeça e falta de ar.... mas isso varia de pessoa para pessoa, Uns podem não sentir nada outros passam muito mal.

Mas com tudo isso é uma viagem linda os Andes nessa parte é muito diferente e belo.

 

 

 

Beier, vc sabe como está a estrada entre São Borja e Uruguaiana?

 

Os Hotéis que vcs ficaram são bons?

 

O carro sente o problema do ar rarefeito, tirando o filtro de ar, o rendimento nao melhora?

 

No norte da Argentina as cidades sao distantes uma da outra?

 

As estradas sao boas, tem muitas curvas, quantos kms +- sao dificeis, devido à altitude?

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros de Honra

marioluc,

 

São Borja-Uruguaiana a tempo atrás estava horrível mas não sei como está a situação agora.

 

Os hoteis que ficamos foram:

Resistência - Colon Apart Hotel = A$ 70,00 - +/-

Salta - Marilan Apart Hotel = A$ 110,00 - bem localizado e bom apart.

San Pedro - Inti Killa - US$ 65,00 - um pouco afastado do centro mas tem estacionamento fechado e garante água 24 horas p/dia.

Iquique - Hotel Charlie Inn - USD 80,00 - a uma quadra da praia, bom hotel

Antofagasta - Hollyday Inn - USD 85,00 - a beira da praia, ótimo hotel

Santiago - Apart Los Españoles - USD 90,00 - bairro providencia, ótimo hotel.

 

Houveram outros ao longo do caminho mas que não vale a pena citar...hehehe.

 

Cara, tirei o filtro de ar também mas a melhora não foi muito grande não.

Não sei qual o seu carro mas o meu, Fiat Stilo, sofreu muito mesmo, após a aduana do Paso de Jama a coisa ficou crítica, teve momentos que o carro ia virando roda em primeira. O carro começou a falhar um pouco antes da Cuesta del Lipan, onde tem uma placa indicando a altitutde de 4.100 msnm, e foi até perto do Vulvão Licancabur quando vc começa a descer em direção a San Pedro. Não sei ao certo quantos quilometros isto dá. Pelo menos a estrada desde Salta até San Pedro ótima.

 

Uma dica muito importante é NÃO ESQUEÇA DE ABASTECER EM SUSQUES pois é onde tem o último posto antes de San Pedro. Depois serão cerca de uns 370 km sem nada a beira da estrada a não ser deserto e salares e lembre-se, na altitude o consumo de combustível é maior.

 

No norte da Argentina o trecho mais crítico é quando vc atravessa a Região do Chaco que é uma longa reta com muitos bichos soltos à beira da estrada e a cidades ao longo do caminho não animam muito. Essa estrada tem uma parte que não está em muito bom estado, apresentava muitos buracos, se não estou enganado é entre Pampa de Los Guanacos e Monte Quemado

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros de Honra

Só para completar...a respeito do problema do carro na altitutde...mandei um e.mail para Fiat e eles responderam que o carro não foi projetado para rodar em altitudes superioress a 3.000 msnm sendo, portanto, normais os sintomas apresentados nessa situação.

 

Como as pessoas, carros diferentes reagem difente à altitude pelo que pude ler em diversos relatos.

Falo da experiência que vivenciei, talvez outros não tenham tido tantas dificuldades com o carro na altitude.

 

Abraço

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros de Honra

beier e todos,

 

estou em jujyu, desde hoje de madrugada, fiz uma viagem tranquilo, somente pegamos alguns trechos de estrada ruim no chaco... depois conto mais, pois estou saindo agora para passar o paso de jama, vou ver o que està me esperando.......

 

 

CUIDADO COM A POLICIA ARGENTINA, NO CHACO, ESTÁO COM TUDO..... UNS CARROS BRASILEIROS COM CATARINENSES, FORAM PARADOS E EXIGIRAM LENCOL BRANCO PARA MORTO, COMO NAO TINHAM, QUERIAM MULTÀ-LOS, EM 500 PESOS, AI "NEGOCIARAM" EM 300 PESOS...............

OUTRA COISA, EH MELHOR COMPRA O KIT PRIMEIROS SOCORROS AQUI NA ARGENTINA, NAO ACEITARAM UM QUE ESTAVA INCOMPLETO, E MULTARAM TAMBÈM......................

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros de Honra

desculpem-nos,

 

mas, infelizmente nao conseguimos atualizar essa pasta, em virtude de alguns fatores,............

mas se alguém tiver alguma dúvida daqui, fiquem aa vontade para perguntar.

 

Chegamos hoje do salar de UYuni, passeio maravilhoso, depois conto com mais detalhe, estamos saindo amanha cedo para santiago e sul do chile.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros de Honra

Nao conseguimos fazer o relato online, portanto na medida do possìvel vamos atualiza-lo.

 

PRIMEIRO DIA - 28/12/2007 de Brasilia aa Prata-MG

(saída Brasilia as 16:20 hs, chegada Prata-MG âs 22:00 hrs.

 

Saída de Brasília-DF âs 16:20hs, com intençao de dormir em Uberaba-MG, por orientaçao de um frentista de posto em Uberländia, resolvemos mudar os planos e dormir na cidade de Prata-MG.

 

 

Estrada: de Brasília â Luziänia-DF, pista dupla em bom estado de conservaçao, mas muito transito principalmente na saìda de brasilia e na cidade de Valparaiso; de Luziänia a Uberländia, pista simples, em boas condiçoes, cuidado somente com as curvas entre cristalina e Uberlandia, e alguns trechos com asfalto gasto; de Uberländia a Prata, pista simples em ótimas condiçoes.

Total de Kms no dia: 523 kms;

Preço gasolina: R$2,63 em media;

Hospedagem: Hotel RPH - Ramada Hotel Prata-MG, preço R$24,00 por pessoa (Localiza no trevo da cidade, bom hotel, o problema que náo tinha ar condicionado e passamos um calor do caral..., café da manha muito bom, pricipalmente com o famoso pao de queijo mineiro.

 

 

SEGUNDO DIA - 29/12/2007 de Prata-Mg â SantaTerezinha de Itaipu-PR

(saída Prata-mg as 09:45, chegada santa terezinha âs 20:15hrs.

 

Fiz revisao geral do carro, mas esqueci de trocar o óleo, portanto tive que trocar em Prata, depois de resolvido, partimos com a intençao de dormir

em Puerto Iguzu na argentina, mas dormimos antes de foz.

 

Estrada: de Prata até a cidade de Fronteira-MG em boas condiçoes, salvo um pequeno pedaço de náo mais de 500 metros, antes de chegar â ponte sobre o rio grande(TOMEM MUITO CUIDADO NESTE TRECHO), está ruim mesmo; alguns trechos no estado de sao paulo requer algum cuidado, pois o asfalto està um pouco gasto, com alguns buracos; no estado do Paraná a estrada está ótima, o problema é o preço do pedágio.

 

Total de Kms.: 1050 kms.

Pedágios: No estado do Paraná morremos em R$35,00 em 5 pedágios(UM ROUBO, estrada simples, náo tem nem pista dupla nas subidas, daí o trafego de caminhoes atrapalha muito o desenvolvimento do carro).

Preço da Gasolina: abasteci somente em Pirapozinho-SP, R$2,40 o litro,

Hospedagem: Praia Sol Hotel - em santa terezinha do Itaipu, uma cidade antes de fóz do iguassu, bom hotel, com ótimo cafè da manha, R$30,00 por pessoa no mesmo quarto.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 3 semanas depois...
  • Membros de Honra

Desculpem, mas esta dificil atualizar esse relato, acho que vou esperar chegar ao Brasil para fazer.

Cheguei hoje em buenos aires, depois de passar por atacama, salar de uyuni, salta, rioja, mendoza, santiago, pucon, llaima, puerto varas, frutillar, ilha de chiloe, s.m. los andes, bariloche, el bolson, esquel, punta arenas, torres del paine, el calafate, el chalten, san julian, PUERTO madryn, buenos aires........... ate agora foram quase 14.500 kms.

 

ALGUMAS INFORMAÇOES IMPORTANTES:

 

1. Muitas cidades argentinas, estao sofrendo com a falta de combustivel, as distribuidoras nao estao entregando o produto, nao sei o motivo..... portanto, quem estiver vindo para ca, fiquem atentos, nunca deixem o tanque com menos de meio tanque, sempre abasteça, quase fiquei sem combustivel, entre esquel e comodoro rivadavia.

 

2. NA REGIAO DE SALTA, ESTA DEBAIXO DÁGUA, LITERALMENTE, ENTAO QUEM FOR PARA AQUELA REGIAO, SE INFORME SOBRE AS CONDIÇOES METEREOLOGICAS. A COISA REALMENTE ESTA FEIA POR LA.

 

3. QUEM ESTIVER INDO PARA O CHILE, CUIDADO, O INDICE DE ASSALTOS ESTA ATORMENTANDO AS AUTORIDADES, EM PUCON FIQUEI SABENDO DE VARIOS ASSALTOS CONTRA TURISTAS.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por leocaetano
      [align=justify]Relato de viagem de um mochilão pelo Chile. Foi minha segunda viagem para fora do Brasil e, como na primeira, sozinho!
       
      A idéia inicial era passar 15 dias em território chileno, mas no meio da viagem reduzi para apenas 13 dias. As causas dessa mudança foram várias, mas o que mais influenciou foi o mega feriado chileno – as Festas Pátrias, feriado de dois dias que se estende pela semana inteira: o dia 18 ou o Dieciocho, quando é comemorada a independência do país; e o dia 19, dia das glórias do exército. Começou na quarta-feira e só terminou no domingo. Nessa época tudo fica mais caro no país, principalmente passagens de ônibus que duplicam de preço e se esgotam facilmente para cidades próximas de Santiago e ao sul. É praticamente impossível conseguir passagens para qualquer um dos dias do feriadão ou nos dias próximos a ele – de quarta a terça-feira – sem ser com antecedência. Com esses dois dias, saiu do roteiro a estadia em Puerto Varas. Porém, valeu a pena. O clima entre os chilenos nessa época é muito bom, todo mundo se diverte, reúne a família, come bastante, bebe chincha e coloca a bandeira do Chile pra fora da janela, nos carros e nos edifícios. Achei que era por orgulho nacional, mas depois descobri que uma lei os obriga a fazer isso nos edifícios.
       
      Para a viagem, fui com tudo planejado, ou seja, quais atrações e locais que iria visitar na viagem, alterando muito pouco o planejamento durante a própria viagem, normalmente só invertendo os dias que havia planejado fazer determinada coisa.
       
      Os valores expressos aqui estão em pesos chilenos, salvo quando houver o R, de reais, na frente do cifrão ou US, significando dólares norte-americanos. Na época da viagem, UM real equivalia a cerca de DUZENTOS E OITENTA pesos chilenos e cerca de 1,80 dólares norte-americanos.
       
      Obrigado novamente a todos que ajudaram![/align]
    • Por leocaetano
      [align=justify]Relato de viagem de um mochilão pelo Peru. Foi minha terceira viagem para fora do Brasil e, como nas outras anteriores, fui sozinho. Passei 19 dias em território peruano e, pela primeira vez, não alterei o tempo de viagem! Valeu muito a pena, mas só não voltei alguns dias antes porque a TAM complicou um pouco para trocar as passagens.
       
      Para a viagem, fui com tudo planejado. Planejei quais atrações e locais que iria visitar na viagem, quantos dias passar em cada um, onde me hospedar, quanto gastar com alimentação, passeios e transporte e uma pequena margem para alterar uma coisas ou outra durante a viagem. Isso teria funcionado melhor se tivesse começado a viagem por Machu Picchu, mas devido a falta de vagas pra fazer a trilha alguns dias antes, não foi possível.
       
      Todos os valores estão expressos em nuevos soles, salvo quando houver o R, de reais, na frente do cifrão ou US, significando dólares norte-americanos. Na época da viagem, UM real equivalia a cerca de 1,62 nuevos soles e cerca de 0,59 dólares norte-americanos.
       
      Agradeço aos amigos e conhecidos que ajudaram, principalmente à galera aqui do Mochileiros![/align]
    • Por leocaetano
      Relato de viagem de um mochilão pela Argentina. Foi a primeira vez que saí do Brasil e, pior, sozinho! Isso tornou a viagem especialmente única!
       
      A idéia inicial era passar 21 dias em território hermano, mas em cima da hora reduzi para apenas 15 dias. Com esses seis dias, saíram do roteiro as estadias em El Calafate e El Chaltén. Fui com tudo planejado, ou seja, quais atrações e locais que iria visitar na viagem. Porém, alterei bastante o planejamento durante a própria viagem. Por sorte, com a diminuição da viagem, sobraram três dias que acrescentei na estadia em determinadas cidades quando preciso. Poderia ter mantido o planejamento e conhecido El Calafate, mas preferi uma viagem um pouquinho menos corrida, porém mais proveitosa. Calafate e Chaltén já estão agendadas para a próxima!
       
      Ah, os valores são em pesos argentinos, salvo quando houver o “R”, de reais, na frente do cifrão ou US, significando dólares norte-americanos. Na época da viagem, UM real equivalia a cerca de 1,42 pesos argentinos e cerca de 0,53 dólares norte-americanos.
       
      Obrigado a todos que ajudaram!
    • Por Fernando Giroto
      Estou nesse momento em La Paz na Bolívia e estou querendo ir daqui para o Peru. 
      - As fronteiras continuam fechadas? Se não, quais as restrições para entrar?
      - Qual a melhor fronteira para entrar?
    • Por paulodasilva
      Boa tarde amigos, venho relatar aqui a viagem de 29 dias que minha namorada e eu fizemos por 4 países. Depois de muito pesquisar aqui no site acabamos fazendo o seguinte roteiro:
      Santa Fé, Mendoza, Santiago, La Serena, Antofagasta, San Pedro de Atacama, Iquique, Arequipa, Cusco, Puno, Copacabana, La Paz, Potosí, Uyuni, General Guemes, Alegrete.
      Somos de Porto Alegre e fizemos a trip com um Gol 1.000, sem direção hidráulica mas com um ar condicionado que funciona perfeitamente, chamamos o auto de "El Tanque". No total foram 11.070 Km, 17 hoteis/hostels/pousadas, 4 países, uma infinidade de novos amigos. O custo total ficou por volta de 17 mil reais, 8.500 para cada, levamos 2.900 dólares em espécie.
      Dia 1 - Porto Alegre - Santa Fé
      Saímos de Poa dia 23/12/17 ás 6h da manhã, esse primeiro dia era um dos trechos mais longos da viagem, podem imaginar que quase não dormimos pois estávamos ansiosos para sair, foram alguns meses de planejamento e muitas dúvidas ainda pairavam pois não achei nenhum roteiro completamente igual ao que iríamos fazer. Malas no Tanque, check list feito e chimarrão na mão. Vamos lá!!
      O trajeto Poa até a fronteira muito tranquilo, a aduana estava vazia e foi muito rápido, mostramos passaportes, carta verde e segue o baile. Na Argentina que começaram algumas complicações, assim que entramos na Ruta 14 fomos parados pela polícia, uns sujeitos com roupas de milicianos nos pediram documentos e para ver o extintor de incêndio, então disseram que o mesmo estava vencido, na verdade ele venceria 31/12. Um dos sujeitos me levou para uma sala uns 200m do carro e outro ficou com minha namorada na porta do carro, lá dentro inventou mil histórias e tive que desembolsar depois de muito negociar, paguei 20 dólares. Ao longo desse trajeto fomos parados mais 5x, todas as vezes pediram as mesmas coisas e nenhum deles falou que o extintor estava vencido, nessas outras 5 paradas os policiais que nos pararam estavam com coletes verdes e nos pareceram mais "sérios" que aqueles primeiros que tinha roupas de militares e cara de malandro.
      Chegamos em santa fé já era noite e ficamos num hotel que havia reservado pelo booking, no outro dia sairíamos cedo novamente e o trajeto também era longo.
       
      Dia 2 - Santa Fé - Mendoza
      Acordamos cedo novamente e na recepção do hotel encontrei um casal de brasileiros que estavam sem dinheiro porque haviam pago tanta propina na estrada que não sobrou quase nada, então fiquei um pouco mais aliviado por ter sido extorquido apenas 1 vez, pois passei o caminho todo com raiva daqueles primeiros policiais.
      Saímos 7h com destino a Mendoza, lá ficaríamos 2 dias. Aqui algumas considerações: não tínhamos interesse em visitar vinícolas, pode parecer estranho pois a região é propícia, mas a verdade é que no RS acabamos visitando tantas na Serra que acaba que o processo é todo o mesmo; nas vinícolas os preços de vinhos são na maioria das vezes mais caros que no mercado da cidade e pq estaríamos dia 25/12 lá, feriado, então poucas estariam abertas. Nosso estilo de viagem é mais lado B e conhecer pessoas.
      Caminho cansativo, alguns pedágios, mas termina na Ruta 7, aí quase dorme no volante. A estrada toda duplicada e desemboca dentro de Mendoza. Chegamos estava anoitecendo, era noite de natal e estava absolutamente tudo fechado, então acabamos comendo num restaurante bem "pega turista" no centro da cidade, menu de natal que era caro e ruim, mas estávamos cansados mesmo, comemos e fomos dormir.
      Dia 3 - Mendoza
      Finalmente acordamos em um horário "digno" e fomos conhecer a cidade, praças e afins. Como estávamos quase sem Pesos e as casas de câmbio estavam fechadas, resolvi ir sacar dinheiro em um caixa eletrônico, sempre libero meu cartão (débito e crédito) no exterior, assim qualquer aperto consigo dinheiro, eis que a máquina engole meu cartão que "nunca mais voltou" (nessa parte imagina o Tim Maia cantando), fiquei apavorado, era o cartão que levamos com limite mais alto, que seria fundamental em qualquer imprevisto mecãnico, médico ou sei lá o que. Bom, passado a frustração e depois de 10 chutes na máquina fui cancelar o cartão e pensar em plano B. Lembramos que o NuBank vc consegue gerar boletos sempre que quiser, assim poderíamos gerar, pagar e liberar mais crédito sempre que precisasse.
      Resolvido o drama fomos finalmente passear, fomos nas 5 praças menores e no parque da cidade, parque General San MArtin  tem inclusive um estádio de futebol no meio, muitas famílias fazendo assado e tentando diminuir o calor nas sombras do mesmo. Foi muito legal e nos divertimos conhecendo o gigante parque, apenas uma loja de conveniência estava aberta, então compramos vinho, água e alguns petiscos e curtimos o feriado.
      Nota: Numa viagem dessas abridor de garrafas sempre é útil.
       




×
×
  • Criar Novo...