Ir para conteúdo
Augusto

Caminho da Fé - 429 Km em 15 dias de caminhada - Relato, dic

Posts Recomendados

Oi pessoal.

 

Este é um relato dessa caminhada saindo de Tambaú (SP) até a Basílica de Aparecida com algumas dicas, informações e depoimentos em vídeo que fui fazendo ao longo do percurso.

Iniciei sozinho a caminhada no dia 27 de Maio e fui terminar no dia 10 de Junho. Passei no meio de plantações de café, cana de açúcar, trilhas na mata, trilhos de uma linha férrea e no asfalto.

Atualmente o Caminho sai de 3 lugares diferentes e sempre estão acrescentando mais cidades. Seguindo sempre as setas amarelas, o Caminho passa por mais de 20 cidades e vilas. Até a cidade de Paraisópolis fui caminhando sozinho e a partir dali continuei a caminhada com a minha esposa Márcia. Ao longo do Caminho encontrei outros peregrinos, alguns de bike e outros caminhando.

 

 

Tem um trecho de uma música do Gilberto Gil que diz: “Andá com fé eu vou que a fé não costuma faiá”. Acho que reflete bem sobre o que eu passei em toda essa caminhada, que me fez reunir forças para caminhar 429 Km.

Os primeiros dias foram os mais difíceis (muitas dores musculares). Começou a melhorar lá pelo 4º dia, quando caminhei 50 Km em 15 horas direto.

Na maioria dos trechos eu saia por volta das 08:00 hrs e chegava na outra cidade no final de tarde. Alguns trechos cheguei já escurecendo.

Para quem usa GPS, no wikiloc eu plotei toda essa caminhada:

http://pt.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=945495

 

As fotos eu dividi em vários álbuns, sendo que para cada dia eu fiz um.

 

No final de cada trecho eu também fazia uma filmagem em vídeo relatando sobre os problemas que passei, como foi o percurso e uma descrição de como é a pousada. O tempo médio de cada vídeo ficou entre 5 a 9 minutos.

Aqui estão todos os vídeos:

http://www.youtube.com/view_play_list?p=BEB6909BA9522A51

 

 

 

Abaixo um pequeno resumo dessa caminhada

 

 

1º dia: Tambaú/SP até Casa Branca/SP - 35 Km

598dd0e757188_67-Maiscana.jpg.69ce93e653952ec89bfa7696c0c2c6b3.jpg

Trecho dos mais tranquilos, por ser plano e com poucas subidas e descidas. Ideal levar uns 2 litros de água (apesar de haver indicações e lugares onde pegar água pouco antes da divisa). Ao longo do trecho, o caminho passará por plantações de café, cana de açúcar, batata, feijão, laranjas e tangerinas.

Ao passar pelo cemitério de Tambaú, logo à frente o Caminho sai da Rodovia à direita e segue por estradas de terra até chegar em Casa Branca.

A divisa de municípios você chega depois de 11 Km, umas 3 horas depois. Cheguei em Casa Branca depois de pouco menos de 9 horas de caminhada.

A Pousada na cidade fica em uma área da Igreja Nossa Senhora do Desterro e com café da manhã simples.

Fornece jantar, mas é necessário reservar antecipadamente.

Os quartos são coletivos e enormes (sem TV), mas um local bastante tranquilo.

 

Fotos desse dia:

Vídeo:

 

 

 

2º dia: Casa Branca/SP até Vargem Grande do Sul/SP - 31 Km

598dd0e767f09_36-Evamosemfrente.JPG.e2b50f83779f987824e9dfa2938e78fb.JPG

Trecho bem desgastante e cansativo, sempre com o Sol incidindo. Leve água da pousada ou compre em algum bar da cidade, pois ao longo do trecho eu não achei. Só nos Kms finais. Logo que estiver saindo da cidade e passar embaixo da Rodovia, fique atento que o Caminho pega uma bifurcação à direita e segue cruzando outras Rodovias até chegar no acostamento de uma delas e aí seguir por 6 Km até um desvio à esquerda (fique atento a isso) que agora segue por inúmeros sítios e fazendas. Com varias paradas para descanso fui chegar em Vargem Grande do Sul depois de 10 horas de caminhada. Existe somente um Hotel na cidade para receber os caminhantes: Príncipe Hotel que fornece café da manhã.

Melhor lugar para jantar na cidade é no Varanda´s Restaurante (próximo da Igreja Matriz).

Existe outra Pousada a cerca de 10 Km da cidade, que o Caminho passa ao lado: é a Pousada Da. Cidinha.

Fotos desse dia:

Vídeo

 

 

 

3º dia: Vargem Grande do Sul/SP até São Roque da Fartura/SP - 27 Km

598dd0e78d309_21-Descendodooutrolado.JPG.48eed80aa6719c557ca9e4c2cf8f5b1a.JPG

Trecho inicialmente no plano com subidas leves e depois de passados uns 12 Km se iniciará a árdua e íngreme subida da Serra da Fartura (existe a Pousada da Da. Cidinha no início dessa subida). Já do outro lado da serra, o Caminho segue por um pequeno trecho de asfalto, de onde já se consegue ver São Roque da Fartura ao fundo e depois volta a subir a Serra da Fartura, como se fosse um desvio. É um trecho bem desgastante, pois é só subida (o visual lá da crista vale a pena). Levei 8 horas de Vargem Grande do Sul até São Roque da Fartura.

A Pousada Cachoeira (que pertence Da. Cida) fica depois da Vila, cruzando a Rodovia e se localiza numa subida bem íngreme e oferece jantar. Se quiser fornece café da manhã também.

Fotos desse dia:https://www.flickr.com/photos/augusto08/albums/72157658134415908

Vídeo

 

 

 

4º dia: São Roque da Fartura/SP até Andradas/MG - 50 Km

54-Reflorestamento.JPG.42d7a4d09828ca0f3bc60459cff175e1.JPG

O trecho mais longo de todos - caminhei durante 15 horas direto até Andradas. Até o início da descida da serra em direção a Águas da Prata é quase todo no plano, passando por inúmeras nascentes e no meio de plantações de café. Saí de São Roque da Fartura pouco antes das 05:00 hrs e cheguei em Águas da Prata pouco depois das 09:00 hrs. Como encontrei a Pousada do Peregrino fechada, passei direto pela cidade. De Águas da Prata até Andradas o trecho segue por um imenso vale inicialmente no plano para depois só subida. Andradas se localiza em um grande vale entre 2 serras, por isso o trecho final é de descida íngreme e longa.

Fiquei no Hotel Pastre, mas na cidade existe outro Hotel que é melhor: o Hotel Palace.

Os dois fornecem café da manhã.

Melhor lugar para comer é no Restaurante União.

Fotos desse dia:

Vídeo

 

 

 

5º dia: Andradas/MG até Crisólia/MG - 36 Km

598dd0e7c0486_27-Descendoparadepoissubir.JPG.51c462d6083e883d6ce77a14af247183.JPG

Esse trecho é dividido em vários outros: de Andradas a Serra dos Limas e depois até Barra e depois até Crisólia.

O trecho de Andradas até a Serra dos Lima lembra um pouco a subida da Serra da Fartura por ser muito íngreme.

De Serra dos Lima até distrito da Barra é plano e depois descida íngreme até o fundo do vale. Já de Barra até Crisólia é uma subida íngreme muito forte, uma parte plana e pequenas descidas. Na parte final é um longo trecho plano que parece nunca terminar. Não se vê Crisólia do Caminho. Ela aparece de repente, escondida entre os morros. Saí de Andradas por volta das 07h30min, chegando na Barra pouco depois das 12:00 hrs e por volta das 18:00 hrs em Crisólia.

Na Serra dos Lima, a cerca de 10 km de Andradas fica a Pousada da Da. Natalina.

No distrito da Barra, a cerca de 20 km de Andradas se localiza a Pousada do Tio João.

Em Crisólia fiquei na Pousada da Da. Adelaide e que fornecia café da manhã.

Atualmente em Crisólia só funciona a Pousada do Peregrino, que pertence a Da. Maria.

Melhor lugar para comer em Crisólia é no Bar da Zéti.

Fotos desse dia:

Vídeo

 

 

 

6º dia: Crisólia/MG até Borda da Mata/MG - 38 Km

598dd0e7db014_26-Serrasaoredor.jpg.a0141778ed67429506e5d1aaaabcb275.jpg

Crisólia está próxima de Ouro Fino (7 Km). Esse trecho passa por dentro dessa cidade (passe no Supermercado Peg Pag e visite a Gruta de Nossa Sa. Aparecida) e depois chega a Inconfidentes (pare no Bar do Maurão – fica na entrada da cidade). Depois o Caminho segue por uns 2 Km pela Rodovia e logo sai para a esquerda, junto a um ponto de ônibus. Passa ao lado da Pousada Águas Livres e segue ora no plano, ora subidas leves. Nesse trecho, talvez você encontre o Seu Joaquim, ao lado da bica que ele fez (tem uma enorme placa em frente). O lugar é perfeito para descanso. O trecho final, de onde se enxerga a cidade de Borda da Mata é de descida e algumas partes planas, mas bem tranquilo. Saí de Crisólia as 07h30min e cheguei as 19:00 hrs em Borda da Mata.

Se puder visite a Igreja Matriz de Borda da Mata, pois os vitrais internos são lindos.

Fiquei no Hotel Village com café da manhã.

Melhor lugar para comer em Borda da Mata: Restaurante San Diego onde também funciona um Hotel.

Fotos desse dia:

Vídeo

http://www.youtube.com/watch?v=TyTeRQK1N5A

 

 

 

7º dia: Borda da Mata/MG até Tocos do Mogi/MG - 16 Km

598dd0e7f28db_27-SaindodeBordadaMata.jpg.6d2aa3b10b023419f6c39ca1c80f34f4.jpg

Um dos trechos mais tranquilos dessa caminhada. Saí de Borda da Mata por volta das 10:00 hrs e cheguei em Tocos do Moji por volta das 15h30min.

Alguns aclives e declives bem fáceis e muita plantação de morango ao longo do Caminho (isso se estiver na época).

Não deixe de ir à Pastelaria Zé Bastião, que vende pastel de fubá. Pouco antes de chegar na cidade encontrei o Ronald (colega de uma lista de trekking da qual eu participo) e que me acompanhou até Estiva (de lá ele retornou para São Paulo).

Fiquei na Pousada do Peregrino (Da. Terezinha) que não oferece café da manhã e nem refeição.

Fotos desse dia: https://www.flickr.com/photos/augusto08/albums/72157656209632074

Vídeo

http://www.youtube.com/watch?v=zrHN79M3ntY

 

 

 

8º dia: Tocos do Mogi/MG até Estiva/MG - 22 Km

598dd0e8131a8_51-Coqueironomeiodonada.JPG.43c7665cf22c7cb3ce4c0c7659aecd3b.JPG

Li em alguns relatos de que esse trecho seria um dos mais difíceis, mas não chegou a ser. Depois de uma subida inicial, o Caminho passa pelo distrito de Fazenda Velha e depois uma longa descida e subida pelo Vale dos Teodoros. É um dos trechos mais bonitos de todo o Caminho. Muita plantação de morango também. Saí de Tocos do Moji as 08h30min e cheguei em Estiva pouco antes das 15:00 hrs.

Fiquei na Pousada do Póka que se localiza sobre Padaria Santa Edwiges e ao lado da Igreja Matriz.

Melhor lugar para comer: Nélios Restaurante

Fotos desse dia: https://www.flickr.com/photos/augusto08/albums/72157656220156963

Vídeo

http://www.youtube.com/watch?v=9RLl3q9kO00

 

 

 

9º dia: Estiva/MG até Consolação/MG - 20 Km

598dd0e82d6c5_33-TopodaSerradoCaador.jpg.2e07ff25a3f05342a4c48cfba5b2fc88.jpg

Trecho também bem tranquilo. Saí de Estiva as 09:00 hrs e cheguei em Consolação por volta das 15h30min. Depois de cruzar a Rodovia Fernão Dias, o Caminho segue no plano a sua maior parte. Cerca de 2 horas depois da cidade se inicia uma longa subida da Serra do Caçador por quase 1 hora. Chegando ao topo o trecho é todo no plano com descidas até chegar em Consolação.

Fiquei na Pousada da Da. Elza, que oferece jantar e café da manhã.

A cidade é bem pequena e não oferece muita coisa.

Fotos desse dia: https://www.flickr.com/photos/augusto08/albums/72157658131337630

Vídeo

http://www.youtube.com/watch?v=zPyrn6FpCcc

 

 

 

10º dia: Consolação/MG até Paraisópolis/MG - 22 Km

598dd0e94f3b0_68-PedradoBa.jpg.09fe18a16b294ed99f5c287caef8889a.jpg

Trecho também bastante tranquilo. Saí as 08h30min de Consolação e cheguei em Paraisópolis as 15h30min. O inicio dele é com leves descidas e todo no plano com uma ou outra subida leve. A longa subida não tão íngreme já tá quase no final, depois que o Caminho segue por uma estrada secundária. Chegando no topo é só descida até Paraisópolis, onde já se avista a Pedra do Baú de ângulo bem diferente.

Fiquei no Hotel Central que oferece café da manhã.

Melhor lugar para comer: Restaurante Choupana (simples, mas de qualidade)

Fotos desse dia:https://www.flickr.com/photos/augusto08/albums/72157656209731114

Vídeo

http://www.youtube.com/watch?v=26TQDEioe6U

 

 

 

11º dia: Paraisópolis/MG até Campista/MG - 41 Km

598dd0e96675b_48-Descendo.jpg.81c7a01393eeaef898ffa322838c34a7.jpg

Sem dúvida nenhuma um dos trechos mais difíceis de todos. Aqui eu já estava com a Márcia que se juntou a mim até a Basílica de Aparecida. Por não saber como era o trecho e não encontrar relatos de outros peregrinos, já que ele foi inserido em substituição ao trecho de São Bento do Sapucaí, Sapucaí Mirim e Santo Antônio do Pinhal, caminhamos cerca de 14 horas direto. Ao chegarmos ao Distrito de Luminosa, que fica em um imenso vale, imaginávamos que a subida da serra não fosse tão extensa. Foi um desnível de 1000 metros, tendo de subir um trecho muito íngreme e extremamente cansativo no final.

Não recomendo fazer esse trecho se você não está preparado para uma longa subida.

Já quem for fazer esse trecho, deverá estar passando por Luminosa no máximo até 12:00 hrs, para chegar no asfalto antes do anoitecer, senão terá problemas - sugiro ficar na Pousada N. Sra das Candeias (Da. Ditinha) que fica ao lado da Igreja de Luminosa ou na Pousada da Da. Inez, uns 4 Km depois de Luminosa, já na subida da serra. No final da subida da serra, o Caminho segue por um trecho de mata e sem qualquer vestígio de vida humana (só com lanterna para fazer esse trecho no escuro).

A Pousada Barão Montês fica na Estrada do Campista (que liga Campos do Jordão à São Bento do Sapucaí) e tá no meio do nada.

Por não saber onde ficava a Pousada, cometemos vários erros nesse trecho.

Nem imaginávamos que a Pousada ficava longe de tudo. E para piorar nem avisamos ao proprietário da Pousada que íamos chegar durante a noite.

Por isso avise com antecedência que você vai pernoitar na Pousada para ele preparar o jantar.

Fornece café da manhã.

Fotos desse dia: https://www.flickr.com/photos/augusto08/albums/72157658134904928

 

Vídeo 1

http://www.youtube.com/watch?v=lhWUQKTpd_8

 

Vídeo 2

http://www.youtube.com/watch?v=yjXA9ErDFWg

 

Vídeo 3

http://www.youtube.com/watch?v=OBkPI-AHOoM

 

 

 

12º dia: Campista/MG até Campos do Jordão/SP - 21 Km

598dd0e97bde1_49-PedradoBaeAnaChata.jpg.bcced9e956d105ddaf857c74586cf872.jpg

Saímos de Campista as 09:00 hrs e chegamos em Campos do Jordão por volta das 15h30min. O trecho é tranquilo e segue descendo pelo asfalto durante uns 30 minutos e ao chegar na divisa São Bento do Sapucaí/Campos do Jordão, o Caminho segue por estradas de terra à direita, agora em aclive.

Chegando na crista o visual compensa, mostrando alguns bairros de Campos do Jordão e passando próximo da Pedra do Baú, à direita. Existe um pequeno bar à esquerda, pouco depois de se avistar a Pedra do Baú. O ideal é parar aqui, pois ainda tem um longo trecho até a Pousada Refúgio do Peregrino, que oferece café da manhã.

Campos do Jordão oferece inúmeras opções de alimentação, mas dependendo da época se tornam muito cara.

Fotos desse dia: https://www.flickr.com/photos/augusto08/albums/72157658478799316

Vídeo

http://www.youtube.com/watch?v=gxLkCskaDCM

 

 

 

13º dia: Campos do Jordão/SP até Pindamonhangaba/SP - 42 Km

598dd0e994f61_29-Aindavamoschegarnela.JPG.2dd4ad53cd2543bcf06186643d23e8df.JPG

O trecho inicial ainda é pelo asfalto com algumas subidas e descidas, passando pelo ponto culminante ferroviário do país. O trecho mais chato é quando você caminha pela linha do trem (cuidado com o trenzinho, pois sempre tem algum descendo ou subindo). Chegando na Estação Eugênio Lefreve, em Santo Antônio do Pinhal, aqui é ponto final dos trenzinhos que saem de Campos do Jordão, por isso está sempre cheia - dizem que o bolinho de bacalhau do barzinho da estação é um dos melhores. No local tem um belo mirante de todo o vale e agora o Caminho sai da linha do trem e segue por uma trilha no meio da mata - tem a opção de continuar pela linha do trem, mas é bem mais cansativo. Terminando a descida chegamos no Bairro de Piracuama, onde existe uma estação de trem e 2 Pousadas, mas no dia nenhuma tinha vaga. Se quiser pernoitar por aqui em qualquer das pousadas é necessário reservar antecipadamente. Até o centro de Pindamonhangaba são uns 20 Km e lá existem mais 3 pousadas. Saímos de Campos do Jordão as 08h30min e chegamos no centro de Pindamonhangaba por volta das 20:00 hrs. Tivemos um pequeno problema nesse trecho. Veja no vídeo.

Ficamos no Hotel Comendador, que oferece café da manhã.

Fotos desse dia: https://www.flickr.com/photos/augusto08/albums/72157658134964888

Vídeo

http://www.youtube.com/watch?v=O_2Kc4BSmqc

 

 

 

14º dia: Pindamonhangaba/SP até a Pousada Jovimar (Aparecida)/SP - 27 Km

598dd0e9ac039_28-PousadaJovimarondeficamos.JPG.67c49527d9ad0ad3d1ea54e2a949960a.JPG

Saímos por volta das 08h30min e chegamos na Pousada Jovimar as 17:00 hrs.

O percurso foi todo no asfalto, ao lado da Rodovia que segue para Aparecida. É bem entediante, monótono e barulhento e para piorar não existem trechos de sombra (foi Sol na cabeça o tempo todo). Como não pretendíamos chegar no final de tarde na Basílica ficamos em uma Pousada a 3 Km antes, de onde ainda não se consegue ver a Basílica. O legal é que durante todo percurso sempre vão passando bikers ou peregrinos de outras cidades e ao verem eu e a Márcia de mochilas passam incentivando.

Fotos desse dia:https://www.flickr.com/photos/augusto08/albums/72157658478853556

Vídeo

http://www.youtube.com/watch?v=6o8_9wGcKpw

 

 

 

15º dia: Pousada Jovimar até Basílica - 3Km

598dd0e9c5e42_14-NossaSenhoraAparecida.JPG.e7f89de8b6f84e03df7522df031d3fc1.JPG

Saímos da Pousada pouco antes das 09:00 hrs, já que pretendíamos participar da Missa das 10:00 hrs. Assim que nos aproximávamos da Basílica, percebíamos que estaria lotada, haja vista o número impressionante de ônibus de turismo.

Fomos subir as escadas da Basílica as 09h40min e depois da Missa fomos pegar nossa Mariana (certificado de quem conclui o Caminho da Fé) e no final da tarde voltamos para São Paulo.

 

Fotos desse dia: https://www.flickr.com/photos/augusto08/albums/72157656220376453

Vídeo

http://www.youtube.com/watch?v=jZnqML264mg

 

 

Por hora é isso.

 

 

 

Abcs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Blz galera.

 

Só faltou colocar algumas dicas e curiosidades sobre o Caminho atualizadas em 2013.

 

 

# Algumas das Pousadas estão dentro da cidade, outras na zona rural. Em alguns meses do ano, muita gente faz esse Caminho, por isso o ideal é de acordo com o ritmo da caminhada, ir já reservando as pousadas nas próximas cidades.

 

# Todas as Pousadas e Hotéis fornecem roupas de cama e toalhas de banho e a variação de preços é muito grande. Algumas, que são casas residenciais cobram $20,00, enquanto algumas outras Pousadas e Hotéis têm preços de até $80,00. A média de preço fica por volta de $40,00.

 

# Algumas pousadas disponibilizam locais apropriados para lavar roupas.

 

# Para ficar em algumas pousadas ou casas residenciais é necessário reservar antecipadamente. Veja a lista no site do Caminho da Fé.

 

# O ideal é antes de iniciar essa caminhada, pegar no site do Caminho da Fé a relação das pousadas com seus respectivos telefones e preços. Assim fica mais fácil já acertar os pernoites de acordo com o ritmo da caminhada.

 

# Não cometa o mesmo erro que a gente no trecho Paraisópolis-Campista. Foram várias cagadas: caminhamos demais, pensando que o trecho fosse fácil; não reservamos a Pousada Barão de Montes, pensando que encontraríamos ela em alguma vila (ela tá no meio do nada). Pensamos que encontraríamos algum restaurante próximo, se não tivesse jantar na pousada. Tudo culpa nossa.

 

# Valores das refeições é de $10,00 a $20,00.

 

# Pode ser que alguns restaurantes onde comemos não funcionem mais. Sempre é bom perguntar na Pousada os melhores lugares para jantar.

 

# Não existem áreas de camping ao longo do Caminho. Só existem as opções das pousadas, hotéis ou casas de família.

 

# Algumas cidades dispõem de caixas eletrônicos dos principais bancos. São poucas as pousadas que aceitam cartão. A maioria só aceita dinheiro.

 

# O traçado do Caminho da Fé é quase que basicamente de oeste para leste e com isso a caminhada pela manhã será sempre com o Sol incidindo no rosto. Um boné com abas é obrigatório.

 

# Um cajado é essencial, principalmente nas subidas e descidas. Ele é vendido nos locais onde é fornecido a credencial, mas procure ligar antes para confirmar.

 

# Um bom tênis com uma boa palmilha e já usado é o essencial. Não use de maneira nenhuma um tênis novo. Fui com uma bota de trekking e achei desnecessário. Use duas meias, uma fina e outra um pouco mais grossa por cima. Passe também vaselina nos dedos, para evitar as bolhas.

 

# Evite roupas grossas para a caminhada. Um bom moletom ou uma calça fina já tá bom. Jeans de jeito nenhum. Durante a caminhada o corpo esquenta facilmente e uma blusa leve já é o ideal.

 

# Cerca de 1 mês antes se prepare fisicamente realizando caminhadas regularmente. Assim ao iniciar o Caminho da Fé, o corpo já está preparado para longas caminhadas e com isso se evita aborrecimentos ou até desistências.

 

# Todo o Caminho é muito bem sinalizado pelas setas amarelas ou placas de metal a cada 2 Km onde consta a quilometragem restante até Aparecida. Essas setas estão pintadas em postes, árvores, no asfalto, cercas, porteiras, mourões. Nos cruzamentos de rodovias elas normalmente estão pintadas na parte detrás das placas de sinalização.

 

# As placas maiores indicam a direção a ser seguida, através das setas amarelas, pontos de interesse como água potável e área de descanso e características das cidades onde o Caminho passa.

 

# Na minha opinião um dos piores trechos de todo o Caminho é o de Paraisópolis até Campista, passando por Luminosa. Evite fazer esse percurso que eu fiz. Se vier a fazer, saia bem cedo.

 

# Em vários trechos do Caminho, ele passa por dentro de propriedades particulares e ao cruzar cercas, porteiras ou cancelas, deixe-as como encontrou - abertas ou fechadas.

 

# Quem não tem a disponibilidade de vários dias para completar todo o Caminho, tem a opção de fazê-lo em partes, caminhando só em fins de semana. O meu colega Ronald que encontrei próximo de Tocos do Moji estava fazendo dessa forma.

 

# Sinal de telefonia celular é fácil conseguir.

 

# A Credencial do Peregrino deve ser adquirida nos locais onde se inicia a caminhada e serve para identificar que você está fazendo o Caminho da Fé. Ela deve ser apresentada nas pousadas e hotéis em que se hospedar. É importante que ligue antes para o local onde vai iniciar a caminhada se a credencial é fornecida lá. Não esqueça também de solicitar os carimbos por onde passa. Eles são a prova de que você fez todo o percurso. Ao chegar na Basílica de Aparecida, você poderá solicitar a Mariana, que é um certificado de conclusão do Caminho.

 

# Ideal levar uma mochila com no máximo 8 Kg de peso.

 

# O que levar na mochila:

- 3 ou 4 mudas de roupa.

- vários peças de roupas íntimas e vários pares de meia.

- uma pequena toalha

- capa de chuva

- um tênis já usado e uma papete.

- chinelo.

- canivete.

- material de higiene pessoal

- alguns alimentos para serem consumidos ao longo da caminhada. Posso citar frutas secas, barras de cereais, chocolate, sucos, um sanduiche natural e uma ou outra fruta fresca. Em geral alimentos de fácil digestão.

- Kit de primeiros socorros contendo pomada anti-séptica, anti-ácidos, curativos, gaze de rolo, esparadrapo, pomada contra assadura, Gelol ou similar, protetor solar e comprimidos para dores, resfriados ou gripes.

 

# Site com as indicações das Pousadas, seus respectivos telefones e a distância de uma para outra, assim como outras informações.

http://www.caminhodafe.com.br

 

 

Curiosidade

 

# O Caminho da Fé é mantido pelas cidades onde ele passa, através de leis que foram aprovadas nas respectivas Câmaras Municipais. As contribuições variam de cidade de acordo com o número de habitantes. Regularmente o Caminho da Fé acrescenta mais outras cidades aumentando o percurso.

 

# O trecho que muita gente reclama e com razão é o de Pindamonhangaba até Aparecida. Ele é todo feito pelo asfalto e nunca será excluído, já que essa cidade é a que mais contribui e já possui uma lei aprovada.

 

 

Abcs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Augusto.

Você é fera, mesmo!

Excelente seu relato!

Gostaria de saber uma coisa....

Em relação à segurança?

Não estamos no norte da Espanha....

Corremos algum risco fazendo esse Caminho sozinhos?

Obrigado.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Blz Maurício.

 

Essa era também uma das grandes preocupações que eu tinha qdo planejei essa caminhada.

Mas o que eu encontrei me levaram a concluir que violencia mesmo só nas grandes cidades.

 

Todas as cidades e olha que não foram poucas sempre encontrava uma receptividade muito grande. Digo dos moradores mesmo.

E maior ainda na zona rural, qdo passava por alguma plantação onde tinham alguém trabalhando na roça.

Recebi varios pedidos ao longo do caminho e de pessoas que eu nem conhecia.

É bem legal. E nas pequenas vilas o pessoal te recebe muito bem.

 

Qdo cheguei em Campos do Jordão, o Edison (o dono da pousada) me disse que o trecho do bairro de Piracuama até o centro de Pindamonhangaba (que é feito por uma longa avenida deserta) costuma ser perigosa se vc faze-la durante a noite.

Durante o dia é tranquila.

Por isso é bom reservar uma das 2 pousadas nesse bairro para não ter que caminhar a noite por essa avenida até o centro.

Ou se vc estiver bem rapido, com certeza passará por ela durante a tarde e com isso dá p/ ficar na pousada do centro de Pinda.

 

E sozinho eu acho dificil, porque vc sempre vai encontrar com alguém ou que está um pouco mais rapido ou mais lento.

O pessoal faz de acordo com o ritmo de cada um.

 

 

Valeu.

 

 

Augusto.

Você é fera, mesmo!

Excelente seu relato!

Gostaria de saber uma coisa....

Em relação à segurança?

Não estamos no norte da Espanha....

Corremos algum risco fazendo esse Caminho sozinhos?

Obrigado.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Augusto !

 

Muito bacana o relato, muito rico com mapa, vídeos !! ::cool:::'> ::cool:::'> ::cool:::'> ::cool:::'>

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Augusto,gostei muito do seu relato.

Sempre pensei,e ainda penso de fazer a caminhada de Santiago mas,ão lê seu relato e vê que temos tambem um caminho da fé(eu não tinha conhecimento),penso que se não for possivel ir até Chile poderia fazer aqui mesmo no Brasil a caminhada.abraços.

::otemo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Blz Michel.

 

O relato foi feito para servir de guia mesmo. Essa foi a minha intenção.

E pode ir tranquilo. Os trechos são bem sinalizados.

 

Abcs

Augusto !

 

Muito bacana o relato, muito rico com mapa, vídeos !! ::cool:::'> :8): ::cool:::'> :8):

 

 

 

billy.

Já li relatos de pessoas que fizeram o Santiago de Compostela e do Caminho da Fé.

Por incrivel que pareça o Caminho da Fé se revelou bem mais dificil.

Talvez pelo numero elevado de subidas e descidas de serras. Cansa muito viu.

E o de Compostela, a desvantagem é que ele é muito longo. Normalmente se faz em + - 30 dias.

O daqui + - 15 dias, dependendo de onde vc iniciar.

 

Só não temos os castelos e as igrejas, mas vale a pena.

 

 

Abcs

 

Olá Augusto,gostei muito do seu relato.

Sempre pensei,e ainda penso de fazer a caminhada de Santiago mas,ão lê seu relato e vê que temos tambem um caminho da fé(eu não tinha conhecimento),penso que se não for possivel ir até Chile poderia fazer aqui mesmo no Brasil a caminhada.abraços.

::otemo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Já li relatos de pessoas que fizeram o Santiago de Compostela e do Caminho da Fé.

Por incrivel que pareça o Caminho da Fé se revelou bem mais dificil.

Talvez pelo numero elevado de subidas e descidas de serras. Cansa muito viu.

E o de Compostela, a desvantagem é que ele é muito longo. Normalmente se faz em + - 30 dias.

O daqui + - 15 dias, dependendo de onde vc iniciar.

 

Só não temos os castelos e as igrejas, mas vale a pena.

 

Tenho uma colega de trabalho que me falou justamente isso, que se eu conseguir fazer o Caminho da Fé tirarei de letra o Caminho de Santiago !

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Me chamou atenção por que tenho uma amiga que está indo para a Espanha em Setembro fazer o caminho da fé.

Quanto ao teu relato, realmente pra mim que desconhecia foi uma grande informação. Eu nem imaginava como era e quando comecei a ler fui entendendo, é difícil acreditar ter placas indicativas. Parabéns.

Augusto vá gostar de andar é o segundo relato teu que eu leio.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Augusto, parabéns pelo seu relato, muito detalhado e confesso que sempre tive uma vontade de fazer um caminho dessa magnetude. Minha dúvida é se tem como fazer camping para minimizar os custos e se é vantagem. E a outra pergunta este é um caminho que todos podem fazer eu tem um limite de idade para tal?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Augusto, muito, muito bom esse relato. Bastante informativo, vai ser um baita incentivo para muitas pessoas seguirem teus caminho. tirei o chapéu pra ti! ::cool:::'>

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Augusto,

certamente vc estava ilumindado e ficou ainda mais!

Agradeço muito teu relato e digo que vc nem sabe quantas pessoas vc conseguiu influenciar desta forma!

Parabéns

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Blz Tozei.

 

O problema do camping é que vc não vai encontrar lugar para montar a sua barraca.

A não ser que vc faça camping selvagem, ao longo do caminho, mas não recomendo porque aí vc terá de levar comida e a barraca, além do saco de dormir, isolante, fogareiro. Essa coisas.

Tudo o que vc levaria p/ um camping normal, vc teria de levar p/ essa caminhada também.

 

Em uma caminhada longa como essa, o ideal é levar o minimo possivel de peso na mochila, para não ficar muito pesada.

Imagine uma mochila com barraca, comida, fogareiro, isolante, etc...

Não ia ser fácil.

 

Sobre valores das pousadas, o preço médio é entre $20,00 e $30,00. Teve algumas que cobram $10,00 a $15,00.

E refeição sempre ficou de $10,00 a $15,00.

 

E como vc tem mais de 1 opção de pousada em algumas cidades, é só escolher as mais baratas. Com certeza o serviço não é tão ruim assim, só por causa do valor baixo.

 

 

Qqer pessoa pode fazer uma caminhada como essa. Eles só não deixam menores de idade fazer o Caminho. Só com autorização dos pais.

Como isso é feito?

Na cidade onde vc vai iniciar a caminhada, se faz o cadastro e pega a credencial que te dá direito a ficar nas pousadas ao longo do caminho. Eles pedem essa credencial em todas as pousadas.

 

Limite de idade também não, mas tem de ser de acordo com o ritmo da pessoa.

Só lembre-se que entre uma cidade e outra o percurso é de + - 30 Km (algumas com 22 Km e outras até 50 Km). E com muita subida e descida de serra. Mas dá p/ fazer sem maiores problemas, já que a navegação é sempre seguindo as setas e placas ao longo do caminho.

 

 

Abcs

 

 

Augusto, parabéns pelo seu relato, muito detalhado e confesso que sempre tive uma vontade de fazer um caminho dessa magnitude. Minha dúvida é se tem como fazer camping para minimizar os custos e se é vantagem. E a outra pergunta este é um caminho que todos podem fazer eu tem um limite de idade para tal?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Samuca, Karen e Maurão.

 

O objetivo desse meu relato é incentivar outras pessoas a fazerem essa mesma caminhada.

Até p/ dizer que não é uma coisa de outro mundo.

Dá sim p/ qqer pessoa fazer. Não precisa ser uma pessoa com muita experiencia.

Lembrem-se que a minha esposa se juntou a mim qdo cheguei em Paraisópolis.

 

É só adequar o seu ritmo de caminhada de acordo com o que vc pode fazer.

 

E espero mesmo que vcs venham a algum dia a fazer esse caminho.

Não só pela caminhada em si, mas sim pelas amizades que vc vai fazendo ao longo do caminho.

Vc verá que ainda existem lugares onde as pessoas são simples, generosas e sempre procuram ajudar.

 

E valeu pelos elogios do tres. Brigadão mesmo.

 

 

Abcs a todos.

 

Augusto, muito, muito bom esse relato. Bastante informativo, vai ser um baita incentivo para muitas pessoas seguirem teus caminho. tirei o chapéu pra ti! ::cool:::'>

 

 

Augusto,

certamente vc estava ilumindado e ficou ainda mais!

Agradeço muito teu relato e digo que vc nem sabe quantas pessoas vc conseguiu influenciar desta forma!

Parabéns

 

 

Só para complementar meu elogio, isto sim que é ser mochieiro, o que eu faço é viajante independente.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Augusto, obrigado pela resposta e pela atenção, mas tenho outras perguntas:

 

Paga-se para fazer o cadastro e credencial?

 

Os valores que voce falou das pousadas de 10 a 35 reais se refere apenas a pousada (dormir, banho e tanque), janta é um valor a parte. Estou certo?

 

Pelo caminho ou nas pousadas, tem como eu preparar a minha própria comida usando meu fogareiro?

 

"# O Caminho da Fé é mantido pelas cidades onde ele passa, através de leis que foram aprovadas nas respectivas Câmaras Municipais. As contribuições variam de cidade de acordo com o número de habitantes." Que contibuições são essas? É algo que a gente tem que pagar? Me desculpa se isso foi uma pergunta idiota.

Tem algum outro gasto alem de alimentação e pousada?

 

Mais uma vez obrigado pelas dicas.

Caminhos da Fé, me aguarde...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Blz Tozei.

 

A credencial é baratinha. Acho que deve estar em uns $5,00. Qdo se faz o cadastro vc recebe essa credencial e ao longo do Caminho (nas pousadas e alguns bares) vai sendo carimbada.

No site do caminho da fé

http://www.caminhodafe.com.br/

Tem muita informação sobre onde obter a credencial.

 

Esses valores que te passei são da hospedagem apenas.

A alimentação é separada, porque em alguns lugares vc não come na pousada. As vezes só tá incluido o café da manhã.

Vc tem de comer fora em algumas delas.

No relato eu coloquei os melhores lugares onde se pode comer.

 

Vc vai caminhar a maior parte do tempo por estradas de terra vicinais, então sempre vc encontra um cantinho para fazer alguma coisa, em uma sombrinha.

Eu não recomendo levar fogareiro porque vai ser peso a mais na mochila. Fora a comida né.

E as paradas não podem ser longas demais, senão vc chega a noite na cidade e aí é complicado visualizar as setas.

Até para não ficar perguntando aos moradores né.

 

As contribuições das cidades é para a Associação que criou o Caminho da Fé.

As placas, setas, informações ao longo do Caminho custaram caro, então a única forma deles terem ajuda das cidades são essas contribuições. Que na verdade se revertem para a cidade, porque as pousadas sempre estão com gente e pessoal gastando.

Essas contribuições são as prefeituras que pagam para a associação. Nós peregrinos não pagamos nada.

 

 

Acho que é isso.

 

 

Abcs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Augusto, parabéns pelo relato detalhado!

 

Eu estava cogitando esse caminho agora em Novembro, mas estava um pouco receoso por conta de ir sozinho. Como você fez a maioria do trajeto sozinho, fiquei determinado em seguir em frente. :P

 

Agora só falta ver como me saio nessas caminhadas longas...Trotando na esteira, chego próximo dos 5Km em 40 minutos.

 

Tenho umas duas perguntas para te fazer, sobre o trajeto:

1) Sobre o tênis, tem algum critério mais específico? Tipo, precisa de ter amortecedor?

2) Na média, quanto tempo leva para cada trecho? Uma estimativa de 3Km/hora é razoável?

 

Valeu,

 

Lucas

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Blz Lucas.

 

Pode ter certeza que vc não será o unico sozinho não.

Não tô falando de uma pessoa onipresente não hein (para ser mais especifico: Deus) ::otemo::::otemo::::otemo::::otemo::

Nas pousadas por onde passei, sempre via comentários de peregrinos sozinhos, fazendo esse percurso. Vc vai ouvir cada estória legal.

 

1) Sobre o tenis, procure levar um que vc já o tenha a alguns anos.

Tenis estalando de novo é totalmente impróprio. E uma bota também é desnecessario.

O que eu recomendo é um tenis que seja impermeavel (nunca se sabe se vc vai pegar chuva). E muita meia. E não esqueça da vaselina entre os dedos para evitar as bolhas hein.

Amortecedor não faz tanta diferença. Lembre-se que é uma caminhada. Amortecedor é para corridas leves.

 

2) Normalmente uma pessoa faz uma caminhada no ritmo de 5,4 Km/hora sem paradas.

Já contando com as paradas, esse tempo abaixa para uns 4 a 5 Km/h.

Eu cheguei a fazer nos primeiros dias um pouco abaixo dos 4 Km, porque parei muito (tinha de montar o tripé para as fotos) e só fui apreciando o visual. Além da dores também.

Então tomando como padrão 3 a 4 Km/hora, tá de bom tamanho (faça esse cálculo olhando nas placas de quilometragem restante até Aparecida que aparecem ao longo do Caminho). Não esqueça que vc vai estar levando uma mochila.

 

No Caminho da Fé, o percurso passa pela serra da mantiqueira, então serão inúmeros trechos de subida e alguns muito ingremes.

Por isso, se vc chegar a + - 5 Km/hora, vc vai cansar muito nos trechos finais entre uma cidade e outra.

 

No mais é curtir sempre o visual e procurar sair sempre de manhazinha.

Vc já ouviu desse ditado?

Deus ajuda a quem cedo madruga.

Ele se encaixa perfeitamente nesse Caminho.

 

 

Abcs e valeu pelos parabéns.

 

 

 

Augusto, parabéns pelo relato detalhado!

 

Eu estava cogitando esse caminho agora em Novembro, mas estava um pouco receoso por conta de ir sozinho. Como você fez a maioria do trajeto sozinho, fiquei determinado em seguir em frente. :P

 

Agora só falta ver como me saio nessas caminhadas longas...Trotando na esteira, chego próximo dos 5Km em 40 minutos.

 

Tenho umas duas perguntas para te fazer, sobre o trajeto:

1) Sobre o tênis, tem algum critério mais específico? Tipo, precisa de ter amortecedor?

2) Na média, quanto tempo leva para cada trecho? Uma estimativa de 3Km/hora é razoável?

 

Valeu,

 

Lucas

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


  • Conteúdo Similar

    • Por Mochileiros.com
      O Caminho da Fé é um trajeto de peregrinação brasileiro inspirado no Caminho de Santiago de Compostela (Espanha).
      Inicialmente feito por alguns peregrinos em direção ao Santuário de Aparecida, em uma rota alternativa a outras, predominantemente, pavimentadas, a rota foi oficializada, em 2005. Atualmente há diversos caminhos até Aparecida, com saídas partindo dos municípios de Águas da Prata, Cravinhos, Paraisópolis, São Carlos, Descalvado, Mococa e Tambaú. O trajeto mais longo tem 541 km e o mais curto, partindo de Paraisópolis, tem 134 km.
      O Caminho da Fé é uma rota sinalizada por setas amarelas e composto por trechos de estradas de terra, asfalto, trilhas dentro de fazendas e trilhos de trem compondo um percurso de cerca de 600 km, incluindo municípios do estado de São Paulo e também do Estado de Minas Gerais.
      Confira os relatos e mais informações sobre a trilha acessando a tag: 
    • Por vanderdissenha
      Abaixo segue o relato completo dos 13 dias de bike pelo Caminho da Fé, em março último.
       
      Caso queria ver mais fotos, acesse meu blog no endereço: http://vanderdissenha.wordpress.com/ As postagens sobre o Caminho da Fé vão do dia 21/03 até 08/04, é só procurar no Blog, onde postei quase 200 fotos da viagem.
       

       
       
       

       

    • Por LuisD

       
      Há alguns anos eu planejava fazer o CdF, que por uma razão ou outra acabava não dando certo.
       
      Este ano, eu e meu irmão programamos de fazer uma versão resumida, em 4 dias, que chamamos de Filé do Caminho da Fé.
      Com o tempo que tínhamos, resolvemos sair de Águas da Prata (AdP) e acabar em Campos do Jordão (CdJ), já que não tínhamos nenhum objetivo religioso de chegar a Aparecida e a parte de terra e montanha acaba em CdJ.
       
      Apesar de não ter uma conotação religiosa, fiquei bem tentado em chegar até Aparecida pela sensação de cruzar a linha de chegada e cumprir o Caminho. Entretanto, alguns amigos que já tinham feito disseram que teríamos diversão suficiente neste trecho da AdP até CdJ, o que foi a mais pura verdade.
       
      Aproveitamos o feriado paulista de 9 de julho (segunda) e matamos a sexta-feira anterior para fechar os quatro dias.
       
      Na quinta a noite peguei a Viação Cometa de Campinas até AdP e encontrei meu irmão que vinha de Ribeirão Preto já na Pousada do Peregrino, sede do CdF.
       

       
      Além de nós, tinham outros 3 ciclistas. Além destes, somente encontramos mais um durante os 4 dias de caminho. Imaginei que encontraria mais bicicleteros (como dizem os moradores das cidadezinhas do CdF).
       
      O planejamento de roteiro foi:
      Dia 1: AdP até Inconfidentes, 85 km, 2.100 m de ascensão.
      Dia 2: Inconfidentes-Estiva, 58 km, 1.900 m de ascensão.
      Dia 3: Estiva-Luminosa (Pousada da Dona Inês, já na subida da serra), 65 km, 2.000 de ascensão
      Dia 4: Pousada da D. Inês-CdJ, 35 km, 1.400 m ascensão
       

       
      O clima estava perfeito, seria difícil melhorar. Dias de céu azul, quase sem nuvens, clima fresco (20-25 graus) e chão compactado, sem poeira ou barro.
       

       
      A viagem foi muito melhor do que eu poderia esperar em termos de paisagens, pessoas e a experiência de ficar 4 dias somente pedalando, distante das preocupações cotidianas. Foi uma verdadeira terapia mental e física.
       

       
      As cidadezinhas do roteiro são muito bacanas e tem também muitos bairros rurais, onde a vida segue num ritmo de muitos anos atrás.
       
      Tivemos quase nenhum problema durante os 4 dias, somente 2 pneus furados (na minha bike) e meu irmão perdeu o ciclocomputador dele.
       

       
      Outra dica de um amigo que já fez o CdF foi se poupar nas grandes subidas, empurrando a bike logo no começo. Aliás, subida é que não falta no CdF, para citar as maiores: Serra dos Limas, Serra de Tocos do Moji, Serra do Caçador e, a mais temível, Serra de Luminosa.
       
      Se você conseguir subir todas elas pedalando, parabéns! Nós empurramos bastante nessas e em outras também.
       

       
      No penúltimo dia chegaríamos e dormiríamos em Luminosa, mas decidimos continuar além do vilarejo e dormir na Pousada da Dona Inês, uns 4 km após Luminosa, já subindo a famosa serra. O objetivo foi dividir a subida em duas partes, o que foi muito acertado.
       

       
      Em termos de gastos, a viagem é barata. Para dormir custa entre R$ 30 e R$ 40 por pessoa e as refeições ficam abaixo de R$ 10. Além disto não tem muito mais onde se gastar. Ou seja, por dia você gastará uns R$ 70.
       

       
      Todos os 3 ônibus que peguei levaram a bike no bagageiro sem problemas ou taxas extras.
       
      Seguem algumas fotos:
      https://picasaweb.google.com/106721644794220114823/CaminhoDaFe2012
    • Por joaozinhomenininho

       
       
      Distância: 416km (ida e volta)
      Início: Santo André-SP >>> Aparecida-SP >>> Santo André-SP
      Quando: Julho / 2013
      Equipamento:
      Bicicleta Dobrável Porto Seguro 16"
      Alforge traseiro Pannier 13 litros
      Mochila 10 litros e Barraca de Camping Iglu (2 pessoas)
       
       
      LINK DA VIAGEM (fotos - relatos - carta - mapa interativo...)
      http://joaozinhomenininho.blogspot.com.br/2013/07/brasil-caminho-da-fe-parcial-aparecida.html
       
       
      Faz muito tempo que não acessava o mochileiros.com
      e fiquei muito feliz com a evolução do fórum de discussão!!!
      Posteriormente procuro postar outras viagens de bicicleta...
       
      Espero fazer muitas amizades aqui e
      quem sabe pedalamos juntos no futuro próximo!!!
       
       
      Cicloabraços
      Joãozinho
    • Por Rodrigo Ubiratan
      Amigos Peregrinos, boa tarde!
       
      Estou lançando um livro que conta minha peregrinação atravessando montanhas, vales, trilhas na mata, trilhos de uma linha férrea e no asfalto. Despojando do supérfluo e exercendo a capacidade de ser humilde o peregrino vai superando as dificuldades com força, fé e oração. O Diário de um Guerreiro no Caminho da Fé leva o leitor a peregrinar dentro de si mesmo.
      O livro é simples, com uma linguagem muito popular, aqueles que se interessarem podem entrar em contato comigo. Através do e-mail: [email protected]
×