Use o menu Tags para buscar informações sobre destinos! - Clique aqui e confira outras mudanças!

Ir para conteúdo

Posts Recomendados

Amigos,

 

Acabei de cortar um dia de estadia em Arequipa da minha viagem para conhecer as Ilhas de Uros e Taquiles. Não sei se será a melhor idéia que eu tive hoje, mas como estou mais interessado em natureza do que cidade, me pareceu que valeria a pena.

 

O que acontece é que não tem muita informação sobre Puno e o que tem está bem espalhado... Acho que achei mais coisa de Puno no fórum da Bolívia que aqui no Peru!

 

Já li bastante que Puno não é um lugar dos mais legais do mundo, apesar de alguns discordarem... De qualquer forma, vou pra lá para conhecer o Lago do lado do Peru e toda ajuda é bem vinda. Se alguém pudesse ajudar...

 

O que eu precisaria de informação é:

 

1- Dicas de hospedagem. Hostel, Hotel... Qualquer coisa. E se possível os preços, claro! Se tiver endereço ou local de referência, perfeito!

 

2- Devo chegar tarde se tiver ônibus no horário que imagino. É uma cidade com estrutura onde encontrarei taxi na rodoviário lá pelas 11:30 da noite? E lá é seguro?

 

3- Valor atualizado do passeio para as Ilhas de Uros e Taquiles.

 

4- Horários de saída e tempo do passeio.

 

5- Se a rodoviária local, de onde chegam os ônibus vindos das outras cidades do Peru é a mesma onde se toma o ônibus para ir para Copacabana.

 

6- Horário limite para sair de Puno para Copacabana em tempo de pegar a imigração aberta para entrar na Bolívia.

 

Muito obrigado!

 

Abraço,

 

Felipe

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Felipe, voce disse que pretende conhecer bem a natureza da região e acho que esta mais do que certo, mas nesses seus dias em Arequipa a visita ao Canion esta incluida? Porque se nao estiver acho bobeira perder o Canion. Se estiver acho que esta mais do que certo, nunca trocaria a oportunidade de conhecer um novo lugar e fazer um passeio na natureza por um dia em uma cidade grande.

 

A dormida em Puno acho que nao compensa, tenta sair de noite de Arequipa chegando cedo em Puno, faz o passeio e depois tira suas proprias conclusoes a respeito da cidade. Depois segue pra Copacabana e dorme lá. Dependendo do horario que chegue em Puno talvez seja possivel dormir na Ilha ao inves de Copacabana.

 

Outra coisa, Taquiles dizem que so compensa se for dormir, que ai rola o intercambio com os nativos e voce ainda dorme em uma Liha Flutuante. Se não for dormir é perda de tempo e dinheiro.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Paulo.

 

Obrigado pelas informações.

 

Em Arequipa vou para o Canyon sim! O que iria fazer é voltar para Arequipa do tour e dormir lá para só partir para Puno no dia seguinte. Teria que chegar a Copacabana nesse mesmo dia.

 

Agora pretendo voltar do tour e já partir para Puno. Assim já acordo lá e posso visitar o Titicaca e depois ir para Copacabana.

 

Não sei não vou preferir dormir em Puno... A viagem de Arequiipa para Puno não dura muito mais de 6 horas... Ou dura?

 

Porque se for pra dormir umas 4 ou no máximo 5 horas mal dormidas no ônibus, eu não sei se vale a pena... Mas vamos ver!

 

E já cortei Taquiles! Vou só para Uros.

 

Você tem idéia de qual o primeiro horário que sai esse passeio para Uros, e principalmente, quanto tempo dura o passeio?

 

Realmente se eu não chegar muito tarde em Copacabana, vou tentar dormir na Ilha do Sol, mas se não der, não tem problema. O que quero mesmo é ter tempo de fazer o trekking da parte norte para a parte sul da ilha. E pelo que li aqui isso é possível no mesmo dia. Então tudo tranquilo!

 

Valeu

 

Abraço,

 

Felipe

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá, estou postado o relato de viagem

retratodoperu-11x4-relato-fotos-dicas-fones-precos-t33705.html

e logo chego na parte realtiva a Puno e Ilhas DOS uros. Se você puder esperar um pouco, vai te ajudar.

De antemão te digo que são várias ilhas flutuantes feitas de totora, um tipo de junco. Você anda uns 30 minutos de barco, desembarca na primeira ilha, vê o artesanato, anda na ilha (sensação "crocante..."), compra colarzinho e vai para a outra ilha. É interessante, mas não ocupa um dia todo.

A Plaza de Armas de Puno é minúscula, e o calçadão se agita de noite. mais ou menos como Camboriú. Se você tem pouco tempo de viagem deixe Puno de lado. nòs embarcamos no busão ás 23 horas e foi tranquilo.

Mas vou te dar uma dica IMPORTANTE:não deixe sua mochila do bagageiro do onibus. Viaje com ela no colo, aos pés, não importa. Não há controle de bagagem nos onibus e se alguém, no meio da noite, disser que é dele e levar, você vai se incomodar. Faça-se de desentendido e leve com você.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Felipe, voce disse que pretende conhecer bem a natureza da região e acho que esta mais do que certo, mas nesses seus dias em Arequipa a visita ao Canion esta incluida? Porque se nao estiver acho bobeira perder o Canion. Se estiver acho que esta mais do que certo, nunca trocaria a oportunidade de conhecer um novo lugar e fazer um passeio na natureza por um dia em uma cidade grande.

 

A dormida em Puno acho que nao compensa, tenta sair de noite de Arequipa chegando cedo em Puno, faz o passeio e depois tira suas proprias conclusoes a respeito da cidade. Depois segue pra Copacabana e dorme lá. Dependendo do horario que chegue em Puno talvez seja possivel dormir na Ilha ao inves de Copacabana.

 

Outra coisa, Taquiles dizem que so compensa se for dormir, que ai rola o intercambio com os nativos e voce ainda dorme em uma Liha Flutuante. Se não for dormir é perda de tempo e dinheiro.

 

E ai Paulo, tudo bem?

 

Vou sair de Cusco de noite e chegar de manha cedo em Puno. Pelo que andei lendo, o passeio pra Ilhas Uros acontece de manha cedo, eh isso mesmo ou tem varios saidas pras ilhas durante o dia? Eu consigo contratar na hora ou tenho que contratar com um dia de antecedencia?

 

Fernando(falatche)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sai em varios horarios e nao tem necessidade de reservar.

 

Sugiro os ultimos pra aproveitar o por-do-sol em Urus que é bem bonito.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá pessoal!

Gostaria de dicas sobre as ilhas, como é q se faz p passar a noite em uma delas? Qual é a melhor? E se vcs aconselham dormir lá? Dorme-se onde? Qual é o valor gasto neste passeio?

Obrigada!

Abração a todos!

Raka.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Raka

 

Dei uma lida nas suas mensagens e percebi que todas suas dúvidas são bem fáceis de se achar respostas aqui nos fóruns.

 

Eu não vou te responder, pois seria melhor vc dar uma pesquisada, tendo em vista que teria uma visão mais completa das coisas.

 

Vou passar uns links pra vc ler:

 

http://www.mochileiros.com/litoral-peruano-guia-de-informacoes-t36173.html

 

http://www.mochileiros.com/relatos-de-viagem-para-america-do-sul-f390.html

 

Pode usar o campo PESQUISAR, que fica na tela também, pois ele te direciona para as informações.

 

Dá uma estudada melhor e depois posta os pontos de dúvida. Se tiver alguma dúvida mais pessoal, pode me enviar uma MP, que te respondo na boa.

 

Abraço e bem-vinda ao fórum,

Leo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Leo obrigada por me responder!

Cara já pesquisei um monte e montei um roteiro.

Tenho algumas dúvidas, vê se tu pode me ajudar.

Estou em dúvida qto a ficar em Puno. Vi muitos relatos de q não vale a pena. Saio de Arequipa e pensei em ir a Puno, conhecer as ilhas Uros e depois Copacabana, pois decidi ir p a Bolivia tb. Tu acha q vale a pena parar em Puno ou é melhor ir direto p Copacabana e conhecer a Isla del Sol. Ou se eu parar é possível ficar de dia lá e depois já viajar a noite p Copacabana no mesmo dia?

Outra dúvida q tenho é qto a volta. farei La Paz/Cusco. Vi em alguns relatos q são 11 hs de viagem. É possível fazer à noite? Ou é melhor viajar de dia este trajeto?

Tb gostaria de te perguntar qual a melhor cidade p ficar pa conhecer as Linhas de Nasca! É bom ficar em Nazca mesmo?

Para passeio a Ballestas e Paracas é melhor dormir em Huacachina?

Estou um pouco confusa, pois já vi diversos roteiros. Meu vôo é p Lima. Tenho q voltar por lá tb, pois vou pela Tam(milhas).

Meu roteiro:

Lima/Ica(Ballestas e Paracas)/Nasca(Linhas e Chaullita)/Arequipa(Colca)/Puno(Uros)/Copacabana(Isla del Sol)/La Paz(Tiwanaku;

Valle de la Luna;Chacaltaya)/Cusco(Vale Sagrado/Lima. Tu acha q dá p fazer isso em 15 dias?

Desculpa te oportunar, mas como vou sozinha e não conheço nada lá estou com muitas dúvidas, apesar de já ter lido muito no Fórum e ter muitas informações maravilhosas.

Valeu pela força!

Abração.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Raka, é o seguinte, esse tópico é especifico para perguntas e respostas sobre Puno. Sei que fica chato postar perguntas em cada fórum específico, mas pior vai ser se todos postarem a respeito de tudo aqui, aí termina que daqui a um tempo ninguem mais tem saco de ler o tópico com tantas informações desencontradas e sobre tantos lugares.

 

Então mesmo voce tendo perguntado ao Leo vamos ao que interessa:

 

Puno muita gente não gosta da cidade, acha suja e sem graça. O passeio das Islas é no estilo me engana que eu gosto, um teatro dos nativos fingindo que preservam as tradições e os turistas fingindo que acreditam. Esses são aspectos negativos, mas de positivo tem que é barato, você pode tirar ótimas fotos, comer uma truta do titicaca e onde mais você teria a oportunidade de conhecer um povo que vive em ilhas flutuantes??

 

Enfim... fica dificil dizer se deve ir ou não, cada um tem suas preferências e muitas vezes o que eu gosto outra pessoa detesta, o passeio é isso ai que falei e só você pra saber se compensa ou não.

 

Pras outras dúvidas existe um guia de informações que de deve te ajudar e os topicos de perguntas e respotas especificos. Roteiros deverão ser discutidos aqui.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Paulo!

Desculpa por desviar do assunto deste tópico!

Obrigada pelas dicas de Puno.

Vou buscar minhas respostas em outros fóruns específicos p cada tema.

Acho q é a ansiedade pré viagem! (rsrsrsrs)

Valeu!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Galera!

 

Estou programando para fevereiro próximo uma viagem ao litoral peruano. Porém, sairei do Brasil pelo trem da morte até Sta Cruz. As minhas dúvidas são: De La Paz à Puno como chegar? Preciso ir pra Copacabana??

E ao chegar em Puno, existe ônibus direto até Lima ou se obrigatoriamente precisarei parar em Arequipa?? Ou se melhor ainda, posso ir de La Paz direto à Lima de uma forma mais econômica. Grato pela ajuda!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Rafael,

 

Não fui a Lima, mas posso te garantir que de La Paz para Puno se passa por Copacabana, sim.

Copacabana fica no lago titicaca, assim como Puno, mas acho bem possível que você consiga saltar de um ônibus para outro direto, e existem ônibus diretos de La Paz para Puno, que passam por Copacabana.

 

Eu achei Puno bem bonitinha, Copacabana é mais, mas o centro de Puno vale a pena de ser visto se você tiver um pouco de tempo. As islas flotantes são exatamente o que já foi descrito aqui, coisa para turista ver, mas eu achei que foi legal pular na totora!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Felipenedo, tranks?

 

Entao....fiz um passei pelo lago e gostei demais. Uros e maravilhoso, taquille tbm, mas o mais interessante foi dormir na casa dos nativos na ilha de Amantani, é algo diferente e vc podera conhecer bem a cultura local. Foi um dos programas que mais gostei. Fomos muito bem recebido pelos nativos e a sensacao e diferente.

Vale lembrar que as casas sao de adobe, nao ter energia eletrica e tudo e muito precario, inclusive os banheiros, se é que podemos chamar as fossas de banheiro.

 

Mas comemos comida tipica feita em fogao de lenha, dancamos a noite com o pessoal da ilha e jogamos bolas com a meninada.

 

Enfim...acho q é um passei que se vc tiver tempo, invista, vale a Pena.

 

Quanto a Arequipa eu gostei bastante da cidade, e como adoro comer, descobri alguns locais bacana e comi uma das melhores pizzas que ja comi na minha vida.

Em uma birosca de uma italiana. Vale a pena conferir.

Pena nao ter o nome aqui em maos, mas se encontra-lo em casa postarei.

 

A Agencia Giardino podera te ajudar a dormir na ilha, caso tenha interesse.

 

Abracos,

Bechelany

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Raka, é o seguinte, esse tópico é especifico para perguntas e respostas sobre Puno. Sei que fica chato postar perguntas em cada fórum específico, mas pior vai ser se todos postarem a respeito de tudo aqui, aí termina que daqui a um tempo ninguem mais tem saco de ler o tópico com tantas informações desencontradas e sobre tantos lugares.

 

Então mesmo voce tendo perguntado ao Leo vamos ao que interessa:

 

Puno muita gente não gosta da cidade, acha suja e sem graça. O passeio das Islas é no estilo me engana que eu gosto, um teatro dos nativos fingindo que preservam as tradições e os turistas fingindo que acreditam. Esses são aspectos negativos, mas de positivo tem que é barato, você pode tirar ótimas fotos, comer uma truta do titicaca e onde mais você teria a oportunidade de conhecer um povo que vive em ilhas flutuantes??

 

Enfim... fica dificil dizer se deve ir ou não, cada um tem suas preferências e muitas vezes o que eu gosto outra pessoa detesta, o passeio é isso ai que falei e só você pra saber se compensa ou não.

 

Pras outras dúvidas existe um guia de informações que de deve te ajudar e os topicos de perguntas e respotas especificos. Roteiros deverão ser discutidos aqui.

 

Ola Paulo, meu xará... vi vários comentários seus neste site, entao resolvi me aconselhar contigo..

Já dei uma lida em alguns tópicos, mas uma duvida ainda ronda: é possivel chegar em Puno a tempo de fazer o passeio até as ilhas flutuantes, tendo dormido na noite anterior na ilha do sol? O tempo de viagem de copacabana é de aproximadamente 4 hrs, de bus, sim?

 

Valeu... se vc tiver um e-mail pra eu poder pedir algumas dicas, agradeço...

valeu

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Ola Paulo, meu xará... vi vários comentários seus neste site, entao resolvi me aconselhar contigo..

Já dei uma lida em alguns tópicos, mas uma duvida ainda ronda: é possivel chegar em Puno a tempo de fazer o passeio até as ilhas flutuantes, tendo dormido na noite anterior na ilha do sol? O tempo de viagem de copacabana é de aproximadamente 4 hrs, de bus, sim?

 

Valeu... se vc tiver um e-mail pra eu poder pedir algumas dicas, agradeço...

 

PauloMotta, com sua permissao...

 

Paulo, tire as interrogacoes de suas perguntas, transforme os questionamentos numa afirmativa e ja tera suas respostas.

Quanto a e-mail, se nao se sente confortavel em fazer perguntas diretamente nos topicos e compartilhar as respostas com todos ( nao que seja obrigatorio, mas apenas sociavel ) voce pode utiliza a MP, na qual vc manda uma Mensagem Particular somente ao membro da comunidade que estiver como destinatario. Para mandar uma MP use o icone que fica abaixo do Perfil de cada usuario.

 

Abs

 

Leo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Tranquilo Leo...

 

Xará é o seguinte, ja faz um ano que eu fui pra la e talvez o que eu funcionou comigo nao seja mais realidade, mas da pra encaixar perfeitamente a noite na Isla com o onibus para Puno, pesseio nas Islas e onibus noturno para Cusco.

 

Talvez complique um pouco mais se dormir na parte norte da Ilha, na época os barcos nao eram frequentes e tivemos que fretar um, a sorte é que eramos muitos e saiu o mesmo preço, caso contrario teria que fazer a trilha de volta.

 

Como o Léo ja falou o ideal é perguntar por aqui porque suas duvidas muitas vezes sao parecidas com a de outros e o intuito do forum é justamente esse, disponibilizar info para quem precisa.

 

Outra coisa, é bom dar uma pesquisada antes pelo mesmo motivo, muitas das suas duvidas provavelmente ja foram respondidas então nao vai ter necessidade de perguntar novamente.

 

Abraço e pode ficar a vontade pra perguntar nos topicos mesmo (lembrando sempre de pesquisar antes) ::cool:::'>

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Paulo,

 

E aí, beleza!?

 

Tô começando a elaborar um pré-orçamento pra conhecer o Peru em agosto e está difícil achar a companhia de ônibus que faz Puno a Cusco de noite... Já procurei bastante por aqui, todo mundo cita, mas nada de nome da bendita... Se lembra do nome dela??

 

Abraço!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fala Léo, não lembro bem mas acho que foi com a San Martin.

 

A principio fiquei com receio porque nesse trecho as empresas que operam eu não conhecia nenhuma, mas se não me engano são tres que fazem o trecho e as tres são boas, a San Martin é uma delas, a Cruz del Sur outra e se não me engano existe ainda outra opção (ou até mais).

 

A Cruz del Sur eu já critiquei algumas vezes por conta dos preços cobrados, mas qualquer outra empresa que pegue acho que vai fazer uma boa escolha.

 

Acho que dificilmente vai encontrar o site pra ver preços e horarios, mas o valor fica em torno de 30 soles.

 

A dica que dou quando estiver por lá é pegar os unibus que saiam mais tarde, porque a viagem não é longa e os onibus saem relativamente cedo. No meu caso acabei chegando no meio da madruga em Cusco, então se der pra evitar isso acho que vale a pena.

 

Abraço, Paulo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Valeu pelo help, Paulo!!

Tô vendo que muita coisa não tem site ainda no Peru, até uns albergues que me indicaram... Vou tentar vender meus serviços por lá, ::tchann:: .

 

Abraço,

Leo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


  • Conteúdo Similar

    • Por carlos.alberto1
      Olá a todos, vou relatndando aqui alguns detalhes dessa trip durante a viagem mas quando chegar vou colocar um relato mais detalhado.
       
      Se alguém tiver alguma dúvida sobre esses trechos que passei, dúvidas sobre essas estradas para montar algum roteiro ou quiser trocar uma ideia pode entrar em contato no e-mail [email protected]
       
      1° dia: saímos de Goiânia as 8 horas da manhã e chegamos em Rondonopolis no MT as 17 horas. Em geral as estradas muito boas, depois de Minérios apenas pista simples além de muitos caminhões pesados. Na cidade tivemos dificuldade para achar um hotel na rodovia mas no centro havia muitas opções. Apesar de um dia cansativo, no final da tarde tivemos uma boa surpresa com o mirante da chapada.

    • Por henriquefarage
      Entre julho e novembro de 2017 parti pra uma viagem sem muitos planos, com pouquíssimo dinheiro, sem experiência e com passagem apenas de ida pra Bolívia. Foram quatro meses de viagem com muito aprendizado e muitos perrengues pra contar. Não sou muito adepto ao estilo "mochileiros" de relatar viagens. Nunca pensei em fazer este relato, mas acho que de alguma forma posso contribuir com alguma informação útil para os futuros mochileiros que passarem por onde passei. Sendo assim, não esperem fotos, preços (até porque nunca anotei essas coisas), tantos detalhes minuciosos do que comi, que horas fui no banheiro, qual papel usei. Enfim. Vou tentar ser bem objetivo na medida do possível.
      Destino: eu só queria viajar por algum lugar legal aqui na América do Sul pela proximidade e custos também (era minha primeira viagem assim, e sozinho). Então "joguei a roleta" e vi qual seria a passagem mais barata. Resultado: Santa Cruz de la Sierra, Bolíva. Com o destino definido, pensei no que fazer quando chegasse lá. Me cadastrei no Workaway e procurei um hostel pra trabalhar em qualquer cidade por lá. A primeira que me respondesse eu iria. Deu Cochabamba.

      Preparativos: saí de Vitória/ES com uma Mochila de 50L e uma pequena que usava na faculdade com notebook (jamais levem um notebook em um mochilão) e algumas roupas. Como aqui não faz frio, e nunca usei botas na vida, acabei comprando uma jaqueta impermeável com fleece dentro, um par de botas, uma capa de chuva pra mochila e um cobertor de viagem (tudo na Decathlon). Levei alguns remédios (um monte, porque não sabia quanto tempo ficaria viajando), RG, carteira de vacinação e foi isso.
       
      Bolívia: ainda não tinha muita noção de se locomover de um lugar pro outro, de distâncias e tal, pouco antes da viagem consegui um Couchsurfing em Santa Cruz. Então cheguei, passei uma noite lá, e no dia seguinte peguei o ônibus pra Cochabamba. Em Cocha trabalhei duas semanas no Jaguar House Hostel. Adorei a cidade, o clima, a organização. Aproveitei esse tempo pra pensar no próximo destino. Conheci bastante gente e todos iam pra La Paz. Mantive contato com um pessoal e me falaram que lá tinham party hostels que sempre precisava de voluntários. Escrevi pro LOKI e Wild Rover. O Wild Rover pareceu mais organizado, então acabando meu voluntário em Cochabamba fui direto pra La Paz atrás desse hostel. Cheguei de madrugada, paguei uma diária, e no dia seguinte já fazia parte da equipe. Passei quase 3 semanas trabalhando no Wild Rover La Paz. Experiência incrível, e que ainda me deu direito a fazer a Death Road de graça pela agência que fica na entrada do hostel (Altitude Biking). Pensei em fazer a tour do Uyuni mas eu não estava preparado pra tanto frio então deixei pra quando (se) voltasse. Nesse tempo meu próximo destino já tava definido: Cusco. Fui no terminal comprar passagem e já não tinha mais. Tentei Arequipa, também não tinha. Comprei pra Copacabana onde passaria uma noite e pegaria o ônibus no dia seguinte pra Cusco. Só que em Copacabana conheci um chileno muito gente boa e aí acabei indo com ele pra Isla del Sol acampar lá em cima, onde tem o bosque de eucaliptos e tal. Depois dessa aventura voltei pra Copa e mais tarde peguei o ônibus pra Cusco.
       
      Peru: Em Cusco eu sabia que precisava ganhar dinheiro se quisesse seguir viajando porque já tava ficando sem nada. Como não tinha nada planejado (óbvio), fui direto pro WIld Rover Cusco, falei que tinha trabalhado no de La Paz e pedi uma diária grátis. Usei essa diária apenas pra conversar com os managers e pedir pra trabalhar lá também. Eles pegaram minha referência de La Paz e no dia seguinte já comecei a trabalhar lá também. Enquanto trabalhava no Wild Rover saí pra buscar emprego na cidade, com classificados na mão e tudo. Em uma semana consegui emprego na agência de turismo Wilka Travel, onde fiquei por 40 dias. Neste tempo consegui vivenciar mais a rotina do cidadão cusqueño e me integrar a cultura daquela cidade. Com o salário consegui sair de hostel e alugar um quartinho modesto em San Blas e ainda aproveitar pra fazer alguns tours (pela agência conseguia descontos e gratuidades).
      Ainda em Cusco comecei a pensar nos próximos destinos e decidi que iria subindo ao norte até chegar na Colômbia. Infelizmente isso nunca aconteceu porque descobri que teria de voltar pro Brasil em algum momento antes do ano acabar, então tive que comprar uma passagem de volta com certa urgência. Comprei com saída de Buenos Aires. Eu teria uns 2 meses pra me virar pra chegar em Buenos Aires. Foi uma decisão difícil porque Chile e Argentina a essa altura da viagem já estavam bem distantes dos meus planos por serem países bem caros pra mochileiros. Mas fazer o que?
      Antes de sair do Peru dei uma passada rápida em Arequipa porque havia combinado com uma amiga de assistir um jogo do Peru x Colômbia lá no Wild Rover Arequipa. Passei três dias na cidade e não fiz tour nenhum simplesmente porque machuquei meu dedão na primeira noite (bêbado). De lá decidi que voltaria a La Paz pra trabalhar mais uns dias no Wild Rover, economizar uma grana, e e depois seguir pra Uyuni. Peguei um ônibus de Arequipa até Desaguadero, cruzei a fronteira caminhando, e peguei um trufi até La Paz.
       
      Chile: Mais uns 10 dias em La Paz (já era final de outubro) e eu ainda tinha que cruzar mais algumas fronteiras até chegar em Buenos Aires. Segui pra Uyuni, fiz o tour até a fronteira com o Chile e fui pra San Pedro de Atacama. Foi uma mudança brutal de preços pra quem estava por Peru e Bolívia, e eu certamente não tava preparado pra isso. Passei (acho que) três noites em um hostel lá apenas tentando Couchsurfing. Consegui em Viña del Mar. Assim que confirmei pensei "como chegar em Viña del Mar?". Carona, claro! Já tinha escutado que caronas são relativamente tranquilas no Chile. Então fui de San Pedro de Atacama até La Serena pegando carona atrás de carona. Como não tinha barraca pra dormir na estrada, acabei tendo que pegar um ônibus por 4 horas de um ponto ao outro pra ter onde passar a noite (pagos no cartão de crédito porque já não tinha mais dinheiro em espécie). Passei uns dias em Viña, aproveitei pra conhecer Valparaíso, até que conseguium Couch em Santiago. Consegui fácil. Acabei pegando um ônibus pra lá porque a distância é curta e a passagem barata. Passei mais uns dias em Santiago pensando como faria pra cruzar a fronteira e consegui carona com um Couchsurfer que viajava de carro. Consegui ainda um Couch em Córdoba e precisava dar um jeito de chegar lá.
       
      Argentina: chegando em Mendoza, achamos um hostel barato (já que não consegui Couch) e na manhã seguinte minha carona seguia pro norte enquanto eu ia pra beira da estrada pegar carona. Acho que foi a carona mais difícil de conseguir de toda minha viagem. Era madrugada quando o caminhoneiro me alertou que, apesar de ir pra Córdoba, iria me deixar 100km antes porque era um horário perigoso demais pra chegar no ponto que ele iria parar. Como disse, não tinha barraca e praticamente sem dinheiro em espécie, passei a noite numa loja de conveniência do posto de gasolina que tinha nesse lugar que ele me deixou. Na manhã seguinte, consegui rápido uma carona pra Córdoba. Passei uns dias lá, consegui um Couch em Rosário, então saindo de Córdoba foi pé na estrada mais uma vez até conseguir carona pra Rosário. Em Rosário minha Couch me tratou como um rei, me deu várias dicas e tal. Ali já faltava perto de uma semana pro meu vôo e só precisava de uma última carona pra chegar até Buenos Aires. Conseguindo um Couch, me mandei pra estrada e, outra vez, foi uma carona bem chata de se conseguir. Desci muito longe da cidade, tive que pegar um trem gratuito, achar meu Couch à noite etc. Mas no final deu tudo certo. De lá foi só aproveitar os dias na cidade e voltar pro Brasil.
       
      Dicas aleatórias básicas: Sou totalmente contra o "dá pra se virar bem com português". Dá pra sobreviver, vivenciar experiências não. Então aprenda o máximo de espanhol que puder antes de fazer uma viagem assim. Meu inglês é bom (pra trabalhar em hostel é fundamental) e meu vocabulário de espanhol era muito bom também, entendia tudo mas faltava segurança pra tentar falar. Ao longo da viagem fui me soltando e aí tudo ficou ainda melhor. Conheci muitos brasileiros que não sabiam falar outro idioma e todos se diziam muito arrependidos porque acabaram perdendo muita coisa na viagem (proximidade com locais, negociações, interação com outros viajantes); Respeite a altitude (La Paz, Cusco, etc): você nunca saberá como vai reagir a isso até chegar lá e sentir. Tem gente que não dá nada, outros ficam morrendo dois dias no quarto do hostel com médico atendendo. Na dúvida, melhor não programar nada que requer esforço físico nos primeiros dias; Respeite a cultura local, tente aprender o mínimo de costumes e tradições de onde você estiver visitando; quando for pegar carona saia o mais cedo possível, por volta das 5h, pra estrada; tenha dinheiro trocado se tiver pegando carona pela Argentina porque pra pegar ônibus municipal é necessário ter um cartão (que obviamente você não vai ter), e sem ele o que dá pra fazer é pedir pra alguém passar o cartão pra você e você pagar em dinheiro; pedir desconto é normal no Peru e Bolívia, mas antes de começar a chorar, avalie se o valor do pedido não é justo, e principalmente, se aqueles trocados de desconto vão te fazer falta (quase sempre o vendedor precisa muito mais dessas moedas do que você, viajante); viajar tem seus riscos, mas não se esqueça de onde você vem - o Brasil é um país extremamente perigoso, então acho que há um exagero quando se fala em riscos, assaltos, etc entre viajantes brasileiros. Nunca usei doleira pra nada, minhas coisas ficavam guardadas no locker do hostel, sempre caminhei em todos os horários do dia e noite no Peru e Bolívia e nunca passei por nenhuma situação de perigo; Se puder faça seguro viagem, eu não fiz e não precisei, mas não é raro ver gente com braço quebrado em La Paz por conta da Death Road, ou que passou muito mal com altitude. Em Buenos Aires uma amiga caiu da cama do hostel, precisou ser hospitalizada e essa brincadeira custou em perto de 2 mil reais. Nunca se sabe o que pode acontecer, né? Enfim, se lembrar mais coisas importantes vou complementando.
       
      Bom, minha viagem foi basicamente isso aí. Quem tiver perguntas/dúvidas sobre os lugares/pontos de carona/qualquer coisa assim fique à vontade pra mandar mensagem inbox ou aqui no tópico mesmo que tentarei responder da melhor forma possível.
      Em 15 dias volto pra Cusco pra trabalhar na mesma agência de turismo, então quem tiver planejando ir pra lá nas próximas semanas pode entrar em contato também
    • Por Amands
      Mochileiros, 
      sem medo de soar clichê, começo meu relato agradecendo a todos as pessoas que aqui relataram sua viagem ao Peru antes da minha ida. Daqui tirei dicas valiosas e muita inspiração!
      E esse é um dos motivos pelos quais eu venho aqui hoje relatar a minha experiência: retribuir um pouco da ajuda que tive. O outro motivo? Fazer essa experiência tão legal de ir viajar durar mais tempo na minha memória (:
      Como tudo começou:
      Depois de 2 anos sem férias, eu tinha marcado 10 dias de férias para dezembro de 2017. Cerca de um mês antes, surgiu uma promoção de passagens para o Peru, 10 dias, exatamente o primeiro e último dia das minhas férias. O Peru já estava no topo da minha lista de destinos há tempos. Achei que era um sinal, lembrei que não acredito muito em sinais (talvez agora acredite mais haha). Queria ir, mas não tinha companhia. Resumindo: fui sozinha, minha primeira viagem sola e foi uma experiência linda (:
      Em um mês eu "organizei" o roteiro, reservei o hostel e fui. Minha maior dica: não organize tanto. Eu agendei apenas o passeio de Machu Picchu, o que eu recomendo por causa do limite de pessoas. O resto fui vendo lá. E, por mais contraditório que pareça, se vc está lendo meu roteiro em busca de um roteiro, minha maior dica é mesmo essa: vai com menos roteiro possível. Ou vai, se isso te faz dormir mais tranquila/o, mas se permite flexibilizar também. Vai ter imprevisto, vai ter gente legal cruzando seu caminho, vai ter uns rolês que vc nem imaginava e que vai querer fazer na hora. Então é isso, lê bastante, pesquisa, mas vai aberta/o.
      Vamos lá: 
      10 DIAS: CUSCO - ÁGUAS CALIENTES - MACHU PICCHU - PUNO - AMANTANI - TAQUILE - LAGUNA HUMANTAY 
      Antes do relato mesmo, algumas DICAS QUE EU GOSTARIA DE TER LIDO ANTES DE IR (ou que eu li e não segui rsrs):
      1) Compre os passeios lá: essa eu li muitas vezes, mas não teve jeito, o passeio pra Machu Picchu eu comprei aqui no Brasil antes e paguei mais caro. Se eu me arrependo? Não. Era a minha primeira viagem sozinha, eu sabia que lá seria mais barato, mas não quis arriscar. Então é isso, se vc vai dormir mais tranquilo, acho que vale a pena. Pra mim valeu rsrs. Comprei antes com uma agência peruana (Peru Travel Explorer- www.perutravelexplorer.com - Guia Adrian - Whatsapp: +51992862206 - atende em português), que eu recomendo. Super atenciosos, respondem rápido, me deixaram pagar lá na hora e sem taxa e personalizam os roteiros conforme a necessidade). Mas recomendo ainda mais: comprem os passeios em cusco, ainda que seja com eles.
      Mas assim também não abusem tá? Passeio de Machu Picchu tá até liberado comprar antes porque realmente tem limite de pessoas por dia e tal, os outros não tá?  Cusco tem uma agência de viagem ao lado da outra, os caras adoram uma negociada, os guias são super atenciosos, vale a pena comprar lá. Todos os outros passeios eu comprei lá na hora e foi tranquilo e bem mais em conta. 
      Ah, o que dá para fazer também é comprar antes apenas a entrada para Machu Picchu e aí já fica garantido. Esse site explica como comprar e tem MUITAS dicas boas sobre o peru: https://sundaycooks.com/ingressos-para-machu-picchu-vale-a-pena-comprar-antecipado/. Inclusive, se você vai subir uma das montanhas é mais importante ainda comprar antecipado! Depois 
       
      2) REAL X DOLAR X SOLES: velha dúvida de sempre. Primeiro, soles nem pensar. Quase não tem para trocar no Brasil e o valor é bem alto. Minha dica é: ver com o pessoal que está por lá (aqui no mochileiros sempre tem gente, fiz isso e deu certo) como está o valor do real e do dólar para troca. Quando eu fui, em dez 2017, o real estava 0,93 soles (0,94 eu encontrei dentro da Agência Peru Travel Explorer, na Avenida El Sol, onde, aliás, estão as casas de câmbio mais confiáveis e vantajosas) e o dólar estava 3,22 soles (e eu paguei em média 3,40 reais). Como eu fiz: levei dólar para pagar os passeios e o hostel (por uma questão de menos volume - eita, que de humanas ela - e pelo booking). De resto, levei reais e troquei lá, facilmente. E também levei um cartão de crédito do Banco do Brasil e um Nubank desbloqueados para transações internacionais, caso precisasse.
      Teve um dia que precisei sacar porque viajei e a companhia de ônibus não aceitava cartão (fica a dica) e aí saquei usando o Nubank num caixa eletrônico normal que tinha na rodoviária. Paguei uma taxa, mas consegui sacar (to contando porque não sabia que o nubank dava para sacar, se isso já é algo comum para vc, perdoa eu e não desiste do meu relato).
       
      3) Sobre valores: vou colocar aqui mais ou menos os valores principais para você poder se organizar sobre quanto de dinheiro levar e pra não ficar poluindo muito o relato de viagem. Sei que esse é um ponto super importante, viajar é um privilégio que envolve condições financeiras e planejamento, mas acredito que há vários blogs que podem fazer isso por vc melhor do que o meu relato (como, por exemplo, o site quantocustaviajar). Fiz muitos passeios de graça, comi em locais muito saborosos e baratos e fiquei em acomodações confortáveis e modestas. Mas o principal de tudo isso: era a viagem que cabia no meu orçamento e nos moldes que eu estava a fim de fazer e acho que isso é o que mais conta. Se é relevante (eu sempre acho relevante saber o perfil de quem tá relatando, especialmente da onde vem o dinheiro) o meu perfil é: sou servidora pública comissionada, 26 anos, pago aluguel e todos os boletinhos que quem mora sozinho tá acostumado.
      De modo geral, minha viagem foi o que se pode chamar de "low cost", algo entre o mochilão raiz e a viagem de quem nunca ouviu "transação não autorizada" hehe. Ou seja, não foi uma viagem luxuosa, mas foi confortável, me permiti pequenos luxos e também alguns gastos a mais para me sentir mais segura (como o hostel com quarto feminino (não misto) e o ônibus leito cama individual, sem ngm sentado ao lado). Ah, e de jeito nenhum comi fast food e comida congelada pra economizar (já fiz mochilão assim e foi legal também, mas desta vez não viajei com essa vibe, até porque as comidas no Peru são baratas, muito gostosas, e eu sou absolutamente apaixonada por gastronomia e culinária). 
      Então é isso, você pode usar como uma base, seguir meus acertos e evitar repetir meus rolês errados e aí, de acordo com o seu perfil e o seu orçamento, gastar muito mais ou muito menos do que eu. Ou exatamente o mesmo e aí me chama prum café rsrs
      Quem precisar de mais detalhes pode me mandar mensagem que vou respondendo tb  
      Preço médio das refeições: em Cusco, por 20 soles, equivalente a 20 reais você come muito bem!! Na verdade, quase todos os dias eu comi muito bem pagando menos de 20 reais. Os restaurantes têm a opção menu do dia, que consiste em sopa + prato principal e normalmente salada e bebida livre. E tb às vezes rola umas sobremesas de graça. Sou vegetariana e comi muito bem todos os dias (veganos também passam muito bem em cusco). Quem quiser mais dicas, é só falar. Fiz um puta roteiro gastronômico de vegetariano, tenho vários restaurantes bons e baratos pra indicar (só para não ficar muito grande aqui).
      Águas Calientes já fica um pouco mais caro: em média 50 reais, mas foram apenas 2 refeições e aqui eu comi muito bem, dá pra encontrar restaurantes mais simples.
      Puno: só fiz uma refeição em puno, gastei 20 reais. 
      Hostel Cusco: 40 reais por noite (como eu disse, tem por menos, mas eu preferi um quarto não misto).
      Ônibus Cusco - Puno: 50 soles (praticamente 50 reais) - empresa Tour Peru, recomendo muito. Comprei ônibus leito cama individual, super confortável, dormi a noite inteira, o que faz muita diferença no outro dia de viagem. Na volta, comprei de outra empresa, que eu não me recordo o nome, e paguei 35 soles. Ou seja, se você olhar na rodoviária tem várias opções e aí pode escolher uma que seja adequada para o seu tipo de viagem. Como eu fui sozinha na ida, preferi essa empresa que haviam me recomendado e realmente gostei muito. Ah, uma dica é comprar as passagens na rodoviária mesmo, quanto mais perto do embarque, mais barato e eles negociam tb!!
      4) Lavar roupa em Cusco é muito barato: se vc tá viajando com pouca bagagem ou tá há muito tempo na estrada, lavar roupa em Cusco é uma ótima opção. Custa entre 2 a 5 soles o kilo, fica pronto rapidinho e você economiza na bagagem e ainda dá uma força pro comércio local. Fiz isso uma vez durante a viagem e foi muito bom.
      5) Seguro viagem: é importante fazer. Eu fiz, mas como não precisei não sei dizer se era bom ou não. Tem muitos sites que falam sobre isso e que dá para comparar. Acho importante porque conheci pessoas que ficaram mal lá e tiveram atendimento rápido. 
      6) Melhor época para ir: 99% dos blogs dizem para evitar os meses de novembro a março por causa das chuvas. Minha opinião? Se você pode ir nos outros meses, beleza, vai e ainda assim eu evitaria os meses de alta temporada porque fica tudo muito cheio (ex: maio). Mas se você não pode, a época do ano não é um motivo para você deixar de ir. Eu fui em dezembro, tenho amigos que tb foram em época de chuvas e todo mundo aproveitou muito bem. A chuva é aquela de verão, dura cerca de uma hora e depois passa. Tendo um pouquinho de paciência, é só achar um lugar abrigado, tomar um café ou mesmo colocar uma capa de chuva e seguir a vida. Achei uma época boa porque os locais não estão tão cheios, dá para aproveitar tudo com mais calma e também não é tão frio como nos meses de seca. 
      Lembrando que essas épocas bem definidas de seca e chuva afetam mais a região de Cusco e de Machu Picchu. Lima, Arequipa, Lago Titicaca não são tão afetados, então não faz tanta diferença assim a época do ano.
      Outra coisa: se você planeja fazer a trilha inca, aí acho que seria melhor ir na época de seca mesmo, porque a chuva pode atrapalhar o acampamento. Mas assim, enquanto eu estava lá, havia gente fazendo a trilha normalmente e eu fiz o treeking da Laguna Humantay, que é uma parte da trilha Salkantay e não tive problema algum com a chuva (inclusive deu o maior solzão e voltei queimada rsrs).
      7) Tempo em dezembro, o que levar na mala: O tempo é bem instável por lá, então a minha dica é levar um pouco de cada coisa e ir naquele esquema de camadas. Em Cusco, como fica a quase 4000 metros de altitute, é um pouco mais frio. De dia, uma camiseta e jaqueta já resolvem. Às vezes, uma camiseta e um blusão (peruano, pra ser bem turista haha). À noite esfria mesmo, um blusão e uma jaquetinha corta vento dão conta. 
      Em Águas Calientes e Machhu Picchu normalmente é mais calor durante o dia. Não esqueçam o protetor!
      Lago Titicaca: é louco. Tem sol vc tá torrando, vem uma nuvem vc morre de frio haha Em Amantani passei o maior calor e o maior frio da viagem, com diferença de menos de 24 horas. Aqui a jaqueta corta vento e o blusão precisam de mais um gorro e se possível, uma luva ou mais uma jaqueta. Final do dia é frio mesmo. 
      Minha mala para 10 dias (com uma lavação): umas 6 camisetas + 2 legs + 1 calça jeans preta + 1 jaqueta jeans + 1 jaqueta corta vento + 1 capa de chuva (Decathlon - recomendo, fica pequena na mochila, dá para usar várias vezes, ajuda a esquentar e é bem melhor que a de plástico!) + pijama de manga comprida (pra cusco é bem bom até porque assim,  os cobertores peruanos são um pouco pequenos haha) e lá comprei 2 blusões peruanos que foram bem úteis e um gorro que usei na trilha de Amantani. De calçado levei uma bota de trilha, um all star e havaianas. Foi suficiente, na medida certa.
      8. Chip da Claro: em Cusco, com mais ou menos 30 reais você compra um chip claro com 3 giga de internet (tem opções mais baratas, com menos gigas). Comprei e foi muito bom, a internet lá pega bem, inclusive nas montanhas e aí dava para usar o google maps e o tripadvisor de boa, além das redes sociais. Mesmo com o chip o seu número no whatsapp fica o mesmo e as pessoas conseguem falar com vc normalmente, não precisa nem avisar que mudou de número. Em cusco, a loja da claro fica na rua Ayacucho 227, pertinho da Avenida El Sol.
      9. Não ignore o poder e o sabor do chá de Coca e de Muña. Eles ajudam na altitude e na digestão, além de serem mito gostosos.
      10. Vão logo pro Peru.
      O restante das dicas vou colocando conforme for escrevendo o relato de cada dia. Por hoje é isso, espero que ajude alguém da mesma forma que me ajudou. Até mais  

×