Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

  • 0
Benjamim Carvalho

Sul da Alemanha e Áustria. Vale a pena alugar um carro? Entre quais cidades?

Pergunta

Olá mochileiros ! Farei viagem em outubro com minha esposa partindo de Frankfurt (1 noite ) e seguindo por Munique (3 noites), Fussen (1 noite), Salzburgo (2 noites), Vienna ( 3 noites) finalizando com Frankfurt (1 noite). Minha dúvida é se faço tudo de trem e táxi ou alugo um carro para entregar na chegada em Vienna voltanso para Frankfurt de trem. Que cidade alugariam o carro ? Em Salzburgo meu hotel é na zona histórica , como funciona a questão do estacionamento ?  Desde já agradeço as dicas dos viajantes ! 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

7 respostass a esta questão

Posts Recomendados

  • 0

Acho que o único trajeto de carro que seria bom fazer é entre Munique e Füssen, pois não há trens direto, e são regionais.

Entre as outras, é mais rápido e simples ir de trem, porque chegar em cidade grande de carro é bem mais complicado, pela questão de estacionamento, trânsito, preço para estacionar e a proibição de entrar em algumas zonas (principalmentes no centro ou histórico).

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • 0

Trem regional com ao menos uma troca, total de viagem 3h30 +-. De carro faz um pouco menos de 2h.

Eu, particularmente, sou adepto a transporte público, eu faria essa viagem de trem em vez de ir de carro, mas a grande maioria das pessoas não são assim, ou seja, não chega a ser um problema ir de trem, mas se prefere carro será bem mais rápido.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0

Voltei recentemente da Europa, entrei e sai por Frankfurt e fiz o sul da Alemanha, Austria, Rep. Checa, Holanda, Belgica, França e de bonus Luxemburgo, tudo de carro...

Se tem um coisa que não me arrependi foi de ficar todo o período com o carro.. facilita bastante para visitar as pequenas e lindas cidades do caminho... mas ficamos 28 dias no total... Não sei se para 11 noites vale tanto a pena assim... Principalmente ficando com foco nas grandes cidades (Munique, Salzburgo e Vienna), onde vc deixará o carro estacionado.

Para seu roteiro, faria sem carro e me hospedaria em locais de fácil locomoção. Alugar carro para entrega em outro país geralmente é bem mais caro...

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • 0

Um carro nessa região de Fussen até Salzburg lhe dá muitas possibilidades que o transporte público não dá tão facilmente. Valeria p para visitar  a igreja de wieskirchen, castelos de linderhof, abadia de ettal, neuschwanstein, lagos alpinos , o ninho da águia de hitler e mesmo hallstat. Mas para isso você precisaria de mais tempo na região, pelo menos uns 2 ou 3 dias na área. Do jeito que vocÊ projetou seu roteiro, na minha opinião o carro não compensa.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0

Em Frankfurt, Munich e Viena um carro mais atrapalha do que ajuda, por você vai ter que deixar ele parado o dia inteiro pagando diária de  20 a 30 euros no estacionamento enquanto explora a cidade a pé.

Há trens de hora em hora entre Munich e Fusen, a viagem leva em torno de 2h cada trecho, e com o Bayern Ticket, fica super em conta para um casal.

Já ir de Fussen para Salzburg é mais chato, não há trens diretos, e acho que também não há ônibus direto, você tem que voltar a Munich para pagar o trem para Salzbrug.

Então se fosse alugar um carro, eu alugaria só em Munich e devolveria ele em Salzburg, por que no restante da viagem, um carro não vai ter muita utilidade por que você só vai passar em cidades grandes.

Mas pessoalmente eu não alugaria carro não para um roteiro destes, é um roteiro que dá para fazer tranquilamente todo de trem, sem ter que ficar regulando a cerveja na hora do almoço por que vai pegar estrada depois.

Por exemplo, pega um trem de Frankfurt para Munich, em Munich tira um dia de sol para fazer um bate-volta de trem até Fussen usando o Bayern Ticket, e depois vai a Salzburg de trem  usando outro Bayern Ticket, e de Salzburg para Viena tem trem a cada 30 minutos.

Já a volta de Viena a Frankfurt é bem puxada, tanto de carro ou de trem, de carro você vai levar 9 a 10 horas para fazer este trecho, ou seja, você vai desperdiçar um dia inteiro dentro de um carro numa autobahn, estressado e pilhado com o transito sem ver nada.

De trem também não melhora muito, também são umas 7 horas de trem, mas ao menos você pode viajar relaxado, tomando uma cerveja, etc...

Eu pessoalmente daria uma olhada se não consegue algum voo direto de Viena para Frankfurt que não esteja muito caro, assim se você escolher bem o horário do voo, consegue "salvar" ao menos metade do dia, já de carro ou trem, você vai gastar o dia inteiro para fazer este deslocamento.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0

@Benjamim Carvalho  Já estive 3x no sul da Alemanha, e das suas cidades só não fui a Salzburgo. Sempre com carro que peguei e devolvi em aeroportos (geralmente diferentes, mas 1x roteiro em circulo).

Se vc e sua mulher gostam de dirigir e faz parte das suas rotinas diarias, eu diria que conhecer as autobahn com carro alemão de muitos cv é obrigatório. Alemanha é muito bom de alugar (carros bons mais baratos do que vizinhos). Para quem gosta de carros, é parte importante de roteiro por lá... Assim como visitar os museus da BMW (Munique) e Porsche (Sttutgart) (são pequenos mas muito interessantes). Se resolver fazer tdo de carro (ou apenas o sentido de ida), dá p conhecer o da Porsche no caminho Frankfurt-Munique. Eu fiz isso, e ainda passei por Ulm, para conhecer a igreja mais alta do mundo Ulmer Münster (foi a estrutura mais alta do mundo entre 1890 to 1894) e ver o Danubio. Mas decididamente não é roteiro mochileiro... Além disso, estacionamento por lá é bem diferente do que aqui... nos centros tem muitos locais onde não pode estacionar e as vezes nem ir de carro.

Agora, se são mochileiros de sangue, ou no dia a dia usam transporte publico (carro apenas para sair ou mercado), ou não gostam de dirigir, ou estão com orçamento apertado, ou alugariam carro bem simples, dai diria para não alugar. Seu tempo é bem curto tb... a volta Viena-Frankfurt é mais facil de avião.

Como "experiencia autobahn" Frankfurt é muito mais divertido do que Munique (em todo resto, perde feio). As estradas perto de Munique tem muitos trechos com limite de velocidades, varias só tem 2 faixas e obras constantes que fecham 1 das 2, etc. Eu não sei se errei o caminho 2x, mas as 2x que fui de Munique a Fussen seguindo gps, peguei muitos km de estradinha chata... passando por vilas e estradas apertadas. Já o transito em algumas autobahns perto de Frankfurt é realmente impressionante. Muitas faixas e com transito muito muito rapido, exemplo se vc a 140, só ultrapassa caminhão, e é constantemente ultrapassado por carros a mais de 180, 200... considero algumas horas de experiencia mais interessante do que a maioria dos museus.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder esta pergunta...

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por Carlos FD
      E aí companheiros e companheiras mochileiros, tudo em cima?

      Depois de mais de 08 anos cadastrado nesse fórum, lendo e aprendendo com um monte de relato, finalmente chegou a hora de dar minha contribuição por aqui. Depois de planejar várias vezes uma eurotrip (achei, inclusive, um post meu de 2013 já com esse planejamento aqui), a mais recente agora no início de 2019 em que cheguei a comprar as passagens mas acabou não rolando por burrice minha, finalmente essa viagem vai sair.
      Na terça feira que vem (24/09) eu pego a pista rumo à Barcelona. Pretendo fazer um relato de viagem em tempo real, como o nome do tópico sugere. Eu acho que não teria paciência pra fazer tudo de uma vez no pós viagem e também não quero aperto de mente de ter que me preocupar de lembrar de tudo. Então pretendo escrever o que de relevante aconteceu no dia, conforme a viagem for progredindo.

      Não sou fã de textão nem de coisas muito elaboradas, tampouco fotos perfeitas, então não esperem padrão de qualidade blogueirinhos e blogueirinhas rycos e phynos. Minha principal preocupação vai ser com a parte financeira. Cada centavo gasto será colocado aqui.

      Feitas as apresentações, vamos falar um pouco do roteiro que, já adianto, não é fixo.

      A entrada e a saída será por Barcelona. Comprei ida (24/09) e volta (05/11) saindo de Salvador por R$ 1.866 com taxas (AirEuropa). O seguro da viagem (42 dias) ficou por R$ 386,00 pela TravelAce. De BSN vou para Munique pela Vueling (R$ 212.76, cartão de crédito direto no site da companhia) já que a Ryanair tá com uma política de bagagem que não atende ao que eu quero. Assim que chegar em Munique, sigo para Nuremberg, que será minha hospedagem durante a Oktoberfest.

      A ideia pós oktober é fazer Praga-Berlim-Amsterdam-Antuérpia-Bruxelas-Londres. No entanto, ainda estou em dúvida sobre os locais da Bélgica. Vou deixar pra decidir na hora e com a ajuda de quem estiver acompanhando. Em Londres, tenho basicamente 8 noites. Mais pra frente pedirei ajuda sobre o que fazer, pra onde ir.

      No próximo post eu vou trazer alguns custos que integram a pré-viagem.

    • Por crysthyna
      Olá, pessoal!
      Faz um tempinho que não deixo um relato por aki, mas gostaria de mais uma vez colaborar com vcs, desta vez falando sobre a minha primeira eurotrip!!! Isso aí, finalmente consegui conhecer a tão sonhada Europa e posso dizer que foi incrível demais!!! Quem já acompanhou alguns relatos meus por aki sabe que amo viajar mas sempre de forma super, mega, ultra econômica...rsrs... e desta vez não foi diferente Comecei a planejar minha viagem quase 1 ano antes e posso dizer sem sombra de dúvida que foi a melhor coisa que fiz na vida, pois viajar para o velho continente é caro, ao menos para nós pobres viajantes que não podemos estar sempre por lá, ainda mais com essa disparada do euro, né gente?! Eu escolhi muitas cidades e países para um tempo não muito longo, foram 28 dias, mas como eu disse anteriormente a gente tem que pensar que não é sempre que se vai a Europa...rsrs... sei que tem muita gente que adora criticar quem coloca várias cidades de uma vez em um roteiro, mas posso dizer que apesar de ser realmente cansativo eu não me arrependo de nada e digo, se vc acha que dá, se vc como eu não pode estar sempre viajando pra longe assim, vá... ouça seu coração, seu instinto e apenas vá! Daí tem aquela frase mas a Europa vai continuar lá, pra isso tudo assim? pq eu não tenho grana pra juntar o tempo todo né...rsrs...enfim, sem mais delongas vamos ao roteiro que ficou assim:   Viajei no dia 30 de Maio e comprei minhas passagens 10 meses antes, exagero né? Que nada, sou dessas...rsrs! Paguei o valor de R$1.984,00 pela Tap com ida e volta por Salvador, apesar de morar no Rio, por lá saia mais barato e como eu tinha alguns pontos pela multiplus não gastei com valor da passagem interna Rio x Salvador. Então meu vôo foi Salvador x Paris x Salvador e o retorno foi no dia 27 de Junho! Também fiz um seguro viagem pela Allianz (30 dias) por R$245,34, pois consegui um desconto de 40% com um código do Melhores Destinos.   Eu estava bem nervosa, pois sempre existe aquele frio na barriga devido a imigração, no caso seria por Lisboa, eu escolhi a Tap justamente por ter conexão la e como não falo inglês, somente o basicão...rsrs... achei melhor chegar por lá, mas foi bem tranquilo, muito mesmo! Eu viajei com mais 4 amigas que conheci aqui pelo mochileiros, eu coloquei aqui que iria viajar e gostaria de cia...então foi bem legal viajar com as meninas. Cheguei por lisboa com uma delas e o cara da imigração não perguntou nada, mas nada mesmo! Levamos uma pastinha com tudo caso ele pedisse e ele apenas pediu o passaporte e nos disse "podem entrar" eu nem acreditei...rsrs! Estava na Zoropa!!!   Sobre os euros, bom eu coloquei uma média de 23€ para gastos com alimentação e lembrancinhas. Sei que muita gente vai falar, impossível, como assim só isso? Mas deu e até sobrou, acreditem! Claro que eu levei separado os valores para os transportes internos, ingressos e hospedagens que ainda faltavam pagar, mas a maioria das coisas eu já havia pago e isso me deu muita tranquilidade. Levei no total 1.050€ e também 100£ para 3 dias em Londres e também sobrou...rs!    Uma dica sobre hospedagem é que pelo Booking vc consegue receber de volta R$50,00 no seu cartão após o check-out da hospedagem, basta que a reserva seja de no mínimo R$100,00. Não é desconto ou sorteio, é automático, vc realiza a reserva por este link e recebe o valor de volta no cartão que usou, eu recebi e deu tudo certo, fica como dica pra vcs, vale pra usar uma única vez ok! Clica neste link: https://www.booking.com/s/43_8/733e5f83   Meu roteiro completo foi: 31 a 04 Paris 05 a 07 Londres 08 Bruges e Bruxelas 09 Amsterdam 10 Fussen 11 Hallstatt 12 Veneza 13 Verona 14 Milão 15 a 16 Florença / Pisa / San Gigminano 17 a 18 Roma 19 a 21 Zakynthos 22 Atenas 23 Santorini 24 Roma (novamente) 25 Lugano 26 a 27 Lisboa e retorno ao Brasil   Vou tentar passar pra vcs os valores e quanto custou este meu mochilão, falando nisso, eu viajei com uma mochila de 70l, que despachei, e uma mochila menor, essas pra note mesmo, pra levar no avião com minhas coisas pessoais e importantes. Os gastos são referentes ao dinheiro que levei, o que eu não incluir é pq já havia pago antecipadamente. Bom, como eu disse antes, fiz o planejamento bem antecipado e vcs verão que isso é muito importante pois me ajudou muito a não só economizar bastante, como também estudar as cidades e lugares que gostaria de conhecer e me sentir segura ao andar por lá.   Dia 01 - Paris A imigração foi tranquila, os vôos não atrasaram e como eu tinha conexão de 3h em Lisboa, aproveitei para ir ao setor de desembarque para comprar um chip da Vodafone, pois havia lido sobre alguns e vi que este seria o melhor custo benefício e me atendeu super bem, não precisei gastar mais nada com internet e olha que eu usava muito o google maps!! O chip custou 10€ e possuia 3gb de intenet com rede sociais e whatsap ilimitados + 500min de ligações dentro da europa, mas não utilizei as ligações, aconselho vc a sair pra comprar se tiver um bom espaço de tempo, pois a fila na loja era bem grande!! Cheguei por volta das 18h em Paris, no aeroporto de Orly e encontrei as outras meninas no aeroporto e já aproveitamos para comprar Museum Pass de 4 dias, que custou 62€ e com ele poderíamos visitar todos os museus sem nos preocupar com filas ou em comprar outros ingressos, gostei muito e acho que vale demais pra economizar tempo e dinheiro. Do aeroporto pegamos o Orlybus, que custou 8,40€ e descemos no ponto final, na estação Defense Rousseau onde aproveitamos para fazer o cartão Navigo, para quem não sabe esse cartão vale muitooooo a pena e vou explicar como funciona: Ele vale de segunda a domingo e vc coloca uma carga de 22€ e gasta mais 5€ para pagar pelo cartão, vc pode utilizar no metrô, ônibus, tram e até no Orlybus, como no aeroporto de Orly não vende, pagamos pelo ônibus na nossa chegada, mas fizemos o cartão na primeira estação de metrô. Vc deve também levar uma foto para colar no cartão e escrever seu nome. Lembrando que vale de segunda a domingo e vc pode usar também para ir a Disney e ao palácio de Verssalles! Pra vc ter uma idéia, só o ticket de ida e volta pra Disney custa uns 15€ e pra Verssalles se não me engano uns 8€, então só de vc não se preocupar em pegar o metrô ou bus errado ou com o tempo de val do bilhete ou até a zona em que está, acho muito útil e econômico! Vc pode ficar com o cartão e pode recarregar em uma outra vez que estiver lá!   Como era nosso primeiro dia nos enrolamos um pouco no metrô...kkk... mas chegamos no hostel!!! Fiz reserva pelo Airbnb e ele ficava uns 10min do metrô, mas tinha ponto de ônibus em frente que passava na porta do Louvre, por exemplo. Esse hostel foi muito barato, apenas 11,50€ a diária e era um apto com umas 14 camas, mas era espaçoso e limpo. Vc não podia ficar no quarto de 11h as 20h mas isso não foi problema pra gente, já que saíamos cedo e voltávamos tarde...rs! Lá perto tinha uma pizzaria onde comemos todos os dias, pois era barata e gostosa, tipo uma pizza grande custava uns 6€ e sempre comprávamos 2 ou 3 e rachávamos o valor, então por 5 pessoas saia bem em conta. No hostel não tinha café da manhã, e pra economizar comprávamos coisas no mercadinho pro dia seguinte e deu super certo! Neste primeiro dia não fizemos nada, tentamos ir a Torre, nos perdemos e voltamos pro hostel antes do metrô fechar....kkkk! Chegamos por volta de 01h da manhã e no dia seguinte tinhamos reservado pra ir a Disney!!!   Gastos do dia: Chip Vodafone = 10€ Ônibus Orly = 8,30€ Museum Pass = 62€ Navigo Decouvert = 27,80€ Pizza + bebida / 4 = 3,90€ Água de 1,5L = 1€ Café da manhã / 4 = 1€ Total: 114€   Dia 02 - Paris Este dia reservamos para conhecer a Disneyland e já havíamos comprado nossos ingressos pelo site, custou 62€ 1 dia nos 2 Parques e valeu demais a pena!!! Aconselho a comprar antes, pois na hora é mais caro! Pra quem tem dúvidas, dá pra fazer 2 parques em 1 dia sim... é cansativo, mas dá!! E por favor, não deixem de ficar pra ver o show Illumination... é lindo demais!  Dei uma passada na loja Disney e queria levar tudo...hahaha! Mas como eu tinha um orçamento a manter e ainda estava no início da viagem, comprei apenas 2 chaveiros e 1 Imã de geladeira...pois são coisas que gosto muito de colecionar! Esse dia foi mega cansativo, estávamos acabadas no final do dia e caiu uma chuva de nos deixar enxarcadas....rsrs... mas foi bem divertido e isso de maneira alguma nos desanimou. Na hora de ir embora acabamos seguindo a multidão errada e demoramos a encontrar o lugar pra pegar o trem de volta, quase perdemos o último, mas no final deu tudo certo e foi só risada depois dos perrengues...rs!! Na volta, já de madrugada passamos na nossa pizzaria e depois voltamos pro hostel mega cansadas, porém felizes!   Gastos do dia: 2 Chaveiros Disney Paris = 11,98€ 1 Imã de geladeira = 5,99€ Pizza + bebida / 4 = 4,80€ Café da manhã / 4 = 1,30€ Total: 24,07€           Dia 03 - Paris Neste dia acordamos um pouco além do horário que gostaríamos, mas deu pra fazer muita coisa. Esse foi o dia reservado para conhecer alguns museus e pontos da cidade, além claro, da Torre Eiffel!!! Nossa primeira parada foi lá mesmo e foi bem emocionante vê-la de perto e a ficha finalmente cair...rs Bom, depois de tirar milhares de fotos da torre no trocádero, seguimos para conhecer o Museu Rodin, Museu d'Orsay, Museu dos Inválidos e Tumba de Napoleão (tudo usando o Museum Pass e sem fila), Ponte Alexandre III e também passamos em frente ao Petit Palais e Gran Palais. Depois seguimos em direção ao Arco do Triunfo, mas não subimos por estarmos extremamente cansadas...rs, mas ele é bem maior do que eu imaginava!  Ficamos alí mesmo pela Champs Elysee e almoçamos no McDonald's, e foi bem baratinho... um trio por menos de 6€!! Depois voltamos pra Torre, pois haviamos comprado os ingressos pra subir perto do pôr do sol... e vale muito a pena comprar antecipado, pois as filas são enormes!! Ficamos até escurecer e no final do dia estávamos destruídas, mas contentes por ter feito muita coisa e o dia ter rendido bastante!   Gastos do dia: 2 imãs de geladeira = 5€ 1 Trio McDonald's = 5,65€ Mercado = 6,15€ Café da manhã / 5 = 1,05€ Total: 17,80€                 Dia 04 - Paris Acordamos cedo, pois este seria o dia de conhecer Verssalles!! Como estávamos lá no período de greve dos trens, esse foi o único dia q nos preocupamos mais, pois achamos q nem rodaria o RER mas ele estava passando, só que com intervalos maiores e esperamos uns 40min e isso nos atrasou um pouco, chegamos e a fila estava bem grande, mesmo com o ingresso vc pega fila pra revista e nós estávamos com o Museum Pass que também dá direito ao palácio!! Como eu havia dito, vale muitooo a pena! Para acesso aos Jardins, como era final de semana e estava no período de apresentação das Fontes, foi cobrado a parte e pagamos 9,50€ mas ainda bem q tinhamos comprado antecipadamente, pois estava com uma fila considerável e não precisamos passar por ela, apenas mostrar o ingresso (ufa!)! O Palácio estava entupido e foi impossível ver tudo com calma, a multidão ia nos levando, foi terrível e lá dentro é extremamente quente!! Não deu pra ver com calma, e acabou sendo bem desgastante... depois que passamos pelos jardins decidimos ir embora e na volta já tinha um trem na estação e não esperamos muito. É muito fácil ir e voltar por conta própria à Verssalles, bastar pegar o RER C e usamos em todos esses dias apenas nosso bilhete Navigo!   Decidimos seguir para conhecer Momatre e foi uma escolha acertada, pois era domingo e o bairro estava lotado, animado e lá é bem diferente da outra Paris que tínhamos visto... eu amei esta parte boêmia da cidade, cada cantinho mais lindo do que outro!! Andamos pelas ruazinhas, compramos souvenirs (lá vc encontra os mais baratos) e subimos até a Sacre-Couer, ficamos um pouco na escadaria curtindo a vibe e as meninas compraram cervejas, estava bem quente...rs! Havíamos comprado um passeio de barco pelo Rio Sena, pagamos R$41,00 pela decolar e foi bem mais barato, pois lá estava custando 15€, e vc poderia agendar p dia e horário, então reservamos para o horário do pôr do sol e foi lindo, pois pudemos ver as luzes da Torre piscando mais uma vez, mas desta vez de outro ângulo. Esse é um passeio típico que vc deve fazer para ver paris de outra forma... Depois voltamos pro hostel mega cansadas, foi um dia bem cheio, assim como os outros!   Gastos do dia: Lembrancinhas = 18€ Café da manhã 5 /  = 1,60€ Água de 1,5L = 1€ Pizza + bebida / 3 = 2,10€ Total: 22,70€           Dia 05 - Paris Era nosso último dia na cidade, então acordamos um pouco mais tarde, arrumamos nossas coisas e deixamos guardadas no hostel pra depois só pegar tudo e seguir viagem! Neste dia já não poderíamos usar mais o Navigo, então compramos 3 bilhetes de metrô cada uma, pois precisariamos somente disto para o dia todo. Decidimos deixar esse dia pra conhecer o Louvre, não pegamos fila pra entrar pois já tinhamos o Museum Pass, mas pegamos uma fila na revista, mas foi rápida! Gente o Louvre é gigantesco, mas muitoooo mesmo e não dá pra ver quase nada, pq é muito lotado...rs! Consegui ver a Monalisa quase tendo que socar alguém e nunca vi lugar pra ter tanto oriental, é muitoooooo!!! Fui na ala egípcia, pois gosto muito e também na parte subterrânea do museu, mas estava já tão cansada q não demoramos muito por lá... almoçamos no McDonald's (sempre nos salvando...kkk) dentro do museu mesmo e depois seguimos, pois eu queria muito conhecer a Sainte-Chapelle, somente eu entrei pois as meninas estavam sem pique e me esperaram do lado de fora, a entrada também está inclusa no Museum Pass, mas não há fila especial para a revista, porém lá dentro vc entra direto! Os vitrais são muito bonitos, e vale a pena conhecer até pq ela é pequena... de lá fomos para a Notre-Dame e a fila estava pequena e era rápida, vc não paga pra entrar. Ficamos um tempo lá dentro só observando tudo... agradeci por estar lá e ter dado tudo certo!   Ainda passamos em frente ao Panteon, depois voltamos pro hostel, tomamos banho, nos arrumamos e seguimos pra comer uma pizza antes de pegar o ônibus pra Londres! Deixamos 1h pra conseguir chegar na estação e chegamos lá faltando 15min pro ônibus sair... a estação ficava em um lugar muito estranho e deserto e chegamos já a noite, mas deu tudo certo! Seguimos viagem em um ônibus q não ia muito cheio e nos jogamos!! Hahaha!    Gastos do dia: McDonald's  = 5,95€ 3 Moedas comemorativas = 6€ 2 Tickets Metro = 2,80€ Sorvete = 2,50€ Total: 17,25€                 Eu havia comprado a passagem de ônibus para Londres antecipadamente pela Ouibus e paguei 25€, tinha visto muitos comentários ruins sobre viajar de ônibus do pessoal dizendo que não valia a pena e tals, mas eu achei muito tranquilo, o ônibus não atrasou e chegou até antes na cidade. Como estava fazendo uma viagem mega econômica, decidi economizar na diária, pois dormiria no buzão e também no transporte, pois é bem mais barato do que trem e vc pode levar qualquer bagagem, diferente do avião que vc paga pra despachar. Fizemos a travessia pelo eurotunel e só descemos para fazer a imigração, que foi muito tranquila também, o fiscal da imigração era bem simpático, eu estava bem nervosa pois falaram que lá era muito chato, mas ele apenas perguntou quantos dias ficaria e se estava de férias e daí carimbou!   Me apaixonei por Londres de cara!! Assim que amanheceu e chegamos na cidade, fiquei olhando admirada pela janela do ônibus... que cidade!! Parecia q eu estava em um filme...rs...foi mais impactante do que Paris, ao menos pra mim!!    Dia 06 - Londres Assim que desembarcamos, na station bus próximo a estação Victoria, procuramos o local onde vendia o cartão Oyster Card! Na estação Victoria mesmo vc encontra um balcão com varios guichês e pode comprar por 5£ o cartão e inserir a quantidade de créditos. Funciona assim: com esse cartão vc terá um teto diário pra ser descontado, e quando chegar a esse teto ele para de descontar os valores mas vc continua utilizando pra ônibus, metrô etc. Se não me engano o valor do teto diário era 6,80£ e como só aceita múltiplos de 5£ gastamos 30£, pois ficaríamos apenas 3 dias na cidade e seria suficiente, 5 do cartão + 25 da recarga. Caso sobre algum valor vc pode pegar quando for embora e também pegar os 5£ de volta caso devolva o cartão. Valeeee muito a pena! Bom, feito isso seguimos para o hostel, ficamos no [email protected] The Green man, Paddington e o quarto misto com 9 camas sem café da manhã custou 12,80£ a diária! Eu, particulamente, gostei do hostel por ser barato, limpo, tranquilo e só não gostei por não ter cozinha, mas ficava ao lado de um mercado super barato e nos viramos muito bem por lá. Ele também fica ao lado de uma estação de metrô (literalmente) e a linha te leva pra todo lado, muito fácil! Esse hostel fica em cima de um Pub, mas é bem tranquilo!   Chegamos no hostel muito cedo mas deixaram guardar as bagagens até dar o horário do checkin, e fomos logo ao mercado comprar coisas pois a fome estava tensa...rsrs! O mercado que tem do lado nos atendeu super bem, era tudo muito barato e aproveitamos pra comprar várias besteiras...kkkk!! Depois, tomamos banho, nos arrumamos e partimos pra desbravar a cidade, para este dia haviamos reservado a London Eye. Não havia fila, daria pra ter comprado na hora, mas pensando bem, eu só vi que não havia fila pra subir, para comprar não sei como estava, foi bem legal pois a cabine não foi muito cheia e deu pra cutir de vários ângulos bacanas. Muita gente tinha falado que não valeria a pena, mas eu achei o contrário, pois vc pode ter um visual muito lindo da cidade, ainda mais se estiver um dia de céu limpo! Valeu demais, amei!  Neste dia também andamos pela cidade e passamos pelo Parlamento, Big Ben (que estava todo tapado com tapumes e foi frustrante...rsrs), esse dia foi mais dedicado a conhecer a cidade e andar sem muito rumo. Á noite seguimos para ver a Tower Bridge iluminada e ela é imensa e simplesmente linda e imponente! Depois seguimos para o hostel e capotamos!!   Gastos do dia: Oyster Card (3 dias) = 30£ Mercado = 10,20£ Mercado / 5 = 1,50£ Total: 41,70£               Dia 07 - Londres Começamos cedo este dia, pois era dia de assistir a troca de guarda no palácio de Buckinham e era preciso chegar um pouco mais cedo. Amanheceu um dia lindo e eu que não esperava muito da Troca, achei muitoooo legal, até pq se vc está em Londres, melhor aproveitar tudo que tem por lá né gente? Fica muito cheio e pra pegar um bom lugar é bom ir ao menos 1h antes ou vc fica pra trás...rsrs! Achei lindo e diferente do que estamos acostumadas a ver em qualquer lugar, afinal é a guarda britânica...rs! A área em que o palácio fica também é muito bonita, cheia de flores e o clima estava bem agradável. De lá caminhamos até Tralfagar Square e pegamos o metrô para o museu de cera Madame Tussauds, pois já havíamos comprado os ingressos antecipadamente pelo site, ah, esse ingresso foi um combo junto com a London Eye e saiu bem mais barato comprando os dois juntos, valor de 40£, como estávamos com os ingressos não pegamos fila, entramos direto. Esse foi mais um lugar que muita gente falou que não valeria a pena, mas eu particulamente achei bem divertido e curti. Ficamos um bom tempo no museu de cera e depois seguimos em direção ao Rio Tâmisa para ver a Tower Bridge desta vem de dia e aproveitamos para andar pelos bairros próximos, foi bem bacana! Para este mesmo dia eu havia comprado ingresso para o musical O Fantasma da Ópera, pois eu achava que teria que assistir de qualquer jeito este musical, já que sou fã e foi espetacular assistir ao vivo, gente, sério, é incrível demais!! Senti uma grande emoção ao estar vivendo este momento... aconselho a quem quiser comprar ingressos para assistir a algum musical, ver com antecedência, pois a diferença de preço é enorme, por exemplo paguei apenas 26,80£ no ingressos que costumam ser 40£! Depois do espetáculo voltei pro hostel, comprei algumas coisa no mercado que ainda estava aberto e fui dormir, mas as meninas se animaram e sairam para conhecer a noite londrina, como não curto muito, fiquei pelo hostel, pois no dia seguinte seria o último nesta cidade que já havia me ganhado!   Gastos do dia: Mercado 1,97£ Mercado 6£ Total: 7,97£                 Dia 08 - Londres Era nosso último dia na cidade, mas confesso que poderia ficar muito, muitoooo mais! Acordamos cedo, arrumamos nossas coisas e deixamos guardadas no hostel, depois seguimos para conhecer alguns museus e outra parte da cidade, que também gostei bastante, aliás, não teve nada que não gostei por lá...rsrs... Bom, começamos pelo mercado pra tomar nosso café da manhã...hehe... depois partimos para o primeiro museu do dia e o que eu mais queria conhecer, o Museu de História Natural!!! Gente, em Londres não é preciso pagar para entrar nos museus, mas vc pode dar algum tipo de contribuição caso assim queira... claro que com a libra nas alturas eu não contribuímos nem com uma sequer...kkkkk!!! Mas voltando ao museu, ele é incrível, a própria arquitetura já impressiona do lado de fora, para um castelo ou algo assim tão imponente! Existem vários setores para conhecer, mas o de maior sucesso é dos nossos amigos Dinossauros, é muito legal!! Depois deste museu fomos ao Science Museum, ou Museu da Ciência que eu confesso esperava bem mais, me decepcionei um pouco, ele estava bem vazio mas valeu a pena conhecer de qualquer forma! Em seguida fomos em direção ao British Museum, que é o famoso Museu Britânico... ele é gigantescoooo e pra vc ver tudo com calma teria que passar muitas e muitas horas lá dentro! Passei pela ala egipcia, da qual gosto muito e outras, mas estava já meio cansada de museus, porém me surpreendi, pois quando vc olha por fora não dá muito por ele!    Nossa saga dos museus acabaram e seguimos para o bairro de Camden Town, onde é tudo muito diferente e meio alternativo. Comprei todos os souvenirs lá, pois é a região mais barata para comprar e vc encontra de tudo, adorei a energia do lugar, foi um local que nos surpreendeu, passamos mais tempo lá do que imaginamos e acabou ficando muito tarde e acabou não dando pra conhecer Notting Hill, uma pena, mas ficará para uma próxima, pois Londres é uma cidade que desejo voltar com toda certeza! Quando decidimos voltar para o hostel acabamos pegando o metrô errado, em direção ao aeroporto e ainda bem que ficamos ligadas e deu tempo de voltar para o hostel. Tomamos banho, pegamos tudo e seguimos para o mercado para gastar nossas últimas libras, já que haviam sobrado e comprei mais besteiras e algumas coisas pra comer no ônibus que pegaríamos para Bruxelas, mas o perrengue veio depois... chegamos na estação no horário pretendido, mas foi uó pra encontrar a estação de ônibus certa, pois são várias, cada empresa de ônibus tem a sua estação e já estava quase dando o horário e nada de encontramos, teve uma hora que eu pensei em desistir pois estava com a mochila muito pesada e várias sacolas nas mãos. Faltavam 5 min pro ônibus sair quando finalmente encontramos e corremos como se não houvesse amanhã e minhas pernas já não me obedeciam mais, achei que já tínhamos perdido mas tinha uma fila ainda pra entrar, que sufoco!!! Uma coisa é certa, chegue no horário sempre, pois nenhum dos ônibus atrasaram e se vc demorar perde sim, pois eles não esperam!   Olha gente, neste caso em especial, a viagem de ônibus foi péssima, e essa foi a única vez em que nem conseguimos descansar, pois além do ônibus estar cheio tinha um pessoal muito estranho bebendo, fumando e falando alto... o motorista teve que parar o ônibus várias vezes e reclamar com eles dizendo até que ia chamar a polícia e eles pouco ligavam, ficamos até meio assustadas, mas no final deu tudo certo e chegamos quebradas em Bruxelas...rsrs... o que seria de uma trip sem os perrengues né? Essa passagem de ônibus custou 17€ e também foi pela Ouibus! Optamos pelos ônibus tanto pela economia do valor da passagem, quanto economizar na diária em hostels, não precisar pagar para despachar bagagem além deles sempre te deixarem no centro da cidade e não distante como são os aeroportos. No próximo post falo sobre os outros destinos...           Dia 09 - Bruges / Bruxelas Como eu havia dito antes, chegamos bem quebradas na cidade, pois a viagem de ônibus foi bem cansativa, mas posso afirmar que esta foi a única vez que nos sentimos assim, pois as outras viagens foram bem tranquilas e deu pra dormir no ônibus de boa. Mas isso pra quem não liga muito né, gente? O ônibus nos deixou na porta da estação Gare du Midi e chegamos bem cedo e como não teríamos hospedagem nesta cidade, decidimos deixar as bagagens guardadas na estação, mas antes esperamos o banheiro abrir para trocar de roupa, dar aquela melhorada no visú e poder realizar nosso roteiro no dia...rsrs... o engraçado que ficou todo mundo olhando pra gente, já que abrimos as bagagens e esparramos tudo por lá...rsrs!! Decidimos fazer um bate e volta à Bruges, pois mesmo sabendo que seria corrido, eu tinha muita vontade de conhecer esta cidade e não me arrependo, pois deu pra andar pela cidade, conhecer um pouco e na metade do dia seguir novamente para Bruxelas e conhecer um pouco da capital. Bruges é uma cidade fofa e encantadora, estava bem frio neste dia e sofremos um pouco, pois não imaginávamos que seria assim, mas isso foi só pela manhã, depois foi esquentando mais. Em Bruges, fomos caminhando da estação até o centrinho da cidade e na volta fizemos a mesma coisa, não gastamos com transporte por lá, pois é tudo muito perto. Também não entramos em nenhuma atração, pois nossa intenção era apenas andar pela cidade sem rumo e como chegamos bem cedinho, pegamos a cidade bem vazia e nos encantamos... achei os valores na cidade também bem baratos e aproveitamos para comprar os famosos chocolates belgas por lá, encontrei 6 caixas de trufas por 10€ e o problema foi que tinha que levá-los até o Brasil e já estava com vários chocolates que tinha comprado em Londres e minhas sacolas foram só aumentando e olha que era apenas o início da viagem....kkkkk!! Bom gente, o valor de ida e volta do trem de Bruxelas x Bruges foi 29,60€ pela Trainline, eu já havia comprado antecipadamente e foi só mostrar os bilhetes. Por volta de meio-dia voltamos para a estação e seguimos para Bruxelas.   Gastos em Bruges: Chaveiro + imã = 6€ Armário p bagagem / 5 = 2,20€ Banheiro = 0,60€ Chocolates = 10€ Mercado = 2,68€ Total: 21,48€       Chegando em Bruxelas compramos 2 bilhetes de metrô e usamos 1 para ir e voltar ao Atomium, pois como o bilhete vale por um certo tempo deu pra usar o mesmo bilhete (tudo pela economia...hehe), lá só dá pra chegar de metrô e não é muito longe não, achei que fosse mais, olha que o negócio é grande mesmo gente, achei bem legal, mas não subimos, vimos apenas por fora. Na volta descemos na Grand Place, a famosa praça da cidade e ela realmente é muito bonita e estava bem cheia. Deu pra andar pela cidade com calma, parei pra experimentar a famosa batata frita belga, mas confesso que não gostei, só não sei se foi o lugar que comprei que era ruim mesmo...rsrs. Passamos em algumas lojas e comprei meus imãs e chaveiro, depois pegamos o metrô e seguimos para a estação pra pegar nossa bagagem e ainda ir para a outra estação da cidade, já que nosso ônibus para Amsterdam sairia da Gare de Bruxelles-Nord, mas como havia aquele limite de tempo deu pra usar o mesmo bilhete para ir até a outra estação. Por isso é sempre bom se informar sobre tudo, pois vc pode fazer pequenas economias que se tornarão grandes no final das contas...   Gastos em Bruxelas: 2 Tickets Metrô = 4,20€  Batata + Coca = 7€ Água 1,5L = 0,65€ Chaveiro + imã = 4€ Total: 15,85€           Dia 10 - Amsterdam Chegamos em Amsterdam a noite, depois das 22h e o ônibus no deixou em uma estação de trem onde logo procuramos algum lugar para comprar o bilhete de metrô, mas vimos que lá o transporte é caro e valeria mais a pena comprar o bilhete de 24h, pois teríamos que utilizar também no dia seguinte para andar pela cidade e depois para ir embora e foi assim que fizemos, mas confesso que foi a máquina que mais tivemos dificuldade e só poderíamos comprar por ela, pois não havia bilheteria, apenas máquinas mas mesmo nos enrolando um pouco conseguimos...rsrs... Ficamos lá esperando o próximo trem com destino a Central Station e uma das meninas pediu para colocar minhas sacolas em cima da mala dela, pra eu não carregar peso e assim que o trem chegou corremos pra pegar e ela esqueceu as minhas sacolas na estação, assim que a porta fechou ela disse "Cris, suas sacolas ficaram lá..." quase chorei olhando pela janela as minhas sacolas...meus chocolates, minhas lembrancinhas de Paris e Londres, meu Deus, pensei já era... mas mesmo assim resolvi descer na próxima para e voltar pra tentar ver se ainda estariam lá.... o trem demorou a parar e quando vimos o próximo só viria em 10min, me pareceu uma eternidade!!!! Assim que o trem chegou olhei pro outro lado e as sacolas estavam lá...(Ufaaaa) falei pra elas ficarem de olho e se alguém pegasse gritassem pra deixar lá...kkkkk... corri muito!!! Mas quando cheguei vi que tinham revirado a bolsa toda, mas não levaram nada... não sei se alguém da segurança mexeu pra ver o que era, enfim... o importante que minhas coisas estavam a salvo e as meninas até se aliviaram, pois viram como eu estava tensa...kkkkkk!!!!   Bom, chegando na estação central deu pra ir andando até o hotel, pois era perto. Eu e uma das meninas ficamos em um hotel, pois sairia mais em conta do que hostel, ficamos no  XO Hotels City Centre em quarto Duplo privativo s/café e nos custou 50€ (25€ pra cada). Apesar de ter visto muita gente reclamando do hotel, eu gostei e achei melhor do que pensava, inclusive. Chegamos tão cansadas no hotel que capotamos, nem saímos lá a noite. No dia seguinte tinhamos um dia cheio!   Acordamos um pouco mais tarde e arrumamos a bagagem, pois teríamos  que deixar guardadas no hotel já que a noite partiriamos para Munique. Comemos algo e seguimos até a Museumplein, onde ficam os museus e também o famoso letreiro da cidade, utilizando nosso passe de 24h. Amsterdam foi uma cidade que também me encantou bastante, pois os canais e sua arquitetura são incríveis e a cidade tem uma energia maravilhosa, porém foi a cidade mais cara de toda a viagem! Gente, uma garrafa de água custava uns 3€ e eu me recusei a pagar, comprei refrigerante....kkkkkk!! O transporte lá também é ótimo, vc pode andar super de boa, pois é bem fácil, mas também é caro, se não me engano um bilhete simples era 2,90€... A cidade também é megaaaaa lotadaaaaa e cada ruazinha esta entupida de gente, nossa, não achei que fosse assim! Muitos jovens, foi a cidade com mais jovens de toda a viagem e todos querendo a mesma coisa né, diversão e experimentar as tais ervas...rs! Mas Amsterdam é bem mais que isso!       Caminhamos por essa região da cidade, admirando os canais, os prédios e as ruas tão diferentes... tiramos diversas fotos no letreiro! Depois seguimos a pé mesmo até a Heineken Experience, mas perguntamos se haveria possibilidade de ir apenas até a loja, pois as meninas queriam comprar umas tulipas com nome gravado e tinha uma fila considerável pra entrar, o segurança foi bem simpático e permitiu!! Depois fomos até a Casa de Anne Frank, e já havíamos comprado nossos ingressos pelo site, antecipadamente, e aconselho a fazer isso caso queira visitar, pois é uma das atrações mais concorridas da cidade e os ingressos ficam disponíveis com 2 meses de antecedência e o valor é 9,50€, vc escolhe o dia e horário melhor pra vc. Vale muito a pena visitar a casa, pois vc conhece um pouco da história e de tudo que os judeus passaram, é meio desconfortável e vc até sente um pouco de angústia, o bacana é que eles tem áudio-guias em português e está incluso no valor do ingresso. Final da tarde passamos por outras regiões e passamos pela praça Dam, a mais famosa de Amsterdam, depois nos separamos e cada uma foi conhecer um pouco mais da cidade, parei pra comer e escolhi desta vez experimentar as batatas holandesas, já que há uma rixa com a Bélgica de quem tem a melhor batata frita e olha, posso afirmar que as holandesas são infinitamente melhores...rsrs! Um cone gigante com uma coca custou 6€, consegui comer apenas a metade pois era muito grande, é praticamente um almoço!!!   Comprei algumas coisas no mercado, pois como viajaríamos novamente de ônibus, resolvi levar algumas coisas pra comer. Passamos no hotel, pegamos nossas coisas e seguimos para a estação de ônibus, mas chegando na estação de trem descobrimos que nosso passe não valeria para o trem que levaria a esta estação, pois é diferente e tivemos que comprar um outro, mas tudo bem! Chegando lá nos confundimos um pouco, mas encontramos de onde sairia nosso ônibus, ele demorou um pouco mas nada demais. Nossa próxima parada seria Munique, na Alemanha, e essa viagem de ônibus foi bem tranquila, o ônibus não estava tão cheio e deu pra dormir tranquilamente. Essa passagem de Amsterdam para Munique custou 35,90€ pela Flixbus e compramos todas antecipadamente!   Gastos do dia: Hotel = 25€ Ticket 24h = 7,50€ Ticket Trem = 3,30€ Batata + Coca = 6€ Chaveiro + imã = 5€ Mercado = 5€ Coca = 2,25€ Total: 54,05€            
      Dia 11 - Munique / Füssen
      Chegamos pela manhã em Munique e a rodoviária é pequena e ao lado da estação de trem, então pegamos um trem para a estação central da cidade, pois de lá que pegaríamos o trem para outra cidade que iríamos e também poderíamos deixar nossas bagagens. Usamos o banheiro pra dar um trato no visual e trocar de roupa, se acostumem, pois na Europa quase todo banheiro vc paga pra usar, então tenha sempre moedas...rs! Tínhamos comprado um passe de trem chamado Bavaria-Ticket que servia pra andar de transporte público pela cidade, mas na verdade o compramos para visitar a cidade de Füssen, pois eu queria muito conhecer o Castelo de Neuschwanstein, que inspirou Walt Disney a criar o castelo da Cinderela!! Desde que vi uma foto do castelo coloquei na cabeça que conheceria, assim como a cidade que visitaria depois. Bom, para conhecer o interior do castelo vc precisa comprar o ingresso que custa 13€ e aconselho a comprar antecipadamente, pois na alta temporada as filas são grandes e vc pode não conseguir horário para a visita, com a taxa o ingresso saí por 14,80€ e acho que vale a pena! Vc paga o ingresso na hora que pegar, e não antes. No valor está incluso o áudio-guia em português e vc pode acompanhar a visita, mas não pode fotografar no interior do castelo. 



      Usamos nosso Bavaria-Ticket para grupos de até 5 pessoas e sai mais em conta do que o valor por pessoa, mas mesmo que vc vá só também vale a pena, pois custa 23€ e vc pode usar o trem de ida e volta para qualquer cidade da Bavaria e também para visitar Salzburgo, na Áustria! Vc pode pegar os trens de qualquer horário, contanto que não seja os de alta velocidade (Avi), é uma economia bem bacana!! Com esse ticket vc também usa pra entrar no ônibus que leva da estação de Füssen até a cidade onde fica o castelo, é uma viagem de uns 10min apenas. Mesmo que vc não queira visitar o castelo, vale conhecer essa cidade pois é linda, tem um lago incrível e eu fiquei encantada, uma cidade de conto de fadas mesmo!! Para subir até o Castelo vc pode ir a pé, de charrete ou de ônibus, o bilhete de ida e volta custou 3€ (ônibus). A viagem de trem entre Munique e Füssen demorou umas 2h e por isso acho que vale muito o bate e volta!  Voltamos, depois da visita e só as paisagens que vc vê pelo caminho já valem a viagem, são lindas! Comi no McDonald's da estação de Munique, demos uma volta por Munique mas bem rápido mesmo, antes de seguir viagem para Salzburg, pois fizemos reserva em hostel lá, já que no dia seguinte iríamos para outra cidadezinha que eu era louca pra conhecer, só que desta vez, na Áustria!       Gente, olha a economia que conseguimos com esse passe: viajamos ida e volta pra Füssen, utilizamos trem, ônibus e metrô em Munique e ainda seguimos para a Áustria com o mesmo passe! É ou não perfeito?! Caso vc vá passar uns dias em Munique utilize este passe e aproveite para conhecer estas cidades próximas, também compensa Salzburgo pois a viagem dura menos de 2h ;)!! Cada uma de nós gastou 13€ com ele e foi uma das melhores economias da viagem. Vc pode comprar nas máquinas ou pelo site da DBahn, vale das 09h a meia noite, então pode usar por todo o dia!!   Chegando em Salzburg, seguimos para o hostel já bem cansadas e eu só sai pra comprar uma água...rs!    Gastos do dia: Sanduiche + coca = 5,40€ Banheiro = 1€ Armário p bagagem = 3,60€ Castelo Fussen = 14,80€ Ônibus para Castelo = 3€ (ida e volta) Imã do castelo = 3,50€ Coca = 1,84€ McDonald's = 4,58€ Água = 1,30€ Taxa Hostel 1,55€ Total: 40,57€         Dia 12 - Hallstatt Na noite anterior havíamos chegado bem cansadas, já que estávamos vindo de uma noite dormida no ônibus e de um bate e volta de outra cidade só queríamos um banho e apagar, melhor ainda foi chegar no hostel e a atendente conseguir nos encaixar em um quarto só pra gente, já que havíamos feito a reserva para quarto compartilhado, mas como estávamos juntas ela fez esse favor gigante...kkkkk... nem arrumamos nada e foi ótimo ter o quarto só pra nós!! Ficamos no hostel A&O Salzburg Hauptbahnhof e o valor da diária foi de apenas 11,40€ em quarto de 6 camas sem café da manhã, o hostel é ótimo, parece até hotel e adoramos, sem falar que ele fica quase do lado da estação central e isso ajudou muito! Caso fiquem neste hostel aconselho a realizar a reserva pelo próprio site deles, pois é bem mais barato, eu teria pago uns 10€ a mais pelo booking e já deu pra dar uma economizada né...rsrs...    Eu havia planejado passar por Salzburg apenas pra fazer um bate e volta até a cidade de Hallstatt, pois desde que ouvi falar sobre esta cidade, fiquei completamente encantada! Vi que a melhor forma seria uma bate e volta por lá, de início eu iria fazer o trajeto ônibus + trem + barco pois todos dizem ser o mais econômico, mas como encontrei passagens de trem em promoção acabei decidindo ir de trem, já que seria menos complicado e mais barato...rs... comprando com 6 meses de antecedência as passagens custaram 9€ ida e 9€ volta pela OBB, os trens são extremamente confortáveis e muito bonitos!! Vc faz uma baldeação no meio do caminho e chegando na estação de Hallstatt vc pega um barco que custa 5€ pela ida e volta, mas esse passeio já vale pois vc fica lá babando pelo lugar...       Gente, a cidade é realmente linda! O lago, as montanhas em volta... as casinhas, parece até um lugar cenográfico de tão perfeitinho!! A cidade é bem pequena, mas dá pra passar um dia lá só admirando e conhecendo o lugar, tem alguns restaurantes e lojinhas com preços bem acessíveis!!         Como chegamos lá quase 11h aproveitamos pra dar uma volta enquanto as outras meninas não chegavam, pois acabamos não indo juntas por algumas terem comprado passagem para horários diferentes. Depois que elas chegaram paramos pra comer uma pizza e ficar admirando a cidade...rs...       Em seguida fomos curtir e decidimos subir o teleférico que leva até o topo da montanha, a vista é incrível e vale a pena, esse passeio custou 16€ e a paisagem compensa tudo! Tem passeios com barquinhos lá também, ou vc pode conhecer a Mina de Sal que fica nessa montanha que subimos. Compramos umas lembrancinhas, andamos pela cidade sem pressa e foi um dia bem bacana!       Chegamos lá com sol e na hora de ir embora começou a chuviscar um pouco. Procure ir para o ponto de retorno do barco uns 30 min antes, pois enche e verifique o horário de saída deles assim que vc chegar, pra não ter problemas e vc correr risco de perder o trem...rs! Pegamos o trem de volta e a única coisa chata foi que na hora da troca de trens pegamos um errado, pois estava na mesma plataforma e só nos demos conta quando entramos, explicamos ao fiscal e sorte que ele não cobrou multa, pois lá são bem rígidos com isso, pagamos apenas o valor do bilhete que foi de 8,90€, pois era um trem de outra cia, mas fazer oq né? O erro foi nosso...rs   Bom, quando saímos pela manhã do hostel havíamos deixado nossa bagagem guardada e lá eles cobram, mas não nos cobraram pois os armários estavam com defeito e eles deixaram na recepção...deixaram a gente ficar por lá até dar horário do nosso próximo trem, que seria pela madrugada. Eu tinha planejado andar um pouco por Salzburg, mas estava tão cansada que nem sai do hostel, comprei umas coisas e fiquei por lá mesmo pra descansar e as meninas também não quiseram sair... ficamos batendo papo e rindo dos nossos micos até aquele dia...kkkk!!! Por volta da 01h da manhã saimos do hostel, mas achei a cidade bem tranquila e era pertinho pra gente ir caminhando, chegamos na estação e estava deserta...rs...nossa próxima parada seria a cidade de Veneza, na Itália, e seria a primeira vez que pegaríamos um trem noturno e já ouvi tantas histórias...não sabíamos como era... mas conto depois!   Gastos do dia: Teleférico = 16€ Barco = 5€ Pizza + bebida = 12€ Imã = 3,70€ Sorvete = 1,70€ Trem errado (DB) = 8,90€ Mercado = 8,89€ Mercado / 2 = 2,60€ Total: 58,79€           Dia 13 - Veneza Foi nossa primeira vez em trem noturno e quando fizemos a compra do bilhete, escolhemos o mais barato, ou seja, eram assentos mesmo e não couchettes como costuma ter e são bem mais caros, lembram que nossa prioridade era a economia? Pois é, e com isso vem sacrifícios né...rs... mas as vezes vc arrisca e dá sorte e foi oque aconteceu conosco (Amém)!! Na compra dos bilhetes, que foi pela OBB e custou 29€ comprando antecipadamente, não tinha como escolher o vagão ou assento, apenas dizer se vc queria janela ou corredor mas era aleatório o número do assento e com isso os nossos foram td em lugares separados, eu fiquei em uma cabine lotada e não dava nem pra esticar as pernas...rs... masssss por sorte as meninas encontraram cabines vazias e conseguimos ficar juntas, 3 em uma cabine e 2 em outra e como o assento vira uma cama conseguimos até dormir (foi maraaaaaa)!!! O fiscal disse que não tinha problema ficar por alí, que beleza!  Como sou meio neurótica, não dormi muito a vontade pq toda hora acordava achando que ia perder a parada ou pra vigiar a bagagem...rs... toda hora passavam uns caras estranhos pelos corredores olhando pra dentro das cabines e como a nossa estava sem cortinas na porta eu fiquei cismada (sabem como são brasileiros, né...rs), mas é sério gente, teve um que parou e ficou olhando pra gente dormindo, mas eu estava com um olho aberto...kkk... deu medo, lembrei dos filmes tipo "O Albergue" kkkkk!!! No trem não havia nenhum sistema de som pra avisar qual estação estávamos na hora que o trem parava e eu tive medo de colocar o celular pra despertar e não ouvir pelo barulho do trem...enfim, dormi mas não como queria, mas mesmo assim valeu a experiência e apesar de me sentir cansada, depois que lavei o rosto me senti nova de novo, afinal, estava na Itália, um país que sempre desejei conhecer!!   Chegamos em Veneza pela manhã, na estação principal, Santa Lúcia e como havíamos feito uma reserva pelo site da Bagbnb, que indico, pagamos apenas 5€ para deixar a bagagem guardada próximo a estação, pois vi que lá dentro da estação era cobrado por hora e sairia mais caro. Essa empresa que falei existe em várias cidades da Europa e custa 5€ por dia pra guardar sua bagagem, fica a dica ;)!! Fomos ao banheiro nos arrumar antes, como sempre...rs... e depois foi só atravessar o "canale" pois já estávamos em Veneza!!!       Não usamos nenhum tipo de transporte na cidade, existem os vaporetos que são como ônibus aquáticos, mas o bilhete é mega salgado, 7,50€, e não é diário não gente, isso um único bilhete pra uma viagem (aff)!!! Mas Veneza não é grande, dá pra fazer tudo a pé, a não ser que vá conhecer outras ilhas como Murano, Burano etc... como não faríamos isso e foi pra passar apenas 1 dia deu super certo pra gente!!  Mas olha, quando vc chega na Itália percebe a diferença do restante da Europa, os italianos são, digamos, mais rudes.... mas é o jeito deles mesmo... nós levamos tantos esporros que apenas riamos de tudo...kkkk!!! Tipo, qnd vc entra em uma lojinha ficam te cercando e vendo se vc não vai roubar nada, se vc senta em algum lugar só pra descansar as pernas, tipo uma mureta ou algo mandam vc sair...rsrs... mas levávamos na boa, só ríamos das situações... eles também não tem paciência pra responder muita coisa, enfim... diferente dos outros países que havíamos passado onde sempre eram muito simpáticos e gentis, mas é o jeito deles, vc acostuma... lembrando que foi essa a nossa impressão tá, gente?!    Achei Veneza uma cidade bem diferente, bonita e não achei fedida como as pessoas as vezes dizem, mas não foi uma cidade que me encantou, não sei se voltaria, porém não me arrependo de ter conhecido, pois sempre quis muito, mas não me ganhou como outras!! Achei legal mas nada de tão incrível e não é o fato falarem que é pra casal, nem achei isso, pois ela nem me pareceu romântica...rs... é tanta gente passando, muvuca nas pontes, muvuca de gôndolas nos canais e não sei onde isso é romântico, mas cada um com sua impressão...rsrs... Bom, mas uma coisa posso afirmar, foi em Veneza que comi a melhor pizza e tomei o melhor Gellato.. mamma mia!!! De todas cidades da Itália e da viagem, foi a pizza mais gostosa e por incrível que pareça, a mais barata!!! Um pedaço gigante, mas enormeee mesmo custou apenas 2,50€ mas era quase metade de uma pizza familia...kkkk... as lembrancinhas também eram bem baratas. Eu achei Veneza uma cidade barata, pois falam que é cara e tals e não tive essa impressão, acho que hospedagem sim é cara, por isso resolvemos nem pernoitar por lá...   Em Veneza existem diversas pontes, igrejas, becos e vc pode até se perder, mas não se preocupe pois todas as placas te guiam para a Piazza de San Marco e o legal é ir conhecendo cada pedacinho da cidade! A praça é super lotada, assim como a Ponte Rialto e todo o comércio próximo dela... tente comprar lembrancinhas ou presentes perto da ponte, são baratinhos!! Ah, foi perto dela também que tomei o melhor Gellato da vida...hehehe!     A Praça de São Marcos é linda, a Basílica é rica em detalhes, assim como o museu que fica ao lado, tem também a Torre do Campanário, ou seja, todos pontos mais importantes estão nesta praça e depois de conhecê-la vc pode tentar andar pelos becos mais tranquilos e longe da muvuca pra sentir Veneza de forma mais íntima... Foi um dia proveitoso e não foi corrido, pra nós 1 dia foi suficiente, se alguém tem dúvidas, dá sim pra curtir um pouco da cidade até pra quem pensa em fazer um bate e volta, vale a pena!!           No final da tarde seguimos de volta a estação, pois pegaríamos o trem para Verona e já tinhamos nossa passagem comprada antecipadamente, como não sabíamos se nos perderíamos resolvemos voltar 1h antes pra estação pra não correr riscos...rs e demoramos uns 30min andando calmamente pelos becos de Veneza... pegamos nossas bagagens que tinhamos guardado, nos despedimos de uma das meninas que só fez o roteiro com a gente até alí e seguimos pra pegar nosso trem. Nossa passagem de Veneza x Verona custou 9,90€ pela Trenitalia e da próxima vez vou contar como foi conhecer Verona!     Gastos do dia: Banheiro = 1€ Armario = 2,50€ Coca + água = 3€ Pizza = 2,50€ Imã + Chaveiro = 3€ Gellato = 3€ Coca = 2€ Total:17€           Dia 14 - Verona Chegamos em Verona no final da tarde e como estávamos extremamente cansadas resolvemos pegar um táxi, essa foi a primeira vez que utilizamos táxi na viagem, até pq não sairia tão caro e tudo que eu queria era um banho e descansar!!! Essa foi uma das poucas vezes que nem todas conseguiram ficar na mesma hospedagem, apenas eu e uma das meninas conseguimos vaga neste hostel... as outras 2 ficaram em lugares diferentes, pois nem conseguiram vaga no mesmo hostel uma da outra... por isso é sempre bom antecipar tudo!! Escolhemos o Protezione della Giovane, um hostel exclusivamente feminino e muito agradável, mas pra quem pretende voltar de madrugada não vale a pena, pois lá existe toque de recolher e as 23h as portas são fechadas e nem adianta insistir...rs...eles já avisam isso na chegada. Lá todo o dinheiro arrecadado com as hospedagens são convertidos para ajudar mulheres que precisam, achei bem legal! O quarto compartilhado com 5 camas custou 22€ e não inclui café da manhã, lembrando que só hospedam mulheres!! Esse hostel fica pertinho de tudo, da Casa de Giulieta, Piazza Brá, Arena de Verona e tudo mais... além de ser super limpo e bem espaçoso, mas se prepare pra muitas escadas, se tiver malas grandes dá um trabalhinho hein! Neste dia de chegada nem fizemos nada, estávamos um bagaço então reservamos nossas energias pro dia seguinte...rs!   No dia seguinte acordamos cedo, arrumamos nossas bagagens e deixamos guardadas no hostel. Depois fomos em busca de um mercadinho pra comer algo e me surpreendi, de lavada foi a cidade mais barata de todas, mas muito barato mesmo... fiquei louca....kkkk!! Feita as comprinhas pra comer durante o dia seguimos para o Castelvecchio, fomos caminhando mesmo... todo o roteiro na cidade fizemos caminhando e não foi uma cidade que me deixou cansada, pelo contrário, eu me surpreendi com Verona e me encantei com as pessoas, a cidade, o clima e tudo mais, bem diferente de Veneza e da primeira imagem que tive da Itália... A cidade é antiga, mas tudo é bem conservado, as ruas são agradáveis e as pessoas são gentis.    Bom, eu havia comprado antecipadamente o Verona Card, que custou 18€ e vale por 24h, existe também o de 48h mas não lembro qnt custa. Mas olha gente, esse é um passe que vale demais a pena, pois além de vc poder entrar em todas atrações e museus da cidade vc também tem direito ao transporte público ilimitado, então se vc se hospedar um pouco mais longe do centrinho, poderá utilizá-lo pra pegar ônibus sem gastar nada mais.  Eu usei ele pra ir ao Castelvecchio, a Casa de Giulieta, a Torre de Lamberti e na Arena de Verona mas existem muitas outras atrações na cidade que vc também entra com ele e tudo sem pegar filas... bem bacana né?! Verona é uma cidade super charmosa e eu confesso que foi uma das minhas preferidas da Itália, depois conto sobre as outras que me conquistaram...rs..   Bom, eu não sabia que iria gostar tanto mas o Castelvecchio me surpreendeu, pois é muito legal já que vc visita o museu e depois pode percorrer todo o castelo e a cada instante descobre uma vista mais incrível do que outra, andar sobre os muros do castelo é muito legal... é algo bem diferente!         De lá caminhamos até a Arena di Verona e ela parece um mini Coliseu, mas está muito bem conservada e se não me engano é mais antigo do que o parente mais famoso...rs... a Praça que fica em frente também é bonita e ótima pra dar uma relaxada ou apenas olhar o povo passando...rs!         De lá seguimos a piazza brá onde é o melhor lugar pra vc comprar lembrancinhas e outras coisas, pois existem diversas barracas e também onde está a Torre de Lamberti, na qual vc pode subir pra ter uma bela visão do alto da cidade (Vc não paga pra subir com o VeronaCard de escadas, mas pra subir de elevador custa apenas 1€, claroooo que economizei minhas pernocas né...kkkk)!       Depois de um tempo por lá caminhamos até a Casa de Giulieta e estava lotada, todo mundo querendo pegar nas "peitcholas" da estátua famosa...kkkkkk!!! Muitos apaixonados deixam suas cartinhas, ou cadeados por lá... vc pode ir só até o pátio onde não paga ou entrar pra conhecer a casa que possui um pequeno museu (daí vc paga), como eu tinha o VeronaCard não paguei e entrei pra conhecer e tirar fotinha na famosa sacada...rsrs!!             No final do dia, depois de ter feito o dia render bastante, pegamos nossas coisas no hostel e passamos no mercado de novo (sabe-se lá quando ia ver outro tão barato...rs), comprei muitas coisas já pra ficar abastecida até a noite seguinte, não sou besta né! Pegamos um busão até a estação de trem e encontramos o restante das meninas, de lá seguiríamos viagem até Milão, que na verdade só quis conhecer por estar no caminho e pra conhecer uma das obras mais importantes que lá se encontra e muita gente nem sabe...rs... mas isso é assunto para o próximo post!   Gastos do dia:  Mercado = 8,57€ Elevador Torre de Lamberti = 1€ Imã + chaveiro = 4,50€ Hospedagem Verona = 22€ Taxi / 2 = 5,50€ Total:41,57           Dia 15 - Milão  Chegamos em Milão por volta das 19h da noite, mas ainda estava bem claro, então decidimos ir andando até o hotel, ficamos no Guest House Brianza Room e o quarto duplo c/ banheiro compartilhado saiu por R$165,66 que já havíamos pago, e a taxa de turismo de 3€ por pessoa que pagamos na hora, e incluía café da manhã, como foi dividido por 2 pessoas não saiu caro, fiz a reserva pelo site da Expedia! Este hotel ficava uns 10min andando da estação Central e isso claro já ajudou bastante! As outras 2 meninas preferiram ficar com a gente e conseguimos ficar todas no mesmo quarto, pois haviam 4 camas.  As meninas queriam muito sair pra jantar e conhecer a noite da cidade, pois tinham ouvido falar bem mas eu resolvi ficar no quarto e dormir, nem vi quando elas voltaram mas depois me disseram que não acharam nada demais...rs   Pela manhã tomamos café, arrumamos nossas coisas e seguimos em direção ao metrô, onde compramos apenas 2 bilhetes para utilizar pelo dia todo e foram suficientes. Começamos o dia indo até a igreja Santa Maria delle Grazie, onde se localiza a obra mais famosa de Leonardo da Vinci, depois da Monalisa, a pintura da Última Ceia!! Um dos ingressos mais concorridos para compra é este e vc não consegue comprar na hora mas sim com 3 meses de antecedência, assim que liberam as vendas as vezes acabam no mesmo dia e por isso se vc quiser visitar deve ver com bastante tempo. Ele é difícil pela visita ser controlada e só entram 15 pessoas por vez e só podem ficar lá admirando a obra por 15 minutos apenas, esta pintura se encontra na parede no Cenáculo Viciano, que fica ao lado da igreja e se vc passar por Milão acho que deve aproveitar a oportunidade de ver ao vivo uma das obras mais importantes do mundo! O ingresso com a taxa custa 12€, e como fizemos a reserva antes já estava pago.       Depois passamos pela igreja pra conhecer e de lá seguimos caminhando para o Castelo Sforzesco, que fica bem pertinho, demos uma volta por ele mas não visitamos o museu, pois era pago e decidimos não entrar.       Em seguida fomos também andando até a Piazza del Duomo para ver a Catedral e ela é realmente impressionante, simplesmente fantástica e giganteeee...rsrs... gigante também estava a fila da revista pra entrar e não tivemos coragem de enfrentá-la... também não teríamos muito tempo, pois tinhamos que voltar pro hotel pegar as coisas e seguir pra estação de trem, mas ainda deu tempo de entrar na Galleria Vittorio Emanuele II, que é um luxo e linda demais!! Nosso trem partiria as 14:50, então só passamos metade do dia em Milão e até que deu pra aproveitar bastante!     Pegamos o metrô e seguimos para o hotel pra pegar as bagagens e depois fomos caminhando para a estação central, chegando lá passei no McDonald's (sempre ele pra ajudar...kkk) e "almocei" por lá! Nossa próxima cidade italiana seria Florença e eu estava bem animada pra conhecer, pois de lá ainda aproveitaríamos pra fazer 2 bate-volta! Nosso bilhete pela, Trenitalia, custou 9,90€ e também já havíamos comprado antecipadamente. Próximo post, a cidade que respira arte: Florença!   Gastos do dia: Taxa de Hospedagem = 3€   2 Tickets metrô = 3€ 1 Gellato = 2,50€ Imã + Chaveiro = 5,40€ McDonald's = 7,90€ Total: 21,80€           Dia 16 - Florença Chegamos em Florença no final do dia, e como não foi pela estação principal compramos um bilhete de trem e descemos na estação seguinte. Todas nós ficamos em hostels diferentes, mas 2 meninas ficaram em hostels na mesma rua e achei a localização ótima, praticamente ao lado da estação e pertinho de tudo! Fiquei no Hotel Paola e o quarto feminino compartilhado com 8 camas custou 12,50€ a diária, sem café da manhã! O hostel era bem simples, ficava no último andar de um prédio de 3 andares sem elevador...rs... mas achei o preço ótimo, era limpo, tranquilo e muito bem localizado então valeu super a pena! Assim que chegamos saímos em busca de um mercado e compramos algumas coisas, levei tudo pro hostel e não saí mais neste dia, depois do banho capotei na cama e não vi mais nada... sempre dormia cedo pra tentar guardar energia, pois o cansaço estava batendo forte durante a viagem...   No dia seguinte acordei cedo, pois havia agendado horário pra visitar alguns museus e seria um dia cheio, mas foi um dos melhores dias da viagem pois consegui fazer muita coisa e tudo no meu tempo, sem falar que amei Florença, é uma cidade realmente incrível e tem muita coisa pra ver e fazer!! Este foi um dia que fiz tudo sozinha, pois as meninas aproveitam pra fazer outras coisas e cada uma fez coisas diferentes... e elas não estavam afim de visitar museus ou igrejas...rs!   Fui caminhando do hostel até a Galleria dell Accademia, onde se encontra o Davi, de Michelangelo, já que começaria por lá e olha aconselho fortemente a comprar o ingresso pelo site, pois as filas em todos os museus são bem grandes, mesmo que vc pague as taxas, vale a pena pois vc economiza muito tempo! O ingresso custou 12€ e vc agenda o dia e horário melhor pra vc, só trocar o voucher e entrar! Vale muito visitar o lugar, que é pequeno e a visita pode demorar no máximo 1h se vc quiser ver tudo, mas a grande estrela é o Davi!!! Gente, ele é imenso e cheio de detalhes que impressionam, fiquei um bom tempo admirando... como fui cedo não estava cheio e foi bom ter espaço. Ainda percorri outras salas do museu, depois de satisfeita fui em direção a igreja Santa Maria del Fiore também caminhando, pois é tudo bem pertinho!!       Eu havia comprado o ingresso para subir a Duomo também pelo site, mas lembrando que para entrar na igreja não paga, porém caso vc queira subir até a Duomo pra ter uma vista 360° da cidade é preciso pagar, são mais de 460 degraus mas confesso que achei que seria pior, a subida cansa, mas não é nada assustador!!! Bom, esse ingresso dá direito a visitar outros lugares como o Museo dell'Opera del Duomo, Batistério de San Giovanni, Campanário de Giotto entre outros... o ingresso custou 18€ e vc pode usar por 3 dias (mas só entra uma vez em cada lugar). A vista que se tem do alto compensa toda a subida, pois é incrível ver toda a cidade!         Depois ainda fui ao Batistério e também ao Museu do Duomo, este último confesso que me surpreendeu muito, é incrível e só ele já valeria o ingresso e nem é tão comentado o que é uma pena, mas talvez seja por ser novo... gente, não deixe de conhecer esse museu!! Lá estão as verdadeiras "portas do paraíso" e é tão rica em detalhes e confesso que fiquei perdida com tanta coisa fascinante... esse museu nem é muito cheio, dá pra ver tudo com calma e vc vai se surpreender, fica a dica!!!           No meio da tarde eu havia marcado horário para a Galleria degli Uffizi, onde pelo site o ingresso custou 24€ e eu já tinha trocado o voucher antes quando fui no primeiro museu, ver o Davi... a Ufizzi estava lotada e algumas salas estavam entupidas de gente, como a sala do quadro Nascimento de Vênus, de Bocelli, que vale dizer que é fantástico né?! Além disso o bom que vc pode ver bem de pertinho e apreciar os detalhes... adorei também as pinturas de Michelangelo e Rafael!! A Galleria é enorme e possui diversas obras, dá pra ficar um bom tempo por lá!! Não deixe de conhecer também este que é um dos museus mais importantes do mundo!!!         Depois do meu roteiro recheado de arte e cultura caminhei um pouco pela cidade, fui até a Ponte Vecchio e terminei o dia comprando alguns souvenirs e comendo um pedaço de pizza...rsrs... também passei no mercado pra comprar algumas coisas e segui pro hostel, pois estava cansada, porém muito feliz por ter conseguido fazer tanta coisa neste dia!!! No dia seguinte teria 2 bate e volta pra fazer então não dormi muito tarde, tomei banho e já deixei as coisas arrumadas, pois iria embora no dia seguinte, após os passeios!   Gastos do dia:  Ticket Trem = 1,20€ Mercado = 4,94€ Imãs + chaveiro = 3€ Mercado = 7,15€ Coca + Pedaço de pizza = 3,30€ Total: 19,59€             Dia 17 - San Gimignano / Pisa Neste dia eu e mais uma das meninas haviamos combinado de conhecer 2 cidades próximas. Meu hostel cobrava 10€ (absurdoooo) pra deixar a bagagem guardada mas como das meninas não cobrava nada, pedi que ela guardasse minha mochila lá e ela conseguiu...rs... passei em uma lachonete e comprei um pedaço de pizza pra comer no caminho até a estação... por volta das 08h já estávamos na estação rodoviária de Florença, que fica ao lado da estação central, parece mais uma garagem...rs..    A primeira cidade seria San Gimignano e eu já tinha comprado meu ticket, que custou 6,80€ pela empresa Tiemme Toscana, mas vc pode comprar na hora sem problemas. Não existe ônibus direto, vc precisa descer em Poggibonsi e lá fazer baldeação para outro ônibus, caso vc prefira também pode ir de trem e descer na estação de mesmo nome pra pegar esse ônibus, leva-se o mesmo tempo mas o trem é um pouco mais caro e vc precisa pagar pelo ônibus, sendo que indo de ônibus vc paga um único valor pelos 2!!   Chegamos cedo, ainda não estava muito cheia e a cidade é linda! Típica cidadezinha medieval, um charme e é tudo encantador... a cidade é muito pequena e vc pode conhecer tudo em pouco mais de 1h! Ela é toda murada e a vista é para toda a Toscana e com visual incrível...          Eu amei conhecer esse lugar, pois parece que voltamos no tempo! Lá vc também pode conhecer a sorveteria que já ganhou o prêmio de melhor sorvete do mundo, a Gelateria Dondoli, imperdível pra quem ama gellatos, como eu...hehehe         Depois de andar, tomar sorvete e curtir o lugar, resolvemos seguir nosso roteiro e desta vez partir pra Pisa! Muita gente só faz o bate e volta pra Pisa, mas resolvi incluir esta cidade por ter lido sobre ela e me encantado. Pegamos o ônibus de volta pra estação e Poggibonsi e pegamos o trem pra Pisa, não há trem direto, tivemos q fazer uma baldeação e apesar de ter demorado um pouco deu tudo certo!   Chegando em Pisa vc pode ir andando até a Torre ou pegar um ônibus, que custa 2€ ida e volta mas q vc precisa usar em até 1h e 30min, como estávamos cansadas resolvemos pegar o ônibus mesmo...kkkk... ele deixa em frente a entrada da cidade e vc já vê as barraquinhas, a muvuca e tudo mais... assim que vc atravessa a entrada vê a Torre ao longe, ela é maior do que eu pensava mas achei que seria mais inclinada....kkkkkkk! Ficamos lá fazendo mil poses para as fotos e depois paramos em uma sombra e tomamos sorvete, daí ficamos só observando o povo também pagando mico...rsrs... estava um dia muito, muito quente e ficamos um bom tempo lá a toa... depois fomos para segunda sessão de fotos....kkkk!!! Acabamos perdendo o prazo pra usar o bilhete do ônibus e tivemos que comprar outro na volta, mas antes dei uma passada no banheiro do McDonald's e até lá é cobrado pra entrar, é mole? Kkkkk!!! Nas barracas do lado de fora da cidade é tudo muito baratinho, se puder compre souvenirs por lá!         Na estação comprei o bilhete de volta pra Florença, custou 8,40€, e chegando de volta a cidade passei no mercado pra comprar algumas coisas, pois chegaríamos umas 22h no nosso próximo destino e já seria um pouco tarde pra comprar algo.  Eu adorei conhecer a Toscana, é um lugar que voltaria com toda certeza! Florença é uma cidade maravilhosa que vale muito a pena conhecer! Eu gostaria de ter feito mais coisas por lá, pois há muito oque ver, não deixem de reservar no mínimo 2 dias para Firenzi!!! Próximo post, a última cidade italiana!!   Gastos do dia: Coca + Pedaço de pizza = 5,40€ 2 Sorvetes = 5,50€ Imã + Chaveiro = 5€ Sanduiche + Coca (máquina) = 3,60€ Sorvete = 2€ Banheiro = 0,50€ 2 Ticket Ônibus = 3,40€ Trem Trenitalia = 8,40€ Mercado 5,38€ Total: 39,18€           Dia 18 - Roma Chegamos em Roma já um pouco tarde, mas como sabíamos que os hostels eram perto, decidimos ir caminhando... Havíamos comprado nossas passagens pela Italo Treno e custou a bagatela de 9,90€ em trem rápido, a viagem durou um pouco mais de 1h30!!!    Eu e mais uma das meninas ficamos no Locanda Hotello, e as outras em hostels diferentes por não ter mais vagas neste. Paguei 32€ para 3 diárias em quarto feminino com 5 camas e incluía um pequeno café da manhã na lanchonete que havia embaixo, que na verdade consistia em um croissant e um café ou suco, mas por ter pago bem barato achei ótimo, fiz a reserva pelo Hostelworld e já tinha pago uma parte! Em Roma também é necessário pagar uma taxa turística por noite em qualquer hospedagem e custava 3,50€ (carinho né?). Achei o prédio do hostel bem estranho, pois é muito antigo, mas o hostel era bem limpinho e arrumadinho, tinha uma pequena cozinha que vc podia utilizar e vários banheiros! Mas o melhor de tudo é que ficava em frente ao Termini, tanto que a vista da janela era pra ele...rs! Isso nos ajudou muito na hora de nos locomover, pois de lá tem transporte pra todo lado, gostei muito de me hospedar nesta região!!!   No dia seguinte acordamos cedo e já tinhamos planejado começar o dia pelo Coliseu, compramos 2 bilhetes de metrô e confesso que achei o metrô de Roma muito simples por ter apenas 2 linhas, é muito fácil se locomover pela cidade! Esse bilhete vale por 100min e vc também pode utilizar para tram e ônibus, e usar a vontade por esse tempo, mas o metrô vc só pode utilizar por 1 vez!  Bom, já tinhamos comprado nosso ingresso do Coliseu pela Internet e aconselho vc a fazer isso ou comprar o Romapass, só não achamos vantagem em comprá-lo pois sairia bem mais caro e não vi vantagem no transporte com ele já q vc faz muita coisa a pé na cidade, nosso ingresso custou 14€ pelo site e gastamos apenas 3€ com transporte, então faça as contas pra ver se vale a pena pra vc!!   O Coliseu estava lotado e o dia estava muito quente, muito mesmo! Lembre-se de levar com vc uma garrafinha pra encher nas diversas fontes que há pela cidade, inclusive nas atrações turísticas! Mesmo com ingresso em mãos pegamos fila por causa da verificação de segurança e demorou um pouco, e como tem aqueles espertinhos cara de pau que adoram furar fila, demorava mais ainda... fiquem ligados!! Visitamos primeiro o andar de baixo e só depois subimos, mas é incrível estar alí dentro, vc sente algo diferente, ele é grandioso mesmo! Ficamos lá um bom tempo e resolvemos não entrar nos Fóruns, pois estava estupidamente lotado e acabamos indo almoçar em uma das ruas próximas, encontramos um restaurante muitooooo barato e que recomendo, chama-se Ciard e uma pizza grande + coca de 1L custava apenas 7€ e se vc quisesse só a pizza era 5,50€!! Pedimos 3 e rachamos o valor, então ficou super em conta!! Fica a dica             De lá passamos em uma lojinha pra comprar souvenirs e depois seguimos caminhando até o Monumento Vittorio Emanuele, que realmente é imenso e me surpreendi! Na rua ao lado conseguimos ver os Fóruns e achei bem interessante, pois víamos de cima e deu pra ter uma ótima noção!       Passamos em um mercadinho pra comprar algumas coisas e continuamos nosso passeio até a Piazza Navona, que achei linda e depois fomos até o Panteão, que é absurdamente imenso, aliás, tudo em Roma é muito grande e em cada esquina vc dá de cara com algo histórico... há muito o que ver por lá, é um museu a céu aberto e vc pode visitar muita coisa sem pagar nada!          Bom, entramos no Panteão e depois de um tempo por alí seguimos para uma igreja que eu queria muito conhecer, pois ouvi falar muito bem, se chama San Inácio de Loyola, e olha é realmente maravilhosa, pois ela tem umas pinturas no teto em 3D incríveis e também o desenho que faz vc pensar que há uma cúpula e na verdade não é real... vale demais visitar essa igreja que fica bem pertinho do Panteão, confiram e não vão se arrepender!!       Como era dia da estréia do Brasil na Copa, decidimos combinar todas de assistir em algum lugar e acabamos ficando em um Pub alí por perto mesmo e encontramos mais uma menina que conhecemos no hostel e outros brasileiros lá mesmo. O pessoal era bem animado e foi engraçado assistir ao jogo longe de casa...rs...no final foi 1x1 (aff!) E como estávamos com a camisa do Brasil ouvimos alguns zoarem e outros darem apoio....kkkkk!!!     Depois seguimos para a Fontana de Trevi e ficamos por alí com o pessoal, umas meninas seguiram novamente pro barzinho e eu e outras voltamos pro hostel de metrô, foi um dia super cansativo mas bem divertido! Um pouco mais tarde bateu fome e descemos pra comer algo alí por perto, eu comi uma pizza e a minha amiga pediu macarrão, depois subimos e capotamos, pois o dia seguinte também seria cheio!   Gastos do dia: 2 tickets do metrô = 3€ Pizza + Coca = 5,25€ Souvenirs = 5,25€ Sorvete = 2,50€ Mercado = 5,95€ Pub = 2€ Pizza = 6€ Hostel = 36€ Total: 79,20€
       
      Dia 19 - Vaticano  Neste dia fiz questão de acordar bem cedo, pois era o dia de conhecer o Vaticano e dizem que vc deve ir bem cedo pra não pegar a fila gigante que se forma pra entrar... compramos novamente apenas 2 bilhetes de metrô e por volta das 08h já estávamos no Vaticano! Assim que descemos na estação de metrô vimos uma banca com muitos souvenirs, terços e tudo com ótimo preço, é uma banca gigante e se puder compre lá, pois foi a mais barata que vi!    Eu super aconselho vcs a irem o mais cedo possível, pois pegamos tudo vazio e foi ótimo visitar a Basílica sem tumulto, não pegar nenhuma fila pra entrar e aproveitar tudo com calma!!  A Basílica é realmente enorme e rica em detalhes, impressiona bastante!           Eu resolvi subir até a Cúpula, mas as meninas preferiram esperar... pra subir tudo de escada vc paga 8€ ou pode pagar 10€ e subir uma parte de elevador e depois mais de 300 degraus a pé, optei pela segunda opção...rs... afinal era uma diferença baixa, não havia fila pra comprar o ingresso, a subida vai acompanhando a cúpula e as paredes vão entortando, e quem sofre de claustrofobia não aconselho fazer essa subida, pois há janelas apenas em raros trechos e são minúsculas... a vista é para toda praça de São Pedro e vc consegue ver muita coisa lá de cima, acho que vale a pena ver a cidade do alto e ter essa visão fantástica!! Quando desci tinha uma fila já grande, então vá cedo!!        Depois encontrei as meninas, tiramos algumas fotos da Praça e de lá seguimos a pé para o Museu do Vaticano, que fica pertinho! A fila estava imensa, muito surreal, mas ainda bem que tinhamos comprado nossos ingressos antecipadamente pelo site e custou 21€ (taxa de 4€ inclusa), esse ingresso inclui a Capela Sistina, tá gente?         Olha, não sei explicar como estava o Museu, era algo insano de tão lotado... éramos levadas pelas pessoas, e olha que chegamos cedo, meu Deus! Todas nós nos sentimos muito mal, pois estava lotado e lá não tem ventilação direito, estava muito quente e era sufocante!! Não consegui ver nada direito, só queria sair de lá...rsrs! Infelizmente não pude aproveitar muito e fiquei bem chateada, deve ter sido azar de justo naquele dia estar tão lotado, acontece né?!       Como estávamos nos sentindo péssimas, só queríamos logo chegar na Capela Sistina e parecia que nunca chegaria, sempre mais e mais corredores, escadas e salas... até que vimos a porta da capela (aleluia!!). Posso dizer a vcs que só esse lugar já vale o ingresso, é de cair o queixo mesmo... gente, é lindaaaa, maravilhosa, impressionante!!! Michelangelo estava realmente inspirado!!! Lá dentro não pode tirar fotos, mas tirei uma escondida...rsrs!! Se vc não é do tipo fã de museus, tudo bem, mas vá ao menos pra se deslumbrar com essa obra incrível, não deixe de conhecer a Capela Sistina!!!     Saímos do museu e procuramos um lugar pra comer, decidimos por um restaurante em uma das ruas próximas e rachamos umas pizzas. Eu havia reservado horário para visitar a Necrópole do Vaticano, então me separei das meninas aqui e voltei para o Vaticano sozinha. Esse passeio é pouquíssimo divulgado e muito difícil de conseguir, mas se vc se antecipar muito conseguirá um encaixe! Ele consiste em poder conhecer a Necrópole que fica abaixo do Vaticano, e visitar o túmulo de São Pedro... é uma experiência muito incrível e mesmo que vc não seja católico ou religioso, é algo bem diferente, pois vc passa por lugares que pouquíssimas pessoas possuem acesso. Não é muito divulgado para continuar sendo algo mais restrito, a visita deve ser agendada com o envio de um email em italiano para o vaticano dizendo os dias que vc estará na cidade e que deseja realizá-lo, vc poderá informar também o idioma que prefere da visita guiada, escolhi português e consegui!! Dura umas 2h toda a visita e é muito interessante, caso tenha disponibilidade pra vc eles enviam um link pra que vc efetue o pagamento, que custa 13€! É proibido tirar fotos ou filmar lá embaixo.... Se alguém se interessar em fazer essa visita só me falar aki o email que envio mais detalhes de como fazer certinho e tudo mais !   Bom, depois dessa visita incrível, vc acaba encerrando o passeio no lugar onde existem os túmulos dos papas, que fica no andar abaixo da Basílica e pode entrar novamente na igreja, caso ainda não tenha ido. Quando terminei a visita, assim que sai mesmo começou a cair uma tempestade, era muita chuva mesmo!!! Parecia coisa de filme...rsrs... todo mundo correndo, ventania, trovões e todos entraram na Basílica pra se proteger, a chuva começou a entrar até lá e tinha muita gente apavorada e eu só admirando...sabia que estava segura...rs... foi algo bem surreal! Passada a tempestade o sol abriu novamente e resolvi voltar pro hostel, não queria arriscar de pegar outra chuva assim...rs! Antes dei uma passada no mercado e comprei algumas coisas pra jantar e fazer um lanche no aeroporto no dia seguinte! Depois arrumei tudo, pois sairia logo pela manhã e desta vez partiríamos para o lugar mais aguardado da nossa viagem, a Grécia!!!   Gastos do dia: 2 tickets metrô = 3€ Coca = 2,50€ Souvenirs = 14€ Cúpula Basílica de São Pedro = 10€ Pizza + coca/3 = 6,66€ Mercado = 10,57€ Total: 46,73€    
       
      Dia 20 - Zakynthos  Chegamos ao dia mais aguardado da viagem, finalmente conhecer as ilhas gregas...rs! Desculpa gente, mas quem não sonha em conhecer a Grécia? Eu nunca pensei que poderia ir, ainda mais em uma viagem que incluia várias outras cidades caras, como Paris, Londres e outras, mas com um bom planejamento tudo é possível sim!   Bom, neste dia acordamos cedo pois agora não pegaríamos mais ônibus ou trens, onde as estações costumam ficar bem no centro e não há problemas pra chegar, aeroportos são sempre distantes e sendo assim, combinamos de nos encontrarmos na estação do Termini, pois nosso ônibus até o aeroporto sairia de lá! Antes, passamos em um hotel próximo pra deixar nossa bagagem guardada, foi a melhor coisa que fizemos pois viajamos super leves e sem as bagagens maiores, já que as meninas estavam com malas grandes e eu com uma mochila de 70l que já estava bem mais pesada, devido as comprinhas que vamos fazendo durante a viagem...rs! Usamos o serviço da Nannybag e super indico, 5 dias para guardarem a bagagem saiu por 24,70€ e com isso pudemos viajar tranquilas sem nos preocupar com os vôos lowcost, pois pra adicionar bagagem sai mais caro né?! Levei apenas a mochila básica com tudo que usaria na Grécia e foi ótimo!   Nosso vôo sairia do aeroporto Fiumicino e compramos o bilhete pela Terravision que custou apenas 5€, pelo site! Recomendo demais, o ônibus foi pontual e chegamos tranquilamente no aeroporto, mas lembre-se de sempre sair com uma boa antecedência para o caso de ocorrer algum problema, né! Uma das meninas atrasou e não conseguiu pegar o mesmo bus que a gente, mas conseguiu pegar outro e chegar a tempo no aeroporto!!! Viajamos pela Vueling e a passagem Roma x Zakynthos custou 51€ com 8 meses de antecedência, isso mesmo, comprei 8 meses antes e foi um ótimo preço, além de o vôo ser direto e não precisar fazer conexão em Atenas!! Chegamos lá a tarde e já tinhamos reservado um carro pelo site da Greeka.com, que eu não conhecia mas que indico bastante por ter sido tudo super certo, o preço foi ótimo também, 51€ para 3 diárias (não por dia, mas o total das 3 diárias foi esse)!!! Como estávamos em 4 saiu super em conta rachar o valor, mesmo pagando mais 5€ cada uma pra adicionar o seguro do carro!! Gente, quem vai a Zakynthos super recomendo alugar carro, pois a ilha é muito grande e não dá pra fazer nada sem agência ou de táxi, pois tudo é longe e não há transporte público, somente no centrinho, na parte mais sul da ilha...   Bom, chegando lá e pegando o carro resolvemos abastecer logo e depois seguimos para comprar algumas coisas no mercado, depois ligamos o gps do celular (bendito google maps!!), e seguimos em direção ao hotel, que ficava ao Norte da ilha! Nos hospedamos no Kozanos II, fiz a reserva pelo Hóteis.com e o preço total para 2 diárias foi de 66€ em quarto privativo para 3 pessoas, sem café da manhã, então a diária saiu a 11€ pra cada e já havíamos pago antecipadamente!!! O quarto era ótimo com tv, ar, frigobar, tudo novo e tinha uma mini cozinha, além do banheiro que era bem espaçoso e uma varandinha pra relaxar... o hotel possui piscina e fica a menos de 5min a pé da praia, sem falar de um mercadinho ótimo em frente! Gostamos de tudo e a moça que cuidava de tudo era um amor de pessoa!!! Uma das meninas não tinha conseguido fechar o mesmo quarto que nós, então reservou um só pra ela, mas acabamos ficando 2 em cada quarto, sem problemas!!   Neste dia estávamos bem cansadas e acabamos apenas dando uma volta na praia pra conhecer e depois saímos pra comer, eu escolhi uma pizza e confesso que foi a pior pizza da vida...kkkk!!! Era muito estranho o sabor, nossa, me senti frustrada...rs.. mas a senhora do restaurante era tão boazinha que nem reclamei, falei q estava tudo muito gostoso....kkkkk!! Dormimos cedo neste dia e recarregamos as energias!!   Gastos do dia: Taxa hotel = 0,50€ Gasolina / 4 = 2,50€ Aluguel carro = 8,25€ Mercado / 4 = 7,10€ Mercado = 8,47€ Pizza + coca = 5,50€ Total: 32,32€     Dia 21 - Zakynthos  Acordamos cedo, preparamos uns sanduíches, água, bebidas, biscoitos e jogamos tudo no carro, pois passaríamos o dia conhecendo as praias e com gps ligado, seguimos em direção ao mirante da famosa praia do Naufrágio (Navagio Beach), estávamos mega empolgadas!!! Mas no meio da estrada percebemos que não havia nada...rs...só estrada mesmo e ficamos com medo do combustível não dar, então voltamos bastante pra procurar um posto e isso nos atrasou um pouco pela manhã, mas depois de abastecidas lá fomos nós de novo... aconselho bastante o uso do GPS, pois é tudo em grego nas placas e confunde um pouco...kkkk!!!   Quando chegamos, noooossaaaa que visual, é realmente impressionante e muito alto também...kkkk! Estava com vários ônibus de passeios e tinha muita gente na plataforma tirando fotos e até com fila, mas não é alí que vc conseguirá o melhor ângulo, continue caminhando por uma trilha pela direita e tenha cuidado, pois tem muitas pedras e podem machucar os pés... lá na frente vc terá um visual incrível e de tirar o fôlego, e a cor do mar é surreal... um azul esplendoroso!!! Mas muito cuidado hein gente, pq é muito alto e confesso que eu fiquei apavorada, pois tenho medo de altura...rsrs... e não há nenhum tipo de corda, ou grade... nada, mas vale demais a pena, com toda certeza!!!      Ficamos lá um bom tempo batendo muitas fotos, muitas messsmooo...hehehe...depois voltamos pro carro e seguimos em direção ao porto Vromi, o lugar mais perto até a praia de Navagio, pois a praia só é acessível através de barcos, mas a praia do porto é uma beleza a parte, confira na foto!!!        Existem diversos barquinhos que fazem esse passeio, encontramos um que nos cobrou apenas 10€ por pessoa pelo passeio de 3h e não estava muito cheio, foi um excelente preço, já que costumam cobrar de 25 a 30€ por esse passeio, por isso aconselho a fazer o passeio saindo deste lugar, pois além de mais barato é mais rápido pra chegar na praia!!!   Antes de chegar até Navagio, paramos nas Blues Caves e só de passar por lá já impressiona bastante a cor da água!!! Como o barco era pequeno ele conseguia entrar nas cavernas, diferente dos grandes que só conseguem te mostrar por fora... depois de um tempo por lá, seguimos para Navagio e ao nos aproximarmos já nos deslumbramos com a cor do mar... é lindo demais!!!         A praia não estava muito cheia, ficamos por lá por 1h e deu pra aproveitar bastante! A água é gelada, igual as praias do Rio, então achei de boa, mas a maioria dos turistas não entravam na água, ficavam só tomando sol...rsrs... eu aproveitei bastante!! Fiz meu lanchinho na areia e foi perfeito, por isso aconselho a levar algo pra comer e beber, pois lá não tem nada!!         Voltamos pro Porto e seguiríamos pra outra praia, mas nos perdemos, pois o gps nos levou pra uma estrada que nem tinha como o carro passar e nisso perdemos muito tempo e acabamos voltando pro hotel e passamos o resto do dia na piscina relaxando...   Gastos do dia: Gasolina / 4 = 7,50€ Lembrancinhas = 3€ Mercado = 1,55€ Água = 0,50€ Passeio Navagio = 10€ Total: 22,55€     Dia 22 - Zakynthos  Era nosso último dia na ilha, então fizemos o checkout e deixamos nossas coisas guardadas no hotel e como nosso vôo sairia somente a noite, decidimos conhecer as praias do sul da ilha... seguimos até a praia de Laganas, que estava bem cheia e é onde a maioria das pessoas se hospedam, pois há toda variedade de comércio, onde fica o agito e também de onde saem vários tipos de passeios, se vc não usar carro, aconselho a ficar nesta parte da ilha!! A praia não é bonita... a areia é escura e a praia é comum, mas alí vc encontra de tudo!!!   Bom, pesquisamos muito pois os valores estavam bem altos para um passeio que consistia em visitar a ilha que ficava em frente a esta praia, a Marathonisi, mas finalmente encontramos um preço razoável e pagamos 12€ cada, todos estavam cobrando 20€ (absurdo)!!! O barco era com vidro embaixo e o condutor ainda conseguiu nos levar pra ver as tartarugas careta-careta que são gigantes e muito lindas!! Depois ele percorreu por algumas Caves parecidas com as que tem perto da Navagio e só depois desembarcamos na Marathonisi!!!       Ficamos lá por umas 2h e a ilha é bem pequena, um lado estava lotado e o outro tinha bem menos pessoas... fiquei longe da muvuca, claro...rsrs!! Lá vc já encontra lugar pra comprar comida ou bebida, mas como levei minhas coisas não comprei nada e fiquei só curtindo o lugar, bem bonito também!!!         Depois voltamos pra Laganas, mas ninguém quis ficar por lá e resolvemos voltar pro hotel pra descansar, como estávamos em final de viagem o cansaço pesava um pouco, pois era uma viagem bem intensa e sabe como é final de viagem, o corpo vai pedindo arrego...rs... chegando no hotel ficamos na piscina relaxando, tomando sorvete e comendo as coisas que sobraram do mercado...rs...    A moça do hotel liberou um quarto pra gente usar pra tomar banho e nos arrumar antes de ir embora, isso ajudou muitooo!! Ela foi uma fofa!! Seguimos para o aeroporto, devolvemos o carro e aguardamos nosso vôo com destino a Atenas!!!   O vôo Zakynthos x Atenas custou 41,47€ pela Olympic Air, e comprei com 6 meses de antecedência... vc também pode ir de balsa + ônibus e acho que custa uns 35€, se não me engano, como a diferença era mínima, optei pelo aéreo!! Chegando em Atenas, pegamos um ônibus que leva até o centro, pois pelo horário os táxis estavam bem salgados, esse ônibus custa 6€ e vale a pena, pois te deixa na praça syntagma que é o lugar mais central, de lá pegamos um táxi que cobrou 10€ pra nos levar até o hostel, então foi bem baratinho ;)!!!    Gastos do dia: Cocas e água = 3,60€ Passeio Marathonisi = 12€ Mercado = 2,55€ Ônibus Aeroporto de Atenas = 6€ Táxi / 4 = 2,50€ Total: 26,65€           Dia 23 - Atenas  Nos hospedamos no Sparta Team Hotel, o quarto duplo com banheiro compartilhado sem café da manhã custou 21€, então ficou 10,50€ pra cada uma, fiz a reserva pelo Hóteis.com e já havia pago antecipadamente. Mas não indico este lugar, pois fica em uma rua muito estranha, inclusive o taxista que nos levou disse pra tomarmos muito cuidado, pois alí era perigoso, de dia acho que não tinha problemas, mas a noite era assustador!! Apesar de ser perto da região central, o lugar era estranho mesmo e o hotel é muito ruim também! Vc pode encontrar lugares muito melhores na cidade, por pouca diferença de preço!!    Pela manhã decidimos já levar nossas coisas pra não ter que voltar até o hotel, pois ficaríamos apenas 1 dia na cidade e a noite seguiríamos para o aeroporto novamente!!! Fomos caminhando do hotel até a Acrópole, era perto, o que matou foi a subida...rs...pois estava bem quente, mas ainda bem que pegamos o caminho mais curto, pois a subida pelo museu da Acrópole é mais puxada e é onde a maioria dos turistas sobem, foi oque disseram, e nós subimos pelo outro lado, fica a dica!!!        Chegando lá não havia nenhuma fila para a compra de ingressos e pagamos 20€ para entrar, tente ir cedo pois a cidade é bem quente e não há sombra quando vc percorre as ruínas...            Eu senti algo especial quando cheguei lá, pois é muita história alí, algo q não dá pra explicar... semprei sonhei em estar alí e demorou pra ficha cair...rsrs!! Eu estava pisando em um lugar emblemático, realmente algo que me fez acreditar que nossos sonhos podem sim se realizar!!!         Caminhei sozinha e fiquei pensando em tudo, em como cheguei até lá... olhando aqueles monumentos fantásticos e só contemplando tudo aquilo... A Grécia, sem dúvidas, foi um país que me conquistou demais!!!       Depois de percorrermos tudo e tirar muitas fotos, foi hora de descer pois neste dia seria o segundo jogo da seleção e queríamos assistir em algum lugar, então procuramos um restaurante legal e pedimos uma pizza e ficamos lá torcendo, foi bem legal e os gregos estavam torcendo com a gente...hehehe!!! No final do jogo pedimos a conta e vimos que estavam cobrando pela água, que eles haviam dito ser cortesia e questionamos, eles corrigiram e como desculpas ainda nos deram uma sobremesa!!! (Chato isso né?!) Kkkkk!!!   Depois caminhamos pelas lojas e comprei várias lembrancinhas, vimos muita coisa e depois ficamos relaxando e fugindo do calor que estava insuportável!!! Acabamos desistindo de ir até o museu da Acrópole pq estávamos muito cansadas, mas teria dado tempo então se me perguntarem se 1 dia é suficiente para Atenas, eu digo que sim, pois não fizemos mais coisas por ter ficado assistindo jogo e ter passado tempo pelas lojas também!! Pegamos o metrô para ir até a praça syntagma e acabamos pegando a linha errada, vi que a direção era errada, descemos e perguntei a uma senhora q só falava grego, mas por incrível que pareça consegui entendê-la, até hj não sei como....kkkkkk.... entramos na linha certa e descemos na praça e estava lotada, pois rolava alguma manifestação pacífica, pegamos o ônibus até o aeroporto, onde ficamos fazendo hora... acabei "jantando" no McDonald's e depois pegamos nosso vôo.    Paguei 35,57€ no vôo Atenas x Santorini pela Ryanair e comprei com 6 meses de antecedência, vc também tem a opção de ir de balsa, mas não sei o valor... chegamos depois da meia noite e por isso pegamos um táxi até o hotel, pagamos 25€, sendo que o hotel queria nos cobrar 40€ pelo transfer (É mole? aff!), ainda bem que não fechamos com eles!!!   Gastos do dia: Acrópole = 20€ Pizza / 2 = 4,50€ Água = 0,50€ Coca = 1,40€ Lembrancinhas = 13€ Metrô = 1,40€ Ônibus para o Aeroporto = 6€ McDonald's = 6,80€ Total: 53,60€           Dia 24 - Santorini  Nos hospedamos no Porto Castello, o quarto duplo sem café da manhã custou 41€ e como dividimos não ficou caro, fiz a reserva pelo Hóteis.com e paguei antecipadamente, haviam hosteis mais baratos na ilha, mas ficavam muito distantes e como só teríamos 1 dia na cidade, optamos pela localização pra ganhar tempo, sem falar que esse hotel tinha transfer gratuito para o centro e ficava ao lado da praia e também tinha piscina!!    Por volta do meio-dia (ficamos até o limite do checkout...kkkk) pegamos o primeiro transfer para o centro já com nossas bagagens, pois não voltaríamos para o hotel e descemos próximo ao terminal de ônibus, de lá pegamos o ônibus até Oia, parte mais famosa da ilha e passamos todo o dia por lá, já chegamos procurando um lugar pra comer e decidimos por um restaurantezinho ao lado da estação de ônibus, optamos em experimentar o Pita Gyro e que negócio gostoso, nossa, muitoooo bom e super baratinho, pedi ainda uma porção de batata e um refri e tudo custou 6,80€ pra uma ilha como Santorini eu achei muito em conta!! Depois caminhamos pela cidade e seus becos, que lugar lindo!!     Exatamente como eu imaginava, e a vista pra caldeira? Nossa, é uma pintura....         Santorini é de ficar babando!!! Sério, é muito linda!! E também muito cheia, um mar de gente passando o tempo todo!!     Estava muito calor, sol a pino e muita gente procurando uma sombra. Ainda visitei a igreja da praça, minúscula, mas bem diferente!!     Quando já estava entardecendo voltamos pro restaurante pra comer novamente, dessa vez eu quis só o Pita gyro, ainda tomamos um sorvete e pegamos o ônibus de volta para o centro da ilha, mas estávamos tristes pois não veríamos o pôr do sol, já que não daria tempo, pois tinhamos que pegar o vôo de volta pra Atenas, achávamos que só de Oia que era bonito, mas chegando no centro decidimos dar uma olhada subindo uma rua e pra nossa surpresa estava lindo demais!!! Tinham várias pessoas assistindo e rolava até uma comemoração com música e dança, foi bem legal, só depois que o sol se pôs que decidimos ir pro aeroporto!       Quando chegamos na estação descobrimos que só teria ônibus pro aeroporto em 2h e não daria pra gente esperar, pois arriscaria perder o vôo, decidimos pegar um táxi, mas quem disse que passava algum? Nada, nenhum, zerooo!! Começamos a nos preocupar, a hora estava passando... até que resolvemos pedir informações e um português nos falou onde era o ponto de táxi e fomos pra lá, tinha um pessoal lá também esperando e nada de aparecer táxis... ficamos um bom tempo até aparecer um, mas havia se formado uma fila e depois de uns 3 táxis é que pudemos pegar o nosso, custou 20€ até o aeroporto.   Chegamos no aeroporto e estava lotadooo, ele é minúsculo e as filas estavam dando voltas...surreal, uma bagunça!!! Vários vôos estavam atrasados e chegando cada vez mais pessoas, não tinha lugar pra todos sentarem, ficou todo mundo aglomerado, um calor danado, crianças chorando, pessoas reclamando... olha, foi horrível!!! Nosso vôo atrasou bastante e quando apareceu no portão de embarque foi um alívio, não aguentava mais...    Comprei Santorini x Atenas pela Aegean Airlines e custou 19,55€ com 6 meses de antecedência!! Chegamos em Atenas apenas para passar a noite e depois pegaríamos um vôo pela manhã de volta a Roma. Nos hospedamos no Apartaments Tina, pagamos 21,25€ cada e incluía transfer de ida e volta para o aeroporto, além de um pequeno café da manhã, pequeno mesmo tá...kkkk... uma torrada, um café e um bolinho!! Acho que vale a pena para quem quer apenas dormir perto do aeroporto, era um quarto pra 4 pessoas confortável, com ar, tv, cozinha mas bem longe do centro... fiz a reserva pelo Booking.com!! Vale pra vc descansar e pq inclui transfer, assim economiza com transporte ! Chegamos super cansadas, então foi banho e capotar na cama, apaguei!!!    Gastos do dia: Taxi / 4 = 6,25€ Água + coca = 2,50€ Ônibus ida e volta Oia = 3,60€  Souvenirs = 4€ Almoço = 6,80€ Sorvete = 5€ Táxi / 4 = 5€ Pita gyro + coca = 4€ Hospedagem em Atenas = 21,25€ Total: 58,40€         Dia 25 - Roma Acordamos cedo, pegamos o transfer do hotel, que já estava incluso, e seguimos para o aerorto de Atenas. Dessa vez chegaríamos pelo aeroporto de Ciampino, que fica mais próximo do centro de Roma! O vôo foi pela Ryanair e a passagem custou 29,50€ com 6 meses de antecedência. Chegando no aeroporto, mais uma vez usei o ônibus da Terravision que custou 5€ e eu já havia pago pelo site antecipadamente. Esse aeroporto é bem pequeno e muito fácil identificar onde ficam os ônibus.    Estávamos de "pasagem" por Roma, já que a noite seguiríamos para Milão de trem, então aproveitamos para conhecer alguns lugares que ainda não havia passado. As meninas seguiram para ver lojas e eu aproveitei para ver alguns pontos e combinamos de nos encontrarmos no Termini no final do dia.   Fui caminhando da estação até a Basílica de San Pietro In Vincoli, onde há o Moisés de Michelangelo e as Correntes de Pedro, essa igreja fica meio escondida, mas valeeee muito a pena conhecer, pois é uma das igrejas mais importantes de Roma!!       Depois segui caminhando pela cidade e cheguei até a Fontana de Trevi, pois só tinha visto a noite, e ela estava lotada, mas deu pra tirar algumas fotos...rs... fiquei por lá um tempo!!!         Continuei minha caminhada pela cidade e acabei parando na Basílica di Santa Maria degli Angeli e dei martiri, que me impressionou bastante, e até assisti a uma missa e uma apresentação de órgão, que é gigantesco!! Foi um momento de paz e reflexão... foi o momento de me despedir da cidade também, pois ela fica bem pertinho do Termini, na Piazza della Reppublica!       Depois passei em um mercadinho, comprei algumas coisas e encontrei as meninas e fomos buscar nossa bagagem que havíamos deixado em um hotel antes de ir para Grécia, lá tinha banheiro e usamos para nos trocar e só então seguirmos para a estação onde pegaríamos o trem noturno para Milão!!! Nosso trem saiu de outra estação e não do Termini, foi o único momento que usei um bilhete de metrô neste dia, pois dá pra fazer muita coisa a pé na cidade, fica a dica!!!   Gastos do dia: Mercado = 13,42€ Água = 1,50€ Total: 14,92€         Dia 26 - Lugano    Muita gente deve estar perguntando, mas pra quê vc voltou pra Milão? Bom, na verdade, eu voltei pq tinha muita vontade de conhecer a cidade de Lugano, uma cidade Suíça que fica pertinho de Milão e o vôo de Milão para Paris estava bem mais em conta do que de outras cidades, já que eu voltaria por lá uni o útil ao agradável!!!   Bom, paguei no trajeto Roma x Milão a bagatela de 7,90€ pela Trenitalia, e como o trem era noturno ainda economizei em hospedagem para este dia...rs... comprei essa passagem com 2 meses de antecedência pelo site! Já havia comprado a passagem de ônibus para Lugano e paguei 8€ pela Flixbus com 3 meses de antecedência, então foi bem vantajoso!!   Chegamos em Milão totalmente quebradas e cansadas, pois além de estarmos no final da viagem, dormimos no trem, que não é a mesma coisa de dormir em uma cama confortavelmente...rs... as meninas pareciam bem desanimadas pra conhecer mais uma cidade e enfrentar mais 1h de ônibus e confesso que até eu estava...rs... pegamos o metrô até a estação que pegaríamos o ônibus e a viagem foi bem rápida mas chegando na cidade o ônibus nos deixou no meio do nada, no meio de uma estrada e nem tinhamos francos suíços pra pegar transporte, decidimos andar até um ponto de ônibus e tinha uma máquina pra comprar bilhetes que aceitava euros.... modernidade é outro nível né gente!!! Hahahaha!!! Estávamos na Suíça!!! Acabamos comprando o bilhete errado, mas o motorista viu que éramos brasileiras e viu que foi erro mesmo e não má vontade e ele era português e falou na nossa lingua que estava tudo bem, que era só pra prestarmos atenção na volta e até ficou batendo papo conosco e nos desejou um ótimo passeio pela cidade!! Descemos na estação central da cidade, trocamos alguns euros por francos suíços na casa de câmbio da estação e deixamos nossa bagagem nos armários de lá e fomos caminhando para o centro...   Quando chegamos no centro todo o desânimo foi embora, ficamos de boca aberta com a cidade, com o clima, com as ruas, com o lago, com tudo! Ficamos completamente encantadas com Lugano, uma cidade linda e que impressiona... vale muito a pena fazer um bate-volta na cidade caso vc esteja por Milão, afinal, onde mais vc vai ver lindos cisnes nadando em um lago completamente cristalino?         Sério, não deixem de conhecer!! Sem falar nos chocolates, nossa, comprei vários, já estava no final de viagem e foi perfeito....rsrs!!! As lojas aceitam euros, mas lhe devolvem o troco em francos, caso sobre... então veja se vale a pena, paguei algumas coisas em euros e utilizei o restante dos francos no mercadinho pra lanchar no caminho de volta...       Ficamos sentadas comendo na beira do lago e foi uma paz tão grande, deu pra dar uma recarregada nas energias e foi uma cidade que nos surpreendeu muito, amamos Lugano!!         A tarde voltamos para a estação pegar nossas coisas, e desta vez voltamos de trem, então foi bem mais fácil, porém o trem é bem mais caro que o ônibus, a passagem custou 24€ pela Trenitalia, ao qual eu já havia comprado pelo site, e nos deixou na milano central... ao lado desta estação ficam os ônibus para o aeroporto e vale a pena pelo valor, apenas 8€ pela Terravision, mas cuidado, pois existe mais de 1 aeroporto na cidade, então veja direitinho qual ônibus vc deve pegar, o nosso era o aeroporto de Malpensa e pegamos um bom transito devido a um acidente na estrada, ainda bem que saímos com bastante antecedência e deu tudo certo!!!    Chegando no aeroporto pegamos o vôo de volta a Paris, o valor da passagem foi de 25,83€ pela Vueling, com 8 meses de antecedência e paguei mais 17€ para despachar minha bagagem, foi a única vez que paguei por bagagem em toda viagem, mas estava ok, pois estava indo para o último trecho da viagem e minha mochila estava bem grande e dobrou de peso desde o início da viagem...rsrss!!!   Se vc voar de Milão a Paris não deixe de admirar o belo visual dos Alpes pela janela do avião.... é lindo demais!!     Chegamos em Paris já bem tarde e como nosso vôo para Lisboa sairia bem cedinho, resolvemos não pagar hospedagem, pois gastaríamos com táxi também por ser muito cedo e decidimos passar a noite no aeroporto, nem sabiamos se poderia, pois o aeroporto de Orly fecha mas ficamos por lá e deu tudo certo, vimos muitas pessoas ficando por lá pra passar a noite também... tinha um mercadinho dentro do aeroporto e comprei algumas coisas pra passar a noite   Gastos do dia: Metro = 1,50€ Ônibus = 1,80€ Chocolates e souvenirs Lugano = 30€ Armário = 4,50€ Mercado = 4€ Mercado aeroporto Orly = 7,92€ Total: 49,72€      
      Continua...   Obs: Vou atualizando aos poucos, pois é muita informação, mas prometo tentar fazer isso semanalmente ou até menos. Não esqueçam da dica pelo Booking vc consegue receber de volta R$50,00 no seu cartão após o check-out da hospedagem, basta que a reserva seja de no mínimo R$100,00. Vc realiza a reserva por este link e recebe o valor de volta no cartão que usou, vale pra usar uma única vez ok! Clica neste link: https://www.booking.com/s/43_8/733e5f83    Postei um vídeo com algumas imagens dos locais que passei, então vcs podem ver o que vem por aí neste relato! Caso surjam dúvidas, podem me chamar no insta: @viajacris 😉  
    • Por Gabriel Damasio
      Olá a todos!
      Estes foram os integrantes dessa viagem: eu (Gabriel), meu irmão (Bruno) e mais três amigos: Guilherme, Gabriel e João. Além deles, tivemos a participação especial de duas amigas nossas em alguns momentos da viagem, a Maria e a Priscila (conhecida por todos como Pinga).
      Sobre viajar na Europa no inverno: não tenha medo! Usando as roupas adequadas, dá tudo certo.
      Sobre o roteiro que fizemos: gostamos de todos os lugares e recomendamos ir para todos!
       
      Eu vou dividir este relato em 4 partes para que fique mais fácil de achar as informações, caso não queiram ler tudo. A primeira parte é o roteiro. A segunda são dicas gerais da viagem. A terceira parte são dicas específicas de cada cidade que passamos. E, por fim, a quarta parte é um detalhamento por dia da viagem, incluindo várias fotos!
       
      Roteiro:
      Dia 1: (11/12/16) - São Paulo - Viena
      Dia 2: (12/12/16) - Viena
      Dia 3: (13/12/16) - Bratislava (bate-volta a partir de Viena)
      Dia 4: (14/12/16) - Viena
      Dia 5: (15/12/16) - Viena - Munique
      Dia 6: (16/12/16) - Munique
      Dia 7: (17/12/16) - Visita ao castelo Neuschwanstein
      Dia 8: (18/12/16) - Munique
      Dia 9: (19/12/16) - Berlim
      Dia 10: (20/12/16) - Berlim
      Dia 11: (21/12/16) - Berlim
      Dia 12: (22/12/16) - Potsdam
      Dia 13: (23/12/16) - Berlim - Praga
      Dia 14: (24/12/16) - Praga
      Dia 15: (25/12/16) - Praga
      Dia 16: (26/12/16) - Praga - Cracóvia
      Dia 17: (27/12/16) - Cracóvia
      Dia 18: (28/12/16) -  Cracóvia - Oravsky Podzamok (Castelo do Nosferatu) - Zakopane
      Dia 19: (29/12/16) - Zakopane - Cracóvia
      Dia 20: (30/12/16) - Auschwitz
      Dia 21: (31/12/16) - Cracóvia (Mina de sal em Wieliczka)
      Dia 22: (01/01/17) - Cracóvia - Budapeste
      Dia 23: (02/01/17) - Budapeste
      Dia 24: (03/01/17) - Budapeste
      Dia 25: (04/01/17) - Budapeste
      Dia 26: (05/01/17) - Budapeste
      Dia 27: (06/01/17) - Budapeste - Zagreb
      Dia 28: (07/01/17) - Lagos Plitvice
      Dia 29: (08/01/17) - Zagreb - Ljubljana
      Dia 30: (09/01/17) - Ljubljana
      Dia 31: (10/01/17) - Bled (bate-volta)
      Dia 32: (11/01/17) - Ljubljana - Viena - São Paulo
       

       
       
       
      Dicas Gerais:
       
      Dinheiro: Eu infelizmente não tenho os preços de tudo anotado, mas tenho geral de quanto tudo custou. Levamos cada um 2000 euros para toda a viagem para ter uma segurança, e ainda sobrou bastante.
       
      Voo para a Europa: Compramos a passagem após ver uma promoção no "Melhores Destinos". O voo custou 1600 reais (com as taxas) até Viena, e foi pela Ethiopian Airlines, com escala em Lomé, no Togo, e conexão em Addis Ababa, a capital da Etiópia. Apesar de muito mais longo que as companhias tradicionais, os voos foram excelentes e a comida foi ótima, recomendo cogitarem viajar pela Ethiopian, pois os preços são muito bons!
       
      Ônibus: Viajar de ônibus na Europa é uma maravilha. No geral eles são muito mais baratos que trem ou avião, a maioria tem wifi (porém nem sempre funciona  ::toma:: ). Alguns também tem tv que nem avião. Só é preciso ficar esperto nas companhias que não tem lugar marcado (como a Flixbus), pois as vezes o ônibus pode lotar, ou ser uma muvuca pra embarcar.
       
      O melhor site que usamos para achar as passagens  foi o  http://www.goeuro.com. Nele é possível ver os horários de ônibus e trem disponíveis para todos estes países, além do preço e da duração da viagem.
       
      Eu recomendo comprar as passagens de ônibus alguns dias antes da viagem, pois muitas vezes os trechos baratos esgotam (quase nos ferramos por causa disso, mais de uma vez), e os preços também sobem quanto mais perto da viagem. Além disso, pra comprar na rodoviária é cobrada uma taxa de serviço a mais, as vezes até maior que o IOF seria na compra pela internet.
       
      Hospedagem: Reservamos todos os hostels antes da viagem pelo Booking.com, pois seria possível cancelar as reservas caso precisássemos mudar o nosso planejamento da viagem. Em Viena ficamos em um apartamento, pois estava muito mais barato que qualquer hostel.
       
      Clima: O inverno na Europa varia de cada ano, tem ano que faz muito frio e tem ano que fica até "quente". A temperatura mais alta que pegamos em toda a viagem foi 7°C no primeiro dia de viagem, porém no segundo dia já caiu para 0°C. A maior parte da viagem ficou por volta dos -2°/-5°C. Já no fim da viagem, uma frente fria chegou na Europa, e as temperaturas despencaram. O mais frio que pegamos foi -16°C, enquanto visitávamos os lagos Plitvice na Croácia, porém se estivéssemos ainda na Polônia teríamos pego -20°C. No fim da viagem, quando fazia -4°C a gente já dizia que era calor, e realmente era!
       
      Além do frio, no inverno também é preciso levar em conta os horários de luz durante o dia. O sol aparece por volta das 8:00, e se põe por volta das 16:00, já ficando bem escuro. Teve lugar que às 15:30 já estava realmente escuro. Apesar das poucas horas de luz, isso não atrapalhou em nada a viagem. Só é preciso planejar o dia pra pegar as horas de luz nos lugares em que é bom estar de dia.
       
      Neve: Se você quer ver neve, como a gente queria, pode ficar tranquilo que pelo menos em algum desses lugares você vai! Vimos neve em todos os países, mas claro que em diferentes quantidades (Em Viena por exemplo só vimos da janela do ônibus enquanto íamos para o aeroporto)
       
      Roupas: É impossível sair pra rua sem touca e luvas, parece que a mão e as orelhas vão cair. Cachecol é muito necessário também, mas eu preferia usar uma pescoceira, pois era mais fácil de cobrir o rosto caso estivesse ventando. Usávamos sempre uma calça jeans com uma segunda pele por baixo, bota com uma meia (as vezes duas nos dias mais extremos), segunda pele de camiseta, um moleton/fleece e um casaco mais quente. Claro que em alguns dias era preciso diminuir a quantidade de roupa, ou aumentar! É bom sempre colocar camadas, pois dentro dos locais é quente, e aí precisa tirar o casaco.
       
      Free Walking Tour: Em quase todas as cidades que fomos existem free walking tours. Para quem não conhece, são tours que levam de 1:30 até 3h, na média, onde um guia leva todos a pé pelos pontos turísticos interessantes da cidade. Além de ser bem descontraído, nos tours os guias explicam sobre a história do país e da cidade, que muitas vezes não temos ideia de qual é, e são muito interessantes! No final cada um dá uma gorjeta para o guia, então o passeio pode ser bastante barato e informativo. Vale muito a pena!
       
      Carteirinha de estudante: Vale muito a pena levar se você tiver, pode ser a sua do Brasil mesmo, até se estiver vencida. Muitas vezes eles nem olham direito o que é e já dão o desconto.
       
      Comida: Europeu come muita coisa frita, é até demais. Para comer barato, além de algumas comidas típicas, sanduíches "roubados" dos hostels com café da manhã incluso e compras nos mercados, nós comíamos no geral salsicha, batata, pizza, mcdonalds e kebab, muuuito kebab. Kebab é seu maior aliado nas horas de perrengue. Enquanto todos os restaurantes já estiverem fechados, haverá um kebab aberto para salvar. Foi inclusive nossa ceia de ano novo  😂.
       
      Água: Sempre da pia! Pode beber sem problemas. Sempre andávamos com uma garrafa e íamos enchendo nos lugares. Não comprei nenhuma garrafa d'água em toda a viagem.
       
       
      GPS: Baixe no google maps o mapa offline de cada cidade que for passar (ou use o  app maps.me). Ajuda muito, principalmente na hora de encontrar o hostel pela primeira vez (em budapeste chegamos a noite, sem internet, sem dinheiro e sem saber onde ficava o hostel, foi péssimo kkkk)
       
       
      Dicas de cada cidade:
       
      Viena:
      -Hospedagem: Apartments Heine - para nós ficou bem mais barato ficar em um apartamento. Ficava próximo à estação Praterstern do metrô, uma estação que possui conexão com diversas linhas.
      -Ficamos 2 dias inteiros na cidade, foi o suficiente para ver o geral da cidade. Porém, se quiser visitar os museus, é melhor adicionar mais dias.
      -Se quiser ir na Ópera e não quiser pagar muito, compre um ingresso para assistir em pé! Ele começa a vende 2h antes da peça, custa só 3 euros, e é bom chegar bem antes para garantir um bom lugar.
       
      Bratislava:
      -A maior dica é: vá! Muita gente nunca ouviu falar de lá, mas a capital da Eslováquia fica tão perto de Viena e é tão bonita que vale muito a pena dedicar um dia de bate-volta.
      -Acho que não vale a pena pagar pra entrar no castelo, porém a vista lá de cima é muito bonita
       
      Munique:
      -Hospedagem: 4 You Hostel, ao lado da estação de trem central (Munich Hbf). Foi o hostel mais caro da viagem (era o mais barato disponível, 60 euros para 3 noites), porém super bem localizado, muito tranquilo de ir andando até o centro, e com café da manhã incluso.
      -Ficamos 2 dias inteiros na cidade, acho que foi o suficiente para ver tudo (ainda mais no inverno, quando os biergartens estão fechados por causa do frio). É uma cidade boa para passear.
      -A Hofbräuhaus, apesar de meio cara para padrões mochileiros, vale muito a pena! Nada como tomar cerveja em canecas de 1l. Você verá que tudo na Bavária é relacionado com cerveja, então há muitas opções de cervejarias menos famosas.
      -Veja um jogo na Allianz Arena!
      - O Parque Olímpico é bem conservado, porém se estiver com o tempo contado, eu dispensaria.
      -Faça um bate-volta para o castelo Neuschwanstein.
       
      Berlim:
      -Hospedagem: Baxpax Downtown Hostel, perto da estação Friedrichstraße. Bem localizado, dava para ir andando até o Portão de Brandemburgo.
      -Ficamos 5 dias em Berlim. Achamos que foi tempo demais, acredito que o ideal seja 3 ou 4 dias.
      -Se tiver tempo, faça um bate-volta para Potsdam. Da pra ir de metrô, e lá tem vários palácios da época da Prússia.
      -O DDR Museum vale a visita. Ele é bastante interativo, e mostra como era a vida na Alemanha Oriental. Fica do lado da Berliner Dom, só atravessar a ponte.
      -Berlim transpira história! Faça o free walking tour! Fizemos com a empresa SANDEMANs New Berlin, que sai da frente do Portão de Brandemburgo, com guarda-chuvas vermelhos.
      -FIcamos tão interessados que fizemos também o tour do Terceiro Reich, que é pago, porém ele não passa por tantos lugares diferentes do Free tour, e é mais uma aula de história. Foi interessante.
      -Fizemos um pub crawl com a mesma empresa do free walking tour (queríamos ir com outra, mas não achamos o ponto de encontro). Foi MUITO RUIM kkkkkk, sério. Melhor ir direto pra uma balada. (talvez a gente tenha dado azar no dia, sei lá).
       
      Praga:
      -Hospedagem: Plus Prague Hostel. Fica na região de Praga 7, ou seja, longe do centro turístico. Porém há uma linha de bonde que passa na frente dele, e fica uma estação de bonde do metrô. Ou seja, em 10 minutos de bonde já estávamos no centro. Por ser mais afastado, possuía um preço ótimo. Além disso o hostel tem piscina interna (fria!) e sauna.
      -Ficamos 2 dias e meio em Praga. Deu pra conhecer bastante, porém não tivemos tempo de fazer um free walking tour. Nosso plano era ficar mais tempo, mas complicações nos horários dos ônibus fizeram a gente ir embora antes.
      -No natal os horários dos bondes mudaram, então fique de olho nisso!
      -Vá no Sex Machines Museum, fica em uma rua que sai da frente do relógio astronômico. Muita coisa bizarra kkkk
      -FAÇA O PUB CRAWL! Ele é caro, mas o primeiro pub é open, e foi muuuuito divertido. Ele passa por três bares, e acaba em uma balada de 5 andares. Só não se perca do grupo, se não eles não deixam entrar na balada (experiência própria  kkkk).
       
      Cracóvia:
      -Hospedagem: ficamos em 3 hostels na Cracóvia! Parece um exagero, mas como fomos até Zakopane e depois voltamos para a Cracóvia, tivemos que ficar em 2 hostels diferentes. E o 3° foi porque tivemos que sair de Praga um dia antes, o que fez com que a gente tivesse que achar mais um hostel para ficar na primeira noite.
      1° - Hostel Faust: ficava dentro da cidade antiga, ao lado da praça principal. Bem simples, mas super bem localizado.
      2° - One World Hostel: Fica fora da cidade antiga, porém na sua "fronteira". Um pouco barulhento, pois os quartos ficam do lado da cozinha, porém tinha café da manhã incluso.
      3° - Hostel 18/12: Foi o hostel que passamos o ano novo. Ele é um apartamento duplex, pequeno para um hostel (tem 3 ou 4 quartos), com um clima bastante familiar. Os donos, que são ucranianos, tinham acabado de comprar o hostel do dono antigo (a nossa primeira noite foi com o antigo), e são suuuper gente boa! No ano novo eles fizeram uma festa com todo mundo que estava hospedado lá, e depois todos fomos juntos para a praça principal. Adoramos muito ter ficado lá! O único porém é que ele fica um pouco longe do centro, mas tem estação de bonde perto.
      -Fizemos a versão "mineiro" do tour pelas minas de sal Wieliczka, mas achamos as atividades meio bobinhas (ainda mais já tendo visitado a mina de Potosí na Bolívia, muito mais roots). Talvez seja mais interessante o tour tradicional, não sei.
      -Faça um bate-volta para Auschwitz.
      -Fizemos o free walking tour da old town, com a empresa "free walking tour" (guarda-chuva amarelo) e foi muito interessante, pois além da 2ª Guerra nós não conhecíamos nada da história da Polônia.
      -Não entramos na fábrica do Schindler, pois estava fechada (dia 01/01...), porém falaram que vale a pena.
      -Ano novo em Cracóvia é bastante animado, a praça central fica bastante cheia e tem shows, nós nos divertimos muito. Porém os shows acabam cedo, e quase não há fogos. O ideal é reservar a entrada de alguma balada antes do ano novo, pois elas esgotam.
       
      Zakopane:
      -Hospedagem: Pokoje Gościnne Łukaszczyk - como era alta estação, todos os hostels estavam lotados. Ficamos nesta pousada, que é meio longe do centro da cidade. Porém, como estávamos de carro, foi ideal.
      -Alugamos um carro para ir para Zakopane, mas só porque queríamos passar no castelo do filme Nosferatu antes (Oravsky Hrad). Existem ônibus muito baratos da Polski Bus que vão pra lá.
      -Ficamos uma noite e um dia, foi o suficiente para se divertir e brincar na neve!
      -A cidade fica bastante cheia nessa época de natal/ano novo, porém mesmo assim, nos divertimos bastante.
      -A pista de esqui ideal para iniciantes é a "Nosal Ski Centre", as pistas são bem simples. Se quiser é possível fazer aula lá.
      -Esquiar em Zakopane é suuuuper barato, gastamos por volta de 70 reais com o aluguel dos esquis e um passe de 4h para os teleféricos (foi tempo suficiente).
      -Zakopane é tipo Campos do Jordão com neve 
      -É possível fazer trilhas lá, porém é mais fácil fazer isso no verão. Nós não fizemos.
       
      Budapeste:
      -Hospedagem: Hostel Casa de La Musica - Era bem localizado, mas não possui atrativos além de um quarto para dormir (acho que possui um bar, que estava reformando, ou apenas fechado). Algumas vezes o banho era frio...
      -Ficamos 4 dias, acho que foi o ideal. Porém é possível ver tudo em 3 dias.
      -Suba na citadela, a vista vale a pena
      -Novamente, faça o free walking tour!
      -Fomos no museu "House of Terror", um museu onde ficava a sede do partido nazista húngaro e depois a sede do governo comunista. Era preciso ler uma bíblia de informações a cada sala que passávamos, para poder entender a história. Por este motivo, nós não gostamos. Existe a opção de ir com um audioguide, talvez assim o museu fique mais interessante.
      -Vá nos banhos termais!!! Fomos em dois, no Gellert Spa e no Széchenyi. O Gellert é melhor para banhos indoor, muito bonito por dentro. A piscina externa é pequena e lotada. Já o Széchenyi é ideal para a piscina externa, que é enooorme. Sair da água para ir embora é uma aventura a parte, nossa toalha até congelou!
      -Comer MUITO e barato: vá no restaurante Gastland Bisztró Király. Ele é all you can eat por 1190 HUF (4 euros). Fomos lá 2 vezes e saímos explodindo.
      -Vá em um ruin pub. Fomos no mais famoso, chamado Szimpla Kert.
      -Achamos legal entrar no parlamento, apesar de a visita ser curta. É preciso chegar lá e comprar a visita para o tour no idioma que você quiser. É bom não ir muito tarde, pois eles esgotam!
       
      Zagreb:
      -Hospedagem: My Way Hostel. Ficava perto da rodoviária e perto do centro, então deu pra fazer tudo andando.
      -O centro é bem pequeno, em uma tarde nós vimos tudo.
      -Lagos Plitvice: Vá! Que lugar bonito! Fizemos um bate volta. Pegamos o ônibus das 7:30 (compramos no site da rodoviária de Zagreb), e chegamos no parque por volta das 10:00. Cuidado ao comprar a passagem de ida e volta, pois no site não estava avisando qual o horário de volta que poderíamos pegar, e fomos descobrir só na hora de voltar que a empresa do ônibus da ida só iria voltar no fim do dia. Tivemos que pagar outra passagem para poder voltar.
      -Como no inverno uma parte do parque fica fechada, vimos tudo em umas 3h.
       
      Ljubljana:
      -Hospedagem: Sax Hostel. A cidade é minúscula, então tudo é perto. O hostel era bem bom, mas era possível ouvir a música do bar da rua (que é do hostel) até bem tarde.
      -A eslovênia é o país mais caro de todos que fomos
      -Vá no restaurante Druga Violina (Stari trg 21). Ele é bem baratinho, o menu do dia era 5 euros, e muito bem servido, com comida tradicional eslovena. Além disso o restaurante possui uma proposta muito legal, pois quase todos os garçons são portadores de necessidades especiais.
       
      Bled:
      -Fizemos um bate-volta até lá
      -O dia estava bastante nublado, e nevando. Achamos lá bonito, mas não imperdível. Talvez se o tempo estivesse melhor nós teríamos gostado mais.
      -A atração da cidade é dar a volta completa no lago, são 6km para apreciar a ilha no lago e o castelo na montanha.
       
      Dia por dia:
       
      Dia 1: (11/12/16) - Voo São Paulo - Viena
       
      Pegamos o Voo em Guarulhos às 02:00 (duas da manhã!!) com destino a Addis Ababa, na Etiópia, com direito a 1h de escala no Togo e, após uma conexão de 4h na Etiópia, finalmente o voo com destino a Viena! O primeiro voo teve duração de 14h, e o segundo de 6h. Apesar da longa duração, recomendo muito essa companhia! No aeroporto de Addis Ababa, é possível entrar em um dos restaurantes para conseguir o wifi, apesar de que nem sempre funcionava. De resto, é um aeroporto pequeno, não há muito o que fazer.

       
       
      Dia 2: (12/12/16) - Viena: batendo perna pela cidade
       
      O voo chegou em Viena as 5:50 da manhã. De lá pegamos um trem até a estação do nosso apartamento. Há a opção de escolher um trem expresso para o centro da cidade, mas é muuuito mais caro, realmente não compensa.
      Chegando na porta do apartamento, descobrimos que ele só seria possível pegar a chave as 10:00, então voltamos para a estação e ficamos usando wifi e comendo em uma cafeteria. Nessa espera também demos uma volta com os mochilões nas costas no Parque Prater, um parque de diversões no meio da cidade. Porém ainda estava muito cedo, então todas as atrações estavam fechadas. Somando com uma garoa no momento, voltamos para o calor da estação.
      Após conseguir finalmente entrar no apartamento, deixar as malas e esticar as costas, almoçamos um Wiener Schnitzel, super tradicional de Viena, que nada mais é que um bife a milanesa.
      Este dia se resumiu a caminhar pela cidade. Fomos andando até a Stephansplatz, e depois passamos por diversos parques e palácios do centro da cidade até chegar no parlamento.
       

      O parlamento austríaco
       

       
       
      Dia 3: (13/12/16) - Bratislava
       
      Neste dia nós fizemos um bate-volta para Bratislava, a capital da eslováquia! Ela fica muito perto de Viena, apenas 1h de ônibus. Pegamos o ônibus de manhã na rodoviária ao lado da estação de trem central (Wien Hauptbanhof), e utilizamos a companhia Slovak Lines. O ônibus possuía wifi e tv, porém os fones de ouvido eram cobrados. Fomos apreciando a paisagem até a capital eslovaca. A rodoviária de Bratislava fica a uns 10 - 15 min do centro histórico, e é só sair dela, virar a direita e seguir reto na avenida que você chega no centro.
      Já chegamos impressionados com as poças de água da rua, que estavam congeladas!  É preciso ter cuidado para não escorregar nelas, muito lisas!
      O centro de Bratislava é pequeno e muito bonito, muito gostoso de caminhar. Achamos um museu da tortura, e como Bratislava é a cidade em que se passa o filme de terror "O Albergue", fomos sem hesitar. Ele era uma exposição dentro do prédio da antiga prefeitura, onde também pudemos subir na torre e apreciar a vista.

       

      A vista do topo da torre.
       
      Almoçamos fora do centro turístico, na rua da frente, pois os restaurantes eram mais baratos. Comemos Bryndzové halušky, uma espécie de nhoque com molho de queijo de ovelha e bacon, bem gostoso e super tradicional!
      Após o almoço subimos até o castelo de Bratislava, que tem uma vista incrível de toda a cidade e do rio Danúbio. Também entramos no castelo, mas acho que não valeu a pena, além de ser meio caro ele é muito moderno e possui apenas uma exposição de pinturas eslovacas.
      Na volta pegamos um ônibus da empresa RegioJet, a melhor empresa de ônibus de todas! Eles possuem tv, wifi e café/capuccino/chocolate quente de graça, além de ter passagens super baratas.

      Michael's Gate
       

       

       

       
       
       
      Dia 4: (14/12/16) - Viena: Belvedere, Schönbrunn Palace e Ópera
       
      Neste dia nos juntamos com as nossas duas amigas, a Maria e a Pinga.
       
      Este dia foi dedicado a visitar os palácios. Primeiro fomos até o Belvedere, onde andamos só pelo lado de fora, e visitamos os jardins.

      Belvedere
       

      O lago congelado
       

       
      Depois fomos até o Schönbrunn Palace, que foi o palácio do império Austríaco. Nele fizemos a visita interna mais curta, que incluia boa parte do palácio. Infelizmente não era permitido tirar fotos, mas vale bastante a pena entrar, ele é muito bonito, e possui muita riqueza! A visita é feita com audioguides, e em cada cômodo há um áudio explicando a história, de quem era o quarto, etc.
      Após sair da visita, passeamos pelo enorme jardim do palácio, muito gostoso de andar, apesar do frio. Subimos até uma outra construção (Schloss Schönbrunn Gloriette) no topo da colina, de onde se pode ter uma vista de toda Viena.

      Schönbrunn Palace
       

      Schloss Schönbrunn Gloriette
       

       
      Saindo do palácio, jantamos salsichas com batata, o clássico da viagem, e fomos até a ópera estatal de Viena. Este dia teria a peça "Macbeth", do Shakespeare. Como queríamos os ingressos mais baratos possíveis, esperamos até 2h antes da peça, que é quando começam a vender os tickets para assistir em pé a peça, que custam apenas 3 euros. Tínhamos visto na internet que normalmente há uma fila na porta para comprar estes ingressos, porém como chegamos um pouco depois de ter aberto a venda, já não tinha.  Após comprar o ingresso é preciso entrar imediatamente para poder guardar os melhores lugares, e para isso é só amarrar seu cachecol na frente do corrimão de qualquer lugar vago. Como chegamos um pouco depois, só haviam lugares com vista parcial. Após reservar os lugares, é preciso ir até a chapelaria deixar os casacos, que é gratuito. Lá também é possível alugar um binóculo. Em cada lugar há uma legenda do que está se passando, e como a ópera era cantada em italiano, era muito útil. Atenção: Só pode sair da ópera no fim de cada ato, então se estiver muito chato, é preciso esperar (a peça durava 3h, a maioria de nós saiu no meio). Foi  legal ter a experiência de uma ópera.

       
      Dia 5: (15/12/16) - Viena - Munique
       
      Nos despedimos da Pinga, que não ia para a Alemanha com a gente e pegamos de manhã o ônibus de Viena para Munique, pela empresa Flixbus. A viagem demorou umas 5h. Como o ônibus não tem lugar marcado, quando fomos embarcar ele já estava quase cheio, então cada um de nós teve que sentar em um lugar separado. Fui ao lado de uma senhora alemã que não parava de falar comigo, mesmo eu dizendo várias vezes que não entendia nada de alemão...ela até me deu uma bala!
      Chegamos em Munique já de tarde, deixamos nossas malas no hostel, tomamos banho e fomos passear pela cidade. Após caminhar até a Marienplatz e ver o mercado de natal, decidimos jantar na Hofbräuhaus, a cervejaria mais famosa de Munique.
      A Hofbräuhaus é gigante! Milhares de mesas, todas cheias. Os garçons e garçonetes utilizam roupas típicas, e tem uma banda tocando músicas da bavária, tudo bastante animado. Rodamos bastante procurando lugares para sentar, e dividimos a mesa com um casal de alemães e a sobrinha deles, americana. Nós comemos barriga de porco, e a cerveja chega em um canecão de 1 litro para cada pessoa!
      Apesar de ser cara (8,40 euros a caneca, 9,90 a barriga de porco), vale muito a experiência de ir na cervejaria mais famosa de todas!


       
      Dia 6: (16/12/16) - Free Walking Tour, Parque Olímpico e Allianz Arena
       
      Pela manhã nós fizemos um free walking tour. Ele saía da Marienplatz. Como não havíamos reservado, e chegamos em cima da hora, o tour em inglês estava esgotado, e tivemos que ir no tour em espanhol. Apesar de mais difícil de entender, pois a guia falava rápido com os turistas nativos espanhóis, foi muito interessante!
       
      Após o tour nós fomos passear pelo parque olímpico de Munique, que está muito preservado e agora é um parque para todos usarem.

      O parque olímpico


      Memorial do atentado na Olimpíada de Munique
       
      Fomos então até a Allianz Arena, o estádio do Bayern de Munique, querendo fazer uma visitação no estádio. Chegando lá nós descobrimos que ia ter uma partida da segunda divisão da Bundesliga, e ainda por cima com os ingressos mais baratos que o da visita! A partida foi entre TSV 1860 München e 1.FC Heidenheim, e o resultado foi 1x1. Porém nunca senti tanto frio! Não estávamos preparados para ficar a noite no estádio, e quase congelamos! 
      Apenas cuidado com o tamanho da mochila que estiver carregando para o estádio. Estávamos com uma mochila relativamente pequena, e o segurança nos fez voltar até a frente da estação de metrô para guardar ela nos trailers de guarda-volumes. É uma caminhada até que longa do estádio até o metrô, ainda mais no frio! Portanto se for ver um jogo, é bom já deixar a mochila lá antes. Pau de selfie também não é permitido.
       
       

       

       
      Dia 7: (17/12/16) - Castelo Neuschwanstein:
       
      Fomos de manhã para a estação de trem e compramos o Bavarian Ticket, um bilhete que te deixa viajar por qualquer trem pela Bavária. Existem bilhetes de grupo na Alemanha, então tanto o trem quanto os metrôs ficam muito mais baratos quando se está em grupo.

       
      Pegamos então o trem para Füssen, a cidade próxima do castelo. A viagem levou por volta de 2h, e no caminho fomos observando os lindos alpes nevados,  vista que nos acompanhou por boa parte da viagem de trem.
      Chegando em Füssen é preciso pegar um ônibus na frente da estação até Schwangau, a cidade do lado, onde os castelos estão. Com o Bavarian Ticket não é necessário pagar esse ônibus. É bom verificar antes na estação os horários dos trens para Munique, para não ter nenhuma surpresa na hora da volta.
       

       
      Chegando em Schwangau, já ficamos animados, porque lá já tinha neve! Compramos o ticket para visitar por dentro apenas o Neuschwanstein, o maior dos castelos. Também é possível visitar o Hohenschwangau, porém achamos que seria caro e desnecessário. Como havia tempo para nossa visita, ficamos passeando ao redor do lago, com uma linda vista para as montanhas. O castelo fica no topo do morro, e subir até lá também tem ótimas vistas, sendo a melhor de todas da ponte Marienbrücke, de onde se tem a clássica vista do castelo.
      A visita no interior do castelo é curta, porém seu interior é muito bonito, vale a pena.
      Para voltar até Munique não tínhamos certeza se estávamos no trem certo, mas seguimos o fluxo de turistas chineses, e tudo deu certo.
       


      Hohenschwangau
       

      Neuschwanstein
       

       
       
      Dia 8: (18/12/16) - Munique: Deutsches Museum
       
      Neste dia visitamos o Deutsches Museum, um museu gigante de ciências. Há setores de tudo o que você possa imaginar,  desde submarinos até como se faz papel. Vale a pena pesquisar quais andares mais interessam, para não perder tempo nas coisas muito aleatórias.
      Após o museu fomos andando até o Englischer Garten, um grande parque da cidade, porém quando chegamos lá começou a nevar/chover, e tivemos que entrar num pub, pois estava molhando muito.
      Mais de noite começou a apenas nevar, sem chuva, e ficamos passeando no mercado de natal e vendo as pessoas patinarem no gelo.

      Marienplatz
       
      De noite pegamos o ônibus noturno para Berlim, uma longa viagem apertado no flixbus.
       
      Dia 9: (19/12/16) - Berlim: East Side Gallery + Andar pela cidade
       
      A rodoviária de Berlim, ao contrário da maioria das outras rodoviárias que passamos, fica um tanto afastada do centro da cidade. Pegamos o metrô então até nosso hostel, largamos as malas nos lockers (pois o checkin era só de tarde) e fomos até a East Side Gallery.
      A East Side Gallery é uma grande extensão do muro de Berlim ainda preservada. O muro lá é todo grafitado, então a região é um grande museu de arte a céu aberto.

       
      Após passear por lá, fomos até a Pariser Platz, onde está localizado o Portão de Brandemburgo. Andamos até o Reichstag (o prédio do parlamento alemão), que fica ali do lado, passamos pelo Memorial dos Judeus Mortos da Europa (ou Memorial do Holocausto), e por fim fomos até o Checkpoint Charlie. Quase todos os pontos turísticos em um dia hahaha! Tirando a East Side Gallery, todo o resto é muito perto de ir caminhando, tudo bem tranquilo.
      Passamos também pelo museu "Topographie des Terrors", localizado no prédio onde era o HQ da Gestapo e da SS. O museu possui várias fotos e textos informativos, bastante interessante. O único porém é que ele estava bastante lotado.
      Neste dia fomos jantar em uma hamburgueria chamada Peter Panes, perto do nosso hostel e da estação Friedrichstraße (hambúrguer muito bom!). Após nos despedirmos da Maria, que ia pra rodoviária se separar de nós, voltamos para o hostel. Quando conseguimos Wifi, tínhamos recebido várias mensagens como "Vocês estão bem??". Só então fomos descobrir que havia acontecido um atentado em um dos mercados de natal. Muito triste...felizmente estávamos longe do local.

      Portão de Brandemburgo
       

      Reichstag
       


      Memorial dos Judeus
       

      Checkpoint Charlie
       
      Dia 10: (20/12/16) - Berlim: Free Walking Tour, Berliner Dom, DDR Museum
       
      Neste dia, após acordar e ver na internet as repercussões do atentado, vimos que tudo estava funcionando normalmente na cidade, exceto os mercados de natal, que estavam fechados. No metrô nós vimos policiais procurando por bombas, e um pouco mais de policiais nas ruas, mas de resto tudo estava normal.
      Neste dia nós começamos fazendo o free walking tour, com a empresa Sandemans New Europe (guarda-chuva vermelho). Ele começou na frente do Portão de Brandemburgo as 10:00, e foi bastante interessante, pois além de ver os pontos turísticos, ficamos sabendo bastante sobre a história de Berlim. Além dos locais que já tínhamos passado, o tour passou pelo bunker do Hitler, pela Universidade que o Einstein ensinava, por algumas praças, etc. Enfim, vários lugares! Gostamos bastante.

      Local do bunker do Hitler.
       
      Após acabar o tour, fomos até a Berliner Dom, a catedral de Berlim. Chegando lá, nós estávamos com muuuito frio, acho que um dos dias que mais sentimos frio, e devia estar uns 2 graus, vai entender...provavelmente era o vento. Por esse motivo nós não não ficamos muito tempo por lá, mas ela é muito bonita. Como tinha que pagar, nós não entramos.
       

       
      Atravessando a ponte ao lado da catedral, já encontramos o museu DDR. Antes de ir nele, almoçamos em um restaurante vietnamita que tinha do lado, mais pra fugir do frio mesmo kkkk. Além disso a comida era muito boa!
      O DDR Museum mostra como era a vida na East Berlim de uma maneira muito interativa. Tem até um modelo de uma casa da época lá, em tamanho real. Valeu muito a pena!
       
      Dia 11: (21/12/16) - Berlim: Tour do Terceiro Reich + Pub Crawl
       
      Neste dia nós acordamos mais tarde, fomos comer e depois fomos para o Tour do 3º Reich, que tínhamos reservado com a mesma empresa do Free Walking tour. Custou 12 euros (preço de estudante, 14 o preço normal). Ele começou as 14:30, e durou por volta de 3:30, ou seja, quando acabou já era noite! Ele é um tour sobre o nazismo, e passou por diversos memoriais, como o do holocauso (terceira vez passando por esse memorial na viagem),  Politician Memorial, Soviet Memorial, Homosexual Memorial, Sinti Roma Memorial, além de passar pelo bunker do Hitler, o HQ de propaganda do Goebbels, a nova sinagoga e o bairro judeu. Como a maioria destes lugares são perto, o tour é muito mais falado do que andado, mas mesmo assim foi interessante, apesar de ir para alguns lugares que já tínhamos ido.

       

       

      De noite nós fizemos um pub crawl. Inicialmente nós queríamos fazer com uma outra empresa (que não lembro o nome), mas fomos até o ponto de encontro e não achamos. Então nós fizemos com a mesma empresa de todos os tours, que por acaso tínhamos visto na rua enquanto procurávamos pelo ponto de encontro. Esse pub crawl foi bastante ruim!! As bebidas eram caras e o grupo tinha umas 10 pessoas sendo que a maioria era um grupo de amigos que só conversava entre si! A balada final parecia promissora, porém chegamos lá e já queríamos ir embora... Para voltar pro hostel foi uma aventura a parte, o metrô estava fechado e nós tivemos que descobrir como voltar de bonde, fazendo baldeação. No fim deu tudo certo.
       
      Dia 12: (22/12/16) - Potsdam e Reichstag
       
      Já estávamos um pouco cansados de Berlim, então neste dia pegamos o metrô até Potsdam, a cidade vizinha. É só comprar um bilhete de metrô para as zonas mais longes. Em Potsdam estão diversos palácios da época da Prússia, com grandes jardins. Bem bonitos. Mas estava chovendo no dia, então não conseguimos aproveitar muito... Além disso era caro para entrar nos palácios para pouco tempo de visitação, achamos que não valeria a pena. Após caminhar um tanto, voltamos para Berlim.

       
      De noite nós fomos visitar a cúpula de vidro do Reichstag. É gratuito e é preciso reservar antes no site, e como nós demoramos para fazer isso, só tinha horários ou suuuper cedo ou de noite, e preferimos acordar mais tarde. TInham me falado para fazer o tour pelo parlamento além dá visita a cúpula, mas esse tour não estava disponível, talvez fora de época.
      Durante a subida até o topo da cúpula, um audioguide vai dizendo o que dá pra ver do topo, porém como era de noite, não dava pra ver quase nada. Há também informações sobre o parlamento alemão. Foi uma visita legal, mas deve ser muito melhor de dia!

       
      Dia 13: (23/12/16) - Berlim - Praga
       
      Pegamos de manhã o ônibus para Praga, e chegamos a tarde lá. Deixamos as malas no hostel e fomos para o centro da cidade jantar. Após comer, demos uma volta na Old Town Square e fomos seguindo a margem do rio até a Charles Bridge. Impressionante essa ponte, tantas estátuas! E de noite é bem mais tranquilo andar por ela, muito mais vazia.
      Do outro lado da ponte, comemos um Trdelnik, um doce tradicional de lá que é um cone de uma espécie de pão doce recheado com sorvete, gostoso porém um pouco enjoativo pelo tamanho. De lá pegamos um bonde que ia direto para o hostel, bastante prático.
       
       
      Dia 14: (24/12/16) - Praga
       
      Após acordar, encontramos novamente a Pinga, que ia ficar com a gente até o dia 26. Ela estava com uma amiga, a Thais.
      Este dia ficamos andando pela cidade: passamos pelo Sex Machines Museum (na rua da frente do relógio astronômico, muitas coisas bizarras lá), fomos para a praça central, novamente para a Ponte Charles, porém agora de dia, e então comemos uma pizza no bairro perto do castelo. Quando saímos do restaurante já era quase noite, mas deu tempo de ver o pôr do sol do castelo.

       



       

       
      Ceia de natal: Já era meio  tarde quando resolvemos sair do hostel para comer. Fomos até o ponto de ônibus e descobrimos que os horários para a noite de natal eram outros, e que o bonde certo para ir até o centro não passaria... Cogitamos ir no mercadinho e comprar algumas comidas, porém o hostel não tinha cozinha! Conseguimos então chegar a tempo no restaurante do hostel, faltando 10 minutos para a cozinha fechar kkkk Como o hostel tinha a própria ceia de natal (custava uns 20 euros...muito caro!), só estavam servindo pizza aquele dia. E lá fomos nós comer pizza de novo hahaha.
      Após nossa incrível ceia, fomos para o Cross Club, um bar/balada perto do nosso hostel um tanto quanto peculiar. O lugar é todo cheio de sucatas, bastante labiríntico. Ficamos só na parte do bar, pois tinha que pagar pra ir na parte da balada e não estávamos afim. Resumindo a noite, novamente peculiar hahaha.

      Pizza natalina
       
      Dia 15: (25/12/16) - Praga - Natal e Pub Crawl!
       
      Acordamos mais tarde e resolvemos ir almoçar em um restaurante italiano que encontramos ao acaso, nosso almoço de natal!
      Após almoçados, fomos até a John Lennon Wall, e para chegar lá mais uma vez atravessamos a Charles Bridge. Confesso que achei que a parede ia ser maior e com mais pinturas, foi um tanto decepcionante. Porém as fotos ficaram legais.

       
      De noite nós fomos no Pub Crawl. A empresa se chamava Prague Pub Crawl (guarda-chuva vermelho), e o ponto de encontro era na praça da cidade velha. Ele era caro (22 euros ou 550 CZK), mas valeu muito a pena, apesar de alguns problemas. Foram 3 pubs, sendo o primeiro open bar por uma hora. O pessoal era muito animado. No fim ele acaba em uma balada de 5 andares que fica do lado da Charles Bridge. O problema foi que ao sair do último Pub, apenas o Gabriel e o Guilherme seguiram o grupo, nós que sobramos nos atrasamos um pouco, e quando chegamos na rua não sabíamos pra que lado eles tinham ido, pois eram vários grupos de pessoas indo para várias direções. Nós só sabíamos que a balada era do lado da Charles Bridge, então fomos perguntando na rua até conseguir chegar lá. Quando chegamos lá o segurança quis cobrar da gente, apesar de a gente estar com a pulseira do pub crawl. Não quisemos pagar, afinal já tínhamos pago 22 euros... Após muito discutir com o segurança, ele me deixou entrar para tentar achar o cara do pub crawl que estava nos guiando. Não achei, mas encontrei o Gabriel e o Guilherme, e assim fomos embora. Consegui ver que a balada é realmente muuuito grande, demorei muito pra conseguir achar a saída (isso porque só 2 andares estavam abertos, afinal, era natal!). Apesar desse problema, ainda assim nos divertimos muito. Não tivemos tempo no dia seguinte de ir reclamar com a empresa disso, mas se você for fazer pub crawl lá, fique atento para não se perder do grupo!
      A volta também foi uma aventura. Com o sistema de bondes alternativos do natal, acabamos pegando um que foi para o lado oposto do nosso hostel! Após muito rodar no frio, conseguimos voltar pra casa.
       
      Dia 16: (26/12/16) - Praga - Cracóvia
       
      Nosso plano era pegar um ônibus noturno para Cracóvia. Porém nós demoramos para comprar a passagem, e quando acordamos e fomos ver isso, já tinha esgotado! E todas as passagens noturnas estavam abusivas de cara. Novamente DICA: compre suas passagens antes!
      Fuçamos bastante na internet e encontramos uma passagem da RegioJet que saía no começo da tarde de trem até Ostrava, na fronteira com a Polônia, e depois ia de ônibus até Cracóvia. E o melhor de tudo, por 10 euros! Compramos na hora, mas tivemos que ir direto para a estação de trem. Antes disso almoçamos em um restaurante chinês perto do hostel.
      A RegioJet é maravilhosa! Tanto o trem quanto o ônibus tinham TVs individuais, e eles ainda davam água, café/capuccino/chocolate quente! Recomendo muito! Chegamos em Cracóvia a noite e fomos para o hostel.

       
       
      Dia 17: (27/12/16) - Cracóvia
       
      De manhã fomos procurar um carro para alugar, pois no dia seguinte nós iríamos para Zakopane.
      Nós então fizemos um free walking tour pela Old Town que foi bastante interessante, a Polônia tem muita história medieval que nós nunca ouvimos falar!
      Cracóvia é uma cidade que não foi destruída na guerra, então tudo está preservado como antigamente, a cidade é muito bonita! O tour andou por toda a parte do centro antigo, e não foi para o bairro judeu, etc.

       

       

       
       

      A casa do papa.
      Dia 18: (28/12/16) - Oravsky Podzamok - Zakopane
       
      Pela manhã nós pegamos nosso carro na locadora, era um Nissan Juke, um modelo que nunca tínhamos visto!
      Nosso roteiro era: dirigir mais ou menos 2h até a Eslováquia, até a cidade do castelo do Nosferatu, e depois ir até Zakopane, 1:30h de distância. E foi exatamente isso que nós fizemos!
      Conforme fomos nos distanciando de Cracóvia a neve começou a aparecer, e em certo ponto ficou com muita neve! Quando descemos do carro, a primeira coisa que fizemos foi uma guerra de bolas de neve! Até então só tínhamos pego neve em Neuchwanstein, mas era pouca. Além disso, no momento estava nevando bastante, foi bem divertido. Visitamos o castelo por dentro, e foi um tanto quanto peculiar, porque em cada parte do castelo que passávamos, uma cena de uma peça em eslovaco acontecia, com música e tudo. O problema era que a gente não entendia nada.
       

       
       

       

       

       

       
      Após a visita, almoçamos em um restaurante de comida típica eslovaca, e novamente comemos o "nhoque", só que esse estava muito melhor!
      Seguimos estrada, e a noite chegou rápido. Dirigir na neve no escuro foi uma emoção a parte. Quando chegamos na nossa pousada em Zakopane, havia uma rampa na rua até a entrada, mas ela estava tão congelada que não teve jeito do carro subir. Ficamos lá patinando com o carro. O dono da pousada veio então nos resgatar, mas tivemos que parar o carro embaixo e ir andando. Até subir a pé estava escorregando.
      Esse dia nós jantamos em um McDonalds ao lado de um posto de gasolina, pois estávamos longe da cidade para ir a pé e não queríamos mais arriscar atolar aquela noite.

      O carro atolado
       
      Dia 19: (29/12/16) - Zakopane
       
      Esse dia foi dedicado ao esqui!
      Fomos até a estação de esqui Nosal, que é a mais indicada para iniciantes. Compramos o passe de 4h para os lifts, e depois fomos alugar os esquis. Essas 4 horas só começam a valer depois do primeiro uso, pode ficar tranquilo. Saiba o tamanho do seu pé em número europeu, porque se não vai ter que experimentar 500 botas até achar a que serve.
      Ficamos nos divertindo bastante lá, até acabar nosso tempo, quase. 4h é mais que o suficiente. Esse dia estava bastante frio (~ -8°C), porém esquiando você não percebe, só quando para.
      A cidade estava muito lotada de carros, era difícil dirigir. Almoçamos em um restaurante de comida polonesa, e depois foi pé na estrada até Cracóvia. Mais 2h e estávamos lá.
       

       
       

       

       

       

       
       

       

      O centrinho de Zakopane
       
      Dia 20: (30/12/16) - Auschwitz
       
      O jeito mais rápido de ir até Auschwitz é pegar um ônibus ou van na rodoviária para Oświęcim, a cidade onde fica o campo de concentração. Ele leva aproximadamente 2h até lá. É bom ir cedo para lá, pois chegando na entrada para comprar ingresso, havia uma fila gigantesca. Uma amiga nossa contou que foi em um horário mais tarde e não conseguiu guia para a visitação.
      Na visita com um guia todo mundo ganha um fone de ouvido, assim o guia fala em um microfone e todos conseguem ouvir, mesmo à distância.
      A visita é dividida em duas partes. Na primeira se visita o campo de Auschwitz (que é o mais bem preservado) e depois toma-se um ônibus até o segundo campo, Birkenau, o maior de todos, que foi destruído em grande parte.
      A visita é pesada, mas achamos importante passar por lá e ver de perto esse lugar de tanto horror.
      Após o tour nós almoçamos já fora do espaço de Auschwitz (só atravessar a rua), os preços eram muuuito mais acessíveis.
      Na hora de pegar o ônibus de volta havia uma fila enorme, tivemos que esperar o primeiro encher e só conseguimos ir no próximo (eram de 30 em 30 min, que eu me lembre), então fique atento com os horários para não perder os ônibus.

       
       

       

       
       

      Dentro de uma câmara de gás
       

      Birkenau
       

      Câmara de gás destruída
      Dia 21: (31/12/16) - Wieliczka Salt Mine e Ano Novo!
       
      Acordamos e fomos até a estação de trem para ir até Wieliczka, a cidade que tem a mina de sal. Não lembro quanto custava, mas era muito barato, e demorava uns 20 minutos até lá.
      Existem dois tipos de tour,  o tradicional e o "mineiro", sendo o tradicional o mais turístico. Nós escolhemos fazer a versão mineira, então eles nos deram roupas de mineiros para usar, lanternas, etc. Durante o tour há várias atividades para fazer, como moer sal, cerrar madeira, etc; atividades que os mineiros da época faziam. Nós achamos o tour meio bobinho e um pouco longo de mais, talvez a versão turística fosse mais legal.
      Para voltar pra Cracóvia nós ficamos esperando na estação de trem sem saber de nada, pois não havia lugar nenhum para comprar ingressos e nem para perguntar para ninguém. Depois de um tempo esperando, chegou um trem. Quando quase estávamos chegando em Cracóvia, uma mulher veio cobrar/vender os as passagens de trem.


       
       
      A noite todos os restaurantes próximos ao hostel estavam fechados (o hostel era longe do centro), então após muito procurar, achamos uma barraca de kebab que estava lotada de gente comprando, o único lugar aberto da região! Compramos marmitas de kebab (carne, batata frita, salada, molho e queijo!), levamos para o hostel e esse foi nosso jantar de ano novo!
      Após comer fomos para o quarto esperar um pouco para depois ir para a praça principal. Foi então que o dono do hostel nos convidou para sua festa de ano novo. Estavam todos os hóspedes do hostel lá: nós 5, mais 3 brasileiros, 2 holandeses, uma mexicana, um de bangladesh, uma chinesa e um tailandês, além dos donos do hostel que eram ucranianos. Ou seja, uma grande mistura de nacionalidades! Eles nos deram champagne e comidas típicas ucranianas. Depois de muito comer, fomos todos para a praça principal festejar o ano novo (exceto os donos do hostel, da chinesa e do tailandês). Os donos do hostel até falaram pra gente não voltar cedo porque não teria ninguém lá  .
      A praça estava bastante lotada e com shows de música, que acabaram até que cedo. Para entrar em qualquer balada era preciso ter reserva, então voltamos para o hostel e ficamos conversando lá. Que ano novo!

       
       
      Dia 22: (01/01/17) - Bairro Judeu e ônibus para Budapeste
       
      Primeiro dia do ano e lá fomos nós acordando cedo para bater perna. O nosso ônibus para Budapeste saía as 15h, então deu tempo de ir dar uma volta pelo bairro judeu de Cracóvia. Nós passamos pela fábrica do Schindler, que estava fechada para entrar, por uma parte do muro gueto e pela Ghetto Heroes Square, uma praça com diversas cadeiras de metal. Esta praça era localizada dentro do gueto dos judeus, onde eles foram forçados a morar durante a guerra. Que começo de ano!
      Após isso, pegamos nossas malas no hostel e fomos para a rodoviária. Mais 7 horas de ônibus e estávamos em Budapeste!
       

      A fábrica de Schindler
       
       

      Resto do muro do gueto dos judeus.
       

      Ghetto Heroes Square
       

       
      Dia 23: (02/01/17) - Budapeste: citadela, castelo e Termas Gellért
       
      Começamos o dia indo até o Mercado Central, que fica próximo da Liberty Bridge. O mercado se parece bastante com o Mercadão de São Paulo, salvo os produtos que cada um tem. Após andar por lá, atravessamos a ponte para o lado Buda da cidade, e subimos o morro da citadela, onde está localizada a estátua da Liberdade de Budapeste. A vista lá de cima era espetacular, e as folhas das árvores estavam muito congeladas, dando um ar invernal ao local.
      Descendo da citadela, fomos até o castelo. A subida para o castelo é bastante tranquila, não entendemos como tinha tante gente esperando na fila do funicular, parados no frio. É possível até pegar uma escada rolante em certo trecho da subida. A vista do castelo também é muito bonita, ficamos um tempo apreciando o Danúbio e todas as suas pontes. Porém estava ventando muito lá, então descemos, atravessamos a Chain Bridge para o lado de Peste e fomos comer no restaurante Gastland Bisztró Király. Lá a comida custava o equivalente a 4 euros, e era possível comer a vontade. Comemos muuito!

       
       


       

      O castelo
       

       
      Fomos então para o banho termal Gellért, que fica ao lado do morro da citadela, logo depois de atravessar a Liberty Bridge. A arquitetura do seu interior é muito bonita, e ele possui várias piscinas internas, com diferentes temperaturas. No entanto, para entrar na maior e mais bonita delas era preciso usar touca, e além disso a água era mais fria, então não entramos. Havia também uma piscina externa, bastante simples. Para chegar nela era preciso sair do vestiário e subir algumas escadas. É bem relaxante ficar em uma piscina com a água a 37° e do lado de fora -5°, porém pra sair dela, imagina o sofrimento, a nossa toalha estava até congelada.
      O ingresso para as termas não é barato, 5300 HUF (algo como 17 euros), porém você pode chegar a hora que quiser e ir embora quando o spa fechar. Voltamos para o hostel muito relaxados, nem tivemos forças para sair pra jantar.
       
       
       
      Dia 24: (03/01/17) - Budapeste: Parlamento e Basílica de St. Stephen
       
      Após comer em uma padaria próxima do hostel, fomos andando até o parlamento. Chegando lá, reservamos nosso tour pelo interior, porém só conseguimos vaga para o tour em inglês no últimos horário do dia, que era de tarde já (se não me engano, 15h). Por isso, chegue cedo para reservar seu tour, pois há uma grande fila e eles podem esgotar! Como nosso tour era só a tarde, atravessamos a ponte para ver melhor o parlamento do outro lado do rio. 

       
       

       
       
      Ficamos caminhando pela região e novamente almoçamos no Gastland Bisztró Király.
      A visita ao interior do parlamento é relativamente curta, algo como 40 minutos. Mas o seu interior é tão belo que vale bastante a pena. Tudo lá tem muito ouro!
      Saindo do parlamento, fomos até a Basílica de St. Stephen. Nós queríamos ver a mão mumificada do St. Stephen, que está preservada dentro da Basílica, porém chegamos muito tarde, e a visitação para esta parte já havia encerrado.
      De noite fomos em um pub assistir o jogo do Arsenal x Bournemouth com 3 Sul Africanos do nosso quarto do hostel, que torciam para o Arsenal. O placar foi 3x3.
       

      Dentro do parlamento
       

       

      Basílica de St. Stephen.
       
       

       
      Dia 25: (04/01/17) - Budapeste: Praça dos Heróis,  Castelo Vajdahunyad, House of Terror e Szimpla Kert 
       
      Acordamos tarde esse dia, e quando olhamos para a janela: estava nevando!  Começamos o dia já indo almoçar, em um restaurante chamado Frici Papa (dica da Maria). Ele possui um preço bastante em conta, e serve uma comida húngara ótima. Lá comemos o famoso goulash húngaro.  O Guilherme pediu um prato que se chamava Paprikash, e parecia bastante com um strogonoff. Gostamos bastante desse restaurante!
       Após almoçar, fomos até a Praça dos Heróis, uma praça com estátuas de diversas personalidades da história da Hungria. Ao lado dessa praça se encontra o Castelo Vajdahunyad, que fica dentro de um parque. O parque estava todo nevado, ficamos passeando por ele por um tempo.

       
       

      Castelo Vajdahunyad
       
      Fomos então para o museu House of Terror, um museu localizado na casa onde foi primeiro a sede do partido nazista húngaro (partido da cruz flechada), e depois foi sede do partido comunista na Hungria. Após ficar 1h na fila, conseguimos entrar. O museu era interessante, porém para entender o que se passava era preciso ler em cada sala no mínimo uma folha A4 inteira preenchida, que ficavam disponíveis em recipientes nas paredes. Chegou um certo ponto que não aguentávamos mais e só queríamos ir embora, mas para sair do museu era preciso pegar um elevador que fazia parte da exposição (havia um filme dentro dele). O elevador andava mais lerdo que uma lesma, e havia uma fila enorme pra pegar ele! 
      De noite nós fomos no ruin pub mais famoso de Budapeste: Szimpla Kert. Sua decoração é muito maluca, lembrando o Cross Club de Praga, mas menos hardcore. O Szimpla Kert é um pub muito legal, vale a pena ir! Existem diversos ruin pubs em Budapeste, porém nós só fomos nesse.
       
       
      Dia 26: (05/01/17) - Budapeste:  Free Walking Tour e Termas de Széchenyi 
       
      Pela manhã nós fizemos um free walking tour. Apesar de ele passar por diversos lugares que já tínhamos ido antes, foi bem legal para saber mais da história da Hungria. O tour acabou ao lado da Matthias Church, uma igreja muito bonita que fica no Castelo de Budapeste, em uma parte que nós não tínhamos ido. Certamente uma das partes mais bonitas do castelo. Após o tour a guia nos levou para almoçar em um restaurante de comida húngara ali perto, onde ninguém falava inglês, e tivemos que escolher a comida meio que na sorte. Era bastante gostosa a comida, e também bem barato!
       

      Matthias Church.
       
      De noite nós fomos até as Termas de Széchenyi, que ficam no mesmo parque do castelo Vajdahunyad. Como chegamos após as 17h, pagamos um preço um pouquinho mais barato: 5100 HUF (~16 euros). Ao contrário das termas Géllert, nas Termas de Széchenyi as piscinas mais valorizadas são as externas, que são imensas. As internas eram pequenas e lotadas, além de não terem  nada de mais, não entramos nessas.
      Haviam 3 piscinas externas, uma com água a 38°C, outra do lado oposto com 36°C e uma no meio com água fria, que nem ousamos entrar. Para ir da piscina de 38°C até a de 36°C e vice versa era preciso sair correndo no frio, e não era tão perto! Mas ao mergulhar de novo, tudo se resolvia. Foi muito bom! Novamente voltamos para o hostel super relaxados.
       
       
      Dia 27: (06/01/17) - Budapeste - Zagreb 
       
      Este foi o dia em que a frente fria chegou. Acordamos cedo com -8°C. O nosso ônibus para Zagreb era as 7h. A viagem até lá foi bem tranquila.
      Chegamos na rodoviária de Zagreb e trocamos dinheiro lá mesmo, a cotação era boa, pelo que vimos depois. Deixamos as malas no hostel e fomos almoçar no centro histórico. Ele é bastante bonito, porém bem pequeno. Rodamos por lá e depois fomos para o hostel. De noite, compramos as passagens de ônibus para ir para os lagos plitvice. Compramos para ir as 7:30 da manhã (são 2:15h de viagem até lá). A passagem custou 135 kunas ida e volta (92 apenas um trecho). A passagem foi comprada no próprio site da rodoviária.

      Zagreb
       
       

       
      Dia 28: (07/01/17) - Lagos Plitvice 
       
      Acordamos com -8°C em Zagreb, e com -17° nos lagos! Esse foi o dia que mais usamos camadas de roupa, e ninguém sentiu frio.
      Chegamos no parque quase 10h, e estava -16°. Começamos então a trilha. Que lugar lindo! Ela começa no alto, com uma vista incrível para a maior das cachoeiras. As cachoeiras estavam quase que totalmente congeladas, e os lagos estavam com as bordas congeladas. A trilha é por cima de passarelas de madeira, porém havia tanta neve que não era possível ver a madeira. As vezes era bem escorregadio, então era preciso tomar um certo cuidado. Em um momento da trilha é preciso pegar um barco para atravessar um lago. Cabiam mais de 100 pessoas lá, e nós calculamos que aproximadamente 90% dos passageiros eram asiáticos! No inverno não é permitido ir para a parte superior dos lagos, então após o barco nós andamos mais um pouco, brincamos na neve e depois pegamos um ônibus para perto da portaria, onde a trilha continua até acabar onde começou.
      Descobrimos que a empresa de ônibus que nos trouxe só iria voltar as 17h, e ainda eram 13h! Decidimos pegar o próximo ônibus para Zagreb, que era as 14h. Ficamos esperando em uma lanchonete que mal tinha nada para comer, e depois fomos esperar na estrada pelo ônibus. Porém enquanto esperávamos, um senhor de um tour ofereceu para nos levar de van até lá por 100 kuna. Aceitamos, pois a volta de ônibus custaria 92 de qualquer maneira, e assim chegaríamos mais rápido. E realmente voltamos mais rápido.

       
       

       


       

       
       


       
       

       

       
       

       
       
      Dia 29: (08/01/17) - Zagreb - Ljubljana 
       
      Pegamos o ônibus para Ljubljana pela manhã. A viagem era para ter sido rápida, mas havia um trânsito gigantesco na fronteira com a Eslovênia, o que fez com que demorasse mais de 1h lá.
      Ljubljana é uma cidade bastante pequena, mas bem bonita. Ela fica ao redor de um rio muito verde, o rio Ljubljanica. Lá não há muitos atrativos além de passear pela cidade, e foi o que fizemos.

       
       

       
       

      Decoração de natal de Ljubljana
       
      Dia 30: (09/01/17) - Ljubljana: Free Walking Tour e Castelo 
       
      Começamos o dia comendo em uma padaria próximo ao hostel, e depois indo para a praça na frente da ponte tripla, que era de onde começava o free walking tour. O tour começou as 11h, e andou por todo o centro turístico. Como tudo é perto, teria sido bastante tranquilo, se não fosse pelo fato de que estava uns -8° e que eu não tinha colocado muitos casacos. Nesse dia passei bastante frio. Mas o tour foi bastante interessante, a Eslovênia é mais um país que não sabemos nada da história. Eu só sabia que ela havia feito parte da Iugoslávia, e nada além disso.
      Após o tour nós almoçamos no restaurante Druga Violina, que foi recomendação do guia. Ele fica localizado bem na base da subida para o castelo. Este foi um restaurante muito especial, pois além de ter comida tradicional eslovena e ser bastante barato (5 euros o menu do dia), grande parte dos garçons eram deficientes intelectuais. Muito legal lugares assim, que dão emprego para as pessoas com dificuldades.

      Free walking tour.
       

       
      Após um delicioso almoço, subimos no castelo. A subida é curta, porém bastante íngreme. A vista lá de cima é bem bonita, é possível ver a cidade inteira, com os alpes ao fundo. O castelo em si foi muito modernizado, e não é tão interessante.
       

      O castelo de Ljubljana
       

      Vista do castelo.
       
      Dia 31: (10/01/17) - Bled 
       
      De manhã acordamos com a cidade coberta de neve, e ainda nevando. Os flocos de neve estavam perfeitos, parecia desenho animado. Fomos até a rodoviária e compramos nosso ônibus para Bled. A viagem é rápida, aproximadamente 1h até lá.

       
      O grande atrativo da cidade é dar a volta no lago, e foi isso que fizemos. A volta completa tem 6km, e é possível admirar a ilha do lago e o castelo na colina de diversos ângulos. Chegando lá, verificamos nossas expectativas de Bled no inverno versus a realidade do dia:
      EXPECTATIVA: 
       

       
      REALIDADE: Céu cinza, sem montanhas
       

       
       Infelizmente o dia estava nublado, e não foi possível ver as montanhas ao redor. O lago também não estava congelado como a gente queria que estivesse...Porém ainda assim o lugar é bastante bonito!
      É possível alugar uma canoa e ir até a ilha do lago, mas nós achamos muito caro.
      Quase no fim da volta, paramos para almoçar e procurar por souvenirs, mas só tinham coisas muito feias, assim como em Ljubljana (só achamos uma loja com souvenirs bons em ljubljana, ela fica ao lado da ponte dos dragões).
      Dica: não deixe para comprar os presentes da viagem na Eslovênia, é muito provável que você não vai achar nada que preste!
      Nós não subimos até o castelo de Bled, pois além de termos ficado com preguiça, iria passar um ônibus naquele instante que chegamos em Bled, e se nós subíssemos no castelo, teríamos que esperar mais 2h quase. Como o tempo estava feio, fomos embora.
      Nós achamos Bled bastante ok, nada mais que isso. Porém eu acho que se o tempo estivesse melhor, seria um lugar muito mais bonito!

       

       

       

       
      Neste dia nós fomos atrás de um restaurante que ficamos sabendo no free walking tour que supostamente servia urso (Bear), porém quando chegamos lá, descobrimos que era Javali (Boar), e que além de tudo era muito caro!  Jantamos então pizza kkkk. Após a pizza fomos até um restaurante que o guia havia indicado para comer uma sobremesa tradicional eslovena: Prekmurska Gibanica. É um bolo de diversas camadas, que tem semente de papoula, noz, maçã, uva passa e queijo cottage. Achamos extremamente gostoso! Ele não é muito doce, e vale bastante a pena provar. O restaurante se chamava Gujžina, e fica na mesma rua do Druga Violina, na base do morro do castelo. Recomendo!
      Este foi praticamente o último dia de viagem, pois o próximo seria só para voltar... 
       
       

       
      Dia 31: (10/01/17) - Ljubljana - Viena - São Paulo
       
      Acordamos na nossa última manhã fria: -13°C. Fomos até a rodoviária aproveitando os últimos momentos de frio para pegar o ônibus de volta para Viena, de onde era nosso voo. Como o voo era só 22:40, foi tranquilo de voltar para lá no mesmo dia.
       
       

      Canal congelado no último dia.
       
      Ficamos o dia inteiro no ônibus. O wifi não estava funcionando, mas em compensação a paisagem era muito bonita, tudo estava nevado, e em grande parte da viagem era possível apreciar os alpes. O problema foi quando escureceu e não tinha mais paisagem.
      Chegando na rodoviária de Viena, já pegamos o metrô para o aeroporto. Viena estava cheia de neve, pelo que deu para ver da janela do trem. Após isso, lá fomos nós novamente ficar nas intermináveis horas de avião até a Etiópia, e depois, até o Brasil!
      E assim terminou nosso incrível mochilão! Obrigado a todos os envolvidos nele!
       
       
       
    • Por debalves
      Olá amigos do Mochileiros.com! Novamente grata por todas as informações colhidas por aqui, posto esse relato de nossa mais recente viagem pela Alemanha (passando rapidamente pela República Tcheca também), por mais ou menos 11 dias (tirando os dias que passamos no avião). Foi a quarta viagem que realizamos por conta própria, para nossa felicidade.
      Antes de tudo, inicio meu relato contando que a minha ideia era planejar uma viagem pela Itália, mas devido à situação econômica não tão favorável, mudamos o roteiro para que ficasse mais barato... E como sempre foi uma vontade do meu marido conhecer a Alemanha e nossa vontade também conhecer Praga, planejamos essa viagem que acabou saindo uma viagem muito legal, pra gente guardar no coração e na memória!
      Só para reclamar um pouquinho: Senti falta de ler mais relatos de viagem por aqui sobre esses destinos. Existem tópicos muito interessantes sobre as cidades, mas sou viciada em ler relatos de viagens e dentre os poucos que existem, vários estão incompletos... E por falar nisso: Vou fazer o possível para eu não entrar nas estatísticas aqui de relatos incompletos também!
      Antes de mais nada, também, algumas considerações:
      Essa viagem começou com um pouco de preocupação (além da situação econômica não tão favorável, ainda teve episódios de familiares doentes e precisando de ajuda e por isso demoramos um pouco mais para comprar as passagens e reservar quartos de hospedagem (e tudo com cancelamento incluído, para se algo desse errado), mas tudo correu bem, graças a Deus! Por esse motivo, perdemos uma promoção de passagens pela TAP (que voamos pelas últimas vezes), e ficamos tristes, mas conseguimos uma promoção pela Lufthansa, o que nos salvou.
      Descobrimos que nosso último dia de viagem era praticamente o primeiro dia da Oktoberfest em Munique (mas peraí, não era em Outubro?! Não, começa em Setembro, mesmo! Mas como não bebemos cerveja, não ficamos tristes, só um pouco preocupados, pois foi um pouco difícil conseguir hospedagem e acabamos achando um pouco afastado do centro histórico, mas acabou sendo muito boa hospedagem!)
      Reservamos um horário para a visita no Reichstag, para visitar a cúpula, que só se consegue se reservar horário (é gratuito) e reservamos também um horário para o Castelo de Neuschwanstein, pois eu queria muuuito conhecer e não queríamos dar o azar de depois de muito custo, ao chegar lá, não ter horário disponível! Os tickets só podem ser comprados na hora no Ticket Center, mas é possível reservar um horário com antecedência online por uma taxa extra, de 1.80 Euros por pessoa, por castelo, sendo que se perder o horário reservado, parece que eles cobram o preço do ticket no cartão do crédito. Acho que foi só isso que tivemos que reservar com antecedência.
      Tivemos um pouco de sorte para trocar os Euros, pois o câmbio não estava favorável, até a notícia da saída da Inglaterra da união Européia, quando o Euro abaixou e nós aproveitamos para trocar bastante!
      Li muitos blogs, os Mochileiros.com e assisti vlogs de viagens sobre a Alemanha antes de ir e em vários deles, se dizia que na Alemanha é difícil os lugares comerciais aceitarem cartões de crédito (diziam que até em supermercados não se aceitava). Ficamos muito preocupados e eu queria levar muuuuito dinheiro, mas meu marido ficou preocupado de levar tanto em espécie e resolveu arriscar. Acabou que deu certo, pois os estabelecimentos médios e maiores aceitam cartões, só as lanchonetes, padarias, jornaleiros, etc é que não aceitavam. Até lojinha de souvenir maiorzinha também aceita cartão! Embora o cartão não seja também a melhor opção, devido ao IOF, sempre rola uma preocupação em levar uma grande monta em espécie!
      E os alemães são muito gente boa! São reservados e diretos, mas são gente boa! O mais engraçado é que se a gente floreava um pouco pra explicar uma situação, ao pedir uma informação, eles logo perguntavam no estilo: "afinal de contas, o que a vocês querem?!" Mas assim como acho que os Espanhóis também não são grossos, são diretos, os alemães também não compartilham desse "mimimi" que nós, os brasileiros, estamos acostumados e por isso o choque cultural. E a grande maioria deles fala inglês (os mais jovens, então, diria que 100%). Tivemos algumas situações que a comunicação foi difícil, pela pessoa não saber falar inglês, ou a gente também demorar pra entender o que estava sendo dito, mas no final, até com um pouco de mímica, deu tudo certo! Teve até uma moça que, em Berlim, veio nos pedir informação em alemão, sobre onde era o ponto do ônibus e ao informar que não falávamos alemão, ela nos perguntou em inglês e a gente que a ajudou a se encontrar.
      O Rodrigo, meu marido, estudou o basicão de alemão, mas não dava pra ter uma conversação na língua deles, teve que ser em inglês, mesmo... E ele que me salvou no inglês, pois nesse quesito, eu não estou lá muito fluente (que tristeza!)
      A idéia de visitar Praga veio depois que vi um vlog de viagem dando dicas de como deixar sua viagem mais barata (e eu estava vendo se faltava mais alguma coisa que pudéssemos fazer pra isso!) e no vlog a dica era tentar visitar cidades perto, como um "bate-volta" ou um 'pit-stop" e a dica era Berlim-Praga-Outra cidade... e me deu um estalo que poderíamos fazer isso com Berlim-Praga-Munique, já que Praga fica no meio do caminho, e nós sempre tivemos vontade de conhecer (só que eu, não sei o porquê, achava que era um sonho meio distante). Também vimos em vlogs/blogs de viagem, recomendando viajar de ônibus pela Alemanha, de uma cidade a outra, pois em muitas das vezes, o preço saía mais barato e as estradas são maravilhosas... E resolvemos pesquisar e realmente conseguimos baratear um pouco mais a viagem (agora não lembro quanto que foi a diferença, pois isso ficou a cargo do meu marido... Mas lembro que a gente conseguiu melhorar o custo!).
      Bem, acho que por enquanto, é só... E vamos ao que interessa: o relato da Viagem!
    • Por Mochileiros.com
      Tópico Oficial da cidade de Munique - Alemanha


×
×
  • Criar Novo...