Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
Vareja

Copacabana,Ilha do Sol e Ilha da Lua

Posts Recomendados

Acho qeu Puno e Copa são incomparáveis.

 

Em termos de cidade, sou mais Copa, sem dúvida

 

Mas em atrações, creio q a Isla del Sol (Copa) e os Uros (Puno) são parada obrigatória!!

 

Ainda mais por estarem tão perto!!

 

Faz um esforço e encaixa as duas no roteiro!!

 

Abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Voltei essa semana da Bolivia e o que fiz foi pedir para o Motorista da van me deixar em El Alto na volta do passeio, sem ter que descer até o Cementerio. Ali mesmo peguei o Bus (Local) para Copacabana, que sai de 30 em 30 minutos. Não consegui economizar todo o trecho, mas não tive que descer de El Alto até Cementério e então Subir tudo novamente para chegar a Copacabana. Imagino que economizei quase 1 hora.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Galera, me arrependi de não ter barraca na Ilha do Sol. Tem muuuita gente que acampa lá, na beira do lago, fazem fogueiras à noite e talz...

Esfria bastante, mas vale muito ;)

Tem umas meninas da ilha que ficam vendendo água quente, aí dá pra fazer uma sopa ou um chá sem precisar de equipamento.

As pousadas são bem baratas, paguei 12 bol.

Tem uma por 30 bol com chuveiro a gás, que faz toda a diferença, já que a água caliente não é lá muito caliente...

A trilha da parte sul à parte norte é bem tranquila, mas acho que não encaro com bagagem não ;P

Peguei um barco pra parte norte, deixei a mochila, peguei outro barco pra parte sul e voltei andando.

 

Bom, me extendi, mas a dica é essa; acampar lá é demais.

Beijo!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom, não recomendo vc acampar na ilha, é muuuuuuito frio....tem umas pousadas bem baratas (Bs 20,00) e o visual é lindo no terraço...e depois é só se jogar debaixo da cama...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

eu tb não, a menos que o saco de dormir seja muuuiiitttoo bom...sai fora, pra aguentar aquela friaca toda só tomando muito pisco....

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Estou com algumas dúvidas! Qual o roteiro? Chegar preferencialmente pela parte NORTE, deixar a mochila numa pousada no NORTE, pegar um barco local até o SUL e voltar caminhando SUL-NORTE? Acredito que foi isso que a Talyta fez!

 

O Dodô lá no começo chegou pela parte SUL foi até o NORTE de barco locado e fez a caminhada NORTE-SUL.

Outra dúvida é se dá certo sair de La Paz, chegar em Tihuanaco pela manhã e fazer a visita e partir de van locada (somos 7 o que poderia facilitar) até a Isla para pernoitar por lá!

Dá certo fazer a Isla em um dia só?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Viviane,

 

Respondi o seu email, mas vou deixar registrado aqui também!

Para ir para Copacabana de La Paz é só ir ao terminal de onibus que várias empresas fazem o trajeto, que leva umas 3 horas e meia a 4 horas.

Se voce perder o último onibus, como eu, voce pode pegar uma das várias vans que saem do cemitério de La Paz, que vao direto para Copacabana. Só que evite pegar essas vans, pois sao muito apertadas e a viagem se torna um sacrifício. Tenho 1,8m e meus joelhos sofreram nessas vans. Os onibus sao confortáveis e existem várias companhias de onibus na Bolívia e no Peru que deixam os onibus do Brasil no chinelo.

 

Em Copacabana várias agencias te levam a Cusco, por cerca de 70 bolivianos (1 dólar = 7.9 bolivianos). Vc pode escolher ir direto para Cusco, como eu fiz, ou descer em Puno, no Peru, onde fica mais barato. De qualquer forma, logo depois de Copacabana vc terá de ir até o posto de fronteira, entao recomendo guardar em local seguro aquele papel que voce preenche quando chega na Bolívia, pois eles irao carimbar tanto o seu passaporte quanto o papel, e sem o papel vc nao sai da Bolívia. Depois voce preencherá outro papel para entrar no Perú. Todo o processo é tranquilo, os policiais já estao acostumados com os turistas de todos os lugares do mundo.

 

Espero ter ajudado.

 

Sérgio

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Quando eu digo que vc deve descer na fronteira, vc já estará no onibus que irá pegar em Copacabana mesmo. Essas agencias que eu falei sao bem pequenas, nao espere muita estrutura nessa cidade. Mas existem várias e vale a pena pesquisar o preço e pedir para ver as fotos dos onibus, que a maioria tem. Se for passar a noite em Copacabana há hotéis e hostais também. Nós ficamos no Hotel El Mirador, em um quarto com 3 camas e banheiro privado com água quente. Pagamos 80 bolivianos mas no dia seguinte nao tinha água e o café da manha é horrível. Mas o hotel nao é ruim e pode quebrar o galho se ninguem te indicar algo melhor. Apesar de bem pequena, existem bons locais para se comer e a internet já chegou em Copacabana.

 

Ah! E nao se assuste. Quando estiver indo de La Paz para Copacabana no meio do caminho voce irá cruzar o Titicaca em um barquinho, enquanto a sua van ou onibus vao em outra balsa. O preço desse barco nao está incluso no transporte, mas nao é caro, como quase tudo na Bolívia.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fala Pessoal!

 

Fui para Machu Picchu em dez/05 e tanto passei por Copacabana como fiz a trilha do Salkantay. Vamos às dicas:

 

- Sobre como ir de La Paz até Copacabana o Sérgio já deu passou todas as possibilidades. Realmente as vans são muito pequenas e os caras colocam o máximo de passageiros possível. Tente ir de bus!

 

- Chegando em Copacabana, não deixe de visitar a Ilha do Sol. Para chegar lá, você pega um barquinho (acho que paguei uns 15 ou 20 bol) e chega lá em mais ou menos 1h30min. O caminho de barco é lindíssimo e a Ilha é fantástica! Eu me surpreendi demais com o visual de lá. Pedimos para o barco nos deixar na parte sul da ilha e fomos caminhando até a parte norte, onde tem alguns hostais bem simples e baratos. Foram 5 horas de um trilha realmente inesqucível. Além do mais, no hostal que fiquei (Hostal del Inca, eu acho) fiz as melhores refeições da viagem... sempre um peixe com legumes e verduras super frescos.

 

- Evite Puno! As tais ilhas flutuantes não tem nada demais. Estavamos em um grupo (todos se conheceram na viagem) e eu e mais um fomos direto para Cusco. O resto da galera parou em Puno e todos se arrependeram. Já Cusco é uma cidade fantástica, com vários passeios legais e gente do mundo todo pra conhecer.

 

- Fechamos a trilha do Salkantay com a agência Amazing Adventures, da famosa Marisol (a guia e dona). Pelo que eu lembro, fechamos em 150 dólares, com direito a café da manhã, almoço, janta, barracas, hospedagem em Águas Calientes e entrada em Machu Picchu. O serviço foi excelente e a comida era ótima! Mas aí vão as dicas: a trilha do Salkantay exige bastante fisicamente... você sai de 3.300m de altitude, vai a 4.700m e depois desce para 2.500m. O primeiro dia, principalmente, é cansativo demais... saí do Brasil no melhor da minha forma física (estava treinando há 3 meses para encarar o Salkantay) e senti pra caramba o primeiro dia. Além disso, muito frio, neve, neblina, chuva... foi um grande desafio! Imagino que, em julho, quando você planeja fazer a trilha, esteja ainda mais frio... esteja preparado! Foi brabo, mas recompensador... visuais incríveis, o ponto mais alto do Salkantay passando do seu lado e uma superação que não acreditamos poder alcançar. Depois desse primeiro dia, os outros ficam super tranquilos. Foi uma experiência incrível, mas esteja preparado para encará-la!

 

Espero ter ajudado... mais dúvidas, é só escrever.

 

Abs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Na minha opinião, descer em La Paz e ir por terra até Cusco é uma ótima idéia porque, de certa forma, você vai acompanhando a história dos Incas pelo caminho. Você conhece a Ilha do Sol, onde (segundo a lenda) teriam surgido e segue até Cusco,a capital de seu mpério, e depois a Machu Picchu.

 

A melhor forma de ir de La Paz a Copacabana é com ônibus turisticos, pois você paga cerca de 20 bolivianos (2,5 dolares) e vai num ônibus sem ficar parando a cada Km e vai mais tranquila. Eles saem as 8 hs de La Paz e te buscam em seu hotel (qualquer agencia de turismo vende o tour. Sempre uso a Alberth Tours, em frente ao Hotel Copacabana em La Paz - o cara e a esposa são muito gente boa e sempre me cobraram preços justos). Há uma parada para atravessar o estreito de Tiquina (todos saem do ônibus e passam de barco - e seu ônibus de balsa), e mais ou menos ao meio dia vc chega em Copacabana.

 

Vale a pena conhecer a Ilha do Sol e fazer a caminhada (conforme já disseram nas mensagens acima). É um trekking bem legal, com direito a Cordilheira Real ao fundo.

 

Os ônibus saem para Puno a partir das 13 hs. Você chega em Puno umas 17 hs e, se quiser, pode no mesmo dia conhecer a ilha dos Uros. Fui e gostei muito. É um passeio de 2 horas. Vc volta e pode seguir num dos ônibus noturnos para Cusco no mesmo dia, ou dormir em Puno e seguir no dia seguinte as 8 hs da manhã.

 

Cia aerea: www.aerosur.com Fui com a Lloyd Aereo Boliviano e me dei mal porque estavam de greve. Depois disso só fui com a Aerosur. Sempre foi tudo tranquilo.

 

Como disseram, vc pode sair de Copacabana e ir direto a Cusco e não passar por Puno. Vai de gosto e da disponibilidade de tempo. Achei a ilha dos Uros interessante porque vc tem contato com o povo das ilhas e seu modo de viver bem diferente. Tem gente que até dorme nas ilhas.

 

Tbém queri fazer a trilha de Salkantay e estou buscando informações. Deve ser bem legal.

 

Valeu. :wink:

 

Abç

 

Alcides

 

Olá pessoal,

Vou fazer a trilha Salkantay em Julho. Estou querendo ir para Copacabana, para conhecer o Titicaca. Se eu descer em La Paz, com faço para chegar lá? E depois, como vou para Cusco? Vocês tem idéia quanto tempo de viagem. Gostaria de trocar uma idéia com quem aproveitou a ida ao Peru e deu uma passadinha na Bolívia também.

Outra coisa, vcs tem alguma sugestão de cia aerea barata? Estou em Curitiba.

Mto obrigada,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Peça ajuda, compartilhe informações, ajude outros viajantes e encontre companheiros de viagem!
    Faça parte da nossa comunidade! 

  • Conteúdo Similar

    • Por LeleMori
      Olá pessoal, fui para Bolívia mês passado (março 2019), país que me muito me surpreendeu e me encantou, não vou relatar o dia a dia da viagem, dos passeios, essas coisas, pois acaba ficando muito parecido com os relatos que já temos na web, e que nos motivam a ir a esse país tão espetacular, agradeço muito a quem o faz! Por causa de relatos detalhados como estes que acabei indo e me apaixonando pela Bolívia e pelos bolivianos.
      Trago algumas dicas que acho importante compartilhar com quem pretende ir à Bolívia. Eu fiz a viagem com um pouco mais de “frescurinhas” (por ex. tour privado no Uyuni, hospedagem em hotéis, fui com a hermana e a mamys, que já não é tão moça assim... (66anos), tem saúde e disposição ótimas, e artrose nos joelhos =/ ...  ela não merece passar aperto né?!... por isso tour privado e hotéis, então, vejam,  tiozões e tiazonas de plantão, podem ir tranquilis que não passarão perrengue! Eu garanto! Ou então vcs, que assim como eu e minha irmã, nos propusemos a uma vez por ano (as vzs duas qdo dá), garantir boas recordações e aventuras junto com a pessoa mais importante da vida e que tanto se dedicou a nós, podem levar sua mãe, seu pai, tios ou até avós para a Bolívia, garanto que vão adorar!
      Bom, vamos lá!
      Ficamos 15 dias na Bolívia =  La Paz-Copacabana-Isla del Sol-Uyuni.
      Vôo: Fomos com a Boliviana de Aviación - BoA, estatal boliviana e maior companhia aérea do país, site esquisito, não funciona direito, não consegui comprar pelo site com cartão de crédito, acabei comprando por telefone/email e depósito em conta, enviam no corpo do email o que seria o cartão de embarque todo mal formatado. Estranho?!... Muito!... Mas funciona bem.
      Pelas minhas pesquisas foi o melhor preço, e principalmente, menor tempo para chegar a La Paz, pois com as outras companhias aéreas que partem do Brasil teríamos de fazer longas conexões no Chile ou Peru e um tempo ridículo para chegar até LP (14h...18h).
      Não tem entretenimento a bordo, nem o app funciona. Tem lanchinho (pão com presunto e queijo, refris, suco, etc. snacks de frutas secas). Equipe atenciosa e muito rigorosa com relação à segurança, se vc se sentar na saída de emergência, será alertado de como agir em caso de acidente, não deixam que coloque nada nos assentos e chão nessa parte do avião, se vc tirar a blusa, imediatamente a equipe de bordo guardam no compartimento de mala de mão. Ou então, eles te convidam a se retirar desse assento. No meu vôo de volta havia chineses que não entendiam espanhol, a equipe retirou os chineses da saída de emergência, realocaram em outro assento, eu nunca tinha visto isso em outros voos. Achei muito prudente.
       Aeronave antiga, com espaço maior do que as comuns do Brasil. Pontual. E praticamente só tinha boliviano voando.
      Preço: Pagamos em torno de R$1300 por pessoa. São Paulo – Cochabamba- La Paz (El Alto).
      Tempo: São Paulo – Cochabamba: voo aprox.3horas, é o aeroporto internacional onde vc faz a imigração.(imigr.+espera = +-1h)
      Cochabamba – La Paz (aeroporto em El Alto, distrito de LP): voo 1hora.
      Táxi do aeroporto até centro de LP = 75 bolivianos (+ - R$35). Peguem os táxis oficiais na saída do aeroporto (táxi “Aeropuerto”).
      Câmbio: Havia lido que as casas de câmbio do centro de LP (região da Sagarnaga, Plaza San Francisco) eram melhores, sóquenão. Estavam com mesmo preço ou piores do que do aeroporto de El Alto. Casa de cambio do aeroporto R$ 1 : Bs 1,70, centro R$ 1 : Bs 1,60.
      Moeda: Fácil trocar Real, no aeroporto e no centro de LP. Levei Real para “viver”, e dólares para pagar o tour Uyuni (previamente contratado) e hotéis.
      Altitude: tema é sério. Não sou médica, não posso prescrever nada e nem me responsabilizo =]... Mas li e fiz o que li por conta e risco (já tínhamos tomado qdo fomos a Cusco e deu certo, então tomamos de novo).
      Tomamos Diamox, meio comprimido (250mg/2 = 125mg) a cada 8horas 2 dias antes de embarcar e por 3 dias depois que chegamos. É baratinho, +-R$15. Comprei pela net, mas qqr farmácia vende. Tem efeitos colaterais estranhos, formigamento na boca, dedos, pés... Sensação de borbulhamento...mutcho loko! Reitero que não me responsabilizo, nem estou recomendando. Só estou relatando o que fiz e deu certo. E deu certo mesmo, nenhuma de nós teve problemas sérios com a altitude, só uma leve falta de ar, leve dor de cabeça, leve cagan.., mas só após algum esforço maior, comer demais ou tipo carregar mochila pesada na subida correndo pra pegar buso, e lá tem subida hein! A altitude é foids mesmo! E sentimos essas coisas leves mesmo depois de estar um tempo “aclimatadas já” (8.. 10 dias..) E confesso que me preocupei com altitude, pois moramos no litoral na altitude zero, e de repente chegar no aeroporto de El Alto 4010m, LP 3640m e no tour do Uyuni 4900m!!dá medo de dar ruim né!
      Muita água, chá de coca (todo dia) e folhas de coca para mascar, ow plantinha milagrosa essa! Ficamos de boa! Nada atrapalhou a viagem, deu tudo certo! (ah minha mãe tem hipertensão, controlada com remédios e ficou bem! Até melhor que eu! Ela faz exercício regularmente, está com a saúde em dia).
      Hospedagem em La Paz: Ficamos no hotel Glória, no centro, bem pertinho da zona turística, tudo acessível a pé, de início a região pode assustar pq parece o Parque Dom Pedro/25 de março em sampa, mas muito mais seguro. Bom pq tem tudo perto. Hotel muito antigo, mas tudo funciona. Tem casa de câmbio no próprio hotel, que funciona horário comercial, mas não estavam aceitando real.
      Comida: Choripán da doña Elvira, Mercado Lanza,+ - Bs 8 = R$ +-4,00 popularzão, vc senta num banquinho baixinho no corredor ou nas mesinhas comunitárias grudando cotovelo com vizinho. O lanche é delicioso! E a experiência única!kakakaka
      Pollo Copacabana, frango frito delicioso, não lembro preço, mas sai barato.
      Levei uma caneca, jarra, leiteira, não sei como vc chama, e um “rabo quente”, que é aqueles ferros elétricos de ferver água, quebrou o galho pra fazer uns cupnoodles, chá de coca e ovo cozido. Nos salvou várias noites geladas! Ah, se for levar tb, não esqueça de levar uns 2 pregadores de madeira pra qdo vc tirar o troço quente da água, vc prender os pregadores de forma que o ferro quente não queime/rache a pia, mesa.
      Voltagem e tomadas: Bolívia é 220V e as tomadas são parecidas com as daqui, não tive problemas para carregar celular nem ligar o rabo quente. Elas são um pouco frouxas, mas com jeitinho funciona. Não usei os adaptadores que levei.
       
      Copacabana/Isla del Sol
      Ônibus La Paz – Copacabana:
      Li algumas pessoas indicarem comprar o buso para Copacabana com a Diana Tours na Calle Sagarnaga, pois ele passa pelos hotéis do centro e economizaríamos com taxi até rodoviária. Então fui até a agência ver (é uma subidinha essa Sagarnaga hein) e uma mulher muito chata nos atendeu, disse que seria Bs45 por pessoa.
      Como eu queria ver o buso para Oruro (já falarei sobre), fomos até a rodoviária (terminal de autobuses, calle Peru). Na rodoviária existe guichê Diana tours tb, e custa mais barato Bs30 e passa nos hotéis do centro tb! Só que Bs15 a menos que da mulher chata (pensa aí 15 x 3pessoas = 45, já mais do que uma passagem!). E a mulher era bem mais legal! Comprei, claro! Pode comprar antecipado. E deu tudo certo, foram nos buscar por volta das 7h30 em nosso hotel.
       
      Hospedagem em Copacabana: Ficamos no Hotel Las Olas (frescurinha hehehe mas já explico) lindo, arquitetura inovadora, não tem café da manhã, mas tem cozinha equipada, café, chá, sal, azeite, vinagre. É ótimo! E lindo!
      Eu sabia que minha mãe não conseguiria subir o Cerro Calvário, pois vi no streetview e é terrível, calvário mesmo!kk... Então um hotel legalzão com vista espetacular para o Titicaca, pra véia ficar lá curtindo enquanto eu e minha irmã subíamos.
      Eles dizem que a subida é uns 40min. Mas levamos umas 2horas kakaka... Pq tem que ficar parando pra descansar, por causa da altitude. Cheio de pedra, caminho irregular, escorrega um pouco dependendo do calçado. Mas é linda a vista! vale a pena!
      Se vc quiser ficar lá em cima até por do sol/escurecer, leve lanterna, lanterna de vdd, não do celular, pq na hora de descer, pra cair e meter o cel nas pedras é bem fácil.

       
      Isla del Sol
      Compramos os boletos para pegar o barco para Isla del Sol na hora mesmo, não precisa comprar antecipado. Mas claro, chegamos um pouco mais cedo. Os barcos saem 8h ou 8h30, não me lembro exatamente a hora...
      Ficamos hospedados logo aonde chegam os barcos, no Hostal Phaxsi. A maioria fala que vale a pena ficar hospedado em hotéis no topo da Isla para ver o por do sol e talz....mas achei mais negócio ficar embaixo na chegada/saída dos barcos, pq a gente podia deixar a mochila e subir leve até o topo, e no dia seguinte os barcos saem as 10h/10h30 para Copacabana, e o buso de Copacabana a LP sai as 13h30, e daí não teríamos que tomar café da manhã correndo e descer correndo para não perder o barco.
      A subida é tensa. Com a altitude cansa muito, tivemos de parar várias vezes para descansar. O caminho é de pedras, e de manhã ficam molhadas por causa da umidade, orvalho. E um detalhe, o transporte de mercadorias para os hotéis do topo é feito no final da tarde por burros, eles sobem e descem várias vezes com água, comida, etc para abastecer os hotéis e a comunidade. E aí que fica cheio de cocô de burro, meio escorregadio sabe? vendo isso, tive certeza que foi uma boa ideia ficar hospedado embaixo, pois minha mãe tem artrose nos joelhos e poderia levar uma eternidade para descer, e gente poderia não chegar a tempo de pegar o barco.
      Bom, então passamos o dia explorando a Isla, subimos tranquilamente leves, e descemos no nosso tempo para dormir no Hostal. A vista lá de cima é espetacularmente maravilhosa!!
      Detalhe, a intenção era almoçar no restaurante mto bem recomendado “Las Velas”, é difícil de achar, fica no meio da floresta qse no topo, puta sacrifício para chegar lá, e tava fechado. Era domingo. =/, no Google dizia estar aberto... Não almoçamos neste dia. Acabamos jantando no Hostal Phaxsi mesmo, mto boa comida!
      Lembrem-se que quase tudo na Isla del Sol, é gerido pela própria comunidade, então não seja chato e exigente demais! o hostal que fiquei, é de uma família e cada um exerce uma função lá, a mãe cozinha, a filha limpa, a neta serve, etc. Gostei  muito!
       
      Uyuni – Bus até Oruro + trem até Uyuni
      Aqui foi a maior economia que fizemos e com esplendor!
      LP até Uyuni
      Vc já deve ter lido que tem voo desde LP até Uyuni, é caro mas chega em 1hora.
      Bus noturno desde LP a Uyuni, barateza, dizem que chacoalha demais, a estrada é horrível e parece que vai morrer kkk. E sai de LP de noite e chega 4h da manhã em Uyuni, frio da pêga!
      E bus+trem. Fui. Recomendo fortemente!
      Bus de LP até Oruro: Tinha lido recomendação da Trans Naser, então fomos nela. Sai da rodoviária de LP (terminal de autobuses), não vende antecipado, chega na hora e compra, tem saídas desde cedo, tirei uma fotinho. No terminal de autobuses, tem que pagar uma taxa de uso do terminal, acho que Bs1,50, existe guichê mas vem uma pessoa cobrar no ônibus o ticket de uso, qqr coisa dá pra pagar pra essa pessoa tb.
      O bus de LP a Oruro custa Bs20, R$+-10. Leva umas 4h. Pegamos das 7h30 chegamos em Oruro por volta das 11h30. Daí pegamos taxi até a estação de trens de Oruro.

      Trem Expreso del Sur -Ferroviaria Andina, de Oruro a Uyuni
      Existem 2 trens que vão e voltam de Oruro até Uyuni em dias distintos, Wara Wara e Expreso del Sur. Li recomendações boas do Expreso del Sur, então fomos com ele.
      Expreso del Sur:  sai de Oruro  de terça feira, às 14h30, chega em Uyuni 21h20/Sai de Uyuni de sábado 23h52, chega em Oruro 7h00.
      Preço: Fui na classe executiva, Bs120 (+- R$60), (ida Bs120 + Bs120 volta).
      Comprei as passagens do Brasil através do site TicketsBolivia, funciona, deu tudo certo, respondem as dúvidas pelo whatsapp, mto simpáticos, um pouco antes da viagem solicitei, que os assentos fossem juntos e do lado esquerdo do trem, pois não bate sol na cara e vc pode desfrutar a paisagem sem ter de fechar janela. Fomos na classe executiva, que é a “chic”, tem classe mais barata que isso, mas acho que não vale a pena, pq a classe “chic” sai barato tb. Tem acesso ao vagão restaurante (almoçamos a preço bem justo, não me lembro, mas é barato), é climatizado, assento reclina bastante, ganha lanchinho, banheiro limpo, tv com filmes piratas rsrsrsrs...sério!.. de noite na volta, cobertor e travesseiro. Muito confortável!
      As paisagens ao longo da viagem, que é longa, são lindas! Vale muito a pena, vc vê todo o altiplano boliviano, plantações de quinoa de todas as cores, casas típicas dos agricultores bolivianos. Valeu muito a pena! Ainda mais pra nós brasileiros que não temos ferrovias para poder viajar! Muitos falam que as paisagens do trem que leva até Machu Picchu são lindas e talz, mas eu achei parecido com Brasil, florestas verdes  e talz, além de ser o olho da cara né! Essa viagem de trem até Uyuni dá de 100 x 0! É muito bonita, barata, confortável, diferente! Já fica sendo um passeio, valeu a pena!
      Na volta, como o trem parte a noite, eles perguntam se queremos luz acesa ou descansar, todos quiseram dormir, nos deram cobertor, travesseiro e lanchinho, tem aquecimento. Dormi bem.
      Engraçado que SÓ tinha orientais, na maioria japoneses, temos descendência japa tb, então nos camuflamos com a galera kakakkaka...Mas fico pensando, tive dificuldade em achar informação aqui no Brasil nos blogs, sites de viagem sobre essa viagem de bus+ trem, mas vi que na Ásia parece ser bem difundido...ou será que asiáticos e descendentes que gostam desse tipo de viagem? Por isso eu tava lá tb? Rsrsrssrs... =D


       
      Tour Privado Uyuni
      Pesquisei muito sobre tour do Uyuni. Li vários relatos de perrengues em tours compartilhados, hospedagens desconfortáveis, sem água quente, 1 banheiro para 20 pessoas, camas sujas, 1 tomada só, roubo de celular enquanto recarregava bateria, motoristas bêbados, etc.
      Por ser um lugar de extremos e inóspito, descansar bem é fundamental para não passar mal, e o guia ser bacana faz a diferença, pq se passam 3 dias inteiros com ele né...Então decidi fazer o tour privado com conforto. Mandei email pra todas as agências que achei no Google. Dica, mande em espanhol, mesmo que seja do Google translate, eles respondem. Em português, sem sucesso.
      Poucas agências fazem o tour privado com hospedagens em hotéis bons, Luna Salada (hotel feito de sal Maravilhosohhhh) e Tayka del Desierto (hotel no meio do nada, a 4900m de alt., excelente!). Bom, contratei Jukil de los Andes, Hector é o dono, solicitei que ele mesmo fosse nosso guia, ele aceitou, aí não teria como dar ruim né! Troquei mtos e-mails, whatsapp com ele, até fechar, ele responde prontamente, mto atencioso! Meu sonho era ver o salar espelhado, então teria de ir no verão, época de chuvas. Mas vi que janeiro e fevereiro chovem demais, e as vzs não dá pra fazer o tour todo.
      Pedi para o Héctor dica da melhor época de ver o salar espelhado, e ele me indicou mês de março, do meio pro final, pq as chuvas são menos intensas e ainda tem uma quantidade legal de água para formar o espelho, mas como é natureza, corre o risco de não ser como o planejado. Meu sonho tb era ver o céu todo estrelado, que nem nas fotos do Google, mas, tive de escolher, no final de março seria lua cheia, o que ofusca as estrelas, mas era época de menos chuva, e tinha chance de ver o salar espelhado e poder fazer o tour completo de 3 dias e 2 noites. Então já sabia que não veria as estrelas todas, mas poderia ver uma lua gigante.
      AH!! detalhe, que eu quis fazer o tour astronômico tb, poucas agências fazem. As que faziam, quiseram me cobrar a parte. Jukil de los Andes, não acrescentou nenhum dólar a mais.
      Sobre o tour astronômico, Hector mandou outro guia para nos buscar no hotel Luna Salada (primeira noite) as 03h30 da manhã, para vermos o céu estrelado e nascer do sol. Ele iria dormir até mais tarde, e nos pegar as 9h da manhã para dar continuidade ao tour de 3D2N, precisava estar descansado para dirigir com atenção. Achei bastante cauteloso!
      Não vimos estrelas como nas fotos do Google, já sabia que ia ser assim =/, mas vimos o nascer do sol mais espetacular e inesquecível da vida! Com o salar espelhado, lindamente perfeito! Valeu mto a pena passar o friozasso de -5°C, -7°C, isso memo! Abaixo de zero, no verão! Foi lindo! Inesquecível!!!
      Banheiro durante o tour de 3D: acredito que por ter sido privado, o almoço era feito em comedores mantidos por alguma família como modo de subsistência, são casinhas no meio do deserto com mesa, cadeiras, banheiros pagos (Bs1, Bs 2), bem bonzinhos até! Já li relatos que as pessoas tinham de fazer as necessidades no modo natural...
       Não passamos aperto em nenhum momento.

       
       


      Bom e quanto custou?
       Tour privado, 3D2N, Hospedagens nos melhores hotéis da região (Luna Salada+Tayka), tour astronômico, todas as refeições inclusas, = U$1200 para as 3 pessoas.
      Achei bom o valor, foi o melhor que achei de todas as agências que faziam privado com hotéis de boa categoria.
      Reservei o tour com 3 meses de antecedência, pois os hotéis são bem concorridos, para isso tive de depositar 40% do valor total do tour. Fiz a transferência pelo app da Western Union para o Hector, a taxa era muuuuito mais barata do que se eu fosse em uma agência e bem fácil de fazer.
      E quanto gastamos no total da viagem?
      Bom foram 15 dias no total. (La Paz+Copacabana+Isla del Sol+Uyuni)
      Voo + Hospedagem em hotéis/hostal + Seguro viagem + tour privado Uyuni + dinheiro pra viver (alimentação, transporte, lembrancinhas mil) = R$5823 por pessoa.
      *Obs* R$5823 mas compramos mtas bobeirinhas, mtas mesmo, bolsas, mochilas, caderninhos, carteiras, chocolates...o artesanato é mto barato em La Paz, e dá vontade de comprar tudo, e de comprar para ajudar também, pq tem mtas senhorinhas idosas vendendo. Então se vc não for “das compras” dá pra ser bem menos o valor gasto.
       
      Isso aí pessoal! Se quiserem perguntar alguma coisa, deixo aqui meu ctto:
      (aproveitem enquanto eu ainda lembro kakakaka)
      [email protected]
       
      Abraço!e boa viagem!
    • Por Julio Bona
      Fala ai galera
      Em jun/19 vou seguir pelo meu primeiro mochilão e ainda estou em busca de dicas. Fiz um roteiro inicial mas gostaria de receber algumas orientações de quantidade de dias ficar, pontos para conhecer, o que não vale a pena a visita... O roteiro é basicamente o seguinte:
      - Inicio do mochilão com chegada à noite em Santiago, 2 noites e 1 dia;
      - Atacama, 3 dias e 3 noites;
      - Tour de 3 dias e 2 noites pelo Salar de Uyuni;
      - 1 noite de deslocamento entre Uyuni e La Paz (ônibus);
      - La Paz, 2 dias e 2 noites (DownHill e Chacaltaya);
      - Copacabana (Isla del Sol) em 2 dias e 1 noite;
      - 1 noite de deslocamento entre Copacabana e Cusco (ônibus);
      - 1 dia e 1 noite pelo centro de Cusco;
      -  Passeio de 1 dia pelo Vale Sagrado até Ollantaytombo e ida para Água Callientes à noite;
      - 1 dia em Machu Picchu e WaynaPicchu e retorno para Cusco à noite;
      - Ida para Lima (avião) e tour por Lima;
      - Paracas 1 dia;
      - Huacachina e retorno para Lima;
      - Volta ao BR.
      E ai, onde dá para melhorar ou otimizar essa Trip?
      Algum Hostel para indicar nessas cidades?
      Valeu, obrigado!
       
    • Por Markos Santos
      PARTE 1: UM NADA BREVE ENSAIO SOBRE UMA VIAGEM.
      Passado quase 1 mês de meu retorno ao Brasil meu coração se acostuma com a saudade e anseia pelo próximo destino... Afinal, viajar é isso: se tornar um pouco do lugar visitado e deixar um pouco de você lá, não é mesmo?
       
      Começo falando bem rapidamente de mim: até pouco tempo atrás, viagem não era algo que eu considerava nem tangível nem desejável (acho que faltava peças em meu cérebro) mas desde que encontrei minha metade da laranja, sinto um enorme desejo de desfrutar desse mundão de meu Deus com ela. Começamos em Campos do Jordão, fomos para Salvador, Arraial do Cabo, voltamos para Salvador (é bom demais lá <3) e outras viagens "pequenas" aqui e ali, mas sem nunca deixar as terras tupiniquins.
      Dito isso, apresento aqui os 3 personagens principais dessa história: este que voz fala, Marcos (ja previamente apresentado). Mozão, Juliana. E nosso primeiro destino internacional: Bolívia.
      Essa viagem era para ter saído em 2017, mas alguns problema$ a adiaram para 2018, ou seja, tivemos ai quase 2 anos de pesquisas, planejamentos e preparação. A primeira coisa foi definir onde ir: fazer o clássico, Chile - Bolívia - Peru? Escolher apenas um desses países? Escolher outro país? O que levamos em conta foi que, para nós, 30 dias (inicialmente eram 30 dias) era pouco tempo para mais de um país, para dizermos que de fato conhecemos um país, assim optamos por apenas um por viagem. A equação Barato x Uyuni x Huayna Potosi (já adianto que este não rolou, mais a frente direi o porquê) teve como resultado: vamos para a Bolívia \o/. Nosso roteiro foi esse:
       
      SANTA CRUZ DE LA SIERRA X SUCRE
      SUCRE X POTOSÍ
      POTOSÍ X UYUNI
      UYUNI X LA PAZ
      LA PAZ X COPACABANA (ISLA DEL SOL)
      COPACABANA X LA PAZ X COCHABAMBA
      COCHABAMBA X TORO TORO
      TORO TORO X COCHABAMBA X SANTA CRUZ DE LA SIERRA
       
      Deixamos o solo tupiniquim no dia 14/12/2018, em voo da Gol. Dentro da Bolívia todo o trajeto entre cidades foi feito de ônibus. 
      Neste relato tentarei ser o mais detalhista possível em relação a agencias, como chegar, preços, etc.e sintam-se a vontade para me perguntar qualquer coisa, diversos relatos me ajudaram muito e se eu puder minimamente retribuir esta ajuda, já ficarei muito feliz.
       
      Dicas iniciais (para antes da Bolívia):
      Ir de ônibus, trem da morte ou qualquer outro meio terrestre tende a ser muito mais barato, com certeza é uma experiencia unica, mas é muito mais demorado. Motivo esse que nos fez optar por ir pelo ar. Ainda sim, ressalto que durante os meses que procurei passagens áreas, encontrei preços que ficavam mais em conta que ônibus, porém eram datas bem fora do que teríamos disponíveis. Só para terem uma noção da diferença: como moro em Jundiaí - SP, minha partida é da cidade de São Paulo, de lá eu pagaria R$350,00 o trecho (ou seja R$700,00 total) de ônibus saindo do tietê, numa viagem de 36 horas que se findaria em Santa Cruz de la Sierra. De avião, paguei R$1053,00 ida e volta em um voo de aproximadamente 3 horas de duração. Percebi também que o processo de entrada na Bolívia é muito mais rápido pelo aeroporto. Acredito ser sabido por todos (menos por Jon Snow, esse não sabe nada) que não é necessário Passaporte para visitar países da América do Sul, somente um RG em boas condições e dentro de um prazo aceitável (que agora me fugiu a mente se é 5 ou 10 anos da data de expedição) já é o suficiente, porém ouçam o tio aqui: se tiver passaporte, leva, se não tiver, faça. è muito menos burocrático o uso do passaporte, se for abordado por um policial só o carimbinho de entrada nele já resolve. Não que você vá ter problemas se for só com RG, mas o passaporte facilita a vida lá. Se você não tem ainda, pense que é melhor fazer agora do que esperar a taxa subir (e ela sempre sobe), ou não ter tempo para tirar (já pensou precisar do passaporte para viajar e encarar uma greve ou tempo de emissão de 3, 4 meses? Isso pode ser possível, então é melhor prevenir que remediar. Ah, CNH não conta como documento, é RG ou passaporte). A Bolívia exige a carteira internacional de vacinação de febre amarela, facilmente obtida caso você seja vacinado (se precisar de ajuda é só chamar) mas em nenhum momento alguem lá dentro pediu para ver a minha. Ainda sim, é melhor ter e não precisar do que precisar e ter que cry over spilt milk (escola de idiomas Mamonas Assasinas). Seguro viagem não é obrigatório, mas se você precisar de médico lá e não ter seguro, prepara o bolso. Vi relatos de pessoas que deixaram 10 mil trumps lá só com medico. Não feche passeios e/ou hostels aqui, não compensa. Lá as ofertas são muito maiores e consequentemente há maior margem para tentar barganhar um desconto, fora que há hostels que você não vai achar nos aplicativos e sites. Se quiser, de uma olhada (usei muito o booking, hostelworld e airbnb) para ter uma ideia de quais hostels procurar ou onde procurar por eles. A lingua não é um problema: Falo inglês e tenho um espanhol nivel duolingo (iniciado 2 meses antes da viagem). Levei também um livro de bolso de conversação em espanhol mas usei 2 vezes no máximo. Acontece que o povo Boliviano é solícito, seja educado e fale devagar, com mimica se necessário, que você se fará entender. Em ultimo caso tem o Google tradutor que pode ser usado até off, então não se preocupe com isso. Ah, entender eles é bem tranquilo até, é mais difícil para eles nos entenderem, mas como eu disse, é possível. Dicas iniciais (inside Bolivia):
      Não coma nada da rua: talvez pareça ríspido, eu li e ouvi muito isso, e ainda sim me arrisquei, porém só não como duas coisas: pedra quando esta sem sal e urubu quando voa. Ou seja, saiba seus limites. Se seu estomago for nível rambo e quiser encarar, só vai. Mas não é aconselhável. Não beba água da torneira: pelo motivo já citado, a água da torneira pode ser prejudicial. Conhecemos um casal brasileiro que se mudou para Cochabamba e tomaram a agua da torneira. Ganharam uma semana de cama severamente doentes. Uma saída barata é a água de saquinho, custa 0,50 BOBs um saquinho de 500ml. A altitude pode ser um grande problema, então não a subestime. Se aclimatar corretamente, um cházinho de coca, soroche pills, folha de coca mascada, tudo isso ajuda, mas não extrapole seus limites pois nada disso é milagroso.  
      O que levar?
      Isso é relativo, então posso dizer o que eu levei:
      3 calças (duas seriam o suficiente, porém acabei me sujando bastante no Uyuni).
      7 camisas (um baita exagero).
      1 calça de pijama (ok).
      2 camisas e um shorts de pijama (ok).
      4 camisas de manga comprida (exagero)
      1 Segunda pele (ok).
      1 blusa de moleton (não usei, mas mozão usou).
      1 casaco que não sei nem como chamar, mas é daqueles que é quase um iglu, protege mais do frio que meu quarto (o tamanho dele na mala foi algo triste, mas lá eu usei bastante)
      9 cuecas e 1 sunga (usei todas mas acho que dava para levar menos)
      5 pares de meia (exagero)
      2 pares de tenis e 1 par de chinelo (ok)
      1 toalha fast dry comprada na Decatlhon (quem sabe rola um patrocínio??)
      Escova de dentes
      Creme dental
      Creme de pentear cabelo
      Alguns rolos de papel higienico (não lembro quantidade, mas como descumpri a regra de não comer nada da rua, todos os rolos foram muito úteis)
      6 pacotes de leninhos umedecidos (3 comigo e 3 com mozão, mas foi exagero também) 
      Kit de primeiros socorros (remédio para dor muscular, remédio para estomago, diamox, sal de fruta, ibrupofeno, dipirona, band-aid)
      Celular, carregador e carregador portátil.
      Doleira
      Mochila de ataque de 10L (não chegou nenhuma proposta de patrocínio então não haverá divulgação dessa vez u.u)
      Cartão de crédito para emergências (não usei)
      Desodorante
      Sabonete
      Jogos (A quem interessar possa: Coup, The resistance e baralho).
      Touca
      1 par de Luva
      1 óculos de Sol
      Manteiga de Cacau
      Cadeados
       
      Acredito que só, mas posso ter esquecido de alguma coisa. Tudo foi dentro de uma mochila de carga de 42L (que é maior que muitas de 50L), e de uma mochila de 35L. Ambas foram comigo dentro do avião, não houve despacho.
       
      E assim encerro a introdução. Na próxima vez que voltar a escrever já falarei sobre o inicio da viagem, e para você que ma acompanhou até aqui, deixo algumas fotos de aperitivo \o/
      Até logo (espero)
       
       








×
×
  • Criar Novo...