Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

Muito legal meu amigo, continua aí que tá bacana. ::otemo:: Não consegui filmar minha jornada, em determinado momento a câmera parou de reconhecer o cartão SD. Dá próxima invisto mais e compro uma câmera decente. ::putz::

Valeu Marcelo :) A minha eu tinha que formatar todo dia de manhã para não dar problemas, senão dava pau na gravação.

 

Olá hlirajunior!

 

Olha eu aqui já acompanhando de pertinho seu novo relato.

Conseguiu uma fã de carteirinha já... risos

 

Minha primeira dúvida: na minha viagem, vamos entrar no Chile para ir em São Pedro do Atacama e voltar pra Argentina, entrando no Chile depois pra ir em Santiago. Acha indispensável a carteira de motorista internacional?

 

Onde fez a sua?

 

Abraço e aguardando muito o relato, fotos, vídeos... risos ::hãã::

Valeu Roberta :) A PID não é obrigatória, eu fiz por que na época custava em torno de 40 reais, agora deve custar um pouco mais. Você pode solicitar ela no detran da sua cidade ou diretamente pelo site dependendo do estado.

 

Parabens, esperamos pela continuação.

valeu vandy, vou tentar por um relato por semana, já que os videos demoram para ser editados.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dia 02 - 26/12 - Curitiba a San Ignacio - AR via Dionisio Cerqueira - Bernardo de Irigoyen - 840km

dia02_zpsxsvbhebr

Trajeto do dia

 

Passamos em Curitiba para buscar meus pais e acertarmos os últimos detalhes da viagem. Abasteci o carro no dia anterior e já deixamos o porta malas meio arrumado, faltando pouca coisa para organizar antes da partida. Saimos as 08hs com o tempo meio fechado e aquele friozinho na barriga. Rapidamente pegamos a BR 476 sentido Lapa, optamos por esse caminho por ser o mais curto até a fronteira com a Argentina (em torno de 100km a menos do que indo pela BR 277 por Foz do Iguaçu) e também pelo menor número de pedágios, apenas um pedágio na Lapa. Porém a estrada em muitos trechos possui bastante ondulações, asfalto gasto e buracos.

 

No começo da viagem ficava imaginando o enorme caminho que iríamos percorrer, as paisagens, cidades e pessoas que encontraríamos pelo caminho, mas conforme fomos nos afastando da cidade essa ansiedade foi diminuindo. O caminho até a cidade da Lapa é excelente, mas é pedagiado. Após a Lapa a estrada alterna bastante entre boa e razoável. O movimento é baixo, composto principalmente de caminhões que vão para Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O movimento aumenta quando a estrada passa por algumas cidades como São Mateus do Sul, União da Vitória e General Carneiro.

 

Paramos para almoçar no Restaurante Trevo do Horizonte, quase chegando em Santa Catarina. Logo depois desse restaurante há um trevo e deve-se virar a direita sentido Palmas, se continuar reto já entra no estado de Santa Catarina. A partir desse ponto entramos na BR 280, que vai até a fronteira com a Argentina. A estrada está bem desgastada e há muitos remendos e buracos. Chegamos em Barracão-PR e Dionísio Cerqueira - SC, fronteira com Bernardo de Irigoyen por volta das 15hs. Na aduana brasileira passamos direto e na aduana Argentina nos solicitaram o Seguro Carta Verde e os documentos para conferência.

 

Depois disso, estacionamos na rua ao lado da aduana e fomos fazer a migração. É relativamente rápido, apresentamos os passaportes e o documento do veículo. Haviam muitos motociclistas e carros no horário que chegamos, levamos em torno de 20 minutos para fazer tudo. O carro e a bagagem não foi verificado, ao contrário das demais aduanas que passamos. Ao lado da aduana há um parque bonito e vários cambistas para comprar pesos argentinos.

Nosso GPS demorou um pouco para se localizar, mas logo chegamos a Ruta 14 na saída da cidade de Bernardo de Irigoyen. Rodamos um pouco por ela e em seguida pegamos a RP 17 sentido Eldorado. A estrada é boa, mas em alguns locais é bem estreita e há buracos escondidos, a sinalização também não é muito boa, o mato em alguns trechos estava bem alto. Levamos cerca de uma hora até chegar a cidade de Eldorado, onde pegamos a Ruta Nacional 12 sentido Posadas. É uma estrada pedagiada e bem conservada, há 3º faixas (tercera trocha) e muitos locais para ultrapassar. Nesse horário, o sol batia meio de frente e atrapalhava um pouco a visão.

 

O destino era San Ignacio, onde chegamos no final da tarde. Na entrada da cidade, do lado esquerdo da rodovia há um restaurante chamado La Missionera, vale a pena comer ali. Depois de jantarmos fomos em direção a cidade a procura do hotel que reservamos pelo Booking( La Toscana) e demoramos um pouco para achar, pois ficava em uma rua estranha e chegando lá não constava nossa reserva. Fizemos a reserva umas duas semanas antes e o hotel que estava praticamente lotada não tinha visto a reserva. Nos restou um quarto para quatro pessoas que a dona disponibilizou na última hora. Como estávamos cansados e já era noite, ficamos ali mesmo.

 

Hotel La Toscana

- é um bom local para dormir, possui garagem e café da manhã além de piscina

- as reservas devem ser feitas por telefone

- 600ARS o quarto para quatro pessoas

- http://www.booking.com/hotel/ar/la-toscana.pt-br.html

 

Gastos com combustível R$ 319,20 - Lembrando que abasteci antes de sair de Curitiba e no final do dia já abasteci pra deixar o carro pronto para o próximo dia.

 

Pedágio: Lapa - R$11,00

 

Nesse dia tirei poucas fotos.

Nesse dia tirei poucas fotos.

img_20151226_155248_zpsfwyw4ra4
Chegando na aduana brasileira.

img_20151226_155319_zpswhn0umlx
Aquele friozinho na barriga de estar saindo do país.

img_20151226_162930_zps47fxvqoq
Carro estacionado para fazer os trâmites aduaneiros

img_20151226_162916_zpsma8ben2x
Parque na divisa entre Brasil/Argentina

img_20151226_162934_zpsfchzvgks
Parque na divisa entre Brasil/Argentina

 

Trajeto de Curitiba a San Ignacio na Argentina, via Dionisio Cerqueira- SC/Barracão - PR - Bernardo de Irigoyen - AR

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá hlirajunior !

 

Obrigada pela informação sobre a PID, mas aqui em SP olha o Preço: R$ 221,54 + R$ 11 pela entrega via Correios ::ahhhh::

 

Então já que não é obrigatória, vou passar esse gasto... mesmo no Chile não teremos problemas, né?! :cry:

 

Vou colocando minhas dúvidas aqui para ajudar a todos? Pode ser? Pois conforme vai escrevendo vou te encher de perguntas... :oops:

 

Vamos lá então:

- seguro de vida - como não citou nada e sempre que viajo pra fora do Brasil eu faço, fiquei na dúvida, afinal, seria um seguro diferente de quando vamos de avião, enfim... consegue me ajudar?

- no site que citou já no primeiro relato sobre a Carta Verde, eles tem opção da carta verde que engloba o Chile e li que na carta verde tem que mencionar que o Chile está englobado no seguro pois assim não é necessário o SOAPEX. Pelo que li você sempre fez a carta verde e o SOAPEX, acha que é melhor mesmo fazer dividido?

 

Agradeço muito a ajuda e o relato estou acompanhando de pertinho! ::love::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá hlirajunior, mais um acompanhando por aqui. Moro pertinho de Floripa e sempre vejo vc comentando em todos os posts de viagens da America do Sul principalmente, assim como eu sempre acompanhando e anotando idéias. Ainda não tive a oportunidade de fazer uma viagem desse nível, mas acredito que em breve irei ao atacama.

 

 

Parabens pelo relato muito bem detalhado, aguardando aqui ansioso por mais... Não esqueça de nós que estamos aqui acompanhando.

 

Abraço!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Olá hlirajunior !

 

Obrigada pela informação sobre a PID, mas aqui em SP olha o Preço: R$ 221,54 + R$ 11 pela entrega via Correios ::ahhhh::

 

Então já que não é obrigatória, vou passar esse gasto... mesmo no Chile não teremos problemas, né?! :cry:

 

Vou colocando minhas dúvidas aqui para ajudar a todos? Pode ser? Pois conforme vai escrevendo vou te encher de perguntas... :oops:

 

Vamos lá então:

- seguro de vida - como não citou nada e sempre que viajo pra fora do Brasil eu faço, fiquei na dúvida, afinal, seria um seguro diferente de quando vamos de avião, enfim... consegue me ajudar?

- no site que citou já no primeiro relato sobre a Carta Verde, eles tem opção da carta verde que engloba o Chile e li que na carta verde tem que mencionar que o Chile está englobado no seguro pois assim não é necessário o SOAPEX. Pelo que li você sempre fez a carta verde e o SOAPEX, acha que é melhor mesmo fazer dividido?

 

Agradeço muito a ajuda e o relato estou acompanhando de pertinho! ::love::

Nossa tá super cara a PID ai :shock: Não compensa mesmo esse gasto, não terá problemas em ir só com a CNH. Pode sim ir colocando as dúvidas aqui.

 

- O seguro de saúde eu fiz pela Porto Seguros, o PLANO PORTO AMERICA LATINA. Deu em torno de 200 reais por pessoa para 30 dias, foi o mais em conta que achei. Em Lima precisamos usar ele e foi tudo bem. Dá pra usar da Mondial e outras seguradoras tb.

 

- No meu caso tenho seguro do veículo pela Porto Seguros e ela só emite o seguro Carta Verde para países do Mercosul e o Chile não pertence ao Mercosul. Somente Argentina, Uruguai e Paraguai poderiam ser incluidos no carta verde. No Chile é obrigatório ter o SOAPEX (não foi solicitado em nenhum momento), mas pelo baixo valor 11USD é melhor fazer, por que é uma apólice separada e vai que resolvem encrencar ou barrar a entrada no país, nunca se sabe. E também dai você fica tranquilo durante a viagem. ::otemo::

 

Olá hlirajunior, mais um acompanhando por aqui. Moro pertinho de Floripa e sempre vejo vc comentando em todos os posts de viagens da America do Sul principalmente, assim como eu sempre acompanhando e anotando idéias. Ainda não tive a oportunidade de fazer uma viagem desse nível, mas acredito que em breve irei ao atacama.

 

 

Parabens pelo relato muito bem detalhado, aguardando aqui ansioso por mais... Não esqueça de nós que estamos aqui acompanhando.

 

Abraço!

Valeu juniorvaz, vou ir colocando os relatos na medida que conseguir ir editando os videos de cada dia, assim quem lê também tem uma idéia de como são as estradas. Vai curtir muito o atacama ::otemo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá hlirajunior!

 

Olha eu aqui de novo com mais umas dúvidas... :)

 

Quando cita - O seguro Carta Verde adquirimos pela nossa seguradora, Porto Seguros sem custo adicional - você teve que imprimir a Carta ou eles te mandaram pelo Correio?

Como consegui pela minha seguradora (Allianz) sem custos também, fiquei assim pois eles disponibilizam para impressão e já li que o papel precisa ser verde... kkkkkkkkkk...

 

Com relação ao dinheiro, já tem noção de quanto gastou em reais na Argentina? Estou pensando em quanto levar mas sem noção ainda.

 

Abraço,

Roberta

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Buenas Hlirajunior!!!

 

Mais um relato... estamos acompanhando novamente....

 

Abraço

Eae Diego, por anda anda? Valeu por acompanhar, abs ::otemo::

 

Olá hlirajunior!

 

Olha eu aqui de novo com mais umas dúvidas... :)

 

Quando cita - O seguro Carta Verde adquirimos pela nossa seguradora, Porto Seguros sem custo adicional - você teve que imprimir a Carta ou eles te mandaram pelo Correio?

Como consegui pela minha seguradora (Allianz) sem custos também, fiquei assim pois eles disponibilizam para impressão e já li que o papel precisa ser verde... kkkkkkkkkk...

 

Com relação ao dinheiro, já tem noção de quanto gastou em reais na Argentina? Estou pensando em quanto levar mas sem noção ainda.

 

Abraço,

Roberta

Olá Roberta, na verdade quem imprimiu pra mim foi meu corretor, ele tinha papel verde rsrs, mas conversando com seu corretor ou a seguradora, eles mandam pelo correio, pelo menos a Porto segundo meu corretor iria fazer isso caso ele não tivesse o papel verde. Na Argentina gastamos cerca de 8500 pesos para 4 pessoas. O nosso maior gasto foi em combustível e hospedagem. Cada quarto saia em média 600-650 pesos e um tanque cheio (50l) em torno de 750 pesos. Convertendo 8500 pesos para reais deu em torno de 2380 reais. Dormirmos 5 noites na Argentina. abs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Mais algumas imagens do dia 02 tiradas da câmera no carro, o próximo relato já está pronto, só faltando enviar o video para o youtube :)

0201_zpsf0kznrpd
Pegando a BR 476 na saída de Curitiba

0202_zpswspzylaq
No começo tempo fechado

0203_zpsvpahq78g
Estrada tranquila

0204_zpsbn2fouef
Parando para o almoço

0205_zpssdfqjk3p
BR 280 sentido Palmas

0206_zpsxaf98ek5
Usina eólica

0207_zpsalvcxm7d
Pouco movimento também

0208_zpsoj5kf7so
Aduana Argentina a direita

0209_zpstoswhsj9
Alguns buracos escondidos

0210_zpsykixrk4a
No geral a estrada é boa

0211_zpshdjqa7ub
Ruta Nacional 12

0212_zpswazyzyzy
Restaurante na entrada de San Ignacio

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Chique, to anotando as dicas, pretendo fazer essa viagem em 2018 (ano que vem é ushuaia!)

 

Qual carro te levou?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por MauriVirissimo
      Olá pessoal, farei um breve relato da viagem.

      Resumo da viagem:
      30 dias, entre janeiro e fevereiro de 2019
      13 mil quilômetros

       
      Combustivel: 13 mil km
      1400 litros gasolina, R$ 5700 reais para CARRO (Jeep - Grand cherokee 3.6)
      520 litros gasolina, R$ 2000 reais para MOTO (Honda - CB 500x)

      Partimos de Florianópolis em direção a Bariloche nosso principal destino inicial, onde ficamos 2 dias inteiros fazendo alguns passeios na cidade.


      Depois disso continuamos para Sul descendo Ruta 40 ate Esquel para então entrar no chile por Futaleufu e descer Carretera Austral ate Puerto Rio Tranquilo onde fizemos passeio nas Capilas de Marmol (catedral marmore). Neste trecho pegamos Aproximadamente 300 km  de Rípio que para carro tava tranquilo porem pra moto tava um pouco sofrido devido a "brita" solta nova que colocaram pois estão pavimentando a Carretera e essa rípio solto fica complicado para pilotar.


      Bom, para quem conhece Carretera sabe muito bem que vale cada quilometro percorrido nela, porem voltamos para ruta 40 para chegar a El chaiten, El calafate e no decorrer dos dias ir descendo ate torres del paine, e neste porto da viagem, por motivos de Doença na família minha madrasta teve que voltar ao Brasil de Avião e junto meu irmão por parte de pai também voltou, onde infelizmente mãe dela, avo dele veio a falecer infelizmente.


      Detalhe, meu pai estava com Moto em nome de minha madrasta e estava sem procuração dando os devidos direitos dele poder passar aduana com moto em nome dela, ai então em Puerto Natales fomos ate NOTARIA (tipo nosso Cartório no brasil) e la fizemos o documento.
      Outra observação, é que passamos as aduanas por varias vezes durante o restante da viagem e não entregávamos o documento para ver se iriam questionar algo, e nada pediam, passávamos tudo ok.

      Bom, Continuando então descemos ate Ushuaia onde ficamos 3 dias inteiros e depois fomos subindo ruta 3 com destino ate Puerto Madryn e la fazer passeio ate pinguinheira e também para conhecer Península Valdes.


      Apos isso tínhamos ainda tempo suficiente para passar em Buenos Aires, mas decidimos voltar para casa e dar apoio psicológico a família que voltara antes.

      Não tivemos nenhum contra tempo, nem com carro nem com moto, temperatura era na maioria das vezes boa para andar de moto, exceto em algumas regiões pela parte da manha quando cedo, porem no trexo da ruta 40 entre Gobernador Gregores e Tres Lagos, o ripio muito solto pior que na carretera e o FORTISSIMO VENTO LATERAL fez com que meu pai chegasse a chorar ao conseguir passar, neste dia 3 motos que la estavam passando pela mesma situacao desistiram e um reboque grande levou 3 motos e seus respectivos pilotos para trecho onde asfalta começava novamente. meu pai foi guerreiro antava pela antiga rodovia paralela a atual que esta para ser pavimentada por isso ripio (brita) solta.


      Bom meus amigos tenho videos curtos no youtube vou deixar link abaixo, esta dividido em 5 videos curtinhos!
       


      Grande abraços a Todos e em Março Abril de 2020 pretendo ir ao Atacama, BORA!?!?!?!
       

       

    • Por Guh030912
      Bom dia, eu e meu marido estamos planejando em agosto sair de Imbituba de carro para conhecer o Brasil ( Agosto 2020) gostaria de saber se é tranquilo ( temos um sambeiro 2015 1.0)temos 25 dias para viagem  e quais lugares visitar nunca viajamos de carro e é um grande desejo nosso! 
       
      desde já agradeço! 
    • Por milehist
      Vim trazer o meu relato pessoal e algumas dicas para quem for a Cusco. Foram 8 dias inesquecíveis.
      Meu voo foi dia 27 de setembro, de Salvador na Bahia a Cusco foram 2 conexões (em Guarulhos e em Santiago do Chile), um total de 14 horas de viagem com conexões curtas (a maior foi 3 horas em SP, suficiente apenas para comer alguma coisa e seguir). Minhas passagens não incluíam bagagem, portanto viajei apenas com bagagem de mão, mas despachei ainda em Salvador pq não tinha espaço no avião (para meu alívio, a mala chegou sã e salva em Cusco).
      Cheguei em Cusco as 16h, peguei um taxi no aeroporto por 20 soles (o hotel chegou a pedir meus dados para o transfer, mas não confirmou e nem foi me buscar). Nesse primeiro momento fiquei no hotel Qolqampta, indico fortemente, local agradável, café da manhã ok, quarto confortável. A única desvantagem foi a localização, apesar de perto da plaza de armas, o prédio fica no topo de uma ladeira (tudo em Cusco é ladeira!), e num primeiro momento de aclimatação, seu corpo pode reclamar um pouco.
      Ainda no Brasil eu contratei a empresa Qorianka para fazer o passeio de Machu Picchu (o único que contratei antes de chegar la, dado a disponibilidade de ingressos). A noite Max da empresa estava me esperando para explicar como funcionaria o passeio mais aguardado da vida. Eu super indico a empresa. Preço ok, responsabilidade, compromisso, serviço de excelência. Foi ele que me indicou um lugar com melhor câmbio para comprar soles, os melhores lugares para comer, foram eles que compraram meu boleto turístico. Literalmente, fazem de tudo para nos sentirmos confortáveis e seguros. Acabei comprando os outros passeios com eles.
      Dia 28 - reservei o dia para me adaptar a Cusco, conheci o mercado San Blas, o Mercado São Pedro, comprei soles e orcei os outros passeios. Dica importante: usem protetor solar! O clima em Cusco no geral é frio, a noite e pela manhã é muito, muito frio (entre 5 e 10 graus), mas no decorrer do dia vai esquentando e o sol queima (estou bronzeada como se tivesse ido para alguma praia do nordeste). Fiz a cotação de preços dos passeios e a sensação que tive foi a seguinte: nos lugares confiáveis o preço parece ser tabelado. Descartei os mais baratos e os mais caros por motivos óbvios, e recorri à Qorianka. Como já tinha fechado MP com eles, pedi um desconto e funcionou. Primeiro vou descrever meu roteiro e a seguir passo minhas impressões e conselhos.
       
      Plaza de Armas
      Dia 29: contratei o passeio Vale Sagrado + MP, com a Qorianka incluia traslado do hotel + passeio pelo Vale Sagrado dos Incas (Pisac, Ollantaytambo) + trem voyager inca rail de ida e volta + ônibus de subida e descida a MP + ingresso de entrada da cidadela, com montanha machu pichu (que eu escolhi subir) + almoço do dia 29 + diária no povoado de águas calientes + traslado de volta Ollanta - Cusco.
      Sai as 8h do hotel fiz checkout (como ia ficar uma noite em aguas calientes, encerrei no qolqampta e reservei o hostel milhouse a partir do dia 30. a Qorianka cuidou de pegar minhas malas em um hotel e levar para o outro), passamos por pisac, almoçamos em um restaurante buffet muito bom, seguimos para ollantaytambo, e depois do city tuor peguei o trem para Aguas Calientes. São 1h30 de viagem, chegando no povoado já tinha um rapaz do hotel me aguardando com meu nome. Esse hotel terrazas de luna é um espetáculo à parte, muito confortável, o banheiro tem até banheira, o café da manha sensacional. A noite uma representante da Qorianka foi me encontrar para me explicar como funcionaria a subida a MP no dia seguinte.

      Ollantaytambo
      Dia 30: sai cedo do hotel, peguei o ônibus de subida a MP. Entrei na cidadela as 7h, fiz um tour guiado até 7h50, e subi a montanha (o ingresso da montanha era de 7h as 8h). A subida é, para dizer o mínimo, extenuante. São necessárias cerca de 3 horas para ir e voltar, a subida é íngreme e toda em escadarias. É cansativo, mas vale muito a pena. A vista panorâmica de MP é sensacional!!! Subi as 7h55 e as 10h50 estava de volta. Aquela história de que para descer todo santo ajuda é balela, sofri demais na descida, joelhos e tornozelos doeram bastante. Fiquei em MP até as 12h, peguei o ônibus as 12h30, cheguei em águas calientes, almocei e peguei minha mochila no hotel. Meu trem de retorno foi as 15h. Chegando em Ollantaytambo já tinha uma pessoa segurando meu nome em um cartaz, pronto para me levar de volta a Cusco. Chegando em Cusco me deixaram no hostel Milhouse, minha mala já estava lá. Fiz o checkin e aproveitei o bar e restaurante de la (maravilhosos, por sinal).

      Vista da cidadela de cima da montanha Machu Picchu
      Dia 1: reservei Laguna Humantay. O traslado da Qorianka foi me buscar pontualmente as 4h15 no hostel. O pacote inclui: traslado + café da manhã + guia + almoço. O trajeto é um pouco longo, mas como é cedo, aproveitei para dormir. Tomamos café num hostel de uma cidadezinha q fica no caminho e seguimos viagem. Percorremos cerca de 1h30 até o lugar que a van nos deixa e começamos a caminhada. Percorri o trajeto de ida em 1h45, sofri um pouco nesse trajeto. A subida até a laguna é em terreno acidentado e cerca de 80% subida, chegamos a mais de 4.000 metros de altitude, o que deixa o ar rarefeito e causa o temido mal da montanha. Quem quiser, ou não aguentar, pode fazer mais da metade desse trajeto a cavalo, eu percorri caminhando mesmo. Dentre as sensações está o cansaço extremo, a frequente falta de ar e a dor de cabeça, mas para mim, nada insuportável. Ao chegar no destino, vc esquece toda essa dor. É lindo demais. Lindo e muito, muito frio. Aproveite para tirar muitaas fotos em ângulos diferentes (a cor da água muda conforme a incidência da luz). Ficamos cerca de 30 minutos e retornamos. A descida foi mais tranquila, alguns trechos consegui correr um pouco em zig zag, oq ameniza um pouco o esforço do joelho. Chegamos na van, percorremos cerca de 1h30 e paramos para o almoço estilo buffet, depois retornamos a Cusco. Chegando por volta das 16h. Novamente, aproveitei o bar e restaurante do milhouse.

      Laguna Humantay
      Dia 2: Salineras de Maras e Moray. Esse passeio é de meio dia e incluia: traslado + guia. A van da Qorianka me pegou no hotel pontualmente as 8h. Passamos em Chinchero, onde vc vai ter a explicação completa de como os tecidos são produzidos, vai ser muito bem recebido com um chá delicioso, poder tirar belas fotos e fazer algumas comprinhas. Depois segue para Moray, um laboratório de experimentação agrícola lindissimo. O último ponto da viagem são as salineras, que custa 10 soles a entrada, e n está incluida no pacote, que também vai te render fotos maravilhosas. Chegamos em Cusco as 14h. Já em Cusco aproveitei o mercado São Pedro para fazer compras (considerei o melhor preço), tomei café numa lanchonete e fui dormir.

      Moray
      Dia 3: Montaña Colorida. O passeio da Qorianka incluia: traslado + guia + café da manhã + entradas + almoço. A van me pegou as 4h30 pontualmente. Seguimos viagem por cerca de 1h30 e paramos para tomar um belo café em estilo buffet. O guia nos passou as explicações gerais de como seria a subida, cuidados a tomar, dificuldades que poderíamos encontrar. Depois do café seguimos viagem por cerca de 1h e chegamos ao local q as vans ficam e começa a caminhada. A subida da Montaña é menos íngreme do que a da Laguna, mas a altitude é bem maior (chegamos a 5.200 metros no topo do deck para tirar as fotos), e por isso algumas pessoas sofrem muito mais. Eu me senti bem mais disposta. Realmente não senti nenhum desconforto, nem na subida nem na descida, mas fiz o trajeto no meu tempo (cerca de 3h entre subida e descida dos 8km total). Tem a opção de subir a cavalo, mas dispensei. existem 3 pontos q fornecem banheiros, ao custo de 1 soles. A vista é simplesmente fenomenal. A montanha é tudo aquilo que vemos nas fotos e mais um pouco. mas só conseguimos ficar no topo por cerca de 20 minutos devido ao frio. É realmente congelante. Algumas pessoas do grupo passaram mal na descida. Voltamos, paramos para almoçar no mesmo local do café, depois seguimos viagem. Chegamos em Cusco as 16h. Já em Cusco o meu corpo sentiu tudo que não tinha sentido nos outros dias. Tive o mal da montanha no último dia da viagem e passei muito mal o resto do dia.

      Montaña
      Dia 4: meu voo saiu as 10h. Max da Qorianka me deu de brinde o traslado até o aeroporto. Me pegaram as 8h em ponto no hostel, cheguei no aeroporto as 8h20. Meu voo de volta incluia 2 conexões (em Lima e em Guarulhos). Como a ida, a volta durou 14h de Cusco a Salvador. Cheguei na Bahia as 2h45.
      Gente, Machu Pichu é tudo que dizem, e mais um pouco. É maravilhoso. A sensação de subir a Montanha e ver a cidadela la de cima é indescritível.
      No fim das contas, considerei meu roteiro apertado, acredito que o ideal para não levar meu corpo à exaustão, deveria ter sido 10 dias (incluindo os 2 necessários para a ida e volta).
      A Qorianka foi sensacional. Indico fortemente! A logística toda funcionou perfeitamente, não tive nenhum imprevisto e eles estavam sempre disponíveis para me ajudar. Considerando que viajei sozinha, não ter qualquer preocupação com roteiros e imprevistos foi muito importante.
      Os 10 soles que a gente paga para entrar na salineras fica retido com a empresa que é responsável pela compra e beneficiamento do sal, nada desse valor é destinado às famílias responsáveis por retirar o sal (a elas cabe apenas o valor pago pelos sacos). Juro que se soubesse disso, não teria entrado. Eu acredito em um turismo que ajuda a fortalecer a população local, não uma empresa especifica. Comam em restaurantes peruanos, comprem dos peruanos.
      Os guias de Cusco são extremamente organizados e politizados, além de serem excelentes no que fazem.
      A comida peruana é muito boa. Os restaurantes tem o menu turistico: por 20 a 25 soles vc desfruta de uma refeição completa- entrada, prato principal, sobremesa e/ou bebida. Indico experimentar o ceviche peruano, a trucha, a sopa crioula (maravilhosa), a chicha morada, o pisco sour e o lomo saltado.
      Comprei vitamina C efervescente la em Cusco, e tomava 1 pela manha e 1 a noite. Considero que foi essencial para manter minha imunidade ok. O frio em Cusco é cruel. As mudanças de temperatura são drásticas. Para quem tem rinite, sinusite e amidalite, não ter sentido absolutamente nada, foi uma bênção.
      Estou à disposição para dúvidas. Esses relatos me ajudaram demais a montar a viagem perfeita!!


×
×
  • Criar Novo...