Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

  • Membros

Oiii gente. Tudo bem?

Gostaria da opinião de vocês. Em maio de 2020 pretendo passar uns 20/25 dias mochilando sozinha pelos seguintes países: Itália(Não irei ficar muito, passarei por lá para pegar ônibus de Roma para Eslovênia), Eslovênia, Hungria, Eslováquia, Polônia e Alemanha). Vocês acham que R$10 mil dá para tudo? Pretendo ficar em hostel barato e fazer as minhas refeições nos hostels. Irei de um país para o outro de ônibus, vi que os preços desse roteiros são em conta. 

 

O que vocês acham?

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Respostas 27
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

Mais Ativos no Tópico

Postagens Populares

@João Rosenthal  Citei minha opinião com base na minha experiência. Sim, entendo que meu modo de viagem não é o costumeiro e eu realmente economizo muito mais do que a maioria me "privando" de de

Se Real não derreter até 2020, e se você não esbanjar nos gastos, também acho que dá.

Você é baiano man?? kkk... esse "é de lei" é nosso kkkkkk   kkk Rapaz, viajar para passar privação é osso! Para mim não tem nada mais gostoso que parar no final da tarde para tomar um

  • Membros

Se você for bem controlada, imagino que dê.

No final do ano vou em meu primeiro mochilão de 23 dias e meu orçamento é até 10 mil também.

De acordo com meus cálculos, minha viagem (Escócia/Inglaterra/Bélgica/Luxemburgo/França/Holanda) está em R$ 8.200, mas ainda falta incluir as roupas de inverno, uns 3 passeios e uma reserva de emergência.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Tudo vai depender do seu estilo de viagem...

Coloque na planilha os custos "fixos" como os de Voo, seguro viagem, translado entre cidades e estadia. Isso vai "comer" uma boa parte da sua grana.

O que sobrar, vai definir como você vai poder passar em relação a comida e passeios.

Considere uma sobra devido a variação cambial.... talvez não dê 25 dias, mas 20 eu acredito que dê sim...  só vai depender de vc. Utilize muito a questão do custo benefício. As vezes , uma hospedagem um pouco mais cara te faz economizar devido a locomoção... 

  • Gostei! 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

10 mil incluindo a passagem? Se for vai morrer uns 2k na passagem comprando em promoção,  mais 300 em seguro viagem, e mais uns 600 em passagens internas voando Low-Cost. Ai você tem 7k, o que dá uns 1600 Euros. Uma boa estimativa:

Mochileiro Roots>>> Hospedagem em couchsurfing ou barracas, comida de mercado todo dia, sem passeios pagos >>> até 30 Euros por dia rola.

Pra Mochileiro Econômico >>> Hospedagem em bons hostels, comida uma variante entre mercado, cozinhar, comida de rua e fast-food, alguns passeios turistões pagos, uma ou outra balada gastando pouco>>. 50/60 Euros por dia

Mochileiro esbanjador >>. variando entre hostels e hotéis, balada quase todo dia, encher a cara, passeios, comer bem todo dia, etc.. >>> 100 Euros por dia ou mais.

Valores por pessoa. Esse cálculo vale pra Europa ocidental (cara). Leste europeu pode estimar 30% a menos.

Acho que dá no modo econômico pra uma viagem de 25 dias em uns 4 ou 5 destinos relativamente pertos. Ai tudo depende de você. No modo roots tu sobrevive mais de um mês, no modo esbanjador mal dura uma semana. Então no seu caso vai rolar e tranquilo, podendo até esbanjar alguns dias.

Estranhamente no país mais caro (Reino Unido) foi o que gastei menos, acho que estava o tempo todo pilhado com gastos, em Dublin dormi na casa de colega e nos pubs tomava no máximo 3 pints de Guiness hehehhe. Fiz muita coisa, fui no London Eye, museu Britanico, fiz quase tudo a pé, pois pegava hostels bem localizados mesmo tendo que gastar um pouco mais. Todo os hostels paguei no dinheiro reservando pelo booking, o mais caro foi o de Paris, uns 25 Euros a diária, mas era bom.

Alimentação: Basicamente mercado quase todo dia, comprando comida pronta e montandoSanduiches com queijo, salame, tomate, presunto Parma (barato na Europa), comprei algumas frutas e iogurtes, senti que me alimentei bem em Paris e Londres, o mesmo não posso dizer de Budapeste e Praga. De vez em quando fast-foods, como Mcdonalds, Subway, KFC, alguns doners de rua em Berlim e Paris. Em Dublin cozinhei na casa de colega. EM praga e Budapeste me dei ao luxo de restaurantes baratos, mas comida bem esquisita, não me agradou.

 

 

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 1 mês depois...
  • Membros

Com certeza dá!

Acabei de passar 28 dias entre Lisboa, Coimbra, Porto, Salamanca, Avila, Madri, Toledo, Segovia, Paris e Barcelona, e no último dia ainda consegui uma parada perfeita de 14 horas em Roma. O dinheiro deu e sobrou para comprar alguns perfumes em Paris, algumas roupas e uma mochila nova em Barcelona.

Conseguia almoçar todo dia em Restaurante, gastava em média 15 euros por dia nesta refeição e mais uns 8 euros em mercado para um lanche a noite e ainda coisas para café do outro dia que apesar de ter na maioria dos hostels eu saia sempre muito cedo para fazer fotos com a luz do amanhecer.

Minha previsão era usar 70 euros / dia, mas contando com uma ou duas atrações pagas encostava em 50 euros e raramente passava. 

Se aproveitar as baixas do euro, vai sobrar dinheiro.

 

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 semanas depois...
  • Colaboradores

Acredito que de sim! 

Quando mochilei na Europa em 2013, gastei um total em torno de R$ 13 mil. 

Incluindo tudo, passagens (Brasil + passagens locais), alimentação, hospedagem, etc.

Foram em torno de 7 países, dentre eles Alemanha, França, Bélgica, Inglaterra, etc.

Como pretende ficar em hostel e comer por lá mesmo, acho que isso que te consumiria mais dinheiro.

Obs: Pretendo fazer esse roteiro futuramente! Se possível faça um relato quando voltar! 

Boa viagem! 

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Colaboradores

Na minha opinião, com o Euro a 4,30 (turismo 4,50), só dá se você contabilizar os 10.000 reais sem a passagem aérea.

Com muita sorte você acha um voo de ida e volta a R$3.000,00 (abaixo disso somente com datas extremamente flexíveis, pra quem trabalha e tem datas exatas é quase impossível). Mas o padrão mesmo é uns R$3.500,00.

Aí sobram R$7.000, ou 1.555 euros. Isso dá um total de 62 euros/dia, que na minha opinião é muito pouco. Se fosse somente gastos do dia a dia seria razoável, mas aí tem compra de passagem entre cidades, seguro viagem, trecho interno no Brasil caso não haja voo direto da sua cidade pra Europa, etc.

Ou seja, ficaria extremamente apertado, e na minha opinião dificilmente daria. Agora, se os R$10.000 são à parte do voo Brasil - Europa, aí dá tranquilo, até menos eu acho (uns 8 a 9 mil já seriam suficientes).

  • Gostei! 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
  • Conteúdo Similar

    • Por camilandarilha
      Em 2019, realizei a maior viagem da minha vida e agora, finalmente decidi compartilhar um pouco dela aqui  espero que gostem!
      Capítulo 1: Preparação e França
      Em setembro de 2018, decidi largar a faculdade e juntar dinheiro para me jogar em uma aventura na Europa. Estava trabalhando em uma ONG de intercâmbio voluntário e fechei um pacote para passar 45 dias na Croácia por R$400 reais. Muito barato! Pelo menos tinha a hospedagem garantida. (Só vim saber exatamente onde ia dormir quando cheguei na Croácia, mas essa parte fica para outro momento)
       Tinha pouquíssimo tempo e pouquíssimo dinheiro (somente R$1000 guardados) pois planejava passar o ano novo em Paris (já que as passagens no inverno são mais baratas). Vendi praticamente TUDO o que eu tinha, roupas, livros, e vendia comida na rua (principalmente bolo vegano)! Contava a história de que estava indo realizar meu sonho de mochilar, e muitas pessoas me davam dinheiro sem nem pegar a fatia, para que eu vendesse para outra pessoa. Lembro-me de um dia em que ofereci o bolo para dois senhores em um restaurante chique: Um me deu uma nota de R$50 e outro, de R$20. Quase engasguei de surpresa hahaha 😅 depois de vender muito bolo, pastel e etc, consegui juntar R$2500, que somando com o que eu tinha guardado, foi o preço da passagem de ida e volta! Poderia ter pago bem mais barato se tivesse comprado com mais antecedência, então essa é a primeira dica: Se você for fazer na loucura que nem eu, presta atenção nas promoções e procure as datas mais baratas (usei o Skyscanner para isso) mas se você tem mais tempo, compre com antecedência, pois isso pode te fazer economizar uma boa grana! 
      Outra dica: se você vai vender na rua para juntar grana e viajar, não seja seletivo. Eu era um pouco mais tímida, e só oferecia para pessoas que não estavam em grandes grupos e ainda era seletiva, escolhia na rua para quem ia oferecer. OFEREÇA PRA GERAL! HAHA Sério!
      Fiz vaquinha, continuei vendendo e tive também uma ajuda dos meus pais. Acabei indo com cerca de 800/900 euros (ou seja, eu iria me virar com uma média de 100 euros por mês). Na época, isso seria mais ou menos R$4000. 
      Cheguei em Paris e nem podia acreditar que estava ali. Eu nunca nem havia saído do nordeste! Estava fazendo 7 graus, e eu estava com um agasalho de inverno. Porém quando eu digo inverno, é inverno nordestino, ou seja, não servia para quase nada  me lasquei de frio, então outra dica: Não seja mão-de-vaca como eu fui na hora de investir em roupa de inverno. Porquê meu pensamento foi "São menos de três meses de frio, eu vou sobreviver". NÃO PENSEM ASSIM, PELO AMOR DA BICICLETINHA! 
      Fiquei uma semana em Paris e dei um bate e volta em Versailles com uma amiga peruana que fiz através do Couchsurfing. Fui no museu do Louvre de graça (o Louvre é gratuito nos sábados à noite, na baixa temporada! Outro motivo de querer ir pra Paris no ano novo). Fui na Sacred Coeur, Notre Dame (não entrei porquê era pago) e bati bastante perna! Os franceses a quem pedi informação foram gentis e prestativos. O segredo é começar com "Bonjour/Bonsoir! Excusez-moi parlez-vous anglais?" (Bom dia/boa noite! Com licença, você fala inglês?)
      A ideia era pagar pelo transporte (e ainda paguei algumas vezes) mas os próprios parisienses me ensinaram como burlar o metrô 🤷‍♀️ quase não paguei transporte público nesse mochilão. Não estou dizendo que é certo, mas era a forma que eu tinha de economizar. Se você puder pagar, pague, pois se você for pego, paga uma multa de em média 100 euros! 
      Duas vezes pedi informação sobre como comprar um ticket de metrô pois estava toda enrolada, nas duas vezes, as pessoas tentaram me explicar, mas resolveram pagar pra mim. Gentileza que você não espera!
      Fiquei na casa de duas pessoas do Couchsurfing. Me senti muito desconfortável na casa do meu primeiro host, era um francês que morava sozinho e era uma pessoa inconveniente, mas no da segunda, foi ótimo ❤️ uma paquistanesa super gente fina, que morava com o namorado francês e tinha um gatinho, o Pablito. Eles foram ótimos! A paquistanesa falava seis idiomas, incluindo português (se eu não soubesse que ela era do Paquistão, diria que era paulista pelo sotaque!)
      Maas, na noite de ano novo, acabei dormindo no hostel onde a minha amiga do Peru estava se hospedando. O metrô estava fechado (eram 3h da manhã) e eu teria que esperar até às 7h. Tinha uma cama vazia no quarto que ela estava: Ela parou um pouco, pensou e disse baixinho: "Fica aí até às 7h, antes de checarem os quartos para limpeza"! Dei um cochilo, às 7h acordei e meti o pé. Passei pela recepção sem olhar para trás, mas a pessoa que estava na recepção nem disse nada. Provavelmente é difícil saber quem é hóspede ou não em uma época tão festiva. 
      Voltei para a casa do meu host com o c* na mão, pois quando cheguei na estação da zona que ele mora, eram 8h da manhã e ainda estava escuro - e não tinha ninguém na rua. Porém em um determinado momento passei por uma menina que estava andando e mexendo no celular tranquilamente e fiquei um pouco mais tranquila. A pessoa só faria isso em um lugar minimamente seguro, não é?  Mas ainda fiquei em alerta até chegar na casa do meu host. 
       
      Depois da França, peguei um voo para a Croácia (que estava incluso naqueles R$3500). Cheguei em Zagreb e peguei uma van até Rijeka, a cidade onde ficaria por 45 dias (acabei ficando 50 dias). 
       
       
       








      20190102_161214.mp4 20190103_132615.mp4

    • Por Fora da Zona de Conforto
      Não há lugar melhor para cultura, história, beleza e uma atmosfera vibrante do que Amsterdã! Como a capital da Holanda, Amsterdã é a cidade mais popular do país e até mesmo uma das cidades mais populares da Europa. 
      Quase todos os itinerários de viagem europeus incluem uma visita a Amsterdã e saber o que esperar antes da chegada é fundamental.
      Amsterdã é uma cidade conhecida por muitas coisas diferentes. Ela ganhou a reputação de uma das cidades mais sombrias da Europa devido à legalização da maconha e da prostituição. No entanto, este aspecto de Amsterdã é apenas uma fração do que você experimentará ao visitá-la.
      É claro que há muitas pessoas que nos visitam com a intenção de festejar e participar de algumas dessas atividades, mas também há um clima muito moderno e descolado em Amsterdã que é incrível de se experimentar.
      Uma das coisas que a maioria das pessoas diz depois de visitar Amsterdã é: “Eu poderia realmente morar aqui”. A cidade tem um clima super bem-vindo e ocidental que a torna muito acolhedora e fácil de se sentir confortável.
      Há muito para saber sobre Amsterdã e esta lista das 15 coisas mais importantes que você deve saber ao visitar Amsterdã o colocará por dentro antes de sua viagem.
       
      Continue lendo: 15 Coisas para Saber Antes de Visitar Amsterdã
    • Por Fora da Zona de Conforto
      Visitar a Escandinávia e os países que fazem parte dela não é barato. Os custos nesses países são altos tanto em alimentos e bebidas, quanto em acomodações e atrações, o que pode dificultar se você não tiver muito dinheiro para gastar durante a sua viagem.
      Felizmente, há muito para ver e fazer ao ar livre, já que este é um dos destinos mais impressionantes e interessantes do mundo. Além disso, vale a pena gastar para explorar algumas das melhores atrações que os países escandinavos têm a oferecer.
       

       
      Se você estiver viajando com orçamento limitado, há algumas coisas que você pode fazer para manter seus custos baixos, já que não é preciso fazer tudo no auge do luxo. Se você estiver procurando opções de baixo orçamento, saiba que existem algumas maneiras de economizar dinheiro.
      Nem tudo é caro, existem maneiras de encontrar voos baratos e economizar muito dinheiro para aproveitar durante a sua viagem. Para economizar com transporte, continue lendo até o fim, onde dou algumas dicas sobre o Scandinavia Pass.
      Uma das maiores dúvidas durante uma viagem, apesar do que a maioria acredita, não é com o que economizar, mas sim com o que vale a pena gastar. Por isso, aqui estão algumas atrações na Escandinávia com que vale a pena gastar dinheiro…
       
      Continue lendo: 7 Coisas que Vale a Pena Gastar Dinheiro na Escandinávia
    • Por gsultowski
      Olá.. sei que preciso fazer a comprovação financeira de 2400 euros para conseguir o visto. O que quero saber é COMO FAZER esta comprovação? Extrato bancário, declaração?
      Obrigado.
    • Por Rubéns Queiroz
      Hoje a dica è alimentação em uma das cidades mais caras da europa, A REALIDADE!!!
      Link a baixo:
      1kg DE FRANGO R$ 65,00 😨😨
       
      Espero que gostem do conteúdo, qualquer dúvida ou sugestões deixem nos comentários do video, até mais galera!! 

×
×
  • Criar Novo...